Embriologia

2.497 visualizações

Publicada em

SITE: www.tioronni.com.br
E-MAIL: tio_ronni@hotmail.com

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.497
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
112
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Embriologia

  1. 1. Criado e Desenvolvido por: Todos os direitos são reservados ©2013. www.tioronni.com.br
  2. 2. Embriologia • Conceito: É o estudo do crescimento e da diferenciação sofridos por um organismo no curso de seu desenvolvimento, desde o estágio de ovo até o de um ser altamente complexo.
  3. 3. Formação do embrião • Fecundação; • Segmentação ou Clivagem; • Blastulação; • Gastrulação; • Neurulação.
  4. 4. Clivagem • A partir da primeira divisão mitótica, inicia-se o desenvolvimento embrionário; • Formação de blastômeros; • Formação da mórula (bola maciça de células)
  5. 5. Clivagem • O vitelo é uma proteína encontrada no ovo e tem a função de nutrir o embrião; • Zigoto: Pólo vegetativo: muito vitelo (dificulta a divisão); Pólo animal: pouco vitelo (facilita a divisão).
  6. 6. • Isolécito ou Oligolécito – Possui pouco vitelo, homogênea ou quase homogeneamente distribuído pelo citoplasma. Ocorrência: Mamíferos (menos os MONOTREMADOS). • Heterolécito ou Mediolécito – Muito vitelo. Distinção entre pólo animal, que contém o núcleo, e o pólo vegetativo, que contém o vitelo. Ocorrência: Peixes (alguns) e anfíbios • Telolécito – óvulos grandes, com muito vitelo no pólo vegetativo. Nítida separação entre o citoplasma e o vitelo no pólo animal. Ocorrência: Peixes (alguns), répteis e aves. • Centrolécito – Vitelo ocupa praticamente toda a célula e não se mistura com citoplasma, que reduzido a uma pequena região na periferia da célula e junto ao núcleo. Ocorrência: Artrópodes
  7. 7. Tipo de ovo Segmentação Exemplos Oligolécitos Holoblástica igual ou subigual Mamíferos e equinodermos Heterolécitos Holoblástica Moluscos, vermes e anfíbios Telolécitos Meroblástica discoidal Répteis e aves Centrolécitos Meroblástica superficial Artrópodes Resumo
  8. 8. Formação da Blástula • Surgimento de um líquido interno no centro da massa celular; • Cavidade interna = blastocele; • Existem diferentes tipos de blástulas
  9. 9. • As células TEs são totipotentes, ou seja, são capazes de diferenciar em qualquer outro tipo celular. Já as adultas são pluripotentes.
  10. 10. Formação da gástrula • Formação dos folhetos embrionários; (Formação do arquêntero; • Formação do blastóporo: PROTOSTÔMIOS: blastóporo origina a boca primeiro; DEUTEROSTÔMIOS: blastóporo origina o ânus primeiro.
  11. 11. A Gastrulação •É o processo de divisão e migração celular que termina na formação da Gástrula; •Estrutura que apresenta os folhestos germinativos
  12. 12. ANeurulação •É a fase de formação do tubo neural;
  13. 13. Organogênese •O três folhetos germinativos se organizando e formando as estruturas dos animais.
  14. 14. Formação da Neurula Anteriormente: Placa neural (ectoderma): forma o tubo nervoso; Formação da notocorda Formação do celoma => mesoderma Surgimento do somito Nêurula.
  15. 15. Folhetos embrionários
  16. 16. Ovo de ave
  17. 17. Âmnion É uma fina membrana que delimita uma bolsa repleta de líquido. O líquido amniótico que tem por funções: · Evitar o ressecamento do embrião · Proteger contra choques mecânicos. O âmnio representa uma importante adaptação dos répteis a vida terrestre junto com a fecundação interna e faz parte do chamado ovo terrestre. Esse anexo permitiu aos répteis avançar em terras secas, e independência da água para a reprodução.
  18. 18. Córion É uma membrana fina que envolve os outros anexos embrionários, é o mais externo. Junta-se com o alantóide para formar o alantocórion com função respiratória em aves e répteis. Fica sob a a casca do ovo, camada de proteção, trocas gasosas com o embrião e o meio externo. Une-se a parede uterina e forma a placenta.
  19. 19. Funções da placenta • Realizar trocas respiratórias entre o organismo materno e o organismo fetal • Realizar as trocas nutritivas e metabólicas entre mãe e filho • Produzir hormônios • Transmitir ao feto alguns anticorpos • Mascarar o embrião em relação a anticorpos de defesa da mãe
  20. 20. Cordão umbilical • Origina-se a partir do pedúnculo embrionário. Procede como estrutura de comunicação entre o embrião e a placenta. Longo, mais ou menos cilíndrico, encerra três grossos vasos: uma veia (que conduz sangue arterial) e duas artérias (que conduz sangue venoso).
  21. 21. Ovulíparos: animais que apresentam fecundação externa e desenvolvimento no interior de um ovo aquático. Invertebrados aquáticos, maioria dos peixes e anfíbios. Ovíparos: animais que apresentam fecundação interna e desenvolvimento no interior de um ovo aquático ou terrestre. Répteis em geral, alguns peixes, aves e vários invertebrados. Ovovivíparos:: animais que apresentam fecundação interna e que se desenvolvem dentro de ovos que ficam retidos no organismo materno. Alguns peixes e determinados répteis. Vivíparos: animais com fecundação interna e desenvolvimento no interior do organismo materno. Maioria dos mamíferos.

×