Divisoes celulares

1.331 visualizações

Publicada em

SITE: www.tioronni.com.br
E-MAIL: tio_ronni@hotmail.com

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.331
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
35
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Divisoes celulares

  1. 1. Criado e Desenvolvido por: Todos os direitos são reservados ©2013. www.tioronni.com.br
  2. 2. AS DIVISÕES CELULARES Haplóides e Diplóides Diplóides: são células diplóides são aquelas cujos cromossomos se organizam em pares de cromossomos semelhantes (à exceção dos cromossomos sexuais, nos organismos que os possuem). Diz-se que estas células possuem 2n cromossomos, onde n é o número de cromossomos diferentes. As mulheres possuem o último par de cromossomos, o 23º, igual a XX onde X é um tipo de cromossomo. Já os homens o possuem como XY,o Y determinando seu sexo. Haplóides: os cromossomos haplóides, apresentam-se sozinhos, únicos, sem "irmãos" idênticos, ou seja, não possuem par cromossômico. Diz-se que células haplóides são possuidoras de n cromossomas em oposição às diplóides que possuem 2n cromossomas.
  3. 3. AS DIVISÕES CELULARES Interfase A maior parte da vida da célula é representada pelo período entre uma divisão e outra, chamado de interfase.
  4. 4. AS DIVISÕES CELULARES Interfase A síntese do DNA ocorre somente em um período estrito da interfase, denominado S ou sintético, que é procedido e seguido por dois intervalos (GAPS) ou períodos de interfase (G1 e G2) onde não ocorre síntese de DNA. Geralmente, os períodos S, G2 e mitótico são relativamente constante nas diversas células de um mesmo organismo. O período G1 é o mais variável. Dependendo da condição fisiológica das células, pode durar dias, meses e até anos. Os tecidos que normalmente não se dividem (como nervoso ou músculo esquelético), ou que raramente se dividem (como os linfócitos circulantes), possuem a mesma quantidade de DNA presente do período G1. FONTE: http://www.colegiosaofrancisco.com.br
  5. 5. AS DIVISÕES CELULARES Mitose É o processo de divisão celular que permite a distribuição dos cromossomos e dos constituintes citoplasmáticos da célula-mãe igualmente entre as duas células-filhas. Tal processo é responsável pela multiplicação dos indivíduos unicelulares e pelo crescimento dos pluricelulares, por realizar o aumento do número de células. A mitose compreende: 1º - a divisão do núcleo ou cariocinese, 2º - e a do citoplasma ou citodiérese. É dividida em quatro etapas: Prófase Metáfase Anáfase Telófase
  6. 6. AS DIVISÕES CELULARES Mitose - Prófase 1. Prófase È a fase inicial da mitose, em que se começa a notar alteração no núcleo e no citoplasma. Com um considerável aumento do volume nuclear e com a condensação da cromatina, formando os cromossomos. Cada cromossomo é constituído de duas cromátides unidas pelo centrômero, o que significa que a duplicação dos cromossomos ocorreu antes da prófase, ou seja, na interfase. O inicio da prófase é marcado pela duplicação dos centríolos, cada um dos centríolos resultantes vão migrando para os pólos opostos da célula. A carioteca fragmenta-se e o fuso passa a ocupar a zona axial da célula.
  7. 7. AS DIVISÕES CELULARES Mitose - Metáfase 2. Metáfase Os cromossomos atingem seu grau máximo de condensação e se colocam no equador do fuso. Há dois tipos de fibras no fuso: as continuas que vão de centríolo a centríolo, e as cromossômicas, que vão de centríolo a centrômero.
  8. 8. AS DIVISÕES CELULARES Mitose - Anáfase 3. Anáfase Divisão longitudinal do centrômero. Cromossomos-filhos migram para os pólos da célula, orientados pelas fibras do fuso.
  9. 9. AS DIVISÕES CELULARES Mitose - Telófase 4. Telófase Desaparecimento das fibras do fuso. Organização da carioteca e do nucléolo. Desespiração dos cromossomos. Fim da cariocinese e inicio da citosina.
  10. 10. AS DIVISÕES CELULARES Citocinese Divisão do citoplasma que leva à individualização das células-filhas. Nas células animais (sem parede celular) forma-se na zona equatorial um anel contráctil de filamentos protéicos que se contraem puxando a membrana para dentro levando de início ao aparecimento de um sulco de clivagem que vai estrangulando o citoplasma, até se separem as duas células-filhas. Citocinese centrípeta. Nas células vegetais (com parede celular) como a parede celular não permite divisão por estrangulamento um conjunto de vesículas derivadas do complexo de Golgi vão alinhar-se na região equatorial e fundem-se formando a membrana plasmática, o que leva à formação da lamela mediana entre as células-filhas. Posteriormente ocorre a formação das paredes celulares de cada nova célula que cresce da parte central para a periferia. (Como a parede das células não vai ser contínua, vai possuir poros — plasmodesmos, que permitem a ligação entre os citoplasmas das duas células). Citocinese centrífuga
  11. 11. AS DIVISÕES CELULARES Mitose - Resumo A duração da mitose pode ser de alguns minutos ou de muitas horas, segundo o caso e segundo a temperatura. A mitose típica descrita acima é a ortomitose equacional (as células- filhas têm o mesmo número de cromossomos que a célula-mãe); Existe uma mitose reducional no curso dos fenômenos de formação das gônadas (Meiose-modo peculiar de multiplicação celular que tem por efeito reduzir de metade o número de cromossomos das células). Nos vegetais superiores, desprovidos de centrossomo, a mitose é chamada acêntrica. Por fim, em várias ordens de protozoários, a mitose não tem metáfase, e os cromossomos não são fixados em um fuso, é a pleuromitose.
  12. 12. MITOSE www.tioronni.com.br
  13. 13. A maioria dos organismos possui pares de cromossomos em suas células, mas os gametas são haplóides, ou seja, possuem metade dos cromossomos das outras células: portanto, apenas um cromossomo de cada par de homólogos. Essa redução ocorre durante a meiose. Na prófase I, os cromossomos estão duplicados: cada um é formado por duas cromátides. Durante a metáfase I, os cromossomos homólogos duplicados se colocam um de cada lado da região mediana da célula e separam-se: cada componente do par. Na segunda divisão da meiose, os cromossomos duplicados alinham-se na região mediana de cada célula e as cromátides separam-se. Cada cromátide vai para um dos pólos da célula. Forma, assim, quatro células, cada uma com um cromossomo simples de cada par de homólogos. FONTE: http://www.alunosonline.com.br AS DIVISÕES CELULARES Meiose
  14. 14. AS DIVISÕES CELULARES Interfase A intérfase (ou interfase) é o período do ciclo celular em que a célula aumenta o seu volume, tamanho e número de organelas. É erroneamente considerado como o "descanso" da célula, já que é a fase em que a célula cumpre suas atividades vitais e reúne condições para se dividir e originar células-filhas. A intérfase é dividida em três etapas: • G1 Síntese protéica: É o primeiro período, começando ao final da divisão celular anterior e se estendendo até o início da duplicação do DNA. Nesse período ocorre o crescimento da célula. • S Duplicação do DNA: Responsável por desencadear a divisão celular, além de garantir que as células-filhas recebam as informações genéticas que determinam suas características. Ocorre também a duplicação dos centríolos e do centrossomo nesse período. • G2 Duplicação dos centríolos: Ocorre a duplicação de centríolos, além de iniciar a produção das fibras de proteínas, que juntos irão formar um aparelho com importante participação durante a divisão celular, denominado fuso mitótico, ou fuso cariocinético. A célula completa o crescimento e está preparada para a mitose.Ocorre síntese proteica das proteínas que contituem os microtúbulos.
  15. 15. AS DIVISÕES CELULARES Meiose I – Prófase I 1. Prófase I Essa fase da meiose I é dividida em cinco subfases consecutivas: leptóteno, zigóteno, paquíteno e diacinese. Na prófase I, os cromossomos já duplicados na interfase iniciam a condensação, que só atinge seu máximo no final da metáfase I. • LEPTÓTENO: Os cromossomos tornam-se visíveis como delgados fios que começam a se condensar, mas ainda formam um denso emaranhado. Nesta fase inicial , as duas cromátides- irmãs de cada cromossomo estão alinhadas tão intimamente que não são ditinguíveis. • ZIGÓTENO: Os cromossomos homólogos começam a combinar-se estreitamente ao longo de toda a sua extensão. O processo de pareamento ou sinapse é muito preciso. • PAQUÍTENO: Os cromossomos tornam-se bem mais espiralados. O pareamento é completo e cada par de homólogos aparece como um bivalente ( às vezes denominados tétrade porque contém quatro cromátides). Neste estágio ocorre o crossing-over, ou seja, a troca de segmentos homólogos entre cromátides não irmãs de um par de cromossomos homólogos. • DIPLÓTENO: Ocorre o afastamento dos cromossomos homólogos que constituem os bivalentes. Embora os cromossomos homólogos se separem, seus centrômeros permanecem intactos, de modo que cada conjunto de cromátides-irmãs continua ligado inicialmente. Depois, os dois homólogos de cada bivalente mantêm-se unidos apenas nos pontos denominados quiasmas (cruzes). • DIACINÉSE: Neste estágio os cromossomos atingem a condensação máxima.
  16. 16. AS DIVISÕES CELULARES Meiose I – Prófase I – Crossing Over CROSSING OVER Recombinação é a troca aleatória de material genético durante a meiose. Na primeira divisão meiótica, mais precisamente no paquíteno, ocorre o crossing- over, que é o sobre cruzamento das cromátides homólogas, não-irmãs. A relação existente entre meiose e variabilidade é principalmente devida à ocorrência de crossing-over.
  17. 17. AS DIVISÕES CELULARES Meiose I – Metáfase I 1. Metáfase I Na metáfase I, as fibras polares passam a ocupar a região correspondente ao núcleo. Aos cinetócoros associam-se as fibras cromossômicas, e os cromossomos passam a ocupar a região equatorial da célula.
  18. 18. AS DIVISÕES CELULARES Meiose I – Anáfase I 1. Anáfase I A anáfase I caracteriza-se pelo deslocamento dos cromossomos para os pólos da célula. O par de cromossomos homólogos separa-se, indo para cada pólo um cromossomo duplicado de cada par.
  19. 19. AS DIVISÕES CELULARES Meiose I – Telófase I 1. Telófase I Quando as díades chegam aos pólos termina a anáfase I e tem início a telófase I. O que ocorre nesta fase da meiose é muito semelhante ao que acontece na telófase da mitose: os cromossomos desespiralizam- se, a carioteca e o nucléolo reorganizam-se e acontece a citocinese.
  20. 20. AS DIVISÕES CELULARES Meiose II – Prófase II 1. Prófase II Quando as díades chegam aos pólos termina a anáfase I e tem início a telófase I. O que ocorre nesta fase da meiose é muito semelhante ao que acontece na telófase da mitose: os cromossomos desespiralizam- se, a carioteca e o nucléolo reorganizam-se e acontece a citocinese.
  21. 21. AS DIVISÕES CELULARES Meiose II – Metáfase II 1. Metáfase II Quando as díades chegam aos pólos termina a anáfase I e tem início a telófase I. O que ocorre nesta fase da meiose é muito semelhante ao que acontece na telófase da mitose: os cromossomos desespiralizam- se, a carioteca e o nucléolo reorganizam-se e acontece a citocinese.
  22. 22. AS DIVISÕES CELULARES Meiose II – Anáfase II 1. Anáfase II Quando as díades chegam aos pólos termina a anáfase I e tem início a telófase I. O que ocorre nesta fase da meiose é muito semelhante ao que acontece na telófase da mitose: os cromossomos desespiralizam- se, a carioteca e o nucléolo reorganizam-se e acontece a citocinese.
  23. 23. AS DIVISÕES CELULARES Meiose II – Telófase II 1. Telófase II Quando as díades chegam aos pólos termina a anáfase I e tem início a telófase I. O que ocorre nesta fase da meiose é muito semelhante ao que acontece na telófase da mitose: os cromossomos desespiralizam- se, a carioteca e o nucléolo reorganizam-se e acontece a citocinese.
  24. 24. AS DIVISÕES CELULARES Meiose I – Resumo Leptóteno Zigóteno Paquíteno Diplóteno Diacinese Metáfase I Anáfase I Telófase I
  25. 25. AS DIVISÕES CELULARES Meiose II – Resumo Prófase II Metáfase II Anáfase II Telófase II
  26. 26. www.tioronni.com.br MEIOSE
  27. 27. AS DIVISÕES CELULARES Ciclo Reprodutor - Haplôntico Meiose Inicial ou Zigótica. Prova-se que o adulto é haplóide, pois vem de esporos haplóides que sofreram mitoses. Haplôntico pois o adulto é haplóide. Somente algumas algas, protistas e fungos fazem este ciclo.
  28. 28. AS DIVISÕES CELULARES Ciclo Reprodutor - Diplôntico Meiose Final. Em animais Prova-se que o adulto é diplóide pois vem de mitoses sucessivas do zigoto diplóide. Animais e em muitos protistas realizam esse ciclo.
  29. 29. AS DIVISÕES CELULARES Ciclo Reprodutor - Haplodiplobiôntico Meiose Intermediária, Alternância de Geração ou Metagênese. Gametas são frágeis, e necessitam de outro para originar um novo indivíduo. Esporos são resistentes, e podem originar um novo ser vivo sozinho.
  30. 30. AS DIVISÕES CELULARES Cromossomos
  31. 31. AS DIVISÕES CELULARES Cromossomos
  32. 32. O câncer mata mais. Anualmente, cerca de 7,6 milhões de pessoas com câncer morrem no mundo, contra 2,8 milhões de vítimas da aids, segundo a Organização Mundial da Saúde. As células cancerígenas se reproduzem e se espalham pelo corpo num processo chamado metástase. Porém, em determinadas ocasiões e por razões ainda desconhecidas, certas células reproduzem-se com uma velocidade maior, desencadeando o aparecimento de massas celulares denominadas neoplasias ou, mais comumente, tumores. AS DIVISÕES CELULARES Curiosidades - Câncer
  33. 33. OBRIGADO

×