Sistema respiratorio

12.452 visualizações

Publicada em

SITE: www.tioronni.com.br
E-MAIL: tio_ronni@hotmail.com

0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
12.452
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
368
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sistema respiratorio

  1. 1. Sistema Respiratório Tio Ronni www.tioronni.com
  2. 2. Apresentação  O sistema respiratório  Vias respiratórias  Cavidades nasais  Faringe  Laringe  Traquéia  Brônquios  Pulmões  Movimentos respiratórios  Respiração celular  Doenças respiratórias  Faringite  Bronquite  Asma  Pneumonia  Gripe  Tuberculose
  3. 3. Introdução  O sistema respiratório promove as trocas gasosas entre o organismo e o meio (O2 x CO2).  Há diversas formas de respiração:  Poríferos, cnidários, platelmintos e nematelmintos a respiração se dá por difusão.  Insetos, aracnídeos a respiração é traqueal.  Anelídeos terrestres e anfíbios adultos a respiração é cutânea.  Anelídeos aquáticos, crustáceos, moluscos aquáticos e peixes a respiração é branquial.  Moluscos terrestres e vertebrados tetrápodes a respiração é pulmonar.
  4. 4. Observação  Em animais com respiração cutânea, branquial ou pulmonar há participação nítida do sistema cardiovascular.  Em animais com a respiração por difusão ou traqueal não há participação do sistema cardiovascular, ou seja sem a participação do sangue.
  5. 5. A respiração  Os pulmões de anfíbios são lisos com pequena área para troca gasosa. A respiração é complementada pela passagem pela pele.  Pulmões de répteis são segmentados e têm uma área para trocas gasosa muito maior.  Nos mamíferos os pulmões apresentam grande área interna e são constituídos por alvéolos pulmonares.
  6. 6. RESPIRAÇÃO DAS AVES  Em aves os pulmões não possuem alvéolos. O papel é desempenhado por túbulos denominados parabronquíolos.  A renovação completa dos ar presente se dá través de dois ciclos:  1. O ar inspirado enche os sacos aéreos . Uma pequena parte passa para os pulmões através dos parabronquíolos onde ocorre a hematose.  2 Na expiração o ar dos sacos aéreos posteriores vai para os parabronquíolos, enquanto o ar presente nos sacos aéreos anteriores é eliminado.  3. na próxima inspiração o ar dos parabronquíolos inspirado no primeiro ciclo para os sacos aéreos anteriores, o ar fresco enche os sacos aéreos posteriores e inicia a passagem para os parabronquíolos.
  7. 7. RESPIRAÇÃO DAS AVES  4. Na expiração, o ar dos sacos aéreos anteriores é eliminado, e o ar dos sacos aéreos posteriores dirige-se para os parabronquíolos.  A quantidade de ar novo que entra nos pulmões é muito maior que a quantidade que penetra nos pulmões dos mamíferos. As aves fazem hematose tanto na inspiração como na expiração
  8. 8. SISTEMA RESPIRATÓRIO HUMANO (SRH)  Formado pelas vias aéreas e os pulmões.  Vias respiratórias: o ar entra e sai de nosso corpo.  Constituição das vias aéreas:  Cavidades nasais  Faringe  Laringe  Traquéia  Brônquios  Bronquíolos
  9. 9. Vias aéreas:  Cavidades nasais:  Revestidas por:  Membranas ricas em vasos sanguíneos que filtram, umedecem e aquecem o ar inalado.  Células sensoriais (olfato)  Células produtoras de pelos e muco que impedem a entrada de microrganismos estranhos no corpo humano
  10. 10. Vias aéreas  Faringe: tubo compartilhado entre o sistema digestório e respiratório.  Ela comunica-se com a laringe.  Laringe: Liga a faringe á traquéia. É aqui que se encontram as pegas vocais e a válvula (epiglote).
  11. 11. Vias aéreas  Traquéia: tubo mantido aberto pela presença de anéis de cartilagem.  A traquéia se bifurca na parte inferior dando origem aos brônquios.
  12. 12. Vias aéreas  Brônquios: são dois tubos. Cada um penetra em um dos pulmões.  Os brônquios se convertem em bronquíolos, formando a árvore respiratória.  Os bronquíolos terminam nos alvéolos pulmonares onde possuem pequenos capilares onde ocorrem as trocas gasosas ( O2  CO2)
  13. 13. OS PULMÕES  O esquerdo é menor que o direito, justamente porque o coração está ligeiramente voltado para esse lado.  Tem cerca de 300 milhões de alvéolos.  São apoiados sobre o diafragma (músculo que separa o tórax do abdome).
  14. 14. MOVIMENTOS RESPIRATÓRIOS  O movimento do diafragma (exclusivo dos mamíferos) e do músculos que existem entre as costelas é que permite a ventilação pulmonar).  INSPIRAÇÃO: Os músculos intercostais elevam as costelas e o diafragma desce. Promovendo a entrada de ar.
  15. 15. MOVIMENTOS RESPIRATÓRIOS  EXPIRAÇÃO: os músculos intercostais relaxam-se e o diafragma sobre. Assim a pressão do ar dentro dos pulmões aumenta, empurrando o ar para fora.  Ventilação pulmonar é a entrada e saída de ar promovida pelo diafragma e os músculos intercostais.
  16. 16. Respiração celular  A mitocôndria é responsável pela respiração celular, que fornece energia para a realização das atividades do corpo.  Os glóbulos vermelhos do sangue (hemácias) são responsáveis pelo transporte dos gases. A troca ocorre por meio da difusão através dos capilares sanguíneos.
  17. 17. Transporte de Gases  Nos pulmões o O2 se difunde para os capilares e penetra nas hemácias que contém hemoglobina, que se combina com o O2 formando oxiemoglobina.  Conforme o processo acontece há a liberação de CO2, que se difunde para os alvéolos sendo eliminado durante a expiração.  Nos tecidos a alta concentração de CO2 no líquido ao redor das células força a dissociação do O2 da hemoglobina.  Assim o O2 se difunde para as células.  Uma pequena parte do CO2 combina-se com a hemoglobina formando a oxiemoglobina.  Outra parte dissolve-se no citoplasma e a maior parte é transportada na forma de íon de bicabornato, no plasma.  O CO2 formado no interior das células difunde-se para o plasma e depois para as hemácias.
  18. 18. Transporte de Gases  No interior das hemácias esse gás reage com a água e forma o ácido carbônico (H2CO3), reação catalizada pela enzima anidrase carbônica.  O H2CO3 então se dissocia em H+ e íons de bicabornato (HCO3).  O íon bicabornato sai da hemácia, cai no citoplasma e é transportado até os pulmões.  Nos pulmões ocorre o processo inverso, havendo produção de CO2, que passa do sangue para os alvéolos. Nas hemácias CO2 + H2O tecidos H2CO2  H+ NCO- 3 DIFUNDE-SE PARA O PLASMA ANIDRASE CARBÔNICA
  19. 19. Transporte de Gases Nos pulmões: H+ + HCO- 3 ANIDRASE CARBÔNICA CO2 + H2O DIFUNDE-SE PARA OS ALVÉLOS
  20. 20. CONTROLE DA RESPIRAÇÃO  O ritmo respiratório é controlado pelo bulbo (fig 1) localizado na base do encéfalo.  A respiração normal é rítmica e involuntária.  O controle do ritmo é influenciado pela variação da concentração de CO2 no sangue e do PH decorrente do acúmulo de CO2.  Quando aumenta o CO2 o ritmo aumenta. Normalizando o ritmo volta ao normal.
  21. 21. Gases encontrados no ar inspirado e no ar expirado em %
  22. 22. RESUMINDO SISTEMA RESPIRATÓRIO VÍAS AÉREAS CAVIDADES NASAIS FARINGE LARINGE TRAQUÉIA BRÔNQUIOS ALVÉOLOS PULMONARES PULMÕES DIAFRAGMA NERVOS INTERCOSTAIS INSPIRAÇÃO EXPIRAÇÃO VENTILAÇÃO PULMONAR CAPILARES
  23. 23. DOENÇAS  Faringite: infamação da faringe, geralmente bactérias ou vírus: dor de garganta, febre e dificuldade de ingerir alimentos.  Bronquite: inflamação dos brônquios. Pode ser por alergia, irritação provocada por fumaça (cigarro ou poluição): tosse com catarro, chiado no peito, fadiga, dentre outros.  Asma: inflamação dos alvéolos pulmonares. Causada por vírus, fungos, protozoários ou bactérias: dificuldade respiratória, chiado, tosse e sensação de aperto no peito.  Pneumonia: inflamação dos alvéolos pulmonares: causada por bactérias, por vírus, protozoários ou fungos: Febre alta, dor torácica, tosse com escarro, respiração ofegante.
  24. 24. DOENÇAS  Gripe e resfriado: infecção das vias respiratórias, provocada por vírus. Sintomas Gripe Resfriado Início Súbito Gradual Febre Alta, acima de 38º Rara Tosse Seca, posteriormente pode apresentar secreção Irritativa Dor de cabeça Forte Rara Dores musculares Comum Leves Coriza Às vezes Comum Dor de garganta Às vezes Comum
  25. 25. Cigarro e o Sistema Respiratório

×