Sais minerais

8.029 visualizações

Publicada em

SITE: www.tioronni.com.br
E-MAIL: tio_ronni@hotmail.com

0 comentários
8 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.029
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
338
Comentários
0
Gostaram
8
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sais minerais

  1. 1. Criado e Desenvolvido por: Todos os direitos são reservados ©2011. www.tioronni.com.br
  2. 2. Os minerais são nutrientes com função plástica e reguladora do organismo. É necessário ingerir cálcio e fósforo em quantidades suficientes para a constituição do esqueleto e dos dentes. Outros minerais, como o iodo e o flúor, apesar de serem necessários apenas em pequenas quantidades, previnem o aparecimento de doenças como a cárie dentária e o bócio. Uma alimentação pobre em ferro provoca anemia (falta de glóbulos vermelhos no sangue). O excesso de sódio, provocado pela ingestão exagerada de sal, aumenta o risco de doenças cardiovasculares e é um dos responsáveis pela hipertensão. FONTE: http://pt.wikipedia.org De maneira didática os minerais essenciais para os animais podem ser classificados em: 1 - MACROMINERAIS: necessidade individual acima de 100 mg/dia na alimentação: Ca, P, Na, K, Mg, Cl e S. 2 - MICROMINERAIS: necessidade individual entre 1 a 50 mg/dia na alimentação: Fe, Zn,Cu e Mn. 3 - ELEMENTOS TRAÇOS: necessidade individual inferior a 1 mg/dia na alimentação: I, Cr, antimônio, cobalto, selênio, alumínio, estrôncio, silício e estanho. 4 - ELEMENTOS ULTRATRAÇOS: necessidades individuais minúsculas: F, Mo, V, Ni, As, Cd, Pb, Li, B e Br. Alguns autores definem os elementos traços e ultratraços como aqueles com concentrações nos fluidos biológicos menores do que 1 microgramo/g de peso úmido (wet weight). FONTE: http://www.cobrap.org.br SAIS MINERAIS
  3. 3. Ferro é um componente fundamental da hemoglobina e de algumas enzimas do sistema respiratório. A deficiência deste mineral resulta em anemia. Importante saber que sem a vitamina C, a quantidade de ferro obtida pela ingestão de vegetais é irrisória. O feijão, por exemplo, é rico em ferro. Porém, nosso organismo só consegue absorver apenas cerca de 10% desse mineral contido na leguminosa. No entanto, se o feijão for acompanhado de um alimento rico em vitamina C como suco de laranja a absorção pode chegar a 40%. Principais fontes: carnes, porco e frango. O ferro tem um papel importante na atividade física pois participa no transporte do oxigênio como componente da mioglobina (proteína transportadora do oxigênio no músculo); da hemoglobina (proteína transportadora do oxigênio nos glóbulos vermelhos); dos citocromos. FERRO - Fe • Não desportistas - Homem 12 mg/dia; Mulher 15 mg/dia • Desportistas - Homem 24 mg/dia; Mulher 30 mg/dia
  4. 4. Excesso A ingestão excessiva de Ferro, segundo o especialista, pode ser tóxica sobretudo quando há um uso exagerado na sua forma medicamentosa. A ingestão excessiva de Ferro dos alimentos raramente chega à toxicidade. As necessidades diárias de Ferro, variam conforme a idade, o sexo e a fase fisiológica da vida de cada indivíduo. Os homens adultos necessitam de 10 mg/dia, as mulheres adultas requerem 15 mg/dia, gestantes requerem 30 mg/diárias, e nutrientes de 16 a 19 mg/dia. As necessidades de crianças variam de 6 a 12 mg/dia, conforme as recomendações dietéticas internacionais, Carência Os sinais e sintomas da carência de ferro são inespecíficos, necessitando-se de exames laboratoriais, como o de sangue para que seja confirmado o diagnóstico. Os principais sinais e sintomas são: a fadiga generalizada, anorexia (falta de apetite), palidez de pele e mucosas (parte interna do olho, gengivas), menor disposição para o trabalho, dificuldade de aprendizagem nas crianças, apatia (crianças muito "paradas"). FERRO - Fe
  5. 5. A necessidade de cálcio são geralmente supridas por laticínios, especialmente leite e verduras verde- escuras. A maior parte do cálcio (90%) é armazenada nos ossos, com uma troca constante ocorrendo com o sangue, tecidos e ossos. Sendo fundamental para o fortalecimento de ossos e dentes, o cálcio também é necessário para o funcionamento adequado do sistema nervoso e imunológico, contração muscular, coagulação sangüínea e pressão arterial. Principais fontes: laticínios (leite, iogurte e queijos), peixes ósseos, legumes, brócolis e repolho. CÁLCIO - Ca Um baixo aporte de cálcio na dieta pode trazer problemas ao atleta. Parece haver uma certa relação entre uma dieta pobre em cálcio e o aparecimento de fracturas de fadiga no desporto. São pequenos traços de fractura, mais frequentes nos ossos do pé e na tíbia, que originam dores locais muitas vezes inexplicadas. Baixos níveis de cálcio nas dietas de atletas do sexo feminino parecem correlacionar-se com o aparecimento de osteoporose após a menopausa, mais intensa e por vezes mais precoce que o habitual. Na osteoporose, os ossos tornam-se rendilhados e por isso mais fracos, surgindo dores e fracturas ósseas. A osteoporose pós menopausica parece dever-se a um abaixamento dos níveis de hormonas sexuais femininas após a perda das regras. Os requisitos diários de cálcio no atleta são de 1,2 gramas.
  6. 6. CÁLCIO - Ca www.tioronni.com.br
  7. 7. Fósforo tem um papel importante na produção de energia juntamente com o cálcio. A energia química do corpo é armazenada em combinações de fosfato de alta energia. O elemento fósforo é altamente venenoso, mas não é tóxico quando ingerido como fosfato na dieta. Principais fontes: carnes; porco e frango. O fósforo é muito importante no metabolismo do osso e dos dentes; no metabolismo dos glúcidos, lípidos e prótidos a nível muscular; no metabolismo do sistema nervoso. Colabora como componente em muitos sistemas enzimáticos. Os requisitos diários de fósforo são 1,0 gramas. Geralmente, a dieta fornece todo o fósforo que necessitamos diariamente. FÓSFORO - P
  8. 8. Pesquisas revelaram que o magnésio tem um papel fundamental na performance em esportes de resistência. Este mineral atua principalmente nos músculos e ossos, aonde ajuda na contração muscular e metabolismo energético. Estudos mostraram que a deficiência de magnésio diminui a resistência e que o baixo nível deste mineral na circulação está associado à diminuição da capacidade aeróbica. Infelizmente, baixo nível de magnésio na circulação já foi constatado em corredores após a maratona está relacionado à perda pela transpiração. Principais fontes: legumes e nozes. MAGNÉSIO - Mg
  9. 9. MAGNÉSIO - Mg
  10. 10. Zinco ajuda a manter o sistema imunológico sadio, facilita a cicatrização de machucados e recuperação de lesões. Além disso, como atletas perdem zinco pelo suor, eles podem se tornar deficientes deste mineral mais rapidamente. Um dos sinais de deficiência de zinco é o aumento de resfriados. Principais fontes: alimentos ricos em proteínas como (carnes, frango e peixe). ZINCO - Zn
  11. 11. Potássio é um eletrólito importante para a transmissão nervosa, contração muscular e equilíbrio de fluidos no organismo. Sintomas de deficiência de potássio incluem fraqueza muscular, desorientação e fadiga. Principais fontes: carne, leite e frutas. O potássio é o principal ião intracelular. Tem uma função muito importante na contractibilidade dos músculos estriados e miocárdio. Diarreia, vómitos e sudação excessiva podem originar deficit de potássio no organismo, originando irritabilidade nervosa; fraqueza muscular; desorientação mental e arritmias cardíacas. São necessários 1,0 gramas de potássio por dia na nossa dieta. Os alimentos mais ricos em potássio são os damascos; banana; tâmaras; tomates; pêssegos; figos secos; passas de uva; amêndoas; caju; amendoins; nozes; abacate; lentilhas; salsa; espinafres e soja. Leite, yogurtes, morangos, citrinos, são também ricos em potássio. POTÁSSIO - K
  12. 12. SÓDIO - Na O Sódio é o principal íon extracelular. Tem um papel importante na manutenção do equilíbrio ácido-básico e da pressão osmótica do líquido extracelular. O suor é rico em cloreto de sódio e assim uma sudação excessiva e repetida pode levar a déficit destes sais minerais no organismo. A diarréia e os vômitos intensos originam grandes perdas de sódio. Os respectivos sintomas são: cãibras musculares; fraqueza; dores de cabeça e colapso vascular. Os requisitos de sódio são de 5 gramas por dia. Quase todos os alimentos são ricos em sódio, mas o sal de cozinha (cloreto de sódio) é a principal fonte deste íon. O sódio dos alimentos perde-se geralmente na água de cozimento . O excesso de sal nas dietas está relacionado com um elevado índice de hipertensão arterial. Sódio é um eletrólito importante para a transmissão nervosa, contração muscular e equilíbrio de fluidos no organismo. Corredores participando de maratonas devem prestar atenção na reposição de sódio para evitar a hiponatremia. Muito sódio na dieta pode levar à hipertensão em pessoas com predisposição genética. Principais fontes: sal, azeite e alimentos processados.
  13. 13. Tem um papel importante na formação das hormonas tiroideias, tão necessárias ao funcionamento equilibrado do nosso organismo. São necessárias 150 microgramas de iodo na dieta diária. O iodo existe em todos os produtos marinhos, nos vegetais provenientes de terras ricas em iodo e no sal ionizado (sal enriquecido com iodo artificial ). • Memória Fraca • Descamação da Pele • Gosto gorduroso na boca • Saliva fétida Algumas fontes (hortaliças): alface, tomate, cenoura, aspargo, agrião e feijão. FONTE: http://www.fiocruz.br IODO - I
  14. 14. Importante como componente de diversos enzimas e coenzimas. Colabora na síntese da hemoglobina, dos citocromos, da elástica e mielina. Os requisitos diários de cobre são de 2,0mg. Existe praticamente em todos os alimentos. Os casos de déficit de cobre não são devidos a falta de cobre no organismo mas sim a diminuição da sua proteína de transporte no sangue (ceruplasmina). COBRE - Cu
  15. 15. Encontra-se nos ossos e dentes, protegendo estes de cáries dentárias. O seu aporte dietético é muito importante na infância entre o nascimento e os doze anos. Devem-se dar suplementos farmacológicos neste grupo etário. O chá e os frutos do mar são ricos em flúor. · Visão Limitada · Piorréia · Dificuldade de audição · Língua Suja Algumas fontes (hortaliças): beterraba, couve, agrião, escarola, brócolis e feijão. FLÚOR - F
  16. 16. Atua no metabolismo energético e no metabolismo da glicose. CROMO - Cr
  17. 17. O selênio funciona com uma íntima relação com a vitamina E. O Selênio é um importante anti-oxidante que é anti-cancerígeno e possui propriedades anti-envelhecimento. FONTE: http://www.jorgemutran.com.br Selênio nativo SELÊNIO - Se
  18. 18. Contribui na utilização da glicose para o fornecimento de energia. Importante em diversos processos fisiológicos, como no crescimento, reprodução e metabolismo dos nutrientes. Masculino: 2,3 mg Feminino: 1,8 mg “As pilhas secas: zinco-manganês e alcalina- manganês, as mais consumidas para uso doméstico, seus fabricantes: Duracell, Eveready, Kodak, Microlite (Rayovac), Panasonic e Philips, têm operado nos limites estabelecidos pelo artigo 6º da Resolução 257. Podem ir ao lixo doméstico, além desses tipos de pilhas, estão as baterias de níquel-metal-hidreto, de lítio tipo botão e miniatura, lítio-íon e zinco-ar.” Você acha isso correto? FONTE: http://www.ambientebrasil.com.br MANGANÊS - Mn
  19. 19. Componente de algumas enzimas Deficiência de Molibdênio Molibdenita, MoS2. Tem cor cinza avermelhada, traço cinza chumbo mas quando finamente triturado é verde claro. MOLIBDÊIO - Mo
  20. 20. Participa da manutenção do equilíbrio hídrico. Ajuda a regular a tensão arterial, regulação dos fluídos corporais, atua na contração muscular. Excesso: Hipertensão arterial Falta de cloro causa: · Falar durante o sono · Muita fome · Dores nos membros superiores e inferiores Algumas fontes (hortaliças): nabo, tomate, berinjela, agrião, couve e escarola. CLORO - Cl
  21. 21. Componente das proteínas do organismo. Importante em reações metabólicas. Água, carne, peixe, ovo, leguminosas secas. O seu nome deriva do latim sulphurium, enxofre (S). O enxofre é um elemento representativo, que se encontra no 16º grupo da Tabela Periódica, que também é chamado de família dos Calcogênios. O enxofre é conhecido desde a antiguidade e até é citado na Bíblia: Gênesis 19,24: "O Senhor fez então cair sobre Sodoma e Gomorra uma chuva de enxofre e fogo, vindo do Senhor do céu". Amostra de minério de enxofre nativo. Ocorre como produto de sublimação vulcânica e em depósitos sedimentares. Utilizado na produção de ácido sulfúrico, pesticidas, etc. Costuma-se adicionar enxofre aos gás natural, pois este último é inodoro, enquanto o enxofre possui odor bem característico. ENXOFRE - S

×