Sistema excretor

1.402 visualizações

Publicada em

SITE: www.tioronni.com.br
E-MAIL: tio_ronni@hotmail.com

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.402
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
44
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sistema excretor

  1. 1. Criado e Desenvolvido por: Todos os direitos são reservados ©2013. www.tioronni.com.br
  2. 2. Sistema Excretor Comparado
  3. 3. Designa-se como sistema excretor qualquer conjunto de órgãos que, num organismo, é responsável pela manutenção do meio interno, regulação do teor de água e sais minerais e eliminação de resíduos nitrogenados formados durante o metabolismo celular. Função Eliminar as substâncias que estão em excesso, para manter o equilíbrio, chamado de equilíbrio dinâmico, que é fundamental para o bom funcionamento da célula com o meio. Homeostase.
  4. 4. Filos Animais Poríferos e Cnidários – Difusão; Platelmintos – Células flama; Nematelminto – Células H; Anelídeos e moluscos – Nefrídios; Artrópodes – Túbulos de Malpighi e Glândulas verdes; Equinodermos – Difusão (Sistema Ambulacrário); Cordados – Rins;
  5. 5. EXCRETA TOXICIDADE SOLUBILIDA DE EM ÁGUA ANIMAIS HABITAT Amônia Alta Alta Peixes e anfíbios (larvas) Aquáticos Uréia Média Média Anfíbios e Mamíferos Terrestre Ácido Úrico Baixa Baixa Insetos, aves e répteis Terrestre
  6. 6. Ciclo da Ornitina Amônia – baixo; Ureia – médio; Ácido úrico – alto.
  7. 7. Sistema Urinário Humano
  8. 8. Sistema Urinário Dois rins Dois ureteres Uma bexiga urinária Uma uretra Nefrologia: estudo da anatomia, fisiologia e distúrbios dos rins. Urologia: estudo dos sitemas urinários masculino e feminino e do sistema genital masculino.
  9. 9. RIM Dois órgãos grandes Avermelhados Forma de feijão Vascularizados Parede abdominal posterior Gordura perirrenal No pólo superior situa- se glândula supra-renal (adrenal).
  10. 10. RIM Possui: Córtex Medula Pirâmide de Malpighi Túbulos Uriníferos Colunas de Bertin Área Crivosa Cálice Menor Cálice Maior Pélve Ureter
  11. 11. Cápsula de Bowman Glomérulo Alça descendente Alça ascendente Alça de Henle Ducto coletor capilares para o ureter NEFROM  UNIDADE FUNCIONAL Túbulo contorcido proximal Túbulo contorcido distal Ramo da artéria renal
  12. 12. Anatomia Néfron Unidade morfofuncional do rim Regiões: • Glomérulo Renal • Cápsula de Bowman • Túbulo cont. proximal • Alça de Henle • Túbulo cont. distal • Ducto coletor
  13. 13. Glomérulo Alça descendente GLICOSE Aminoácidos Ca++ Tubo Coletor Reabsorção ativa (gasto de energia): glicose, aminoácidos, sais Reabsorção passiva (difusão): água Alça ascendente ORGANIZAÇÃO BÁSICA DO NÉFROM
  14. 14. • Túbulo cont. prox. – Reabsorção de sais – Reabsorção de água Reabsorção
  15. 15. Ureteres •25-30cm •Função: -Conduzir a urina do rim à bexiga urinária Anatomia
  16. 16. Anatomia Bexiga • 250ml • Localização: -Cavidade pélvica -No homem: à frente do reto -Na mulher: entre o útero e o reto •Função: - Armazenar a urina que flui continuamente dos ureteres
  17. 17. Anatomia • ♂ 18-20cm • ♀ 4cm • Função: - Conduzir a urina da bexiga ao meio externo Uretra
  18. 18. Fisiologia Eliminação da urina
  19. 19. Fisiologia • Sangue: 180 L/dia filtrados. • Urina: 1 a 2 L. • Reabsorvidos: glicose e aminoácidos. Eliminação da urina
  20. 20. ADH = Hormônio Anti-Diurético • Produção: • Hipotálamo/ Hipófise • Função: Reabsorção de H2O •  concentração urinária • Álcool e Cafeína inibe Fisiologia
  21. 21. Funções Elimina substâncias tóxicas pela urina. Regulam os níveis iônicos no sangue de sais, glicose, proteína e água. Regular o volume e a pressão sangüínea. Renina Homeostasia Balanço ácido / base - pH sanguíneo (H+/ HC03) Formação dos Eritrócitos. Eritropoetina Produz substâncias que convertem um precursor da vitamina D em vitamina ativa. (calcitrol) Contração do músculo liso Prostaglandinas
  22. 22. Características Físicas da Urina Normal - Volume: 1 a 2 litros em 24 h, mas varia consideravelmente. - Cor: Amarelo ou âmbar, varia conforme a concentração e dieta. A cor é devida ao urocroma (pigmento produzido pela degradação da bile) A urobilina (pigmento produzido pela degradação dahemoglobina) dieta, medicamentos e certas doenças alteram a cor da urina. -Turbidez: Transparente quando recém emitida e turva pouco depois. -Odor: Levemente aromática. Torna-se amoniacal logo em seguida. -pH: Varia entre 4,6 e 8,0, sendo em média 6,0. Varia com a dieta. Proteínas aumentam a acidez, vegetais aumentam a alcalinidade. - Densidade: Quanto maior a quantidade de solutos, maior a densidade.
  23. 23. Constituintes Anormais da Urina -Albumina: (albuminúria) é muito grande para ser filtrado. Pode estar relacionado com pressão muito alta ou lesão das membranas de filtração. -Glicose: (glicosúria)indica diabete melito. -Hemácias: (hematúria) cálculos renais, tumores, trauma ou outras doenças renais. (hemácias rompidas). -Leucócitos: (piúria) infecção nos rins ou órgãos do sist. Urinário. -Corpos cetônicos: (cetonúria) diabete melito, anorexia, jejum ou pouco carboidrato na urina. -Bilirrubina: (bilirrubinúria) Por destruição da Hemácias a porção globina da hemoglobina é separada e o heme é convertido em bileverdina. A maior parte da biliverdna é convertida em bilirrubina. -Micróbios: variam conforme a infecção. Uma das mais comuns é a E. Coli. O fungo mais comum é a Candida Albicans. O protozoário mais frequênte é o Tricomonas vaginalis.
  24. 24.  Resumo: Formação da urina  Em cerca de uma hora o líquido que entrou quer sair... 1. Quando bebemos um copo de água ou similar, o líquido passa pelo esôfago, estômago, é absorvido pelas paredes do intestino delgado e daí segue pela corrente sanguínea até chegarmos Rins, onde parte é absorvida e parte é encaminhada para o sistema urinário. 2. O rim é formado por cerca de 1 milhão de unidades filtradoras – néfrons. É ali a “xixi” – urina, é produzida.
  25. 25. 3. O sangue entra nos néfrons sob alta pressão e sofre a primeira filtragem na emaranhado de capilares chamado glomérulo. Boa parte de porção líquida do sangue, o plasma, extravasa pelos vasinhos,formando o Filtrado glomerular, - pré – xixi. Em um minuto, cerca de 125 ml de plasma são filtrados. 4. O sangue purificado volta para o organismo, enquanto o Filtrado glomerular, se acumula na Cápsula de Bowman, um reservatório ao redor do glomérulo; seguindo gradativamente por um complexo sistema tubular.
  26. 26. 5. O Filtrado tem resíduos do organismo mas também substâncias úteis, como glicose, aminoácidos e sais minerais. A medida que ele flui pelos capilares do néfron, essas substâncias são reabsorvidas e novos resíduos do sangue são secretados pelos capilares; 6. Em seguida passa pelo Ducto Coletor, o último segmento do néfron, onde parte da água pode ser absorvida e retornada ao sangue. A quantidade de água absorvida depende do nível de hidratação do corpo; 7. A urina será liberada para a Bexiga pelos Ureteres; 8. Quando a bexiga está cheia o cérebro envia mensagem para os nervos da bexiga, este comando é despachado para o esfíncter interno (um anel muscular que sai da bexiga); 9. A urina é liberada para outra válvula, o esfíncter externo (controle voluntário) – liberado pela Uretra.
  27. 27. CURIOSIDADE  Diálise do sangue: Filtração do sangue pelo rim.  Diurese: Processo de formação da urina  Micção: Ato de urinar;  Substância diurética: Aumenta a formação da urina;  Cálculo Renal: Pedras nos rins ou Ureter, causada pela má alimentação e a falta de água. Trata-se com medicamentos ou ultra-som.  Infecção urinária (cistite): Ardência na micção. Lesões na uretra por traumatismo ou bactérias.  A bexiga pode acumular até meio litro de líquido.  A uretra no homem apresenta cerca de 20cm e na mulher 4cm.  O rim apresenta cerca -12cm – 7cm de largura e 5 cm comprimento
  28. 28. Controle Hormonal da Diurese: ADH - Hormônio Anti- Diurético; - Produção na Hipófise (glândula do cérebro que produz e armazena hormônios); - Atua no Néfron aumentando a reabsorção, e portanto diminuindo a diurese.  Obs: O álcool inibe a produção de ADH, aumentando assim a diurese; Diabetes insípida: - Diminuí a produção do ADH; - Poliúrica; - Desidratação intensa; - Sede excessiva;  Substâncias reabsorvidas: Água, Glicose, Eletrólitos, Aminoácidos, Vitaminas; - Substâncias excretadas: Água, Uréia, Ácido Úrico, Amônia, Creatinina, Resíduos metabólicos;
  29. 29. PRINCIPAIS DISTÚRBIO SIST URINÁRIO HUMANO CÁLCULO RENAL O depósito organizado de sais minerais nos rins ou em qualquer parte do aparelho urinário. Cálculos constituídos por cálcio são os mais comuns. Outros minerais encontrados são: oxalato, fósforo, ácido úrico. Deficiência genética para excreção desses sais Dieta rica nessas sais: ex.: leite e derivados. Tratamento cirúrgico ou não invasivo: ultra-som / laser
  30. 30. PRINCIPAIS DISTÚRBIO SIST URINÁRIO HUMANO GOTA Gota é uma doença caracterizada pela elevação de ácido úrico no sangue e surtos de artrite aguda secundários ao depósito de cristais do sal deste ácido (uratos).  O ácido úrico é um resíduo nitrogenado do metabolismo de purinas (lembrar das bases nitrogenadas).  Mariscos, sardinha, salmão, bacon, fígado devem ser evitados por aqueles que sofrem de gota.
  31. 31. PRINCIPAIS DISTÚRBIO SIST URINÁRIO HUMANO HEMODIÁLISE O tratamento mais utilizado por aqueles pacientes que, por qualquer motivo, perderam a função renal e irreparavelmente atingiram a fase terminal da doença renal. No dialisador, o sangue é exposto à solução de diálise (também conhecida como dialisato) através de uma membrana semipermeável, permitindo assim, as trocas de substâncias entre o sangue e o dialisato. Após ser retirado do paciente e passado através do dialisador, o sangue “filtrado” é então devolvido ao paciente pelo acesso vascular. É importante ressaltar que a água usada durante a diálise deve ser tratada e sua qualidade monitorada regularmente. PRINCIPAIS DISTÚRBIO SIST URINÁRIO HUMANO HEMODIÁLISE O tratamento mais utilizado por aqueles pacientes que, por qualquer motivo, perderam a função renal e irreparavelmente atingiram a fase terminal da doença renal. No dialisador, o sangue é exposto à solução de diálise (também conhecida como dialisato) através de uma membrana semipermeável, permitindo assim, as trocas de substâncias entre o sangue e o dialisato. Após ser retirado do paciente e passado através do dialisador, o sangue “filtrado” é então devolvido ao paciente pelo acesso vascular. É importante ressaltar que a água usada durante a diálise deve ser tratada e sua qualidade monitorada regularmente.

×