O Brasil conta com mais de 4.000 quilômetros de costa
atlântica para navegação, e milhares de quilômetros de rios.
Apesar ...
O total aproveitamento de outras
vias disponíveis para navegação,
dependem da construção de
eclusas, algumas obras de
drag...
Segundo as diretrizes da Politica Nacional de Transporte Hidroviário – Observa-se
que os investimentos públicos em hidrovi...
Quanto a infraestrutura de portuária,
são apontados alguns desafios, dentre
ele é possível destacar o acesso aos
portos e ...
É possível identificar que a infraestrutura das hidrovias brasileiras
mesmo depois dos investimentos realizados, ainda sof...
Infraestrutura Brasileira de Transporte Hidroviário
Infraestrutura Brasileira de Transporte Hidroviário
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Infraestrutura Brasileira de Transporte Hidroviário

794 visualizações

Publicada em

Business

Publicada em: Negócios
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
794
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
84
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Infraestrutura Brasileira de Transporte Hidroviário

  1. 1. O Brasil conta com mais de 4.000 quilômetros de costa atlântica para navegação, e milhares de quilômetros de rios. Apesar de uma boa fatia dos rios apropriados para navegação estarem na Amazônia, este tipo de transporte nessa região não tem muita importância para a economia, pois nessa parte do País não há muitos mercados produtores e ou consumidores de grande porte.
  2. 2. O total aproveitamento de outras vias disponíveis para navegação, dependem da construção de eclusas, algumas obras de dragagem e, com prioridade, de portos que possibilitem a integração intermodal. Entre as principais hidrovias brasileiras, destacam-se duas: Hidrovia Tietê-Paraná e a Hidrovia Taguari -Guaíba. Os mais importantes trechos de hidrovias, do ponto de vista econômico, localizam-se no Sul e no Sudeste do País.
  3. 3. Segundo as diretrizes da Politica Nacional de Transporte Hidroviário – Observa-se que os investimentos públicos em hidrovias, tem crescido substancialmente ao longo desta década, e a atual situação ainda reflete ainda reflete o quadro geral de estagnação que perdurou na navegação fluvial brasileira durante os anos 80 e 90. Neste período, o corpo técnico de planejamento de transportes foi drasticamente reduzido e os níveis de investimento em infraestrutura de transportes despencaram de 2% para menos de 0,4% do PIB, resultando em dotações orçamentárias insuficientes até mesmo para a manutenção da malha rodoviária existente. Abaixo quadro dos investimentos feitos nas hidrovias brasileiras nos últimos anos.
  4. 4. Quanto a infraestrutura de portuária, são apontados alguns desafios, dentre ele é possível destacar o acesso aos portos e no calado dos berços para atracar. A produtividade da operação devido ao forte aumento no numero de embarcações e principalmente as obras de dragagem para acesso dos navios.
  5. 5. É possível identificar que a infraestrutura das hidrovias brasileiras mesmo depois dos investimentos realizados, ainda sofre bastante com alguns problemas cotidianos, e vem enfrentando alguns desafios ao longo desse crescimento. Como desafio temos a mudança na percepção do porto e das hidrovias na operação logística como se tratasse apenas da simples operação de carregar e descarregar mercadorias, fazendo investimentos contínuos nas estruturas dos portos, aumentando assim cada vez mais o fluxo de operações. Secretaria de Política Nacional de Transportes do Ministério dos Transportes, Disponível em: <https://docs.google.com/a/aedu.com/viewer?a=v&pid=explorer&chrome=true&srcid=0B_eO K6oZoJliMDI4ZGY2NTMtZTM3MS00NDZhLTk0MjAtNjQ0YjBiNzFlZWVm&hl=pt_BR>. Acesso em: 19 Mar. 2015. ANTAQ– Agência Nacional de Transportes Aquaviários. Disponível em: <http://www.antaq.gov.br>. Acesso em: 20 Mar. 2015.

×