Kalyne Menezes
REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DO
SUS:
Um sistema permeado pela dificuldade de acesso à
atenção
integral
Universida...
Objetivos do estudo: identificar a suas
fragilidades e potencialidades do SUS
 Princípios do SUS: universalidade, equidad...
SUS
 Avanços: houve uma expansão dos serviços,
especialmente, o de Atenção Básica para tentar garantir
maior número de at...
Metodologia do estudo
•Estudo qualitativo
•Local: Regional de Saúde do Paranoá,
Distrito Federal
•População:148 mil habita...
Metodologia
 Critérios de inclusão: sujeitos que convivem com
o SUS (gestores, trabalhadores e usuários)
 Três grupos fo...
Metodologia
 Software evidencia aglomerados de palavras com mesmo
núcleo de sentido. Objetivo é formar discurso consensua...
Eixos
 Eixo 1: modelo de atenção básica
Classes temáticas:
1. falta de acesso aos serviços de saúde
2. dificuldade de com...
Grupos focais
 Dificuldade de acesso aos serviços de saúde
 Número de serviços reduzido, considerando a alta
demanda esp...
Grupos focais
 Falta de acesso aos serviços de Atenção
Básica leva a população busca resolver os
problemas de saúde de ba...
Estratégia Saúde da Família tem melhorado o acesso
aos serviços básicos de saúde, mas possui baixa
capacidade para resolve...
Grupos focais
 Práticas populares de saúde foram identificadas como
medidas complementares (“Casa da erva”). São práticas...
•Predomínio da linguagem
técnica profissional
(dificuldade)
•Problemas de
comunicação com
governantes
•Falta de ações para...
Grupos focais
 O transporte público é muito escasso e precário.
 O comércio é distante e faltam opções de lazer .
 Grav...
Grupos focais
 Escassez de ações de prevenção e promoção à
saúde – população só busca posto de saúde quando
já está doent...
Grupos focais
“...quanto à concepção de saúde, identifica-
se que está em construção uma
representação social da saúde mai...
•Está embutido nas RS que o Estado deve garantir as condições necessárias para o
desenvolvimento local.
•Destaque para o a...
Discussão
A representação social do SUS: a partir de
quem usa e de quem que oferece os serviços
são reflexo de um sistema...
Discussão
 Essas ausências contribuem para a
conformação de uma representação bastante
negativa do SUS
 Comunicação entr...
...neste estudo o que a população expressa
é a percepção da ausência e/ou da
insuficiência dos cuidados de saúde.
Essas au...
Obrigada!
mskalyne@gmail.com
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Representações sociais do sus um sistema permeado pela dificuldade de acesso à atenção integral

59 visualizações

Publicada em

Apresentação do texto de Texto de SHIMIZU, PAMELA, & SANCHEZ, 2012.

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
59
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Representações sociais do sus um sistema permeado pela dificuldade de acesso à atenção integral

  1. 1. Kalyne Menezes REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DO SUS: Um sistema permeado pela dificuldade de acesso à atenção integral Universidade Federal de Goiás PPGCOM – Mestrado 2014 Texto de SHIMIZU, PAMELA, & SANCHEZ, 2012. Aula dia 30/10/2014 Prof.º Claudomilson F. Braga
  2. 2. Objetivos do estudo: identificar a suas fragilidades e potencialidades do SUS  Princípios do SUS: universalidade, equidade, integralidade, regionalização e hieraquização  Municipalização e descentralização político- administrativa: direito à saúde.  Apesar dos avanços coexistem fragilidades e potencialidades
  3. 3. SUS  Avanços: houve uma expansão dos serviços, especialmente, o de Atenção Básica para tentar garantir maior número de atendimentos.  Fragilidades: modelos assistenciais continuam circunscritos a respostas a demandas imediatas, medicalização da saúde e manutenção da ênfase no modelo biomédico.  Desafio: “mudança do modelo de atenção á saúde, em busca de efetividade, qualidade e humanização das relações entre prestadores de serviços e usuários, como parte de um processo mais geral de mudança nas concepções acerca da saúde e no desenvolvimento das práticas de saúde”
  4. 4. Metodologia do estudo •Estudo qualitativo •Local: Regional de Saúde do Paranoá, Distrito Federal •População:148 mil habitantes, características urbana e rural, grandes desigualdades socioeconômicas
  5. 5. Metodologia  Critérios de inclusão: sujeitos que convivem com o SUS (gestores, trabalhadores e usuários)  Três grupos focais:  roteiro para guiar os grupos  01 coordenador  03 observadores  Análise de dados pelo software ALCESTE
  6. 6. Metodologia  Software evidencia aglomerados de palavras com mesmo núcleo de sentido. Objetivo é formar discurso consensual.  Classificação hierárquica Descendente: contexto típico  Análise de discurso  EIXOS TEMÁTICOS: 1. Como as práticas de saúde locais se estruturam, se organizam e funcionam (modelo de atenção primária) 2. falta de acesso aos serviços e que é especifica do espaço rural 3. disponibilidade de outros equipamentos de uso coletivo
  7. 7. Eixos  Eixo 1: modelo de atenção básica Classes temáticas: 1. falta de acesso aos serviços de saúde 2. dificuldade de comunicação entre profissionais do SUS e cidadãos  Eixo 2:falta de serviços  Classe temática: modo de vida da população, articulada com disponibilidade de equipamentos de uso coletivo.
  8. 8. Grupos focais  Dificuldade de acesso aos serviços de saúde  Número de serviços reduzido, considerando a alta demanda espontânea “E como não se consegue atender toda demanda, em função desses numero muito grande de pessoas que procuram e não conseguem. E ai, às vezes, uma simples situação que poderia ser tratada no centro de saúde vai se tornar em uma coisa mais complicada .”
  9. 9. Grupos focais  Falta de acesso aos serviços de Atenção Básica leva a população busca resolver os problemas de saúde de baixa complexidade e média complexidade nos hospitais, principalmente nos serviços de emergência.  Profissionais têm grande dificuldade para trabalhar com os serviços de referência da rede de saúde do DF .
  10. 10. Estratégia Saúde da Família tem melhorado o acesso aos serviços básicos de saúde, mas possui baixa capacidade para resolver os problemas de saúde, especialmente aqueles que requerem exames médicos complementares.
  11. 11. Grupos focais  Práticas populares de saúde foram identificadas como medidas complementares (“Casa da erva”). São práticas não valorizadas pelos serviços de saúde.  Ações de prevenção e promoção de saúde são escassas.  Acesso aos serviços de saúde de AB ainda é bastante difícil (porta de entrada)  Profissionais de saúde não oferecem a devida atenção às necessidades dos usuários (comunicação)  Profissionais de uma mesma equipe dão orientações diferentes
  12. 12. •Predomínio da linguagem técnica profissional (dificuldade) •Problemas de comunicação com governantes •Falta de ações para diferentes grupos populacionais
  13. 13. Grupos focais  O transporte público é muito escasso e precário.  O comércio é distante e faltam opções de lazer .  Gravidade da dificuldade de acesso da população rural aos serviços de saúde.  A população não possui serviços de saúde para atendimentos de emergência.  População só conta com ESF, que atende mas é insuficiente e tem equipes incompletas  Profissionais da ESF têm dificuldade de encaminhamento médico (demora)
  14. 14. Grupos focais  Escassez de ações de prevenção e promoção à saúde – população só busca posto de saúde quando já está doente.  A população rural tem um modo de vida singular , que são perpassadas por dificuldades de acesso a vários serviços, portanto, requer para a melhoria das suas condições de saúde um plano de ações diferenciado.  Falta de disponibilidade de outros equipamentos sociais de uso coletivo que permitam o alcance da integralidade da atenção à saúde.
  15. 15. Grupos focais “...quanto à concepção de saúde, identifica- se que está em construção uma representação social da saúde mais ampliada, que inclui o bem estar físico e mental, mas que reivindica por outros elementos que compõe o bem viver , que estão ancorados na constituição vigente como direito à saúde, (moradia, trabalho, educação, lazer).”
  16. 16. •Está embutido nas RS que o Estado deve garantir as condições necessárias para o desenvolvimento local. •Destaque para o acesso à educação: considerada insuficiente para atender a demanda da Regional e têm interferido negativamente na capacidade de busca por oportunidades educacionais as diversas carências econômicas, sociais e culturais vivenciadas pelos jovens da região.
  17. 17. Discussão A representação social do SUS: a partir de quem usa e de quem que oferece os serviços são reflexo de um sistema de saúde ainda permeado pela dificuldade acesso a atenção à saúde integral. Escassez de serviços de atenção básica
  18. 18. Discussão  Essas ausências contribuem para a conformação de uma representação bastante negativa do SUS  Comunicação entre profissionais e usuários bastante comprometida  Dificuldades de acesso
  19. 19. ...neste estudo o que a população expressa é a percepção da ausência e/ou da insuficiência dos cuidados de saúde. Essas ausências contribuem para a conformação de uma representação bastante negativa do SUS Considerações
  20. 20. Obrigada! mskalyne@gmail.com

×