Conto contemporâneo<br />
A beleza não está nem na luz da manhã nem na sombra da noite, está no crepúsculo, nesse meio tom, nessa incerteza.<br />Bi...
Estilo das obras de Lygia F.<br />
Exímia contista, Lygia trabalha tanto com o conto de atmosfera quanto com o conto anedótico de desfecho inesperado. Sua ma...
Entre tantas obras estruturalmente desordenadas surgidas no início dos anos 70, As meninas é aquela em que melhor se conci...
Algumas obras<br />
Romances<br />Ciranda de pedra. <br />Verão no aquário. <br />As meninas.<br />As horas nuas.<br />Contos<br />Porão e sob...
" quando na realidade o amor é uma coisa tão simples... Veja-o como uma flor que nasce e morre em seguida por que tem que ...
“Não separe com tanta precisão os heróis dos vilões, cada qual de um lado, tudo muito bonitinho como nas experiências de q...
Biografia<br />Vida<br />Nascido em Porto Alegre, em 1937, é autor de 53 livros, em vários gêneros: conto, romance, crônic...
Estilo das obras de Moacyr S.<br />
Duas influências são importantes na obra de Scliar. Uma é a sua condição de filho de imigrantes, que aparece em obras como...
Algumas obras<br />
Romances<br />A guerra no Bom Fim. <br />O exército de um homem só. <br />Os deuses de Raquel.<br />Contos<br />O carnaval...
Guerra do bom fim<br />“Havia guerra na Europa, mas a hora era de calma no Bom Fim. Os grandes negros da Colônia Africana ...
Amanda Garrett N° 1<br />Ana Carolina de Oliveira N°2<br />Fabiano N°6<br />Kamilla Carvalho N° 14<br />Thaís Alves Pereir...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Conto contemporâneo - moacyr e Lygia Fagundes

4.750 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.750
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
157
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Conto contemporâneo - moacyr e Lygia Fagundes

  1. 1. Conto contemporâneo<br />
  2. 2. A beleza não está nem na luz da manhã nem na sombra da noite, está no crepúsculo, nesse meio tom, nessa incerteza.<br />Biografia<br />Vida<br />Lygia Fagundes Telles nasceu em São Paulo, em 1923. Como o pai era promotor público, viveu parte de sua infância no interior paulista. Seus estudos, contudo foram feitos na capital. Em 1945, formou-se em Direito. Desta época são os seus primeiros contos. Depois de viver um tempo na cidade do Rio de Janeiro, Lygia retornou para São Paulo, tornando-se advogada e mais tarde, procuradora do estado. O seu primeiro livro significativo foi o romance Ciranda de pedra, publicado em 1954. Em 1970 veio à luz um grande livro de contos, Antes do baile verde. E em 1973, a autora lançou As meninas, um dos grandes romances da literatura brasileira no século XX.<br />Lygia Fagundes Telles<br />
  3. 3. Estilo das obras de Lygia F.<br />
  4. 4. Exímia contista, Lygia trabalha tanto com o conto de atmosfera quanto com o conto anedótico de desfecho inesperado. Sua matéria-prima são crianças em situação de angústia existencial, pais e filhos em conflito e uma infinita galeria de mulheres de todas as idades, vivendo tensões amorosas, solidão e sofrimento. Geralmente, a escritora focaliza um momento particular na vida desses protagonistas, quando uma dramática percepção da realidade ou densas revelações subjetivas se impõem bruscamente à consciência, arrastando-os à dor e à lucidez. Por vezes, os sentimentos humanos são desenhados com tamanha intensidade que os contos roçam no mórbido e no melodramático. Mas, geralmente, Lygia Fagundes Telles consegue escapar deste risco, produzindo um significativo número de belas histórias curtas, entre as quais se destacam: A confissão de Leontina, Natal na barca, Antes do baile verde, O menino e A estrutura da bolha de sabão. <br />Contos<br />
  5. 5. Entre tantas obras estruturalmente desordenadas surgidas no início dos anos 70, As meninas é aquela em que melhor se conciliam a refinada análise psicológica, a desintegração das formas realistas convencionais, a criação de um novo realismo, extremamente inovador, e a elaboração de um painel de época. <br />A idéia da autora foi a de apresentar a vida e as relações afetivas, sexuais e familiares de três jovens universitárias, internas em um pensionato de freiras na cidade de São Paulo, em fins da década de 1960, quando a ditadura militar fechava cada vez mais o torniquete repressivo sobre a sociedade brasileira. Apesar das diferenças de origem e posição social, de escala de valores e de qualificação intelectual, Lorena, Lia e Ana Clara são muito amigas, compartilhando suas angústias e projetos pessoais.É fascinante como Lygia Fagundes Telles cria individualidades ricas e complexas e, simultaneamente, lhes dá representatividade histórico-social. Lorena, que faz Direito, descende de tradicional família paulistana e, diante do turbilhão de mudanças da realidade brasileira de então, isola-se em seu mundo interior, remoendo o passado e vivendo um amor totalmente fantasioso. <br />Romances<br />
  6. 6. Algumas obras<br />
  7. 7. Romances<br />Ciranda de pedra. <br />Verão no aquário. <br />As meninas.<br />As horas nuas.<br />Contos<br />Porão e sobrado . <br />Praia viva. <br />O cacto vermelho. <br />Historias do desencontro. <br />Histórias escolhidas. <br />Crônicas<br />Não vou ceder. Até quando?<br />Pendura com um anjo. <br />
  8. 8. " quando na realidade o amor é uma coisa tão simples... Veja-o como uma flor que nasce e morre em seguida por que tem que morrer. Nada de querer guardar a flor dentro de um livro, não existe nada mais triste no mundo do que fingir que há vida onde a vida acabou."<br />Lygia Fagundes Telles<br />
  9. 9. “Não separe com tanta precisão os heróis dos vilões, cada qual de um lado, tudo muito bonitinho como nas experiências de química. Não há gente completamente boa nem gente completamente má, está tudo misturado e a separação é impossível. O mal está no próprio gênero humano, ninguém presta. Às vezes a gente melhora. Mas passa ... E que interessa o castigo ou o prêmio? ... Tudo muda tanto que a pessoa que pecou na véspera já não é a mesma a ser punida no dia seguinte."<br />Lygia Fagundes Telles<br />
  10. 10. Biografia<br />Vida<br />Nascido em Porto Alegre, em 1937, é autor de 53 livros, em vários gêneros: conto, romance, crônica, ficção juvenil, ensaio. Obras suas foram publicadas nos Estados Unidos, França, Alemanha, Espanha, Portugal, Inglaterra, Itália, Tchecoslováquia, Suécia, Noruega, Polônia, Bulgária, Japão, Argentina, Colômbia, Venezuela, México, Canadá, Israel e outros países, com grande repercussão crítica. Recebeu vários prêmios, entre os quais: Academia Mineira de Letras (1968), Joaquim Manuel de Macedo (1974), Érico Veríssimo (1975), Cidade de Porto Alegre (1976), Brasília (1977), Guimarães Rosa (1977), Associação Paulista de Críticos de Arte (1980), Casa de las Américas (1989), José Lins do Rego, da Academia Brasileira de Letras (1998), Jabuti (1988, 1993 e 2000, neste último ano por A Mulher que Escreveu a Bíblia). Tem trabalhos adaptados para cinema, tevê, teatro e rádio. É colunista dos jornais Zero Hora (Porto Alegre) e Folha de S. Paulo. Foi professor visitante nas Universidades de Brown e Austin. A vocação para a literatura surgiu cedo. Os pais, imigrantes judeus-russos moradores no bairro do Bom Fim em Porto Alegre, eram grandes contadores; a mãe, professora, iniciou-o cedo na leitura. Logo estava escrevendo historinhas que circulavam no bairro. Mais tarde, estudante de Medicina, publicou vários contos. Sua primeira obra de importância apareceu em 1968; era O Carnaval dos Animais, um livro de contos que alcançou grande repercussão crítica.<br />Moacyr Scliar<br />
  11. 11. Estilo das obras de Moacyr S.<br />
  12. 12. Duas influências são importantes na obra de Scliar. Uma é a sua condição de filho de imigrantes, que aparece em obras como A Guerra no Bom Fim, O Exército de um Homem Só, O Centauro no Jardim, A Estranha Nação de Rafael Mendes, A Majestade do Xingu. A outra influência é a sua formação de médico de saúde pública, que lhe oportunizou uma vivência com a doença, o sofrimento e a morte, bem como um conhecimento da realidade brasileira. O que é perceptível em obras ficcionais, como A Majestade do Xingu e não-ficcionais, como A Paixão Transformada: História da Medicina na Literatura. Moacyr Scliar é considerado um dos escritores mais representativos da literatura brasileira contemporânea. Os temas dominantes de sua obra são a realidade social da classe média urbana no Brasil, a medicina e o judaísmo. Suas descrições da classe média eram, frequentemente, inventadas a partir de um ângulo super-real.<br />. <br />Contos<br />
  13. 13. Algumas obras<br />
  14. 14. Romances<br />A guerra no Bom Fim. <br />O exército de um homem só. <br />Os deuses de Raquel.<br />Contos<br />O carnaval dos animais. <br />A balada do falso Messias. <br />Histórias da terra trêmula. <br />O anão no televisor. <br />Os melhores contos de Moacyr Scliar. <br />Crônicas<br />A massagista japonesa. <br />Um país chamado infância. <br />Dicionário do viajante insólito. <br />
  15. 15. Guerra do bom fim<br />“Havia guerra na Europa, mas a hora era de calma no Bom Fim. Os grandes negros da Colônia Africana ainda dormiam, ressonando forte e cheirando a cachaça. Três mulatas dormiam dilatando as narinas com volúpia. As gordas avós judias dormiam, os pálidos judeuzinhos dormiam, de boca aberta e respiração ruidosa por causa das adenoides. As mães judias dormiam seu sono leve e intranquilo. Os pais judeus dormiam; logo acordariam e iriam, bocejando, acender os fogões de lenha, tossindo e lacrimejando quando as achas úmidas começassem a desprender fumaça”.<br />Moacyr Scliar<br />
  16. 16. Amanda Garrett N° 1<br />Ana Carolina de Oliveira N°2<br />Fabiano N°6<br />Kamilla Carvalho N° 14<br />Thaís Alves Pereira N° 28<br />

×