Renascimento cultura, científico e urbano

268 visualizações

Publicada em

Revisão / Situação de Aprendizagem 01 2ª série E.M

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
268
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Renascimento cultura, científico e urbano

  1. 1. PENSAMENTO MEDIEVAL Teocentrismo Verdade = Bíblia Vida material sem importância Conformismo Natureza = fonte do pecado Ascetismo Dogmatismo
  2. 2. PENSAMENTO RENASCENTISTA Antropocentrismo Verdade = experimentação, observação Vida terrena e material também é importante Crença no progresso Natureza = beleza, onde o homem se insere Hedonismo Fé diferente da razão
  3. 3. Movimento científico-cultural ocorrido na Europa durante a transição entre as idades Média e Moderna e que representou as aspirações da burguesia. Rompendo com o padrão de pensamento vigente no mundo medieval, introduzindo a cultura laica (não religiosa), própria da Modernidade; FATORES: A expansão marítima e o renascimento comercial; Influência da civilização bizantina; A retomada dos estudos das civilizações clássicas (greco- romana),graças à preservação pelos mosteiros medievais; A ascensão socioeconômica da burguesia; A invenção da imprensa etc.
  4. 4. Quando?: entre os séculos XIV e XVI; Onde?: ITA (principal), ING, FRA, POR, ESP, ALE, HOL/BEL (Países Baixos);
  5. 5. FATORES DO PIONEIRISMO ITALIANO NO RENASCIMENTO: Desenvolvimento comercial Desenvolvimento urbano Contato com árabes e bizantinos, após a queda de Constantinopla (retomada das obras clássicas perdidas na Idade Média) Sede do Império Romano./Herdeiros naturais do Império Romano Surgimento do Mecenato (burguesia incentivadora e protetora das artes);
  6. 6. Características: Humanismo (valorização do ser humano, criação privilegiada de Deus) Antropocentrismo (idéia de que o homem se encontra no centro do universo) Individualismo Racionalismo Naturalismo Hedonismo Cientificismo Empirismo Experimentalismo Inspiração na cultura clássica (mundo greco-romano).
  7. 7. TRECENTO (séc XIV): transição da cultura teocêntrica para a antropocêntrica; Dante – Literatura – A Divina Comédia Petrarca – Literatura – Ad Itália, Lírica do Cancioneiro Boccaccio – Literatura – Decameron Giotto – Pintura – figuras com aspecto humano e traços de individualidade. Destaque para suas representações de São Francisco de Assis.
  8. 8. SÃO FRANCISCO PREGANDO AOS PÁSSAROS
  9. 9. LAMENTO ANTE CRISTO MORTO
  10. 10. QUATROCENTO (séc XV): família Médici (mecenas); Florença (principal centro); pintura com maior destaque (técnica da pintura a óleo); Masaccio – geometria em perspectiva. “A Expulsão de Adão e Eva do Paraíso”, “Tributo”, Distribuição de esmolas por São Pedro”; Botticelli – figuras leves, delicadeza, inocência. “Nascimento de Vênus”, “Alegoria da Primavera” Da Vinci – maior nome do renascimento. Pintor, escultor, urbanista, engenheiro, músico, físico, botânico... “Gioconda” (Mona Lisa), “Santa Ceia”, Virgens das Rochas”.
  11. 11. A ARTE DE SANDRO BOTTICELLI NASCIMENTO DE VÊNUS
  12. 12. ALEGORIA DA PRIMAVERA
  13. 13. A OBRA DE LEONARDO DA VINCI GIOCONDA (MONA LISA)
  14. 14. CINQUECENTO (séc XVI): Papas (mecenas); Roma (principal centro); Ariosto – Literatura – “Orlando Furioso”; Torquato Tasso – Literatura – “Jerusalém Libertada” Nicolau Maquiavel – Literatura – “O Príncipe”; Rafael – Pintura – conhecido como o pintor das madonas. “Madona Sistina”, “Escola de Atenas”, “A Sagrada Família”; Michelângelo – Pintura e Escultura – “Moisés”, “Davi” e “Pietá” (esculturas), afrescos da Capela Sistina (pintura).
  15. 15. A ARTE DE RAFAEL SANZIO O CASAMENTO DA VIRGEM ESCOLA DE ATENAS
  16. 16. *
  17. 17. MITOLOGIA AS TRÊS GRAÇAS (Cárites) As Cárites, em latim Graças (Gratiae), são divindades da Beleza e talvez, na origem, forças de vegetação. São elas que espalham a alegria na natureza e no coração dos homens e até no dos deuses. Moram no Olimpo, na companhia das Musas, com as quais, às vezes, formam coros. Fazem parte do séquito de Apolo, o deus músico. Geralmente, são representadas como três irmãs que têm os nomes de Eufrósina, Talia e Aglaia, três donzelas nuas agarradas umas às outras pelos ombros. Duas delas olham numa direção, a do meio olha na direção contrária. Têm Zeus como pai, e como mãe Eurínome, filha de Oceano, mas, às vezes, a sua mãe é Hera em lugar de Eurínome. Atribui-se às Graças toda a espécie de influências nos trabalhos do espírito e nas obras de arte. Foram elas que teceram a veste de Harmonia. Acompanham de bom grado Atena, deusa dos lavores femininos e da atividade intelectual e também fazem companhia a Afrodite, a Eros e a Dionísio. Fonte: Dicionário da Mitologia Grega e Romana, Pierre Grimal, 5ª edição, Editora Bertrand-Brasil, 2005, pág.75 As Três Graças inspiraram muitos artistas, entre os quais:

×