Treinamento grafoscopia - parte ii

4.057 visualizações

Publicada em

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.057
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
100
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Treinamento grafoscopia - parte ii

  1. 1. Seminário técnico Apresentação: Juray Castro Juray Castro
  2. 2. Grafoscopia A disciplina que regula os exames de documentos
  3. 3. ESCRITA INDIRETA <ul><li>As escritas indiretas não podem ter uma classificação definitiva, pois são constantes os desenvolvimentos de novas tecnologias, como por exemplo as recentes técnicas que utilizam o magnetismo, a eletricidade e a química, cujos exemplos de maior destaque são as impressões matriciais e a laser, as cópias eletrostáticas e as escritas em vídeos. </li></ul>
  4. 4. ESCRITA INDIRETA <ul><li>Podemos destacar os três grupos principais, baseados nos processos mais utilizados atualmente na elaboração de documentos, ou seja: </li></ul><ul><li>Mecanografias (processo mecânico) </li></ul><ul><li>Reprografias (processo eletrostático) </li></ul><ul><li>Fotografias (processo químico) </li></ul>
  5. 5. MECANOGRAFIAS <ul><li>Datilografia: </li></ul><ul><li>Processo mecânico realizado através de máquinas de escrever, através de leques de hastes metálicas ou margaridas plásticas com os tipos em relevo. </li></ul>
  6. 6. Datilografia:
  7. 7. Datilografia: <ul><li>A impressão é realizada por pressão dos tipos sobre uma fita entintada (nylon ou polietileno) e o suporte. As máquinas são operadas manualmente, podendo ser acionadas através do esforço do próprio datilógrafo (máquinas manuais) ou de motor elétrico (máquinas elétricas). </li></ul>
  8. 8. Datilografia: <ul><li>A datilografia é um dos meios de escrita indireta mais difundidos no mundo, e o seu estudo é fundamental para os especialistas da Grafoscopia. </li></ul>
  9. 9. Datilografia: <ul><li>Através dos exames das características das impressões, e até mesmo de particularidades do texto, pode-se determinar com precisão a máquina ou mesmo o datilógrafo de um documento, bem como outros dados de sua origem. </li></ul>
  10. 10. Impressão matricial: <ul><li>É o processo através do qual os caracteres são produzidos por seqüências ordenadas (vertical e horizontal) de pontos impressos por impactos de agulhas sobre uma fita entintada e o suporte. Esse processo foi introduzindo no mercado em 1968 pela Seiko Epson com a fabricação da primeira impressora matricial. </li></ul>
  11. 11. Impressora matricial:
  12. 12. Impressão matricial: <ul><li>O modo de impressão consiste na movimentação bidirecional da cabeça-suporte das agulhas impressoras (9 ou 24), mediante o comando de computador. </li></ul>
  13. 13. Impressão Tipográfica
  14. 14. Impressão Tipográfica <ul><li>impressão eminentemente artesanal , onde todo o trabalho consiste em montar em uma chapa os diversos (tipos e espaçadores), que formarão o texto, utilizando como matriz fios de latão e clichês resultantes da união de vários tipos (monotype) ou fundidos numa só linha metálica (linotype). </li></ul>
  15. 15. Impressão Tipográfica
  16. 16. Impressão Tipográfica <ul><li>Tal como no processo datilográfico, Os documentos impressos apresentam características próprias, bastante peculiares, que podem ser facilmente detectadas pelo investigador pericial tornando possível portanto, a determinação da origem. </li></ul>
  17. 17. Impressão Tipográfica <ul><li>tipograficamente têm características distintas, a saber: </li></ul><ul><li>- erros de aperto de chapa – linhas interrompidas </li></ul><ul><li>- entintamento mais acentuado (vivo) </li></ul><ul><li>- alto relevo no verso do documento impresso </li></ul>
  18. 18. Impressão Tipográfica <ul><li>A reprodução de um documento impresso tipograficamente, nunca será perfeita, não obstante, um bom profissional em tipografia, possa torná-los quase que imperceptíveis. A reprodução fiel, com todas as características do documento impresso por processo tipográfico, é possível utilizando-se a técnica off-set. </li></ul>
  19. 19. Impressão Gráfica por Off – Set: <ul><li>Processo automatizado, permite a reprodução de documentos quase que perfeitos, o processo consiste em: </li></ul><ul><li>- Tira-se uma foto do documento que será objeto de reprodução; </li></ul><ul><li>- O produto final do fotolito será gravado em uma chapa de alumínio, denominado de molde de impressão. </li></ul>
  20. 20. Impressão Gráfica por Off – Set:
  21. 21. As principais características da impressão por Off – Set: <ul><li>- entintamento opaco (sem brilho); </li></ul><ul><li>- pode apresentar ou não interrupções </li></ul><ul><li>de linhas em função da arte final. </li></ul><ul><li>- falta de relevo no verso do </li></ul><ul><li>documento; </li></ul>
  22. 22. Impressoras domésticas <ul><li>Possuem fontes residentes com diversas configurações e podem imprimir em formulários contínuos ou folhas soltas. As impressões podem ocorrer por: </li></ul><ul><li>a) Impressão Gráfica por Jato de Tinta </li></ul><ul><li>b) Impressão Gráfica por Laser </li></ul><ul><li>c) Impressão a seco - XEROX </li></ul>
  23. 23. Impressão Gráfica por Jato de Tinta: <ul><li>Impressão predominantemente utilizada em pequenos escritórios e em ambiente doméstico, em virtude do baixo custo dos equipamentos de impressão, sendo portanto um dos meios utilizados em procedimentos de adulteração de documentos produção de documentos frios. </li></ul><ul><li>Uma das características da impressão a jato de tinta é a sua vulnerabilidade à umidade e a água. </li></ul>
  24. 24. Impressão Gráfica por Jato de Tinta:
  25. 25. Impressão Gráfica por Laser: <ul><li>Possui acabamento de excelente qualidade e assim como as impressoras jato de tinta permite a impressão de documentos escaneados com alta fidelidade. </li></ul><ul><li>Pode ser facilmente reconhecida pelo seu acabamento brilhante que o diferencia das demais técnicas. </li></ul>
  26. 26. Impressão Gráfica por Laser:
  27. 27. Impressão a seco - XEROX: <ul><li>Processo de impressão eletrostática em que a imagem do original é projetada sobre um cilindro sensível à luz, permitindo que pela combinação de cargas positivas e negativas, seja esta transferida para o papel através da fixação de pigmentos secos, e fixada por meio de calor. </li></ul><ul><li>Um dos métodos preferenciais para a produção de documentos fraudados </li></ul>
  28. 28. Impressão a seco - XEROX:
  29. 29. Impressão a seco - XEROX: <ul><li>O surgimento das fotocopiadoras genericamente chamadas de XEROX, deu margem ao aparecimento da fraude documental denominada montagem . É feita a partir de um documento autentico, do qual parte é recortado e inserido em um novo documento preparado. </li></ul>
  30. 30. Impressão a seco - XEROX: <ul><li>É tirada então uma cópia XEROX, e em seguida os vestígios da montagem são eliminados com o uso de uma borracha ou lamina de gillete para em segunda tirar a cópia definitiva. </li></ul><ul><li>Este processo portanto será repetido até quando não houver mais vestígios de fraude. </li></ul>
  31. 31. Impressão a seco - XEROX: <ul><li>há fundamentos inquestionáveis para a contra-indicação de perícias em cópias XEROX de documentos. Se não vejamos: </li></ul><ul><li>Possibilita alteração, supressão ou adição em textos ou assinaturas. </li></ul><ul><li>. </li></ul>
  32. 32. Impressão a seco - XEROX: <ul><li>As alterações subtrativas , como rasuras, lavagens quimicas, vestígios de manchas, marcas deixadas pelo instrumento escritor e cruzamentos de traços bem como alterações aditivas , como emendas ou acrécimos, que no original pode apresentar-se com pigmentação diferente do restante do texto, não poderão ser estudadas </li></ul>
  33. 33. Impressão a seco - XEROX: <ul><li>Não se pode analisar com rigor técnico e precisão pois os exames de confronto do grafismo, orientação e dinamismo do traçado ficam praticamente inutilizados </li></ul><ul><li>É impossível estudar vestígios de decalques, ou distinguir se as escritas foram feitas a lápis, esferográfica ou tinta líquida. </li></ul>
  34. 34. Impressão a seco - XEROX: <ul><li>Só quando esgotados os esforços de se conseguir o documento original, considera-se a possibilidade de periciar a cópia reprográfica, embora em tese se reconheça que nem sempre o Perito poderá concluir categoricamente. </li></ul>

×