LABORATÓRIO DE CONVERSÃO ELETROMECÂNICA DE ENERGIA

Parte I

DETERMINAÇÃO DA POLARIDADE DE TRANSFORMADORES:
CONVENÇÃO PARA...
2.2 Métodos para a determinação da polaridade de transformadores

a) Método do golpe indutivo com corrente contínua
Alimen...
Figura 4

c) Medida através do osciloscópio
Liga-se os canais do osciloscópio nos terminais de A.T. e B.T. e verifica-se a...
Perguntas 6 ptos
a) Que relação tem a polaridade magnética com os autotransformadores
b) Que relação tem a polaridade magn...
Ligação da
carga
Duplo Y
Duplo 

Valor da carga
por fase ()

Potência
monofásica (W)

Potência
Trifásica (W)

3. PROCEDI...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Exp 2 cee_polaridade_magnetica_e_banco_de_trafo

372 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
372
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Exp 2 cee_polaridade_magnetica_e_banco_de_trafo

  1. 1. LABORATÓRIO DE CONVERSÃO ELETROMECÂNICA DE ENERGIA Parte I DETERMINAÇÃO DA POLARIDADE DE TRANSFORMADORES: CONVENÇÃO PARA MARCAR OS TERMINAIS 1. OBJETIVO Verificação experimental da marcação da polaridade dos terminais dos enrolamentos de transformadores, indicando quais são positivos e negativos em determinado instante. Dessa forma, verifica-se a relação entre os sentidos momentâneos da f.e.m. nesses enrolamentos. 2. PARTE TEÓRICA 2.1. Convenções adotadas Define-se inicialmente as convenções adotadas para os terminais de alta tensão (A.T.) e baixa tensão (B.T.), em relação às polaridades aditiva e subtrativa: Figura 1 Figura 2 Quando os terminais H1 e X1 estão adjacentes (como na figura 1), a polaridade do transformador é subtrativa; quando os terminais H1 e X1 estão dispostos na diagonal (como na figura 2), a polaridade é aditiva.
  2. 2. 2.2 Métodos para a determinação da polaridade de transformadores a) Método do golpe indutivo com corrente contínua Alimenta-se o transformador pelo enrolamento de tensão superior com uma fonte C.C. de forma a se obter deflexão positiva no mesmo. Em seguida, transfere-se a medida para cada terminal imediatamente oposto, conforme mostra a figura 3. Desliga-se a chave "s"e observa-se a deflexão: - Se for no mesmo sentido, a polaridade é aditiva; - Se for em sentido contrário, a polaridade é subtrativa. Figura 3 b) Método pelo emprego de corrente alternada Liga-se entre si dois terminais adjacentes (superior e inferior). Aplicando-se uma tensão alternada conveniente aos terminais de tensão superior, lê-se as indicações de um voltímetro, ligado primeiramente entre os terminais de tensão superior e depois entre os terminais adjacentes: - Se V1 > V2, a polaridade é subtrativa; - Se V1 < V2, a polaridade é aditiva.
  3. 3. Figura 4 c) Medida através do osciloscópio Liga-se os canais do osciloscópio nos terminais de A.T. e B.T. e verifica-se a forma dos sinais resultantes: - Sinais sem defasagem: polaridade subtrativa - Sinais com defasagem de 180o: polaridade aditiva 3. PARTE PRÁTICA I Determinar a polaridade de um transformador monofásico de 0.5 kVA, 220-110 V, 60Hz, usando os métodos do golpe indutivo e da corrente alternada. Verificar a consistência dos resultados. II Conecte um motor trifásico
  4. 4. Perguntas 6 ptos a) Que relação tem a polaridade magnética com os autotransformadores b) Que relação tem a polaridade magnética com os transformadores de pulso c) Que ensaios devemos realizar ao conectar um motor trifásico d) Que ocorre num motor trifásico se erra a polaridade e) Que tipo de ensaio é mais apropriado para determinar a polaridade dos transformadores de medição numa subestação. f) Por que é importante que os TC e TP tenham sua polaridade certa Parte II FORMAÇÃO DE UM BANCO TRIFÁSICO 1. OBJETIVO O objetivo da experiência é efetuar as ligações de três transformadores monofásicos para formar um banco trifásico. Diferentes formas de ligação elétrica dos enrolamentos são utilizadas nos sistemas de energia. Os esquemas de ligação YY e Y são os mais usados. O símbolo do transformador trifásico é desenhado de modo que os enrolamentos constituam uma imagem dos fasores tensão, tanto em fase como em sequência de fases. Os enrolamentos localizados na mesma trave têm polaridades opostas e são mostrados em paralelo. 2. PREPARAÇÃO A carga trifásica é formada por um conjunto de resistores de 136 ohms. Para uma tensão de linha de 110 3 volts aplicada à carga, calcular a potência ativa trifásica consumida para ligações “duplo Y” e “duplo ”. Verifique qual configuração representa a carga mais próxima da potência nominal do banco que é 1,5 kVA. Escolha essa configuração para a montagem.
  5. 5. Ligação da carga Duplo Y Duplo  Valor da carga por fase () Potência monofásica (W) Potência Trifásica (W) 3. PROCEDIMENTO PRÁTICO Ligar a carga na configuração escolhida na fase preparatória. Ligar os três transformadores monofásicos para formar um banco trifásico. Utilize as três formas de ligação apresentadas na tabela abaixo. Alimentar a alta tensão e efetuar leituras de tensão e corrente. Tabela (2 ptos) PRIMÁRIO SECUNDÁRIO Vlinha Alta Vlinha Baixa Y  V Ibaixa (A)   Ialta (A) V 4. QUESTÕES (2ptos ) 3.1. Pesquisar na literatura sobre as diferenças das ligações  e VV. Qual a potência fornecida pelos dois transformadores no caso da ligação em delta aberto? 3.2. Apresentar os diagramas fasoriais das tensões q correntes de linha de linha para a ligação Y. para a carga delta onde cada resistor tem aproximadamente 135R

×