Sexta feira – 15 de agosto de 2014 
R. C.
Questão 152 de O Livro dos Espíritos: 
Que prova podemos ter da individualidade a alma 
após a morte?
Observações de Kardec sobre a 
individualidade do espírito:
Mensagens psicográficas, 
contendo detalhes pessoais, são 
uma forma de comprovação da 
individualidade do espírito. 
Kard...
Kardec aprofunda o tema das aparições em “O Livro 
dos Médiuns”, capítulo 6 – Manifestações Visuais. 
(itens 100 a 113)
Posteriormente à época de Kardec, a individualidade 
do Espírito, passa a ser também comprovada através 
dos fenômenos das...
Espírito Ana (14/12/53) 
(médium Peixotinho) 
SP - Brasil 
“A noiva” 
médium 
Jósé Medrado 
BA - Brasil 
Irmã Josefa, 
Ao ...
Um caso marcante de identificação da INDIVIDUALIDADE 
DE UM ESPÍRITO, está registrado detalhadamente no 
livro “O TRABALHO...
Narrativa de D. Ester Fígner, constante no livro: 
“A certa altura da sessão, a médium recolheu-se a uma 
cabine.” 
“... C...
Ainda no depoimento de Rachel Fígner 
D. Ester Fígner: 
“... Quando minha filha saiu, 
perfeitíssima, da câmara, ajoelhou-...
Frederic Fígner, dias após, com o objetivo de esclarecer os fatos, concordou em 
dar uma entrevista a um jornal de Belém d...
Parte no depoimento de D. Ester Fígner sobre a última 
sessão, ocorrida no dia 6 de maio de 1921: 
“Ao colocar a sua na mi...
Molde de parafina da mão de Raquel; 
de uma flor e de lenços com nós 
(Belém do Pará, 1921) 
Vitrine contendo molde de par...
“Amigos, a materialização é 
fenômeno que pode deslumbrar alguns 
companheiros e até beneficiá-los com a 
cura física. Tod...
FONTES DE PESQUISA: 
.“ O Livro dos Espíritos”, “O Livro dos Médiuns” e “O Céu e o Inferno”, 
de Allan Kardec 
. http://ww...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

15 agosto 2014 provas da individualidade da alma

654 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
654
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

15 agosto 2014 provas da individualidade da alma

  1. 1. Sexta feira – 15 de agosto de 2014 R. C.
  2. 2. Questão 152 de O Livro dos Espíritos: Que prova podemos ter da individualidade a alma após a morte?
  3. 3. Observações de Kardec sobre a individualidade do espírito:
  4. 4. Mensagens psicográficas, contendo detalhes pessoais, são uma forma de comprovação da individualidade do espírito. Kardec apresenta 67 exemplos de comunicações individuais, na Parte Segunda, de seu livro “O Céu e o Inferno”, sendo: espíritos felizes (18); em condições medianas (6); sofredores (10); suicidas (9); criminosos arrependidos (5), endurecidos (5) e expiações terrestres (14).
  5. 5. Kardec aprofunda o tema das aparições em “O Livro dos Médiuns”, capítulo 6 – Manifestações Visuais. (itens 100 a 113)
  6. 6. Posteriormente à época de Kardec, a individualidade do Espírito, passa a ser também comprovada através dos fenômenos das materializações, que ocorreram (e ainda ocorrem) pelo mundo afora. Katie King (espírito), com William Crooks médium Florence Cook Inglaterra Pastor Christensen (espírito) com o Pastor Martin Liljeblad Suécia Leila (espírito) médium Elizabeth D’Esperance França
  7. 7. Espírito Ana (14/12/53) (médium Peixotinho) SP - Brasil “A noiva” médium Jósé Medrado BA - Brasil Irmã Josefa, Ao lado de Chico Xavier, Médium Antonio Alves Feitosa MG - Brasil Dr. Frederick Von Stein Materializações no Lar de Frei Luiz RJ - Brasil Irmã Josefa, foto rara com o rosto a descoberto
  8. 8. Um caso marcante de identificação da INDIVIDUALIDADE DE UM ESPÍRITO, está registrado detalhadamente no livro “O TRABALHO DOS MORTOS”, de Nogueira de Faria, publicado pela FEB em 1921. Médium Anna Prado, marido e filhos (década de 20) A médium paraense, Anna Prado, foi procurada pela família de Frederick Fígner, pouco mais de um ano após o desencarne de sua filha Rachel. Fígner que já era espírita, afirmava não precisar de provas da sobrevivência do espírito. Porém sua esposa Ester, estava inconsolável por conta da morte da filha de 20 anos e sua saúde corria sérios riscos.
  9. 9. Narrativa de D. Ester Fígner, constante no livro: “A certa altura da sessão, a médium recolheu-se a uma cabine.” “... Começaram a condensar-se os fluidos e daí a pouco aparecia um vulto no qual, à medida que se formava, íamos eu, meu marido e minha filha, reconhecendo a nossa querida Rachel. E, de fato, o era. Rachel nos apareceu em toda a perfeição de suas formas, qual fora, absolutamente reconhecível. Ali estava viva e palpitante.”
  10. 10. Ainda no depoimento de Rachel Fígner D. Ester Fígner: “... Quando minha filha saiu, perfeitíssima, da câmara, ajoelhou-se com as mãozinhas para o céu. Ajoelhei-me também e todos os que estávamos presentes a acompanhamos na prece que dirigia ao Senhor. Depois, levantou-se e foi sentar-se na cadeira vazia, tomando exatamente a posição em que está numa fotografia, da qual pouco antes eu falara, dizendo que nesse retrato se lhe viam bem os braços e as mãos.” Fotografia, em vida, de “A Ressurgida” cujo Espírito se materializou com admirável perfeição em 4 de Maio de 1921.
  11. 11. Frederic Fígner, dias após, com o objetivo de esclarecer os fatos, concordou em dar uma entrevista a um jornal de Belém do Pará: “No dia 4 de maio fizemos outra sessão, e nesta a materialização de nossa filha foi a mais perfeita possível. Rachel apresentou-se com tanta perfeição, com tanta graça e tão ela mesma, com os mesmos gestos e modos, que não pudemos conter nossa emoção e todos, chorando, de joelhos, rendemos graças a Deus, por tamanha esmola. Era Rachel viva, pronta para ir a uma festa. A sua cabeça erguida, os seus braços redondos, o seu sorriso habitual, as suas bonitas mãos e até a posição destas, toda sua exatamente como era na Terra. ” Fígner informa ainda que, somadas todas as sessões, estiveram na presença do espírito da filha Rachel, durante 2h40 mim.
  12. 12. Parte no depoimento de D. Ester Fígner sobre a última sessão, ocorrida no dia 6 de maio de 1921: “Ao colocar a sua na minha mão, ela estava bem defronte de mim e muito perto, de sorte que, não só eu lhe sentia e via a mão, como via perfeitamente o rosto. Era a minha Rachel, tal qual eu a tivera na Terra. O rosto, o pescoço, o colo eram os seus. Não havia para mim possibilidade de ter a menor dúvida de que fosse a minha muito querida filha. Aproveitei assim as duas sensações ao mesmo tempo: via e sentia a minha filha. Só Deus me poderia dar tamanha felicidade, treze meses após a desencarnação dela.”
  13. 13. Molde de parafina da mão de Raquel; de uma flor e de lenços com nós (Belém do Pará, 1921) Vitrine contendo molde de parafina de materializações: uma mão; luvas, flores e lenços com nós (Sede Histórica da FEB, na Av. Passos, Rio de Janeiro) – Foto tirada em 2014
  14. 14. “Amigos, a materialização é fenômeno que pode deslumbrar alguns companheiros e até beneficiá-los com a cura física. Todavia, O LIVRO é a chuva que fertiliza lavouras imensas, alcançando milhões de almas. Rogo aos amigos a suspensão, a partir desse momento, dessas reuniões". Emmanuel Ilustração feita pelo artista Joaquim Alves ( Jô ), da Federação Espírita do Estado de São Paulo-FEESP, que presenciou o fenômeno.
  15. 15. FONTES DE PESQUISA: .“ O Livro dos Espíritos”, “O Livro dos Médiuns” e “O Céu e o Inferno”, de Allan Kardec . http://www.guia.heu.nom.br/materializacao.htm . Livro “O Trabalho dos Mortos”, de Nogueira de Faria, FEB, 1921 Disponível em PDF na Internet no seguinte endereço virtual: http://livrariaflamarion.com.br/Espiritualismo/Outros%20Autores/ Nogueira%20de%20Faria%20-%20O%20Trabalho%20dos%20Mortos.pdf

×