HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA FACULDADEDE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DE SÃO              PAULO            INSTITUTO DO CORAÇÃOÓbi...
Introdução  Cubbon et al. Eur J Cardiovasc Prev Rehabil 2007; 14: 666–671
ObjetivoAvaliar a influência da hiperglicemia na  mortalidade hospitalar de SCA em              mulheres.
Casuística e Métodos   Pacientes acima de 18 anos admitidos consecutivamente em    Serviço de Emergência com diagnóstico ...
Características clínicas e laboratoriais                                  Homem            Mulher         Homem           ...
Desfechosp < 0,05               p < 0,05
Regressão logística - mortalidade
Regressão logística                        Tipo SCA                      Odds      Limite inferior   Limite superiorAngina...
Diferenças entre as apresentações SCA                       SCA     AI    IAMSSST IAMCSSTMortalidade             3,7    1,...
Comparação estudos      Cubbon et al. Eur J Cardiovasc Prev Rehabil 2007; 14: 666–671
Conclusões   A glicemia de admissão é útil na identificação de maior risco de    morte nas SCA sem supradesnivelamento do...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Óbito hospitalar na síndrome coronaria aguda está relacionada à glicemia de admissão em homens mas não em mulheres

302 visualizações

Publicada em

67o. Congresso Brasileiro de Cardiologia

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
302
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Óbito hospitalar na síndrome coronaria aguda está relacionada à glicemia de admissão em homens mas não em mulheres

  1. 1. HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA FACULDADEDE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DO CORAÇÃOÓbito hospitalar na síndrome coronaria agudaestá relacionada à glicemia de admissão em homens mas não em mulheres.* Autores: Júlio Yoshio Takada Rogério Bicudo Ramos Larissa. C. Roza Solange Desiree Avakian José Antonio Franchini Ramires Antonio de Pádua Mansur *Estudo apoiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo – FAPESP Não há conflitos de interesse
  2. 2. Introdução Cubbon et al. Eur J Cardiovasc Prev Rehabil 2007; 14: 666–671
  3. 3. ObjetivoAvaliar a influência da hiperglicemia na mortalidade hospitalar de SCA em mulheres.
  4. 4. Casuística e Métodos Pacientes acima de 18 anos admitidos consecutivamente em Serviço de Emergência com diagnóstico de SCA; Análise da interação classe glicemia e gênero: glicemia de admissão <ou ≥ 200 mg / dL , sexo masculino e feminino; Análise por subgrupo SCA: IAMCSST, IAMSSST, AI; Desfechos: morte hospitalar e internação prolongada.
  5. 5. Características clínicas e laboratoriais Homem Mulher Homem MulherN total = 959 glicemia glicemia glicemia glicemia p <200 <200 ≥200 ≥200Pacientes, n (%) 454 (47,3) 242 (25,2) 142 (14,8) 121 (12,6)  Idade (anos) 60,1  ±  11,4 61,9  ±  11,7 63,1  ±  11,3 64,6  ±  12,9 <0,001DAC prévia, n (%) 244 (53,7) 113 (46,7) 81 (57,0) 69 (57,0) 0,129Hipertensão arterial, n (%) 338 (74,4) 197 (81,4) 122 (85,9) 112 (92,6) <0,001Tabagismo, n (%) 119 (26,2) 53 (21,9) 23 (16,2) 17 (14,0) 0,008Dislipidemia, n (%) 192 (42,3) 133 (55,0) 73 (51,4) 68 (56,2) 0,002Diabetes mellitus, n (%) 80 (17,6) 50 (20,7) 103 (72,5) 93 (76,9) <0,001História familiar DAC, n (%) 77 (17,0) 40 (16,5) 23 (16,2) 23 (19,0) 0,929Hemoglobina (g/dL) 14,3  ±  1,8 13,2  ±  1,5 13,8  ±  1,9 12,9  ±  1,8 <0,001Creatinina (mg/dL) 1,2  ±  0,8 1,1  ±  1,3 1,3  ±  1,0 1,3  ±  1,4 0,331Troponina I (ng/mL) 25,4  ±  44,4 14,8  ±  32,9 25,0  ±  44,7 16,6  ±  31,8 0,003Colesterol (mg/dL) 175,6  ±  44,6 194,5  ±  54,3 166,5  ±  43,9 188,6  ±  43,1 <0,001Fração de ejeção (%) 50,9  ±  14,2 58,2  ±  13,3 46,8  ±  14,9 51,9  ±  15,6 <0,001Angiografia, n (%) 445 (98,0) 229 (94,6) 133 (93,7) 115 (95,0) 0,036
  6. 6. Desfechosp < 0,05 p < 0,05
  7. 7. Regressão logística - mortalidade
  8. 8. Regressão logística Tipo SCA Odds Limite inferior Limite superiorAngina instável p Ratio 95% IC 95% ICIdade 1.168 1.024 1.332 0,021Glicemia admissão 1.019 1.007 1.031 0,002Infarto sem supradesnivelamento STIdade 1.090 1.038 1.144 <0,001Fração de ejeção 0,942 0,908 0,977 0,001Creatinina 1.357 1.124 1.639 0,001Glicemia admissão 1.005 1.000 1.009 0,037Infarto com supradesnivelamento STFração de ejeção 0,939 0,878 1.005 0,069Creatinina 13.446 2.840 63.656 0,001Homem vs Mulher 0,147 0,024 0,886 0,036
  9. 9. Diferenças entre as apresentações SCA SCA AI IAMSSST IAMCSSTMortalidade 3,7 1,6 5,0 3,8Tempo de permanência 5,9 4,6 7,3 4,8Idade 61,6 60,7 63,3 59,2DAC prévia 52,8 65,1 53,9 33
  10. 10. Comparação estudos Cubbon et al. Eur J Cardiovasc Prev Rehabil 2007; 14: 666–671
  11. 11. Conclusões A glicemia de admissão é útil na identificação de maior risco de morte nas SCA sem supradesnivelamento do ST em homens; Em mulheres, permanece a discussão sobre a maior mortalidade no IAMCSST.

×