Pritzker 95-96-97

173 visualizações

Publicada em

Seminário apresentado à disciplina Legislação e Prática Profissional, ministrada pela professora Andrea Vilella, como requisito parcial para aprovação do curso de Arquitetura e Urbanismo.

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
173
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Pritzker 95-96-97

  1. 1. PRITZKER 1995 / 1996 / 1997 LEGISLAÇÃO E PRÁTICA PROFISSIONAL PROF.: ANDREA VILLELA JÉSSICA OLIVEIRA LUCAS
  2. 2. PRITZKER 1995 / 1996 / 1997 TADAO ANDO 1995 Nacionalidade: Japonês; Formação: Não realizou estudos universitários para exercer arquitetura. Autodidata, passou a estudar por sua conta tendo viajado pela Europa e América do Norte para aprofundar conhecimentos. 1
  3. 3. PRITZKER 1995 / 1996 / 1997 TADAO ANDO 1995 Porque foi escolhido – palavra do júri: Tadao Ando é aquele arquiteto raro que combina sensibilidade artística e intelectual em um indivíduo único capaz de produzir edifícios, grandes e pequenos, que servem e inspiram. Sua poderosa visão interior ignora qualquer movimento, escola ou estilo atual, criando edifícios com forma e composição relacionados com os tipos de vida que neles serão vividos. Trabalhando o concreto de forma suave como uma seda, Ando cria espaços usando paredes que ele define como o elemento mais básico da arquitetura, mas o mais enriquecedor. Apesar de seu consistente uso de materiais e elementos como pilar, paredes, e nichos, suas combinações diferentes destes elementos, sempre mostram excitação e dinamicidade. Seus conceitos de design e materiais uniram o Modernismo internacional à estética tradicional japonesa. Usando as mais básicas formas geométricas, ele cria microcosmos para o indivíduo sem mudar os padrões de luz. Entretanto, mais do que ativar alguns conceitos abstratos de design, sua arquitetura é um reflexo de um processo fundamental no construir algo para habitação. 2
  4. 4. PRITZKER 1995 / 1996 / 1997 TADAO ANDO 1995 Trabalhos selecionados: Church on the Water Tomamu, Hokkaidō, Japan (1988) 3
  5. 5. PRITZKER 1995 / 1996 / 1997 TADAO ANDO 1995 Trabalhos selecionados: Church on the Water Tomamu, Hokkaidō, Japan (1988) 4
  6. 6. PRITZKER 1995 / 1996 / 1997 TADAO ANDO 1995 Trabalhos selecionados: Church of the Light Ibaraki, Osaka, Japan (1989) 5
  7. 7. PRITZKER 1995 / 1996 / 1997 TADAO ANDO 1995 Trabalhos selecionados: Church of the Light Ibaraki, Osaka, Japan (1989) 6
  8. 8. PRITZKER 1995 / 1996 / 1997 TADAO ANDO 1995 Trabalhos selecionados: Naoshima Contemporary Art Museum Naoshima Island, Japan (1992) 7
  9. 9. PRITZKER 1995 / 1996 / 1997 TADAO ANDO 1995 8
  10. 10. PRITZKER 1995 / 1996 / 1997 TADAO ANDO 1995 Trabalhos selecionados: Rokko Housing I,II, and III Kobe, Hyogo, Japan (1999) 9
  11. 11. PRITZKER 1995 / 1996 / 1997 RAFAEL MONEO 1996 Nacionalidade: Espanhol; Formação: Graduação na Escola Técnica Superior de Arquitetura de Madrid – 1961. 10
  12. 12. PRITZKER 1995 / 1996 / 1997 RAFAEL MONEO 1996 Porque foi escolhido – palavra do júri: José Rafael Moneo é acima de tudo, um arquiteto de enorme variedade. Como um eclético, definido aqui por selecionar e utilizar o que é melhor de todas as fontes, o que inclui a sua própria criatividade, a sua flexibilidade na variação da aparência de seus trabalhos com base em seus diferentes contextos que se reflete na maneira como ele leva cada nova comissão como um exercício fresco. Ele baseia-se em um reservatório incrível de conceitos e ideias que ele filtra através das especificidades da área, a finalidade, a forma, o clima e outras circunstâncias do projeto. Como resultado, cada um de seus edifícios é único, mas ao mesmo tempo, unicamente reconhecidos como sendo de sua paleta. Esta paleta abrange desde o antigo, o Museu de Arte Romana em Mérida, que é uma de suas melhores realizações, até o monumento minimalista previsto para San Sebastián - dois cubos translúcidos que abrigam o auditório Kursall e o Centro de Congressos. Há infinitas variações entre esses dois exemplos, consubstanciado em tudo, de residências e apartamentos a museus de arte, uma estação ferroviária, um aeroporto, uma fábrica, um hotel, bancos, prefeitura e outros prédios de escritórios. 11
  13. 13. PRITZKER 1995 / 1996 / 1997 RAFAEL MONEO 1996 Trabalhos selecionados: Bankinter Madrid, Spain (1977) 12
  14. 14. PRITZKER 1995 / 1996 / 1997 RAFAEL MONEO 1996 Trabalhos selecionados: Logrono Town Square Logrono, Spain, 1981 13
  15. 15. PRITZKER 1995 / 1996 / 1997 RAFAEL MONEO 1996 Trabalhos selecionados: Prevision Espanola Seville, Spain (1988) 14
  16. 16. PRITZKER 1995 / 1996 / 1997 RAFAEL MONEO 1996 Trabalhos selecionados: Atocha Station Madrid, Spain (1992) 15
  17. 17. PRITZKER 1995 / 1996 / 1997 RAFAEL MONEO 1996 Trabalhos selecionados: L'illa Diagonal Barcelona, Spain, 1993 16
  18. 18. PRITZKER 1995 / 1996 / 1997 SVERRE FEHN 1997 Nacionalidade: Norueguês; Formação: Escola de Arquitetura e Design de Oslo. 17
  19. 19. PRITZKER 1995 / 1996 / 1997 SVERRE FEHN 1997 Porque foi escolhido – palavra do júri: A arquitetura de Sverre Fehn é uma combinação fascinante e excitante de formas modernas temperadas de onde brota a tradição e cultura escandinava. Ele dá grande atenção nos seus desenhos para a relação entre a construção e o meio ambiente. Desde os primeiros trabalhos, Fehn tem provado que é um arquiteto para todo o tempo e em diversas dimensões, permitindo-o ser confortável com o design de móveis, exibições e objetos tal qual ele faz com a arquitetura. A geografia do lugar e do tempo, com uma gama de diversidade, que inclui o primitivo marroquino e o estilo atual de Nova York, assim como uma amálgama de várias influências tiveram um papel importante no desenvolvimento de Fehn. Alguns dos grandes arquitetos do século, como Louis Kahn, Frank Lloyd Wright, Le Corbusier, Alvar Aalto, Mies van der Rohe, Jean Prouve, bem como seu compatriota e mentor Arne Korsmo, forneceram a Fehn inspiração. 18
  20. 20. PRITZKER 1995 / 1996 / 1997 SVERRE FEHN 1997 Trabalhos selecionados: Nordic Villa Norrkoping, Sweden (1964) 19
  21. 21. PRITZKER 1995 / 1996 / 1997 SVERRE FEHN 1997 Trabalhos selecionados: The Bodker House Oslo, Norway (1967) 20
  22. 22. PRITZKER 1995 / 1996 / 1997 SVERRE FEHN 1997 Trabalhos selecionados: The Hedmark Cathedral Museum Hamar, Norway (1979) 21
  23. 23. PRITZKER 1995 / 1996 / 1997 SVERRE FEHN 1997 Trabalhos selecionados: Villa Busk Bamble, Norway (1990) 22
  24. 24. PRITZKER 1995 / 1996 / 1997 SVERRE FEHN 1997 Trabalhos selecionados: Glacier Museum Fjaerland, Norway (1991) 23
  25. 25. PRITZKER 1995 / 1996 / 1997 SVERRE FEHN 1997 24
  26. 26. PRITZKER 1995 / 1996 / 1997 SVERRE FEHN 1997 Trabalhos selecionados: The Eco House Norrkoping, Sweden (1992) 25
  27. 27. PRITZKER 1995 / 1996 / 1997 SVERRE FEHN 1997 Trabalhos selecionados: Aukrust Museum Alvdal, Norway (1995) 26

×