Página 04
Página 02Página 04
Câmara de LP
gastou com
publicidade
10 vezes
mais que a
prefeitura
Página 27
5ª Mostra
de Cul...
ANO ii • Edição 42
30/01/2015 a 13/02/2015
www.jornalcidademg.com.br
OPINIÃO2
CARTA AO LEITOR Juliano Rossi | Jornalista e...
ANO ii • Edição 42
30/01/2015 a 13/02/2015
www.jornalcidademg.com.br
cidades4
ll Em parceria com a
escola de dança Passo, ...
ANO ii • Edição 42
30/01/2015 a 13/02/2015
facebook.com/jornalcidademg
CIDADES 5
Forças de segurança temeram a superlotaçã...
ANO ii • Edição 42
30/01/2015 a 13/02/2015
www.jornalcidademg.com.br
cidades6
Em 2015, até a última quarta-feira, Vigilânc...
ANO ii • Edição 42
30/01/2015 a 13/02/2015
facebook.com/jornalcidademg
CIDADES 7
Outros 63 municípios estão em situação de...
ANO ii • Edição 42
30/01/2015 a 13/02/2015
www.jornalcidademg.com.br
cidades8
llA AssembleiaLegislati-
vadeMinasGeraisdecl...
O QUE É
Responsabilidade Social
COMUNIDADE FILAnTROPIA
meio ambiente
Fonte: Cartilha FIEG/Sebrae
tos e serviços.
	 Hoje, a...
SICOOB CREDIPRATA
Soluções financeiras e qualidade de vida
Parcerias e
projetos sociais
NOSSA MISSÃO
NOSSA VISÃO
NOSSOS VA...
Condutas e decisões cotidianas são resultados de va-
lores e princípios que uma empresa tem. Ser socialmente
responsável é...
SOMMUS SISTEMAS
Uma empresa socialmente responsável!
Sommus muito mais amor
NOSSA MISSÃO
PROjETOS
PARA 2015
ASOMMUS SISTEM...
TODOS DEVEM
Dar destino correto ao lixo
O QUE É RECICLÁVEL como separar o lixo
O QUE NÃO VAI
PARA O LIXO
RECICLÁVEL
embala...
GRUPO MINASPREV
INVESTIMENTO NO SER HUMANO
RESPONSABILIDADE SOCIAL
projetos
para 2015
	 O Grupo Minasprev
é uma empresa di...
Todos os cidadãos tem outro compromisso, seja em
casaounolocalondetrabalham:adotarpráticasdeeco-
nomia de energia e água. ...
AUTOESCOLA CENTRAL
Somos reconhecidos pelos nossos trabalhos e também como a
MAIOR E MELHOR AUTOESCOLA DA REGIÃO!
NOSSA MI...
A humanidade está
consumindo 50% a mais
em recursos naturais re-
nováveis – água, ar, terra
agricultáveleabsorçãode
resídu...
Centro Educacional Tutores
Investimento em esporte, cultura e educação
INCENTIVO À EDUCAÇÃO
Empresa investe no
esporte
	 O...
Gol perde liderança de 27 anos.
Palio é o mais vendido no Brasil
Depois de 27 anos no topo do ranking de vendas, sem nunca...
ANO ii • Edição 42
30/01/2015 a 13/02/2015
www.jornalcidademg.com.br
CULTURA24
llA lagopratense Thalita
Anedaestáfinalizan...
ANO ii • Edição 42
30/01/2015 a 13/02/2015
facebook.com/jornalcidademg
CULTURA 25
S. A. DO MONTE
Com apresentações musicai...
ANO ii • Edição 42
30/01/2015 a 13/02/2015
www.jornalcidademg.com.br
COLUNISTAS26
José Antônio (Rádio Samonte FM)
bandeira...
ANO ii • Edição 42
30/01/2015 a 13/02/2015
facebook.com/jornalcidademg
CULTURA 27
llAconteceu na última
semana a 5ª edição...
ANO ii • Edição 42
30/01/2015 a 13/02/2015
www.jornalcidademg.com.br
COTIDIANO28
S. A. DO MONTE
Professores de S. A. do Mo...
ANO ii • Edição 42
30/01/2015 a 13/02/2015
facebook.com/jornalcidademg
ESPORTES 29
s. a. do monte
XX Torneio Santa Luzia
a...
EDITORIAL
	 Oi , gente! Voltei ... fui ali
em São Paulo conhecer a
maiormetrópoledoPaís. Se
choversaiacorrendooume-
lhor.....
RELÍQUIAS!!!
Nodia01defevereiroseráoencontrodecarrosemotosanti-
gos.Paraosamantesdessesmodelosecolecionadoreséuma
boaoport...
Jornal Cidade - Lagoa da Prata, Santo Antônio do Monte e região - Ano II Nº 42
Jornal Cidade - Lagoa da Prata, Santo Antônio do Monte e região - Ano II Nº 42
Jornal Cidade - Lagoa da Prata, Santo Antônio do Monte e região - Ano II Nº 42
Jornal Cidade - Lagoa da Prata, Santo Antônio do Monte e região - Ano II Nº 42
Jornal Cidade - Lagoa da Prata, Santo Antônio do Monte e região - Ano II Nº 42
Jornal Cidade - Lagoa da Prata, Santo Antônio do Monte e região - Ano II Nº 42
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Jornal Cidade - Lagoa da Prata, Santo Antônio do Monte e região - Ano II Nº 42

1.184 visualizações

Publicada em

http://www.jornalcidademg.com.br
>Acesse e veja mais notícias
Jornal Cidade - Ano II - Nº 42 - 28 de Janeiro de 2015

Principais notícias das cidades do centro-oeste mineiro. Notícias de Lagoa da Prata, Santo Antônio do Monte, Moema, Pedra do Indaiá e Japaraíba.

Publicada em: Notícias e política
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.184
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
550
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Jornal Cidade - Lagoa da Prata, Santo Antônio do Monte e região - Ano II Nº 42

  1. 1. Página 04 Página 02Página 04 Câmara de LP gastou com publicidade 10 vezes mais que a prefeitura Página 27 5ª Mostra de Cultura é realizada em S. A. do Monte OPINIÃOCIDADES CULTURA S. A. DO MONTE S. A. do Monte está entre as cidades que devem entrar em colapso por falta de água Página 07 LAGOA DA PRATA Prefeitura cancela carnaval e alega falta de segurança Página 05 Forças de segurança temeram a superlotação da cidade durante a festa. Lagoa da Prata poderia receber os foliões dos 13 municípios da região que cancelaram o carnaval. Mulher diz ter sido maltratada em atendimento médico no PSF de LP
  2. 2. ANO ii • Edição 42 30/01/2015 a 13/02/2015 www.jornalcidademg.com.br OPINIÃO2 CARTA AO LEITOR Juliano Rossi | Jornalista e Diretor do Jornal Cidade juliano@jornalcidademg.com.br ll Os vereadores de La- goa da Prata investiram empublicidade3,2%doto- tal de gastos que a Câma- ra Municipal empenhou em 2014. Foram aplicados R$ 65.056,16 na transmis- são das reuniões, em pu- blicidade nos quatro jor- nais do município, publi- cações no Diário Oficial e anúncios em carro de som. O Legislativo traba- lhoucomumorçamentode R$2.040.000,00esuasdes- pesastotaischegaramaR$ 1.450.000,00. Foram devol- vidos aos cofres da prefei- turaR$590mil. Poroutrolado,aprefei- tura gastou 0,3% do seu or- çamento de R$ 75 milhões previstos em 2014 (os nú- meros finais ainda não haviam sido contabiliza- dos até o fechamento des- ta edição). A administra- ção investiu R$ 198.757,18 em publicidade. Em valo- res proporcionais ao orça- mentodecadaórgão,aCâ- mara Municipal de Lagoa da Prata investiu em pu- blicidade 10 vezes mais do queaprefeitura. A publicidade, no âm- bito dos órgãos públicos, é exigência expressa da Constituiçãobrasileira,em diversosaspectos.Deacor- docomoadvogadoMarcos Antônio Soares, em artigo publicado na Revista Ju- rídica, tudo o que diga res- peitoaosórgãospúblicose suas respectivas funções deverá ter publicidade e transparência. “A publici- dade como princípio con- tém a exigência genérica depublicidade(darapúbli- co,veicular,informar,pres- tarcontas”,explicaSoares. DOISPESOSEDUAS MEDIDAS? Durante a votação do orçamento do município para o exercício de 2015, os vereadores de oposição Quelli Couto, Natinho e Ci- da Marcelino apresenta- ram uma emenda que es- tabeleceuolimitemáximo deR$20milparaqueapre- feitura gaste com publici- dade durante todo o ano. Em declaração publicada naúltimaediçãodoJornal Cidade,Quellidissequees- sevalorésuficienteparaa administraçãoinvestirem propaganda. Uma instituição da es- fera executiva, como uma prefeitura,emqualquerlu- gar do mundo, tem uma demanda muito maior do que uma entidade legisla- tivanoqueserefereemdi- vulgação de suas ações. A população precisa saber o que o vereador está pro- duzindo,quaisosrecursos queelebuscaparaacidade, comoestáseposicionando emrelaçãoaosprojetosim- portantes,masumaprefei- tura,porabrangertodasas áreas que influenciam di- retamente o cidadão, pos- suiumademandamaior.É compublicidadequeapre- feitura faz as campanhas educativas contra a den- gue,informasobreocalen- dário de vacinação, presta contas ao cidadão sobre onde o recurso público es- tásendoaplicado,avisaos paissobreocadastramen- toescolar,orientaaspesso- as sobre o consumo cons- cientedaáguaeorientaso- brealimpezaurbana.Apu- blicidadeénecessáriaede- veserfeitadeformaimpes- soal,profissionaletécnica. Vivemos em uma era da comunicação,naqualem- presas públicas e privadas precisamestaremtodosos meios possíveis para cha- maraatençãodoseuclien- teoupúblico-alvo. Istoposto,separaosve- readores R$ 20 mil anuais são suficientes para a pre- feitura investir em propa- ganda, espera-se que te- nham a responsabilidade de gastar muito menos do que isso com os seus pró- prios gastos com propa- ganda em 2015. Se os par- lamentaresforemcoeren- tescomoquevotam,aCâ- maranãopodegastarmais doqueR$555poranocom propaganda. Isso inviabi- lizaria a transmissão das reuniõespelorádio,consi- derada o principal palan- que eleitoreiro dos verea- dores. A presidente da Câ- mara estava em viagem na última semana. A re- portagem do JC protoco- lou na secretaria da casa, na última segunda-feira, um novo pedido de entre- vista para que a vereadora QuelliCoutoexplicasseco- moseriamosgastoscoma publicidade do Legislativo em 2015. Mas, até o fecha- mentodestaedição,nãoti- vemosoretorno. PREFEITURA CANCELA CARNAVAL Prudente, necessária e de bom senso foi a atitu- detomadapeloprefeitode Lagoa da Prata, Paulo Cé- sar Teodoro, com relação aocancelamentodocarna- val.Transcrevoaseguirum textoquepubliqueisobreo mesmo tema, em março de 2006: “O Brasil só fun- ciona depois do carnaval. E em Lagoa da Prata não é diferente. Não é difícil en- contrar comerciantes a se queixarem que a inadim- plência só cai a partir da folia. O cidadão gasta o di- nheiro do 13º salário com asfestasdefinaldedezem- bro ou com o pagamento das dívidas contraídas ao longo do ano anterior. Em janeiro e fevereiro junta as economias para gastar no carnaval. As contas só serão quitadas a partir de março. É um ciclo vicioso que somado a outros fato- resnegativosdãomargem paraquesediscutaoscus- tos/benefícios da realiza- çãodocarnavalemumaci- dadecomoLagoadaPrata. Acomeçar,nãopossuímos uma cultura carnavalesca que justifique o investi- mentodevultuososrecur- sos públicos na festa, co- mo por exemplo fazem as cidades de Olinda, Recife, OuroPreto,Diamantinaou RiodeJaneiro,ondeocar- naval está ligado às raízes etradiçõesdospovosdes- sascidades.Ocarnavalem LagoadaPratanãotemna- da de carnaval e de tradi- ção.Atualmenteéumafes- Gasto da Câmara foi de R$ 65 mil. Liderados pela presidente Quelli Couto, Natinho e Cida, vereadores estabelecem que R$ 20 mil por ano são suficientes para a prefeitura se comunicar com a população. Câmara de Lagoa da Prata gastou com publicidade 10 vezes mais que a prefeitura em relação ao orçamento de 2014 tacomoqualqueroutra,po- rém,comdimensõesmaio- res. A presença em dema- sia de música axé e funk são apenas um dos indi- cadores que comprovam a tese. Não há como negar queocarnavaldeLP,como qualqueroutragrandefes- ta, gere recursos sazonais paracomércios,empregos temporáriosefaturamento para promotores de even- tos. Também é evidente o aumentodacriminalidade, tráficodedrogaseincidên- cia de menores ingerindo bebidas alcoólicas ou se prostituindo”. Noveanossepassaram eestetextocontinuaatual. O carnaval em LP é ape- nas mais uma festa, po- rém, com grandes propor- ções: alegrias e diversão para uns, promiscuidade, drogas,incômodosefilhos sempaisparaoutros. E para não falarem que somoscontraafesta,sefos- se eu o prefeito desta cida- de,iriaterceirizaraorgani- zação do carnaval. Repas- saria a promoção da festa a quem seja do ramo, seja profissional do setor, e ofe- recesseumaatraçãoàaltu- ra do que a cidade merece, sem gastar recursos públi- cos.
  3. 3. ANO ii • Edição 42 30/01/2015 a 13/02/2015 www.jornalcidademg.com.br cidades4 ll Em parceria com a escola de dança Passo, o RotaractClubdeLagoada Prataestárealizandouma seletivacomcriançasca- rentes que terão acesso a aulas de dança nas mo- dalidades hip-hop, ba- lé, dança do ventre, ba- liza e jazz. Para partici- par do projeto “Dançando por um sonho” e recebe- rem a bolsa, as crianças deverão estar matricula- das em qualquer escola e obter as médias exigidas Rotaract oferece aulas de dança a crianças carentes lagoa da prata nas notas e frequência. As inscrições já estão sendo feitas e as vagas sãolimitadas.Ascrianças interessadas devem pro- curar a sede do Rotaract Club,naavenidaBenedito Valadares,44,apartirdas 17 horas. A Angel´s Grafi- ca (na esquina da aveni- daGetúlioVargascomrua Angelo Perilo) e o Studio Passos também estão re- alizando as inscrições. OJornalCidadeapoia essa iniciativa. Para participar do projeto e receberem a bolsa, as crianças deverão estar matriculadas em qualquer escola e obter as médias exigidas nas notas e frequência. Usuários da unidade de saúde do bairro Gomes também reclamam da demora em conseguir marcar uma consulta Mulher diz ter sido maltratada em atendimento médico no PSF lagoa da prata llASecretariaMunicipalde SaúdedeLagoadaPrataestá investigando denúncias de quealgunsmédicosdasuni- dadesdesaúdeestariamrea- lizando atendimento em su- asclínicasparticularesnoho- ráriodeserviçodoPSF.Nodia 6dejaneiro,aadministração municipaldeterminouqueto- dososprofissionaisdasunida- desdesaúdebatessemponto eletrônicoparacomprovarque estãotrabalhandooitohoras diáriasdetrabalhoconforme determinaocontratoassina- dojuntoaoMunicípio.“Rece- bemosalgumasreclamações eestamosinvestigandoacon- dutadealgunsmédicos.OMi- nistérioPúblicoeaPolíciaCi- vilestãocientes”,disseopre- feitoementrevistaconcedida àRádioVeredasFM. Amedidacontrarioumui- tosmédicos,quereagiram.An- tesdesseimpasse,ospacien- tesquefazemusodemedica- mentoscontínuosretiravam as suas receitas com as pró- prias enfermeiras, sem filas. No dia 12 de janeiro os médi- cosdecidiramquetodasasre- ceitasseriamobtidassomen- teapósumaconsultamédica, conforme determina a lei. A medidaprovocoulongasfilas deesperanasunidadesdesaú- de.Naúltimaterça-feiraforam feitos41atendimentosnauni- dadedobairroGomes.OJor- nalCidadeapurouquecercade 70%foramparaaconfecçãode receitas. NobairroGomes,osusuá- riosprecisamficarnafilade8h às13hparaagendarumacon- sultaparaodiaseguinte.Opro- cedimentogeroureclamações. AaposentadaEuláliaAmorim fazusodemedicamentoscon- troladoshámuitosanoseestá comdificuldadeparapegara receita.“Esperoqueninguém fiquecomraivademim,pois gosto de todo mundo lá (no PSF),masasituaçãoprecisa ser resolvida”. Marlúcia Fer- reirapublicouasuareclama- ção em uma rede social. “Os médicosestãodificultandoas consultasparaverseoprefei- tomudaacargahoráriadeoi- tohorasporqueelesnãoque- remtrabalhar”,disseFerreira. MAUSTRATOS “Euchegoláeeleficafa- lando que eu vou morrer. A gentelevaosexameseaoin- vésdeleincentivar,falaqueeu já deveria estar morta”. Com essas palavras, a usuária Lu- ciana desabafou à reporta- gem sobre a sua experiência noPSFdobairroGomes.Elaé portadoradediabetesefoien- caminhadaparatrataradoen- çaemSantoAntôniodoMon- te. “Como minha colega (Eu- lália)disse,estádifícilconsul- tarporqueelesdãonomáximo seisfichaspordia.Etemdia queagenteestáesperandoe eleligafalandoquenãopode- rávir”,reclamaLuciana. OOUTROLADO A reportagem do Jornal Cidadeconversoucomomé- dicoViniciusMaia,queaten- denoPSFdobairroGomes.Ele preferiunãogravarentrevis- ta, mas disse que a paciente Luciana pode ter interpreta- dodeformaequivocadaasua expressãoequeoseuobjetivo eraalertá-lacomrelaçãoàne- cessidadedecuidardasaúde. Com relação à exigência de consultas para a obten- çãodereceitas,omédicores- saltou que está cumprindo o que determina a resolução 1931/2009doConselhoFede- raldeMedicina. Segundoele,muitosmé- dicos estão trabalhando in- satisfeitos e poderão pedir demissãodoserviçonasuni- dadesdesaúdedoMunicípio. “Sexta-feira(30/01)serámeu últimodiadetrabalho”. O secretário municipal de Saúde Antônio Juarez de Castrodisseportelefoneàre- portagemqueconcordacom omédiconoque diz respeito aofornecimentode receitas. “Aspessoastêmumentendi- mentodequeoPSFésomente paraconsultas,masnãoque- remparticipardosgruposde hipertensos, dos diabéticos, das campanhas de vacina- ção. Quer é consultar. O cor- reto é pegar a receita com a avaliaçãodomédico.Elepre- cisaverseomedicamentoes- tátendooefeitodesejado.Ca- dacasotemqueserpontuado individualmente”. Juarez disse que até na última quarta-feira nenhum médicohaviapedidodemis- são.“Seelenãoquisertraba- lhar é um direito dele. Tem que dar o lugar para quem queira”. FOTO: juliano rossi Luciana e Eulália, moradoras do bairro Gomes, reclamam do atendimento no PSF local
  4. 4. ANO ii • Edição 42 30/01/2015 a 13/02/2015 facebook.com/jornalcidademg CIDADES 5 Forças de segurança temeram a superlotação da cidade durante a festa. LP poderia receber os foliões dos 13 municípios da região que cancelaram o carnaval Prefeitura de Lagoa da Prata cancela carnaval e alega falta de segurança lagoa da prata FOTO: Ascom LP llCom o cancelamen- to do carnaval em vários municípios da região, a prefeitura de Lagoa da Prata ficou com receio de que os foliões pudessem migrar em peso para a ci- dade, que não teria capa- cidade para comportar tantos turistas. De acor- do com o prefeito Paulo César Teodoro, o Minis- tério Público, as polícias Militar e Civil, e a Guar- da Civil Municipal fize- ram o alerta com relação à dificuldade de garantir tranquilidade e confor- to a tantas pessoas. “La- goa da Prata não tem es- sa estrutura para garan- tir a segurança e receber todo esse público. Sem contar que a Polícia Mili- tar não consegue aumen- tar o seu efetivo. Não po- demos colocar em risco a segurança de ninguém. Isso é uma questão de responsabilidade. Fora a saúde, que precisamos ter um suporte para aten- der as pessoas, além da população. Fazer um car- naval sem essa estrutura seria uma irresponsabi- lidade muito grande”, ex- plica o prefeito. Diferentemente dos outros municípios que cancelaram o carnaval, Lagoa da Prata não tem, até o momento, escassez de água e dinheiro. O se- cretário de Cultura e Tu- rismo, Júnior Nogueira, afirmou que a prefeitura reservou R$ 280 mil pa- ra investir na festa. Se- gundo ele, com o cance- lamento os recursos se- rão empenhados em ou- tros eventos públicos. O promotor de justiça Luiz Augusto de Rezende Pena avalizou a decisão da administração muni- cipal. “A bem da prudên- cia e do bom senso, pa- rabenizo o prefeito Pau- linho pela decisão toma- da, no sentido de limitar as festividades carnava- lescas em Lagoa da Pra- ta. O cenário, de fato, não favorece, não só pelos riscos generalizados de falta d´água, atual ou imi- nente, mas também dos outros riscos que pode- riam vir a ser suportados pelo Município, em razão da excessiva aglomera- ção de pessoas advindas das cidades vizinhas que entenderam por bem su- primir, por completo, a realização do carnaval neste ano de 2015”, afir- ma. FESTA ALTERNATIVA Durante os dias de carnaval, a prefeitura de Lagoa da Prata irá pro- mover um festival de cul- tura na Praia Municipal, com a participação de bandas e artistas locais, oficinas de arte, campeo- nato de slackline e a elei- ção da rainha do carna- val e do rei momo. A pro- gramação será realizada de 10h às 18h. NA REGIÃO O cancelamento do carnaval afetou 13 cida- des da região centro-oes- te do Estado. Os municí- pios Carmópolis de Mi- nas, Itaguara, Itapeceri- ca, Oliveira e São Gonça- lo do Pará alegaram pro- blemas hídricos. As pre- feituras de Passa Tem- po, Carmo da Mata, Ma- teus Leme, Formiga, San- ta Maria de Itabira, Arcos, Piracema, São Francisco de Paula e Cláudio cance- laram a festa por motivos financeiros. o prefeito Paulo César Teodoro e o vice prefeito Roberto em entrevista para rádio veredas
  5. 5. ANO ii • Edição 42 30/01/2015 a 13/02/2015 www.jornalcidademg.com.br cidades6 Em 2015, até a última quarta-feira, Vigilância Sanitária registrou 83 casos suspeitos LP tem dois casos confirmados de dengue lagoa da prata FOTOS: Ascom LP ll Lagoa da Prata regis- trou 83 casos notificados como suspeitos e dois confirmados de dengue até 28 de janeiro. De acor- do com o LIRA (Levanta- mento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti), 92% dos focos fo- ram encontrados em resi- dências e comércios; e 8% em terrenos baldios. De acordo com o coor- denador da Vigilância Sa- nitária, Geraldo de Almei- da, cidades no entorno de Lagoa da Prata estão ten- do um número muito ele- vado de casos, inclusive com dengue hemorrági- ca, o que reforça o alerta para combater os focos. “Precisamos do compro- metimento dos mora- dores de Lagoa da Prata para nos ajudar a cuidar destes criadouros, haja visto que 92% dos focos do mosquito transmis- sor da dengue e da chi- cungunya estão nas resi- dências ou comércios. Is- so demonstra que há um descuido da população”, afirmou. Geraldo ainda ressal- tou que quando se fala de criadourofala-setambém de qualquer lugar que seja vulnerável para abrigar o mosquito (ralinho de ba- nheiro, caixa de passa- gem de água, vasilhas, la- tas, tampas, frascos pets, ou seja, qualquer vasilha que deveria ter sido des- cartada e ficou jogada no quintal). “É importante a população saber que não é só no momento que tem água que existe este ris- co, pois o mosquito vai e deposita os ovos mes- mo em lugares secos. E quando chove, esses ob- jetosenchemdeáguaeos ovos vão eclodem dando origem às larvas. Esses ovos podem ficar até um ano encubados, por isso é importante eliminar os criadouros”, frisou. Em Lagoa da Prata os números maiores de no- tificações e positividade estão nos bairros Marília e Chico Miranda. “Isso se deve a proporcionalidade de pessoas existente ns nos bairros. Não obstan- te, o resto da cidade tam- bémpossuimuitasnotifi- cações. Peço apenas que a população esteja emi- nentemente de olho nos possíveis focos e que, se possível, que entre em contato com a Vigilância Sanitária caso precise de nossa orientação e visita, além das visitas rotinei- ras”, afirmou.agentes intensificam a fiscalização contra os focos do mosquito da dengue
  6. 6. ANO ii • Edição 42 30/01/2015 a 13/02/2015 facebook.com/jornalcidademg CIDADES 7 Outros 63 municípios estão em situação de iminente colapso e outras 23 apresentam problemas. Os dados são das cidades com concessão da Copasa. llCidades do interior de Minas Gerais também es- tão sofrendo com a cri- se hídrica que o estado vive. Moradores de pe- lo menos 88 municípios que têm concessão com a CompanhiadeSaneamen- to do Estado de Minas Ge- rais (Copasa) já sentem na pele a falta de água. Des- tes, dois já estão em situa- ção de colapso, 63 em imi- nente colapso e outras 23 apresentam problemas. Emrelaçãoascidadesque tem sistemas de abaste- cimento autônomo, 50 já estão em racionamento e outras 13 iniciaram rodí- zio. Os dados foram divul- gados na tarde desta sex- ta-feira durante a coletiva do governador Fernando Pimentel (PT). Nos municípios sem a concessão da Copasa a si- tuação não é diferente. Ao todo,99dos224domunicí- pios que têm o serviço au- tônomo,estãoemsituação ruim ou perto disso. “Pode até parecer baixo o núme- ro, mas é bom lembrar que dentro das 63 cidades que já tomaram as medidas emergenciais, tem muni- cípios de grande porte co- mo Juiz de Fora, Viçosa e Tupaciguara”, comentou o governador. Vejaabaixoalistadosmu- nicípiosatingidospelaCo- pasa COLAPSO Campanário e Urucânia IMINENTE COLAPSO Urucuia, Várzea da Palma eBarra,CamposAltos,Ara- xá, Conquista, Iraía de Mi- nas,Frutal,Paracatu,Prata, Rio Paranaíba, Astolfo Du- tra, Carandaí, Rodeiro, Ca- choeira de Minas, Campa- nha, Campos Gerais, Can- deias, Cristais, Itamonte, Lavras, Piranguçu, Piran- guinho, São Francisco de Paula, São José da Barra, São Tiago, Abaeté, Arcos, Bom Despacho, Cedro do Abaeté, Congonhas, Con- selheiro Lafaiete, Entre Rios de Minas, Igaratinga, Itapecerica, Lagoa Doura- da, Luz, Neolândia, Ouro Branco, Perdigão, Pieda- dedosGerais,SantoAntô- nio do Monte, São Brás do Suaçuí,SãoGonçalodoPa- rá,Alpercarta,Virgolândia, Água Boa, Malacacheta, Novo Cruzeiro, Paulistas, Poté, Rio Vermelho, San- ta Maria do Suaçuí, Sena- dor Modestino Gonçalves, Arinos, Brasília de Minas, Cristália, Ibiracatú, Distri- tosdeIbiracatu,Jaíba,Dis- trito de Janaúba, Montes Claros, Taiobeiras. APRESENTAPROBLEMAS Medina,Esmeraldas,Jabo- ticatubas, Pará de Minas, Ravena, Dionísio, Congo- nhas (distritos), São Gon- çalo do Sapucaí, Nazare- no, Divisa Nova, Visconde do Rio Branco, Santa Mar- garida,SantanadoDeserto, Ubá,EsperaFeliz,Madrede Deus de Minas, Porto Fir- me, Resende Costa, Ritá- polis,BarãodoMonteAlto, Barbacena, Barroso, Bom Jardim de Minas. Fonte: Estado de Minas Samonte está entre as cidades que devem entrar em colapso por falta de água s. a. do monte FOTOs: Arquivo jornal cidade
  7. 7. ANO ii • Edição 42 30/01/2015 a 13/02/2015 www.jornalcidademg.com.br cidades8 llA AssembleiaLegislati- vadeMinasGeraisdeclarou, atravésdaLeinº21511/2014,a AssociaçãodosCatadoresde MateriaisRecicláveisdeSan- toAntôniodoMonte–ASCA- SAM,comsedenomunicípio deSantoAntôniodoMonte, uma entidade de Utilidade Pública. De acordo com a auto- ra do projeto, a secretária ASCASAM recebe título de Utilidade Pública Estadual s. a. do monte do Meio Ambiente Jaqueli- ne Rodrigues e o ex-depu- tado Estadual Neider Mo- reira, que assinou e deu en- tradadomesmonaAssem- bleia Legislativa de Minas, estaconquistatraráumasé- riedebenefíciosparaaenti- dadeeseuscatadores,como a isenção do pagamento de impostoetaxasestaduais,ta- rifasdecartório,IPVAdoca- minhãodentreoutros. Aleientrouemvigornadata desuapublicação,em27de novembrode2014. Aassociaçãoestáaptaare- ceber subvenções e outros recursosfinanceiros doEs- tado,dinheiroquedeveráser aplicadonareformademe- lhoriasemsuasedeprópria, manutençãoepagamentos dacoletaseletiva. FOTO: ASCOM SAMONTE
  8. 8. O QUE É Responsabilidade Social COMUNIDADE FILAnTROPIA meio ambiente Fonte: Cartilha FIEG/Sebrae tos e serviços. Hoje, as empresas de- vem investir no perma- nente aperfeiçoamento de suas relações com todos os públicos dos quais de- pendem e com os quais se relacionam: clientes, for- necedores, empregados, parceiros e colaborado- res. Isso inclui também a comunidade na qual atua; o governo, sem perder de vista a sociedade em ge- ral;eomeioambientesem a degradação e preserva- ção. Fabricar produtos ou prestar serviços que não degradem o meio am- biente, promover a inclu- são social e participar do desenvolvimento da co- munidade de que fazem parte, entre outras inicia- tivas, são para as empre- sas, diferenciais cada vez mais importantes na con- quista de novos consumi- dores ou clientes. ÉTICA - Ética é a ba- se da Responsabilidade Social e se expressa por meio dos princípios e va- lores adotados pela orga- nização. Não há Respon- sabilidade Social sem ética nos negócios. Não adianta uma empresa, por um lado pagar mal seus funcionários, corrom- per a área de compras de seus clientes, pagar pro- pinas a fi scais do gover- no e, por outro, desenvol- ver programas junto a en- tidades sociais da comu- nidade. Essa postura não condiz com uma empresa que quer trilhar um cami- nho de Responsabilidade Social. É importante se- guir uma linha de coerên- cia entre ação e discurso. A Responsabilida- de Social Empresarial (RSE) tornou-se fator de competitividade para os negócios. No passado, o que identificava uma em- presa competitiva era ba- sicamente o preço de seus produtos. Depois, veio a onda da qualidade, mas ainda focada nos produ- A relação que uma empresa tem com sua comuni- dade de entorno é um dos principais exemplos dos va- lores com os quais está comprometida. Respeito aos costumes e à cultura local, contribuição em projetos educacionais, em ONGs ou organizações comunitá- rias, destinação de verbas a instituições sociais e a di- vulgação de princípios que aproximam seu empreen- dimento das pessoas ao redor são 15 A Responsabili- dade Social Empresarial uma Ferramenta de Gestão de Negócios Sustentáveis e Competitivos algumas das ações que demonstram o valor que sua empresa dá à comunidade: Geral: identifique os problemas e busque soluções conjuntas; recrute funcionários em comunidades po- bres; conscientize e mobilize seus funcionários; faça parceria com outras empresas; outra boa idéia: ado- te um projeto específi co; instale-se em comunidades pobres; Filantropia: faça doações de seus produtos ou ser- viços; Educação: ofereça apoio às escolas locais; faça par- ceria com uma escola; faça doações de equipamento usado ou excedente; crie intercâmbio com uma escola. A disposição e boa vontade das empresas em contri- buir com pessoas e comunidades são sempre elogiáveis. Mas as iniciativas de caráter filantrópico não devem ser confundidas com práticas de responsabilidade social.As diferenças são evidentes.Afilantropia é basicamente uma ação assistencialista, pontual, de resultado imediato, que beneficia tanto um único indivíduo quanto um grupo de pessoas ou uma instituição. Diferente das práticas de Res- ponsabilidade Social Empresarial, a filantropia indepen- de de um projeto estruturado e relacionado aos negócios de seu patrocinador. A responsabilidade social é focada na cadeia de ne- gócios da empresa e engloba preocupações e iniciativas com um público maior (acionistas, funcionários, presta- dores de serviços, fornecedores, consumidores, comu- nidade, governo e meio ambiente), cuja demanda e ne- cessidade a empresa deve buscar entender, incorporar e alinhar a seus negócios.AResponsabilidade Social Em- presarial deve ser encarada como ferramenta de gestão de negócio sustentável e competitivo. Gerenciar com responsabilidade ambiental é procu- rar reduzir as agressões ao meio ambiente e promover a melhoria das condições ambientais.As empresas, de um modo ou de outro, dependem de insumos do meio am- biente para realizar suas atividades. É parte de sua res- ponsabilidade social evitar o desperdício de tais insumos, adotando práticas sustentáveis. Ser Socialmente Responsável é Fator de Com- petitividade.
  9. 9. SICOOB CREDIPRATA Soluções financeiras e qualidade de vida Parcerias e projetos sociais NOSSA MISSÃO NOSSA VISÃO NOSSOS VALORES projetos para 2015 O SICOOB CREDI- PRATA é uma cooperati- va de crédito que, além de possuir excelentes soluções financeirasedeserviçospa- ra seus associados, partici- pa da construção da quali- dade de vida das comunida- des em que está inserida. Suas ações acontecem em diversas frentes, pos- sibilitando a realização de projetos e eventos em bene- fício da sociedade e a valo- rização da cidadania. Seja realizando inicia- tivas próprias ou no apoio a programas sociais de- senvolvidos em parce- ria com outras entidades, Gerar soluções financeiras adequadas e sustentáveis, por meio do cooperativismo, aos associados e às suas comu- nidades. Ser reconhecido como a principal Instituição Financei- ra propulsora do desenvolvimento econômico e social dos associados. Transparência Comprometimento Respeito Ética Solidariedade Responsabilidade Neste ano, daremos continuidade as parcerias realiza- das em 2014 e estaremos ainda mais atentos e motiva- dos a importância de desenvolver e apoiar as ações so- ciais que serão realizadas nas comunidades. Estamos com um calendário voltado para ações específicas pa- ra cada localidade, inclusive a realização do 2º Semi- nário empresarial. o SICOOB CREDIPRA- TA sempre busca difundir a cultura da cooperação, acreditando que, mais do que doar, é essencial criar condições para que os cida- dãos possam capacitar-se e crescer. A partir desta perspec- tiva, desenvolve diversas ações em prol do bem-es- tar das comunidades onde atua e os resultados posi- tivos destas ações, contri- buem de forma real para a formação de pessoas cons- cientes de seu papel social e comprometidascomacons- trução de um mundo cada vez melhor. Projeto Meninos dos meus olhos, realizado pe- laAMAVI; Ginástica da 3ª idade, realizado pela Se- cretaria de Desportos da Prefeitura Municipal de Lagoa da Prata; Associa- ção de Combate ao Cân- cer do Centro Oeste de 1º SEMINÁRIO EMPRESARIALEM LP FESTAJUNINAEM ESTEIOSBLITZ DACOPA CAFÉ EMPRESARIALEM MOEMA 1º SEMINÁRIO EMPRESARIALEM MOEMA 1º SEMINÁRIO EMPRESARIALEM JAPARAÍBA Minas; Associação Fe- minina de Recuperação de Lagoa da Prata; Asso- ciação de FutebolAmador Cuidar e Educar de Mo- ema; Futebol Madrugada Esporte Clube de Japara- íba; Associação Francis- co deAssis,Apaes, Clube dos Cavaleiros, Sindicato Rural, Rotaract Clube La- goa da Prata, Apoio Cul- tural Artista Plástico He- leno Nunes, Projeto Bal- de Cheio, Lagoa da Pra- ta Solidária, ACE/CDL, SEBRAE, eventos e fei- ras culturais de escolas, festas religiosas, Pastoral da criança.
  10. 10. Condutas e decisões cotidianas são resultados de va- lores e princípios que uma empresa tem. Ser socialmente responsável é atender às expectativas sociais, com trans- parência, mantendo a coerência entre o discurso e a prá- tica. Este compromisso serve de instrumento para a exis- tência de um bom relacionamento da empresa com os pú- blicos com os quais se relaciona. Empresas que valorizam seus funcionários valorizam, naverdade,asimesmas.Aempresasocialmenteresponsá- vel procura fazer mais, além de respeitar os direitos traba- lhistas. Neste segundo passo, você encontrará idéias que vêmsendoaplicadascomsucessonoaperfeiçoamentodas relações empregado–empresa. Conheça-as e tire partido daquelas que se aplicam às atuais condições de sua em- presa. Importante: não abra mão de um contato mais di- reto com as pessoas que fazem a sua empresa. Ouvi-las, atendê-las na medida do possível e incentivar a iniciativa e a participação de cada uma delas vão acelerar o proces- so de qualificação de sua empresa como socialmente res- ponsável. Gerenciar com responsabilidade ambiental é procurar reduzir as agressões ao meio ambiente e promover a me- lhoria das condições ambientais.As empresas, de um mo- do ou de outro, dependem de insumos do meio ambiente para realizar suas atividades. É parte de sua responsabili- dade social evitar o desperdício de tais insumos (energia, matérias-primas em geral e água). Colocar o lixo em lo- cal e forma apropriados (coleta seletiva), reduzir o baru- Adote valores e trabalhe com transparência1 vALORIZE EMPREGADOS E COLABORADORES2 fAÇA SEMPRE MAIS PELO MEIO AMBIENTE3 ENVOLVA PARCEIROS E FORNECEDORES4 PROTEJA CLIENTES E CONSUMIDORES5 PROMOVA SUA COMUNIDADE6 COMPROMETA-SE COM O BEM COMUM7 SUA EMPRESA PODE Passo a Passo da RSEde Social Empresarial vem crescendo muito no Brasil. Já é significativo o número degrandesemédiasempre- sas que selecionam forne- cedores(microepequenos) utilizando critérios da RSE nos negócios. Também no acesso aos créditos e finan- ciamentos é crescente a in- corporação de critérios de gestão responsável. A im- prensa está cada vez mais fiscalizadora e os consu- midores, por sua vez, mais exigentes. O Instituto Ethos e Se- brae elaboraram uma carti- lha contendo as sete diretri- zes da responsabilidade so- cial empresarial, um passo a passo para empresas ade- rirem a RSE.Acartilha po- de ser obtida junto as duas organizações. Nesta pági- na é apresentada a base pa- ra a implantação que parte de sete princípios. A Responsabilidade Social Empresarial (RSE) não é algo relacionado so- mente a grandes empresas. As de menor porte também podem, e deveriam, adotar práticas socialmente res- ponsáveis. Fabricar produtos ou prestar serviços que não degradem o meio ambien- te, promover a inclusão so- cial e participar do desen- volvimento da comunida- dedequefazemparte,entre outras iniciativas, são dife- renciais cada vez mais im- portantes para as empresas na conquista de novos con- sumidores ou clientes. Pelo retorno que traz – em termos de reconheci- mento (imagem) e melho- res condições de competir nomercado,alémdecontri- buir substancialmente para o futuro do país –, o movi- mento da Responsabilida- lho na vizinhança, incentivar a economia de energia não são apenas formas de reduzir o impacto ambiental. Inicia- tivas como essas são também fontes geradoras de lucro e de ganhos de imagem.Aconscientização leva a empresa a desenvolver ações de preservação ambiental.Tal atitu- de deve ser sua retribuição pelo uso dos recursos que reti- ra da natureza e pelos danos que podem ser causados por suas atividades.Campanhas, bem como a participação em iniciativas de educação ambiental, são ações que a empre- sa pode executar, contribuindo para a melhoria da quali- dade de vida no local em que vivemos. Todo empreendimento socialmente responsável de- ve estabelecer um diálogo com seus fornecedores, sendo transparente em suas ações, cumprindo os contratos esta- belecidos, contribuindo para seu desenvolvimento e in- centivando os fornecedores para que também assumam compromissos de responsabilidade social. É importan- te divulgar seus valores pela cadeia de fornecedores, em- presas parceiras e serviços terceirizados. Pode-se adotar como critério de seleção de parceiros a exigência de que os empregados de serviços terceirizados tenham condi- ções de trabalho semelhantes às de seus próprios funcio- nários. Enfim, a empresa deve evitar terceirizar serviços para organizações nas quais haja degradação das condi- ções de trabalho. Procedimentosderesponsabilidadesocialnotratocom consumidores e clientes são essenciais. Desenvolver pro- dutos e serviços confiáveis em termos de qualidade e se- gurança, fornecer instruções de uso e informar sobre seus riscos potenciais, eliminar danos à saúde dos usuários são ações muito importantes, visto que a empresa produz cul- tura e influencia o comportamento de todos. A empresa socialmente responsável oferece qualidade não apenas durante o processo de venda, mas em toda a sua rotina de trabalho. Faz parte de suas atribuições promover ações que melhorem a credibilidade, a eficiência e a segurança dos produtos e serviços, observando padrões técnicos ca- bíveis como, por exemplo, as normas da ABNT, as pres- crições da Vigilância Sanitária e o Código de Defesa do Consumidor. A relação que uma empresa tem com sua comunida- de de entorno é um dos principais exemplos dos valores com os quais está comprometida. Respeito aos costumes e à cultura local, contribuição em projetos educacionais, em ONGs ou organizações comunitárias, destinação de verbas a instituições sociais e a divulgação de princípios que aproximam seu empreendimento das pessoas ao re- dor são algumas das ações que demonstram o valor que sua empresa dá à comunidade. Um entrosamento saudá- vel e dinâmico com os grupos representativos locais na busca de soluções conjuntas para os problemas comuni- tários fará do seu empreendimento um parceiro da comu- nidade, reconhecido e considerado por todos. sso: como fazer de seu empreendimento um parceiro da O relacionamento ético com o poder público, assim como o cumprimento das leis, faz parte da gestão de uma empresa socialmente responsável. Ser ético, nesse caso, significa cumprir as obrigações de recolhimento de im- postos e tributos, alinhar os interesses da empresa com os da sociedade, comprometer-se formalmente com o com- bate à corrupção, contribuir para projetos e ações gover- namentais voltados para o aperfeiçoamento de políticas públicas na área social etc. Em resumo: contribuir decisi- vamente para o desenvolvimento de sua região e do país.
  11. 11. SOMMUS SISTEMAS Uma empresa socialmente responsável! Sommus muito mais amor NOSSA MISSÃO PROjETOS PARA 2015 ASOMMUS SISTEMAS nasceu em 2001, do sonho de três empreendedores, Regi- naldo José Silva, Paulo Ro- berto Agostinho Pereira e Ge- raldo Majela doAmaral. O in- tuito era construir uma empre- sadedicadaaodesenvolvimen- toecomercializaçãodesoftwa- res e equipamentos para auto- mação comercial. Atualmen- te, são mais de 60 colaborado- res engajados e comprometi- dos em gerar produtos e servi- ços de altíssima qualidade, fo- cadosnasnecessidadesdeseus clientes,principalmentedosse- toressupermercadistas,depos- tosdecombustíveis,farmácias, autopeçasevarejistasemgeral. Osprodutosdesenvolvidos buscamoferecerqualidade,ob- jetividade,facilidadedeopera- ção,estabilidade,segurança,re- gularidade fiscal e apoio na to- madadedecisõesdeseusclien- Desenvolver produtos e serviços de tecno- logia da informática com excelência em quali- dade, buscando sempre a satisfação de nossos clientes, usuários e colaboradores. Ser reconhecido como o melhor e mais com- prometido prestador de serviços e soluções na área de Tecnologia da Informação do Brasil. Comprometimento, integridade, responsabili- dade, persistência, coerência, honestidade, sin- ceridade, ética e compromisso com a excelên- cia. Uma empresa so- cialmente responsável é aquela que gerencia seus programas e pro- jetos sociais tendo em mente suas estratégias de negócio. É visível o alinhamento das inicia- tivas da Sommus Siste- mas e sua atuação em açõesquereafirmaoseu compromissojuntoàso- ciedade. ASommusSistemas reconhece sua impor- tância para a sociedade emanterá açõessociais periódicascomoobjeti- vo de levar sorriso e es- perança para a popula- çãodeLagoadaPrata. Tais objetivos con- tinuarão em 2015, sen- do traduzidos em pro- gramas e projetos con- cretos que contribuirão comaqualidadedevida dasfamíliasdeLagoada Prata e com o meio am- biente. tes. Baseado nessas premissas, aempresavemsedestacandoe conquistando clientes em todo Brasil, atuando de maneira in- dependenteecomparceirosco- merciais. Sua história comprova que todo o seu crescimento é con- sequência do aperfeiçoamento contínuo, da qualidade de seus serviços, da ampliação de seu portifólio de produtos e servi- ços, sempre fundamentados na ética,idoneidadeecumprimen- to dos compromissos assumi- dos. ASOMMUS SISTEMAS tem uma postura socialmente responsável e incorpora às su- asatividades,atitudesquevalo- rizam a sociedade, o meio am- bienteeacomunidadeondees- táinserida.Entreasaçõesestão patrocíniosculturais,doaçõesa entidades, apoio a projetos so- ciais e culturais. COPADASOLIDARIEDADE ASommusSistemaspromoveunosmesesdejunhoejulhono ano de 2014, uma campanha para arrecadação de alimentos e ma- teriaisdehigieneparaaentidadeS.O.SdeLagoadaPrata. ACopa da Solidariedade foi realizada no mesmo período do mundialdoBrasileenvolveuumaequipedeaproximadamente60 funcionários,alémdefamiliares,amigoseclientesdaempresa. Fo- ram arrecadados alimentos, cobertores, produtos de limpeza, cos- méticos, entre outros, que foram entregues no dia 05 de julho de 2014,comarealizaçãodeumafestajulinapromovidapelaempre- sanolardeidosos. Oscolaboradoreseidealizadoresdacampanhapuderamresu- mira“CopadaSolidariedade”emduaspalavras:luzegratidão.Luz éoquenotaramnosolhosdetodosqueparticiparamdestacampa- nha e tiveram o prazer de ajudar. E gratidão, sentimento mais con- fortantequepuderamreceberdetodososmoradoresdoSOS. Aofinaldacampanhaeentregadosprodutosarrecadadosres- touatodosacertezadeumtrabalhobemfeitoededevercumprido. DOAÇÃOAMAVI Aempresaeseuscolaboradoresauxiliammensalmentenamanutenção eincentivoaprojetosrealizadospelaentidadeAMAVI(AssociaçãoMuni- cipaldeApoioàsVítimasdaViolência)nomunicípiodeLagoadaPrata,que desenvolveprogramasdeprevençãoàviolênciaemedidassocioeducativas. CAMPANHASER CRIANÇA A Sommus Sistemas acredita que a única forma de crescer com responsabilidade é retornar para a sociedade parte daquilo que recebemos dela. Por esta razão, a empresa realizou no dia 12 de outubro de 2014, a Campanha “Ser Criança”.Afesta aconte- ceu no Salão Santa Clara, bairro Marília, onde além da distribui- ção dos presentes para as crianças,foram realizadas várias ati- vidades educativas com jogos, brincadeiras, pinturas, teatro de fantoches, show musical e um lanche. Contou com a parceria de outras empresas igualmente responsáveis com a questão so- cial: Mercearia do Lazinho, Supermercado Ki Barato, Territó- rioAnimal,Autopeças Santa Edwirges, JVPneus, Sacola Cheia, AçouguedoGoiano,SuperFesta,SupermercadoBarateiro,Me- gaUtil, TôChik e diversos voluntários que contribuíram para o sucesso do evento, sendo eles os colaboradores Sommus, Leo Clube, Grupo de jovens JUPAC, Clarisce Gontijo,Alana Débo- ra, Jennifer Roberta e a Paróquia São Francisco. NOSSA VISÃO NOSSOS VALORES OUTUBRO ROSAE NOVEMBROAZUL Em2014,duranteosmesesde outubroenovembro,emalusãoao Outubro Rosa e NovembroAzul, respectivamente, a Sommus Sis- temas com objetivo de promover uma melhoria na qualidade de vi- dadasociedadeeatuardemaneira preventiva, aderiu às campanhas. Usouasuafanpageeoutroscanais decomunicaçãoparaalertarasmu- lheres sobre a importância da pre- venção do câncer de mama e colo deútero,bemcomo,conscientizar os homens sobre a prevenção do câncer de próstata.
  12. 12. TODOS DEVEM Dar destino correto ao lixo O QUE É RECICLÁVEL como separar o lixo O QUE NÃO VAI PARA O LIXO RECICLÁVEL embalagens MISTAS, FEITAS DE PLÁSTICO E METAL, METAL E VIDRO E PAPEL E METAL saiba mais truturanecessáriaparadar uma destinação adequada a qualquer resíduo sólido (oqueantigamentesecha- mavadelixo).Parachegar lá, no entanto, será preci- so agir nas áreas política, econômica, ambiental, cultural e social, com me- tas e prazos definidos. Este processo está em an- damentoequemaindanão adota práticas de separa- ção e destinação correta do seu lixo deve começar a pensar nisso. A medida, que para empresas se en- caixa dentro da suas obri- gações dentro da respon- sabilidade social, para o cidadão é um ato de cida- dania, preocupação com o meio ambiente e com o restante da sociedade. Aentrada em vigor, no final de 2010, da Política Nacional de Resíduos Só- lidos (PNRS), que ficou por quase 20 anos trami- tando no Congresso Na- cional, vai transformar a maneiracomoasociedade serelacionacomseusresí- duos. O que antes era ge- nericamentetratadocomo “lixo”, agora tem valor e deve servir como base pa- ra a construção de novas cadeias de valor e novos negócios. As pessoas vão deixar de ter uma relação mágica com o lixo. O que antesbastavasercolocado emumsaquinhoedeixado na calçada, agora precisa ser separado e ter destina- ção correta. A PNRS estabelece prazo até 2020 para que o Brasil tenha toda a es- Papel-carbono, eti- queta adesiva, fita crepe, guardanapos, fotografias, filtro de cigarros, papéis sujos, papéis sanitários, copos de papel. Cabos de panela e tomadas. Clipes, grampos,esponjasdeaço, canos. Espelhos, cristais, cerâmicas, porcelana. Pi- lhas e baterias de celular devem ser devolvidas aos fabricantesoudepositadas em coletores específicos. Nas compras, prefira embalagensmaissimples. Mas, se não tiver opção, desmonte-a separando as partes de metal, plástico e vidro e deposite-as nos coletores apropriados. No caso de cartelas de com- primidos, é difícil des- grudar o plástico do papel metalizado, então descar- te-as junto com os plásti- cos. Faça o mesmo com bandejas de isopor, que viram matéria-prima pa- rablocosdaconstruçãoci- vil. Papéis:todos ostipossãorecicláveis,inclu- sive caixas do tipo longa-vida e de papelão. Não recicle papel com material orgânico, co- mo caixas de pizza cheias de gordura, pontas de cigarro, fitas adesivas, fotografias, papéis sanitários e papel-carbono. Plásticos: 90% do lixo produzido no mun- do são à base de plástico. Por isso, esse mate- rial merece uma atenção especial. Recicle sa- cosdesupermercados,garrafasderefrigerante (pet), tampinhas e até brinquedos quebrados. Vidros:quandolimposesecos,todossãore- cicláveis, exceto lâmpadas, cristais, espelhos, vidros de automóveis ou temperados, cerâmi- ca e porcelana. Metais: além de todos os tipos de latas de alumínio, é possível reciclar tampinhas, pre- goseparafusos.Atenção:clipes,grampos,ca- nos e esponjas de aço devem ficar de fora.em matéria-primaparablocosdeconstruçãocivil. É reciclável todo o resíduo descartado que constitui interesse de transformação de partes ou o seu todo. Esses materiais pode- rão retornar à cadeia produtiva para virar o mesmo produto ou produtos diferentes dos originais. Por exemplo: Folhas e aparas de papel, jornais, revistas, caixas, papelão, PET, recipientes de limpeza, latas de cerve- ja e refrigerante, canos, esquadrias, arame, todos os produtos eletroeletrônicos e seus componentes, embalagens em geral e ou- tros. Não misture recicláveis com orgânicos - sobras de alimentos, cascas de frutas e le- gumes. Coloque plásticos, vidros, metais e papéis em sacos separados. Lave as emba- lagens do tipo longa vida, latas, garrafas e frascos de vidro e plástico. Seque-os antes de depositar nos coletores. Papéis devem estar secos. Podem ser dobrados, mas não amassados. Embrulhe vidros quebrados e outros materiais cortantes em papel grosso (do tipo jornal) ou colocados em uma cai- xa para evitar acidentes. Garrafas e frascos não devem ser misturados com os vidros planos.
  13. 13. GRUPO MINASPREV INVESTIMENTO NO SER HUMANO RESPONSABILIDADE SOCIAL projetos para 2015 O Grupo Minasprev é uma empresa dife- rente. A empresa vem apresentando acentua- do crescimento na me- dida em que propor- ciona a seus clientes e comunidade mais be- nefícios. Os trabalhos começaram em 1996, DIADACRIANÇAS O Grupo Minasprev realizou em parceria com os seus clientes uma campanha de arrecadação de brin- quedos. Três entidades foram beneficidas: a Apae, a AssociaçãoSaraAparecidaeoSopãoObrasdeMaria e São Miguel Arcanjo. “Com a correria do dia-a-dia as pessoas acabam não se dando conta da importân- cia de olhar para o próximo e trabalhar por uma causa comum. E foi por isso que mobilizamos a população, que recebeu com prontidão e abraçou essa causa. Foi um trabalho muito gratificante”, afirma o diretor Die- goAlarcón. CAMPANHADE NATAL Acampanha de Natal organizada pelo Grupo Minas- prev consistiu na arrecadação de alimentos, em uma açãoqueenvolveuacomunidadeetodososcolabora- dores. Foram distribuídas mais de 200 cestas básicas afamíliascarentes.OpresidentedoGrupoMinasprev, ÉricoRicardoMatucuma,agradeceuaparticipaçãoda população e o envolvimento de todos os colaborado- res da empresa. “Nossos agradecimentos são para a população de Lagoa da Prata, em especial aos nossos associados, que sempre contribuem com nossos pro- jetos sociais.Agradecemos aos nossos colaboradores que se empenharam e trabalharam com empenho no intuitodecontribuirparaosorrisodemuitascrianças, de muitos idosos e de muitas famílias. O nosso muito obrigado também vai para as instituições que nos re- ceberam de portas abertas para que fizéssemos as do- ações.Atodos, nosso muito obrigado pela parceria de sempre”, finaliza Érico. CAMPANHADOAGASALHO Durante o inverno, o Grupo Minasprev realizou a campanha do agasalho. Três instituições de Lagoa da Prata foram contempladas com as doações dos asso- ciadosedaempresa.OLarVicentinorecebeumaisde 300 peças de roupas. “Desde o início, o grupo Minas- prev é um parceiro atuante da Sociedade São Vicente dePaulo.Acadaanoaparticipaçãodogrupotrazmais benefícios, nos ajuda com material de higiene, medi- camentos, utensílios, roupas e calçados. Só temos a agradecer”, disse o diretor do Lar,Aloísio Magno. quando o empresário Érico Ricardo Matucu- ma, natural de Guaíra, interior de São Paulo, decidiu montar a Fu- nerária São Francisco. Desde então, o grupo foi tomando forma com o Plano de Assistência Familiar Minasprev, NOSSA MISSÃO NOSSA VISÃO NOSSOS VALORES Oferecer serviços especializados com excelência no aten- dimento. Ser a maior empresa de atendimento familiar no Brasil. Ética Qualidade Comprometimento Credibilidade ABERTURADE POSTO DE COLETADO LABO- RATÓRIO MINASPREV EM SANTOANTÔNIO DO MONTE Já está em fase de desenvolvimento a abertura do posto de coleta na cidade de Santo Antônio do Mon- te. A documentação está tramitando e o projeto já es- tá adiantado. Em breve os associados do Plano Minas- prev/Funerária São Francisco e toda a população da ci- dade poderão contar com uma unidade do Laboratório Minasprev em Santo Antônio do Monte, tendo acesso a exames feitos com o mais elevado padrão de quali- dade e com preço justo. Os clientes de Santo Antônio do Monte que vão a Lagoa da Prata realizar os seus exames, poderão ter o conforto e a comodidade de fazer todos os procedimen- tos em sua cidade. MEDICAMENTO EM CASA Com o aumento dos clientes da Drogaria Minasprev (que já possui 60% de todas as vendas feitas em far- mácias e drogarias em Lagoa da Prata), a empresa irá oferecer em 2015 o serviço de entrega de medicamen- to em domicílio. Os pedidos poderão ser feitos pelo te- lefone a partir deste primeiro trimestre. Drogaria Minasprev e o Laboratório Minas- prev. Todas as empre- sas têm como objeti- vo cuidar das pessoas e prestar a melhor as- sistência às famílias. Tudo a preço baixo. Na área social, o Grupo Minasprev es- tá presente em várias iniciativas filantrópi- cas nos seis municípios onde possui unidades. Em Lagoa da Prata, as ações se concentraram principalmente em três ocasiões específicas: no inverno, no Dia das Crianças e no Natal. Presidente do Grupo Minasprev, Érico Matucuma foi eleito o empresário do ano pela Associação Comercial de Lagoa da Prata em 2014.
  14. 14. Todos os cidadãos tem outro compromisso, seja em casaounolocalondetrabalham:adotarpráticasdeeco- nomia de energia e água. Este é um compromisso com a sustentabilidade e com o futuro do planeta. O que an- tes parecia muito distante, quando se falava em crises de abastecimento, pelo menos para a população de São Paulo ficou bem real com a recente queda nos sistemas de coleta, tratamento e distribuição de água.As poucas chuvas em determinadas regiões também trouxeram o problema da alta de preços nas tarifas. Ageladeiraeochuveiroelétricosãooscampeõesde consumo de energia elétrica em uma residência varian- do de 20% a 35% do valor da conta, cada um, ficando acima até mesmo do ar condicionado, desde que usa- do poucas horas por dia. Então, não coloque produtos quentes dentro da geladeira, deixe-a longe do sol e do fogão e só abra quando necessário. Se for trocar de ge- ladeira, compre as que possuem o selo Procel e escolha o modelo mais econômico. Já para economizar com o chuveiro, tome banho mais curtos e se ensaboie com o registro desligado. Se for trocar, escolha um mode- lo que tenha controle eletrônico de temperatura. Com o chuveiro, dá para economizar água e energia. No Banho: Se molhe, feche o chuveiro, se ensaboe e depois abra para enxaguar. Não fique com o chuveiro aberto. O consumo cairá de 180 para 48 litros Ao escovar os dentes: escove os dentes e enxágüe a boca com a água do copo. Economize 3 litros de água Na descarga:Verifique se a válvula não está com de- feito, aperte-a uma única vez e não jogue lixo e restos de comida no vaso sanitário Na torneira: Uma torneira aberta gasta de 12 a 20 litros/minuto. Pingando, 46 litros/dia. Isto significa, 1.380 litros por mês. Feche bem as torneiras Vazamentos: Um buraco de 2 milímetros no encana- mento desperdiça cerca de 3 caixas d’água de mil litros Na caixa d’água: Não a deixe transbordar e mante- nha-a tampada Na lavagem de louças: Lavar louças com a tornei- ra aberta, o tempo todo, desperdiça até 105 litros. En- saboe a louça com a torneira fechada e depois enxágüe tudo de uma vez. Na máquina de lavar são gastos 40 li- tros. Utilize-a somente quando estiver cheia Regarjardins e plantas: No inverno, a rega pode ser feita dia sim, dia não, pela manhã ou à noite. No verão, regue somente à noite. Durante o dia, parte dela eva- pora rapidamente Lavar carro: com uma mangueira gasta 600 litros de água. Só lave o carro uma vez por mês, com balde de 10 litros, para ensaboar e enxaguar. Para isso, use a água da sobra da máquina de lavar louça Na limpeza de quintal e calçadas use vassoura: Se precisar utilize a água que sai do enxágüe da máqui- na de lavar Utilize lâmpadas mais econômicas Use a luz natural, através de clarabóias, grandes aber- turas. Coloque as mesas de trabalho e de leitura próxi- mas às janelas Pinte os ambientes de cor clara, especialmente os te- tos, que refletem e espalham a luz pro todo o ambiente Nos corredores, escadas e outros locais de passagem, ondenãohálongapermanênciadepessoas,instaletem- porizadores ou sensores de presença Utilize dimmers, que controlam a intensidade da luz Não deixe as luzes acesas em ambientes onde não tem ninguém Compre equipamentos com o selo Procel de Econo- mia de Energia, de preferência da CategoriaA Mantenha limpos os filtros dos condicionadores de ar e evite deixar o aparelho ligado quando o ambiente estiver desocupado Nãoinstalefogãoegeladeiraladoalado,poisumatra- palha o desempenho do outro Para subir 1 ou 2 andares, evite o elevador Não deixe seu smartphone “dormir” carregando Reduza o tempo no banho O modo stand-by de diversos aparelhos consomem muitaenergia.SegundooInstitutoBrasileirodeDefesa do Consumidor (IDEC), o consumo mensal de energia de uma residência pode aumentar em até 15%. Os re- ceptores de TV por assinatura estão entre os que mais consomem energia no stand-by ECONOMIZE ÁGUA1 2 TODOS TAMBÉM DEVEM Economizar água e energia geladeira e chuveiro ECONOMIZE ENERGIA
  15. 15. AUTOESCOLA CENTRAL Somos reconhecidos pelos nossos trabalhos e também como a MAIOR E MELHOR AUTOESCOLA DA REGIÃO! NOSSA MISSÃO NOSSA VISÃO NOSSOS VALORES O Programa CNH Po- pular da Autoescola Cen- tral beneficiou 500 candi- datos/condutores para tira- rem sua habilitação. No ano de 2014 um jo- vem empresário e com uma visão, além dos moldes que regem o mercado, fez uma parceria com uma empre- sa de marketing/propagan- da, onde consolidou a mar- ca de iniciativa PRIVADA comoCNHPOPULAR.Os descontos no processo de habilitação variavam en- tre 20% a 45% . Todas as Quais são as metas pa- ra 2015 de crescimento e novidades do CFC CEN- TRAL em Lagoa da Pra- ta e Japaraíba? A Autoescola Central, neste ano de 2015, tem co- mo meta aumentar o fatura- mento em 20% em relação a 2014. E a abertura de mais duas autoescolas, em cida- des da nossa região, sen- do assim A MAIOR E ME- LHORAUTOESCOLADA REGIÃO! Este ano teremos gran- des vantagens para os alu- nos e faremos ainda mais “Diferente”, trazendo pa- ra os alunos:Aulas de carro e ônibus com ar condicio- nado. Estamos trocando a frota de veículos, e temos a maior frota de carros e mo- to em Lagoa da Prata e Ja- paraíba. Oalunopagaráum valor significativo,masterá mais tranquilidade ao fazer suas aulas. Para a cidade de Japa- classes sociais foram bene- ficiadas, pois a Autoesco- la Central repassou cerca de R$ 180.000,00 ( cento e oitenta mil reais) em des- contos para a população. Foi o maior desconto e o maior benefício já dado na cidade por uma autoesco- la desde que se tem conhe- cimento. Pessoas que an- tes andavam sem habilita- ção por não ter condições de tirar, tiveram benefícios inimagináveis. O programa CNH PO- PULAR, foi um programa raíba, fazemos o transpor- te dos alunos com comodi- dade e eficiência e teremos também aulas aos sábados com os melhores profissio- nais para atender toda a po- pulação de Lagoa da Prata e Japaraíba! De acordo com o pro- prietário da autoescola, Gabriel Miranda, no ano de2014forammatriculados 775alunosconformeconsta no site do DETRAN-MG, o que equivale mais de 60% de todos os alunos matricu- lados na cidade. “Ganha- mos todos os prêmios de reconhecimento pelo nosso trabalho. Em valores reco- lhidos para o Estado de Mi- nas Gerais em taxas e ser- viços geramos um lucro pa- ra os cofres do Estado em torno de R$ 420.000,00. É muito dinheiro recolhido aoscofrespúblicos,semne- nhuma contrapartida do Es- tado”, afirmou. Para aten- der ainda com mais quali- dade e disponibilizar vários Realizar o sonho de nossos alunos proporcionando a me- lhor experiência em obter sua Carteira Nacional de Habi- litação, com um modelo de gestão focado na solidez do negócio, no respeito e honestidade com empenho total aos nossos clientes, colaboradores e fornecedores, afim de colaborar com o melhor da formação de condutores de veículos automotores. Ser a melhor empresa de atuação no ramo deAutoescolas, na Região Centro Oeste do Estado e atender às necessida- des de todas as classes sociais no mercado que atuamos, com eficiência e credibilidade, contribuindo para o desen- volvimentodacidadedeLagoadaPrata,Japaraíbaeregião. Humildade, Disciplina, Honestidade, Garra, Determina- ção e Eficiência. de sucesso, uma marca re- gistrada de dinamismo e profissionalismo da Auto- Escola Central. horários, a partir de feverei- ro de 2015, a autoescola te- rá as seguintes novidades no atendimento: •Horário de aula de ônibus, das 06hs até às 22 hs; •Sala climatizada de Legis- lação; •Aulas de Legislação e Di- reção aos sábados; •AcessopeloCELULAR,de todo o processo pelo DE- O empreendimento iniciou suas atividades em 2008 com apenas dois car- ros e duas motos e quatro funcionários e, já em 2015, possui uma frota com onze carros, cinco motos e um micro-ônibus. Atualmen- te, conta também com uma filial, na cidade de Japara- íba, para atender a deman- da e anseio da população da cidade. A ideia é que se mantenha a meta de cresci- mento em 20% ao ano. TRAN-MG, como quanti- dade de aulas já realiza- das, data de vencimento das parcelas e muito mais. Adquirimos o melhor sis- tema de autoescolas do Brasil, o Gestor CFC on- de foram gastos mais de R$ 20.000,00 reais na implan- tação dos mesmos; •Cursos de profissionaliza- ção e motivação para a to- da a Equipe. Hoje a auto- escola central é a única na cidade que investe em seus colaboradores na questão de treinamento. Temosumagrandenovi- dade e surpresa para a popu- lação da cidade! Mas divul- garemos nas próximas edi- ções! Com certeza somos a MAIOR E MELHOR AU- TOESCOLA DA CIDA- DE! Obrigado a toda a po- pulação que confia em nos- sotrabalho!Obrigadoanos- sa Equipe! Em 2015, UMA AUTOESCOLA MAIS QUE DIFERENTE! Gabriel Henrique F. Miranda Diretor e Sócio proprietário do CFC CENTRAL LTDA. Uma Autoescola Diferente!!!
  16. 16. A humanidade está consumindo 50% a mais em recursos naturais re- nováveis – água, ar, terra agricultáveleabsorçãode resíduos – do que o plane- ta é capaz de regenerar.A informação é do Instituto Akatu, uma organização não governamental sem fins lucrativos que traba- lha pela conscientização e mobilização da socieda- de para o consumo cons- ciente. Ela, que é manti- daporgrandesgruposem- presariais, defende o ato de consumo conscien- te como um instrumento 1. O durável mais que o descartável -As opções du- ráveis, em regra, são sempre melhores que as descar- táveis. Salvo algumas exceções (como no caso de itens de enfermaria, em que a segurança em relação à conta- minação é inquestionável), optar por algo que não pre- cisa ser substituído rapidamente ou que você “usa e jo- ga fora” evita que mais recursos naturais sejam usados para produzir um novo item. Como no caso emblemá- tico da substituição das sacolas plásticas descartáveis por sacolas duráveis. Lembre-se: resíduo bom é resí- duo não gerado. 2. A produção local mais que a global - Ao comprar umitemproduzidolocalmente,vocêincentivaodesen- volvimento da economia do lugar de origem, além de contribuir para a diminuição de emissões de gás car- bônico das longas viagens que os produtos fazem para chegar até o consumidor. Outra contribuição que esse caminho traz é a possibilidade de se conhecer melhor o produtor e entender de onde vêm as coisas e para on- de elas vão após o uso – a cadeia de produção. 3. O compartilhado mais do que o individual - Por que compramos e guardamos em casa tantos produtos? Não seria possível usufruir do bem-estar que o produ- to ou serviço nos traz com um acesso temporário a ele? Cada vez mais as pessoas podem compartilhar o uso de um produto por meio da posse comunitária, alugando- -o temporariamente ou buscando suprir a necessidade de uma forma a compartilhar o uso. O sistema de com- partilhamento de bicicletas ou de carros nas grandes metrópoles é um dos exemplos. 4. O aproveitamento integral e não o desperdício - A primeira imagem desse caminho é a preparação de alimentos com todas as partes de legumes e verduras, aproveitando talos, folhas, sementes e cascas. Mas o aproveitamento integral diz respeito também ao plane- jamento das compras de somente o necessário, dimi- nuindo o desperdício dos excessos. Também é essen- cial estender ao máximo a vida útil de qualquer produ- to, aprimorando usos e melhorando a eficácia de sua aplicação, como de eletroeletrônicos, livros, móveis e carros. 5. O saudável nos produtos e na forma de viver e não o prejudicial - Opções saudáveis, como a prática de esportes, alimentação balanceada e orgânica (sem o uso de defensivos tóxicos) e o equilíbrio entre trabalho e lazer, aumentam o bem-estar de todos. Pessoas mais saudáveis têm menos necessidade de consumo de re- médios, tratamentos e exames médicos – o que os es- pecialistas chamam de medicina preventiva. Além de outros benefícios facilmente perceptíveis como boa disposição e melhores desempenhos nos processos de aprendizagem. 6. O virtual mais que o material - Amúsica ouvida no aparelho de MP3, o livro e a revista lidos em disposi- tivos eletrônicos, o filme baixado diretamente de uma “nuvem” são exemplos das possibilidades das opções virtuais.Além de não gerarem resíduos, as opções ima- teriais tendem a criar empregos de melhor qualidade queasmateriais,apoiamodesafiododesenvolvimento de tecnologias mais avançadas, e gastam, ao longo da cadeia produtiva, menos água, energia e outros recur- sos naturais, como petróleo e derivados e outros miné- rios, dada a inexistência do produto físico. 7. Asuficiênciaenãooexcesso-Vocêconhecealguém que mantém seu aparelho celular por anos e não o troca a cada novo lançamento? Essa pessoa entendeu que a busca é por se comunicar, o que pode ser atendido sem trocar o aparelho. É essa a pergunta que este caminho nos faz: será que já não tenho/comprei o suficiente pa- ra suprir minhas necessidades? 8. A experiência e a emoção mais do que o tangí- vel - A máxima que revela este caminho é: “Presença é mais importante que presente!”. Os valores da socie- dade consumista têm superado o que realmente impor- ta na nossa vida: emoções, experiências, convivência, lealdade ao que realmente somos e sentimos. Sabores, amanheceres e entardeceres, boas risadas, beijos, abra- ços. Isso é o que constituirá nossas belas lembranças, enquanto raramente nos lembramos de quem deu qual presente e quando. 9. Acooperaçãoparaasustentabilidademaisdoque a competição -As empresas do setor varejista que pra- ticam logística colaborativa para melhorar o nível do serviço e reduzir custos e emissões de carbono estão seguindo este caminho.Algumas práticas só podem ser transformadas coletivamente, como é o caso do com- bate ao uso de trabalho infantil ou análogo ao escravo, ou das ações contra a destruição de matas nativas para cultivo da soja ou criação de gado. 10. A publicidade não voltada a provocar o consu- mismo - O princípio da publicidade é vender o dese- jo por um produto ou um serviço, mas é da sua nature- za incentivar o consumismo?Aforte insustentabilida- de social e ambiental da sociedade atual exige a busca pornovosprincípiosparaapublicidade:eladevedialo- gar com a demanda do consumidor por bem-estar, mais do que pelo pretenso significado da compra e do uso de cada produto; por inovação na direção de um mun- do mais sustentável, mais do que pela novidade em si. Trata-se de uma grande oportunidade fazer uma publi- cidade mais consciente. Veja mais detalhes no site www.akatu.org.br fundamental de transfor- mação do mundo, já que qualquer consumidor po- de contribuir para a sus- tentabilidade da vida no planeta: por meio do con- sumoderecursosnaturais, de produtos e de serviços e pela valorização da res- ponsabilidade social das empresas. No último tri- mestre do ano passado, a Akatu elaborou uma lista apontando 10 caminhos que podem ser adotados por todos para a cons- trução de uma sociedade mais sustentável. Veja a seguir: PRODUÇÃO E CONSUMO Com mais consciência
  17. 17. Centro Educacional Tutores Investimento em esporte, cultura e educação INCENTIVO À EDUCAÇÃO Empresa investe no esporte O Centro Educacional Tutores iniciou as suas ati- vidades em Lagoa da Pra- ta e hoje já está presente em cinco municípios. Sob a direção do historiador Ricardo Costa, a empre- sa apresenta um acentua- do crescimento ano a ano. E como contrapartida so- cial, investe na formação humana de jovens, por meio de patrocínios a es- portistas, incentivo a ati- vidades culturais e doação de bolsas de estudos. A Tutores, como é re- conhecida no mercado, oferece atendimento espe- cializado em todas as fa- ses educacionais da crian- ça, adolescente e juvenil. O berçário atende crian- ças de três meses de ida- de a um ano e meio. “Es- te ano estaremos oferen- cendo o preparatório pa- ATutores é patrocinadora do karateca Iago Junio, la- gopratense campeão brasileiro de karatê. “O atleta par- ticipa de muitas competições e os custos de transporte, alimentação, e materiais para as disputas são muito ele- vados. No final de 2014 fechamos um contrato de patro- cínio até o final de 2015 e que, com certeza, será prorro- gado”. Uma escola de futsal feminino de Lagoa da Prata e uma escola em Santo Antônio do Monte que participou dos Jogos Escolares de Minas Gerais também receberam o apoio da Tutores em 2014. “No início, nosso apoio era somente pontual, mas atualmente iremos trabalhar com patrocínios fixos para consolidarmos nosso projeto e re- almente fazer a diferença junto aos atletas e artistas que investimos”, ressalta Costa. ra concurso, pré-vestibu- lar e pré-supletivo. E pa- ra 2016, estaremos cre- denciando junto ao Mi- nistério da Educação e Cultura (MEC) o Ensino Médio. Tudo isso está em um projeto que será futu- ramente disponibilizado em um prédio de três an- dares”, explica Ricardo Costa. De acordo com o di- retor, a Tutores inovou ao oferecer bolsas de estudo a estudantes de baixa ren- da. “Começamos esse pro- jeto em 2011, quando fize- mos um processo seletivo com dez bolsas de estudos, tendo como critério ter es- tudado em escola pública. Por ano, a Tutores forne- ce em bolsas quase R$ 40 mil. A Tutores sempre teve esta preocupação social. Atualmente inserimos um aluno bolsista em cada sa- la de aula. A comunidade vem abraçando as nossas ideias e hoje temos vários alunos que passaram em faculdades federais em ex- celentes colocações”, des- taca. MÚSICA E CULTURA NA PAUTA ATutores atua em La- goa da Prata desde 2011 e no ano passado abriu a sua filial em SantoAntônio do Monte.Aempresa vai ofe- recer em 2015 um proje- to inovador de educação musical a crianças caren- tes, que será coordenado pelo professor Igor Sil- va, maestro da Orquestra Acordes do Monte. “Fe- chamos uma parceria pa- ra oferecer aulas de mú- sica às crianças de nos- sa escola. A ideia é criar uma orquestra de cordas com crianças de 5, 6 e 7 anos. E com os e com os alunos de 2 a 5 anos, uma orquestra de flautas. Mas também iremos oferecer a oportunidade de aprender música a crianças e jo- vens carentes. É um pro- jeto exclusivo da Tutores e é pioneiro.As inscrições começarão em março”, explica. projetosVisionário, Ricardo Cos- ta tem como meta criar a Fundação Tutores dentro dos próximos cinco anos. “Já averiguamos quais são as áreas de risco den- tro do município. A prin- cípio, faremos o que a Tu- tores já faz hoje, que é um hotelzinho integral, po- rém, destinado a crianças carentes e sem nenhum custo. ATutores hoje tem uma estrutura física pa- ra isto, mas temos alguns projetos pessoais que pre- cisamos colocar em práti- ca antes”. ORQUESTRAACORDES DO MONTE
  18. 18. Gol perde liderança de 27 anos. Palio é o mais vendido no Brasil Depois de 27 anos no topo do ranking de vendas, sem nunca ter sido ameaçado, o Gol perdeu a preferência do consumidor brasileiro, que o trocou pelo velho rival, o Palio, da Fiat, líder pela primeira vez na história. Valeu tudo na briga de Volkswagen e Fiat para colocar o seu carro na liderança de vendas em 2014: descontos, facilidades no financiamento, desova de estoque para lo- cadoras e frotistas em vendas diretas a preços abaixo da tabela. Ambas as marcas têm grandeexperiênciaecanaisdedistribuiçãoparaampliarasvendaseesgotaramassu- as possibilidades, contribuindo para fazer de dezembro o terceiro maior mês em ven- dasdahistóriadosetorautomobilísticonoBrasilereduziraquedadevendaspara6,9% no fechamento do ano. Mas o Gol foi quem morreu na praia; e por muito pouco. O Palio vendeu no ano passado 183.744 unidades, cerca de 400 unidades a mais do que o Gol, que ficou com 183.366, diferença mínima considerando o volume de vendas de cada um. Fenômeno de vendas em 2014, quando chegou a liderar o ranking, a picape Stra- dafechou o ano como terceiroveículomais vendidos noPaís, colocandopelaprimei- ra vez uma picape entre os três primeiros: no ano passado a picape da Fiat ficou com umamerasétimaposição. O Onix também teve um avanço importante no ranking 2014: saltou da oi- tavaparaaquartaposição, vendendo 150.842 unida- des. Já o Uno caiu de se- gundo lugar em 2013 pa- ra quinto no ano passa- do: o carro da Fiat vendeu 122.978 unidades em 2014. OHyundaiHB20garan- tiu a sexta posição, com vendas de 119.789 unida- des, melhorando três po- sições no ranking em re- lação ao ano anterior, en- quantooFiesta,sétimoco- locado (108.393 unidades), caiu três posições. Siena, na oitava posi- ção (106.974), Fox (101.341) em nono e Sandero (95.386) em décimo, com- pletam a lista dos dez car- ros mais vendidos no Bra- sil em 2014. O curioso é que, em- bora tenha havido muitas mudanças de posições, incluindo a do líder, os dez mais vendidos em 2014 são exatamente os mes- mosdezmaisvendidosde 2013. Nenhuma mudança. Além de não conseguir manter a liderança com o Gol, Volkswagen não con- seguiucolocaroUpentreos dez mais em 2014. O carro de entrada da marca ven- deu 58.898, o que lhe deu a 16ª posição. A picape Sa- veiro ficou em 12º lugar e a Voyage em 13º (83.027 e 75.138 unidades). A GM co- locouoPrismaem11ºlugar e a Hyundai garantiu a 15º posiçãoparaoHB20sedan. Décimoquartocolocadonorankinggeral,oCorollafoiosedanmédiomaisvendido, com63.296unidades,enquantooEcosport,quejáesteveemmelhoresposições,encer- rou 2014 em décimo sétimo lugar. Completam a lista dos vinte carros mais vendidos em 2015 o Fit (53.703), o Civic (52.266) e a picape S10 (50.765). Fonte: http://goo.gl/9tR30Y
  19. 19. ANO ii • Edição 42 30/01/2015 a 13/02/2015 www.jornalcidademg.com.br CULTURA24 llA lagopratense Thalita Anedaestáfinalizandoum projetoparaaproduçãode seu primeiro disco. A can- tora e compositora teve seu projeto aprovado pela Lei Estadual de Incentivo àCultura,juntamentecom outrosartistasiniciantese consagrados,comoSamuel Rosa,doSkank. De acordo com Ane- da,odiscoteránovemúsi- casautoraiseoapoiodoSi- coobLagoacredeACE/CDL. “Eusótenhoqueagradecer, pois no meu caminho en- contreiempresasmaravi- lhosasquemeajudarama irembuscadessesonhoe mais que isso, são empre- sas que incentivam a cul- tura que o município tem aoferecer,sãopessoasque Thalita Aneda gravará seu primeiro disco acreditamempessoasena arte.Esperoqueoutrasem- presaspossamaderiràprá- tica desse tipo de incenti- vo”,afirma. Serão realizados, ini- cialmente,deduasacinco apresentaçõesparaadivul- gaçãododisco.Aestreiase- ráemLagoadaPrata.“Pos- teriormente iremos fazer umaturnêemoutrosesta- lagoa da prata Cantora teve projeto aprovado pela Lei Estadual de Incentivo à Cultura e pretende fazer turnê em Minas e outros estados para divulgar o seu primeiro álbum dostambém”.Amúsicade trabalhodoprimeirodisco de Thalita é “Desde que o mundodávoltas”. A paixão pela música surgiu desde cedo, quan- doAnedadescobriuqueti- nhatalentoparacantar,to- car e compor. Com carrei- ra iniciada há dez anos, a cantora vem se destacan- doemapresentaçõesregio- naisevaiparticipardofes- tivaldemúsicaautoralLa- custre, em Lagoa da Prata. “Hojeestoumaisengajada em apresentar o meu pro- jetoautoral,emboraainda trabalhecomocoverdeal- gunsartistas.Tenhocomo referênciaElisRegina,Ma- risaMonte,MariaBetâniae AdrianaCalcanhoto”,des- taca. Paraquemdesejarcon- tratarotrabalhodeThalita ouconhecerumpoucomais sobreoseutrabalhoésóen- traremcontatopeloe-mail: thalita.fs@gmail.com.Ocli- pedamúsicadetrabalhoes- tá disponível no You Tube nocanal“ThalitaAneda”.
  20. 20. ANO ii • Edição 42 30/01/2015 a 13/02/2015 facebook.com/jornalcidademg CULTURA 25 S. A. DO MONTE Com apresentações musicais, escritor Adriano Moraes lança livro em Samonte ll O escritor e sociólo- go Adriano Moraes apre- sentaráàcomunidadede SantoAntôniodoMonteo livro “Caminho à Sobrie- dade”, que reúne pales- tras musicais apresenta- das por ele no Amor Exi- gente.Oobjetivodolivroé servirdeapoioàsfamílias que possuem membros na condição de depen- dentes químicos e alcoó- licos. “Os doze passos do perdão, que são aborda- dos na obra, fazem parte deumconhecimentoque levaàlibertaçãodevárias situações e sentimentos doentios. Esse livro é útil paraquemdesejateruma melhorqualidadedevida. Palestras musicais faci- litam o entendimento e a reflexão dos participan- tesdogrupo”.Oeventose- rárealizadonodia5defe- vereiro,às19h30,noCetuc (Centro Turístico e Cultu- ral). A entrada é franca. “CaminhoàSobrieda- de” é o oitavo livro do au- tor, que também é verea- dor em Lagoa da Prata e irmão do padre Adelzi- re, pároco em Santo An- tônio do Monte. A noi- te cultural de lançamen- to da obra terá o apoio da FashionCosméticos,Gru- po Minasprev, Sicoob La- goacred, Pharlab e Jornal Cidade. Anoiteculturalconta- rá com a apresentação de diversos músicos da re- gião, assim como foi fei- to no lançamento do livro em Lagoa da Prata. Estão confirmadas a participa- ção da Orquestra Acor- des do Monte; do Coral da ComunidadeTerapêutica SãoFranciscodeAssis;do CoraldaFundaçãoEmba- ré; dos cantores de músi- ca popular brasileira An- tônio de Oliveira; Alexan- dra Carvalho e Thalita Aneda; e dos músicos Ju- liano Rossi, Sandro Ber- nardes e Daniel Macedo, queapresentarãocanções de rock em versões acús- ticas. “Caminho à Sobridade” reúne diversas palestras musicais que foram utilizadas pelo escritor em eventos do Amor Exigente e terapias de reestruturação familiar Coral da Com. Terapêutica São Francisco de Assis confirmou presença na noite cultural A colunista Michele Pacheco prestigiou o lançamento do penúltimo livro de Adriano Moraes e fará a cobertura do lançamento do novo livro em Samonte
  21. 21. ANO ii • Edição 42 30/01/2015 a 13/02/2015 www.jornalcidademg.com.br COLUNISTAS26 José Antônio (Rádio Samonte FM) bandeirantes@isimples.com.br Causos e Prosas Solange Barbosa (Buffet Divina Gula) solangecfb@gmail.com Alimentos e Culinária Estrogonofe de Chocolate MODO DE PREPARO • Misture bem o leite condensado com a farinha. Junte o chocolate e leve ao fogo até o ponto de brigadeiro, mexen- do sempre. • Aguarde esfriar em temperatura ambiente. • MisturedelicadamenteaobrigadeirojáfriooChantilymis- turadoaocremedeleite.Adicioneraspasdechocolate,no- zes,cerejas,confeitos,castanhas,passasemexabem.Man- tenha na geladeira até o momento da montagem. INGREDIENTES Estrogonofe •01 lata de leite conden- sado • 01 colher de sobremesa de farinha de trigo • 50 g de chocolate em pó 50 ml de chantili em pon- MONTAGEM • Preencha as taci- nhas com o estrogo- nofe, decore com cha- tily e os confeitos da decoração e sirva.te- nha na geladeira até o momento da monta- gem. to macio • 01 lata de creme de leite sem soro • 200 g de raspas de cho- colate • 50 g de nozes picadas Cerejas, confeitos, casta- nhas e uvas-passas escu- ras a gosto Decoração • 200 g de chocolate em raspas • Chantily estabilizado • Cerejas, confeitos, casta- nhas, uvas-passas escuras a gosto llEmmeadosde1986eu já era rapagote e eu cis- meidebrincardereinado nacongadadevarinhano cortedevilão,maseunão agradei daquilo não por- queeuerabaixinhoegor- dinho e começava a rolar pela rua a fora. Daí resol- vi pedir para brincar de congado na turma dos vizinhos da rua, eles me aceitaram e pergunta- ram o que eu gostava de tocar. Resolvi tocar o re- co-reco e um pandeiro também.Tudoissoacon- tecia no mês de agosto, e euenchiaaquelereco-re- co de pelota pra depois ir jogandonocantodaboca e tomar umas pingas pro cima. Certa vez, o cesteiro de Iguatama convidou os vizinhos para levarem o congado até lá. E assim arrumamos uma cami- nhonete 608 e empolei- ramos no baú dela, eu, o saudosoMoacirBorges,o Tõe do Nego, Tõe Amaral, TotonhoLacerda,Juruna, o Cruzado, fora as crian- ças,senhoresesenhoras. Naquelaépocaaestra- da era de terra e quando foi chegando em Iguata- ma a gente doi descendo dobaú,eeujádescifoiro- lando mesmo. Poeira pra dar e vender, meu cabelo jáparavaempé. Os vizinhos falaram para nós começarmos a brincar de reinado ali na entrada da cidade para o povo ir vendo a nossa ca- tegoria e quando chegás- semos no centro a gente já ia tá rodeado de gente. Mas quando fomos pas- sandoopovocomeçouair paradentrodascasasefe- charasjanelas,foramba- tendo as portas na nossa cara e a gente “tava” mor- rendo de sede. Eu pensei: - Esse trem tá errado. Ou nós somos feios demais ou alguma coisa tá acon- tecendo porque estáva- mos espantando o povo dacidade. Commuitocustoche- gamosnocentrodeIgua- tama equandochegamos em um boteco para pedir água eu já tava com meia língua para fora da boca detantasede. O dono da festa falou para os vizinhos que era pra gente ir atrás do rei- nado de Formiga, só que aquelepovotavadescan- sado e for me dando uma coisa ruim de tá ali no meio daquele povo pu- lando. Quando eu olhei adiante tinha uma mo- reninha cor de “cuia véia” mais ou menos do meu tamanho, e ali ela me olhou e eu olhei pra ela. Mais do que depressa eu deixei esse congado e chegueipertodela. Eladisse:Oi Eudisse:Oi Ela me convidou pa- ra eu ir na casa dela e eu fui. Chegandoláaavóde- la me serviu um prato de biscoito de polvilho frito comcaféquentinho. Aavódelamepergun- touseeunãoqueriatomar umbanhoeeuaceiteipor- que “tava” me sentindo muito mal com tanta po- eira.Eelaarrumouaágua nabacia eeufuitomarba- nho de bacia. E olha gen- te, não era fácil a mesma águaqueagentelavavao oritimbó lavava também orosto,fazeroque. Saindo de lá avistei o reinado lá longe, mas eu não queria mais brincar não. E me veio na cacun- daosvizinhostudoquefi- carambravosdeeutersu- mido. E eu falei: Aqui ó, mi- nhanamorada. A moreninha “tava” achando tão bom que nem os pezinhos ela co- locavanochãoporque“ta- va” agarrada no meu pes- coço, mas eu tive que lar- gar dela e ir brincar de reinado. E essa moreni- nhaveioatrásdemim,só queeunão“tava”passan- do bem devido o tanto de biscoito que comi. Eu até faleipraelanãoficarmui- topertodemimporqueeu iaacabarchamandooJu- ca; e nisso ela foi embora mesmo. Escureceu e monta- mos nessa caminhone- te igual porco. Chega- mos em Santo Antônio do Monte cheio de poei- ra. Que sofrimento! O po- vo tudo rindo da moreni- nhaqueengarranchouno pescoçoequenemospés colocavanochão. Resultado, eu nun- ca mais vi essa moreni- nha cor de “cuia véia”, ela também não me viu. E essa ida ficou na histó- ria, porque até para brin- cardereinadoacoisaera feiaparaomeulado. O Reinado em Iguatama
  22. 22. ANO ii • Edição 42 30/01/2015 a 13/02/2015 facebook.com/jornalcidademg CULTURA 27 llAconteceu na última semana a 5ª edição da Mostra Cultural dos alu- nos da Orquestra Acor- des do Monte no Centro Turístico e Cultural João Robson de Castro (CE- TUC), em Santo Antônio do Monte. O evento foi idealiza- do pelo professor Igor Sil- va, que teve como inspi- raçãoamúsica“Vivemos esperandodiamelhores”, dabandaJotaQuest.Pas- saram pelo palco mais de setenta músicos, en- tre alunos e convidados. No último dia do evento aconteceu um workshop com o guitarrista Tarsius Lima, que ganhou visibi- lidade nacional por meio do site Cifras Club. “Nun- ca vi algo igual. O evento foi muito bem organiza- do,semcontarcomapar- ticipação do público. Foi tudomaravilhoso”,desta- cou o músico. De acordo com o pro- fessor Igor Silva, o even- to atendeu as expecta- tivas. “O que dizer sobre a Mostra Cultural? Sim- plesmente sem pala- vras. Foi um evento so- nhadopormimerealiza- do por todos. Quero agra- decer a Deus, minha fa- mília, à Luana Carolaine, pela paciência e dedica- 5ª Mostra de Cultura é realizada em Santo Antônio do Monte ção nesse sonho comi- go, a todos meus grandes cantores Meiron Borges, Marlon Borges, Julismar Sousa, Jonas E. Ricardo, CarolinaSilva,JuliaSilva, JoãoVitorSantos,ogran- de mestre da bateria, Le- andro Santos e o baixista Marco Túlio Sena, e meu grande locutor André Borges.Nãopossoesque- cerdospatrocinadoresdo evento,osquaisajudaram na vinda do guitarrista Tarsius Lima. Obrigado a cada um de vocês e que Deusabençoeatodosen- volvidos,porquetodaes- safestafoidevocês”,afir- mou. s. a. do monte O evento foi idealizado pelo professor Igor Silva e contou com a participação de mais de setenta músicos Igor Silva e o guitarrista Tarsius Lima Participantes registram selfie durante o evento FOTO: divulgação
  23. 23. ANO ii • Edição 42 30/01/2015 a 13/02/2015 www.jornalcidademg.com.br COTIDIANO28 S. A. DO MONTE Professores de S. A. do Monte recebem formação continuada e materiais didáticos ll A Secretaria Munici- pal de Educação de San- to Antônio do Monte ca- pacitou cerca de 50 pro- fessores do 1º ao 3º Ano do Ensino Fundamental pelo Pacto Nacional pe- la Alfabetização na Ida- de Certa (PNAIC) realiza- do durante o ano de 2014. Mais de 1.000 alunos es- tão sendo beneficiados com a iniciativa que vi- sa alfabetizar em Portu- guês e Matemática to- das as crianças até os oi- to anos de idade, no final do 3º ano do Ensino Fun- damental. Segundo a Coordena- doralocaldoPNAIC,Mag- da Bernardes, as ativida- des foram desenvolvi- das em encontros quin- zenais aos sábados com uma média de oito horas deestudo.“Éumtrabalho que exige muito dos pro- fessores porque requer o desenvolvimento de for- mas de aprendizagem mais lúdicas e prazero- sas. Mas, o sucesso é fa- cilmente percebido pela alegria dos alunos, enor- me adesão e baixa desis- tência de professores”, explica Magda. Em 2014, o tema central do PNAIC foi a alfabetização mate- mática sob a perspectiva de jogos e raciocínio. As professorasorientadoras OlíviaChaveseMariaAu- roraFerreira(Zizinha)fo- ram capacitadas na Uni- versidade Federal de Ou- ro Preto (UFOP). Todas as professoras participan- tes de Santo Antônio do Monte receberam livros de apoio e material didá- tico. E no último dia 19 de dezembro, foi realizado nasededaSecretariaMu- nicipaldeEducaçãoose- minário de encerramen- to do PNAIC 2014 com a exposição de cinco stan- ds com os trabalhos de- senvolvidos nas escolas da rede municipal de en- sino e na Escola Estadu- al de São José dos Rosas. No evento, também fo- ram entregues os certi- ficados aos professores participantes do PNAIC edição 2013. As professo- ras Anye Mota, Lucinei- de Queiroz e Kátia Dias foram premiadas com os melhoresrelatosdeexpe- riências em sala de aula. “O nível dos trabalhos é tãoespecial,quetodasas trêspremiadasforamho- menageadas com a colo- cação de primeiro lugar”, conta Magda Bernardes. ASecretariaMunicipalde Educação premiou cada uma das três professo- ras com um tablet. “Par- ticipar do PNAIC 2014 foi uma experiência gratifi- cante que será aplicada em sala de aula melho- randoarelaçãodeapren- dizagem dos alunos e principalmente pela va- lorização dos profissio- nais de educação. Este é uminvestimentoemnós educadoras que retorna para os alunos e socie- dade com uma educação prazerosa, criativa e efi- ciente. Agradeço a opor- tunidadedeparticipardo PNAIC que será de suma importânciaparaosnos- sosalunos”,declaraAnye Mota, professora da rede municipal de educação. lagoa da prata Lei antifumo: Denúncia contra fumantes e bares pode ser feita na Vigilância Sanitária ll Começou no mês de ja- neiroaorientaçãosobrealei antifumoparaoscomercian- teslagopratenses. Aprovada em2011,masregulamentada em 2014, a lei 12.546 proíbe o atodefumarcigarrilhas,cha- rutos, cachimbos, narguilé e outrosprodutosemlocaisde usocoletivo,públicosoupri- vados,comohallsecorredo- res de condomínios, restau- rantes e clubes. Em caso de desrespeito à norma, os es- tabelecimentos comerciais podem ser multados e até perder a licença de funcio- namento. De acordo com o bioquí- mico e coordenador da Vi- gilância Sanitária do muni- cípio, Geraldo de Almeida, as restrições contra o fumo existem desde 1996, quando foiestabelecidoousodosfu- módromosparaaquelesque estivessem em ambientes fechadosedesejassemfazer ousodocigarro.Aleifoimo- dificadaem2014.“Estaregu- lamentaçãodeixoualeimais severa.Hojenãopodemexis- tirfumódromoseexcluiu-se apossibilidadedousodoci- garroemrecintofechadopor qualquer de seus lados, pa- rede,teto,divisória,toldo,te- lhado,sendoelespermanen- tesouprovisórios,évedadoo usodocigarro”,afirma. Segundo Almeida, a lei ainda regulamenta que os mostruários de produtos fu- mígenos (cigarro, cigarrilha, narguilé,charutoetc)devem ficarnaparteinternadobal- cãodeatendimento,nãopo- dendo estar ao alcance do cliente, bem como a tabe- la de preço que deverá estar anexadaaomostruário. O coordenador ressalta que a denúncia poderá ser feita no prédio da Vigilân- cia Sanitária ou pelo telefo- ne 3261-7591. “Infelizmente nãopodemosestaremtodos os lugares em todos os mo- mentos.Contamoscomapo- pulaçãoparaquenosajudee denuncie o estabelecimen- to que não estiver cumprin- do as normas. No primeiro momento estamos apenas orientando os comercian- tes,masquemdesejarfazera denúnciapodefazer.Odono doestabelecimentoquevero seuclientefumandoemseu estabelecimento público ou privadoenãopedirparaque o mesmo pare de fumar, se- rá punido com multa, sendo o valor mínimo de R$ 1500 e dependendo da proporção do evento R$ 1 milhão, que ficará a cargo da própria vi- gilância”,avisa. Para Elaine Gomes, ge- rente do Copacabana bar, apesardainiciativasermui- to boa para aqueles que não fumam, há de se levar em contaosclientesquesãofu- mantes.“Semprepensamos no bem dos nossos clien- tes. Temos placas indicati- vaseestamossemprefisca- lizando para que tudo acon- teça dentro do que é estabe- lecido pela lei, mas atual- mente os próprios clientes já têm a consciência e aca- bamseretirandodolocalpa- rafumar.Aindaestamosem fase de planejamento para adequarmos totalmente à lei, mas inicialmente acre- ditoqueosproprietáriosem qualquer de suas decisões optarão pelo bem comum e o cumprimento da lei”, afir- mou. FOTO: Ascom SAMONTE
  24. 24. ANO ii • Edição 42 30/01/2015 a 13/02/2015 facebook.com/jornalcidademg ESPORTES 29 s. a. do monte XX Torneio Santa Luzia acontecerá neste mês ll A Secretaria Munici- paldeEsporteseLazerde Santo Antônio do Monte, atravésdaAdministração MunicipaledaLigaMuni- cipaldeDesporto,realiza- rá de 31 de janeiro a 7 de fevereiro a vigésima edi- ção do Torneio Santa Lu- zia de Futebol. Ao todo serão dez equipes, são elas: Rapo- so,SantaLuzia,Swat,Na- cional, Ferroviário, Rosa- rense,Guarani,ÁguaLim- pa, São José e União Es- porte. Os jogos acontecerão na comunidade do Raposo. Confira os horários: s. a. do monte Petrochelli Júnior conquista medalha de ouro no mundial de Jiu-Jitsu ll A O santantoniense Pe- trochelli Júnior conquistou no dia 18 de janeiro a me- dalha de ouro no Mundial da Confederação Brasilei- ra de Jiu Jitsu Profissional, emTeresópolis-RJ.Filhode Elisângela Martins Araújo e Petrochelli Pereira de Arújo, Júnior disse que a sensação de ter ganho o campeonato foi de muita alegria “Fiquei com a sensação de dever cumprido,poishaviajurado paramimmesmoquetraria amedalhadeouro”,afirmou. Com apenas 12 anos, o atleta tem mais de vinte e quatro medalhas e troféus estaduais, e agora um título mundial. De acordo com Petro- chelli, o seu oponente era muito competente, mas seu desejo de trazer a medalha de ouro para Santo Antônio do Monte era bem maior. “O garoto era duro, mas eu ga- nheigraçasaDeuseameus professores”,afirmou. O atleta conheceu o jiu- -jitsu quando tinha apenas seis anos e atualmente tem graduação faixa laranja. Ele treinatodososdiasdasema- na e perdeu apenas duas lu- tasemcompetiçõesoficiais das quais participou. “Meu objetivo é participar dos campeonatos brasileiros, regionaisemundiais.Inclu- sivemeumestreestávendo seconseguimosirparaaAr- gentinanomeiodoanopara eudisputarumcampeonato mundial,masnãotemnada certoainda”,destacou Petrochelliaindaenfati- zou as dificuldades que en- frenta para continuar parti- cipandodascompetições.“A maiordificuldadequetenho é em relação ao patrocínio, pois o custo para participar dascompetiçõesnãoébara- to.AlgunsamigoseaSecre- tariadeEsportesmeajudam, masmesmoassimficamui- tocaro”,frisou. O atleta de apenas 12 anos já possui mais de 24 medalhas e troféus, e agora um título mundial FOTO: ARQUIVO PESSOAL
  25. 25. EDITORIAL Oi , gente! Voltei ... fui ali em São Paulo conhecer a maiormetrópoledoPaís. Se choversaiacorrendooume- lhor...nade!!! AsobrasdaCopade2014 estãoinacabadas,maquiná- rios parados e homens sem trabalho. Enfim, uma cida- decomumgrandepotencial emcrescimentonomercado, FÉRIAS Nossa!Umdescansosempreébom,sairdarotinaeconhe- cernovosares. AMariaBrunanãoperdeutempoefoicor- rendoparaolitoraldeSãoPaulo.Queluxoheimmmamiga!!! TIETANDO OprefeitodeAr- cos, Baiano, es- tevepresenteno showdoAmado Batista,noFesti- val Verão, e não perdeu tempo e foi logo garanti- do seu autógra- fonoCD.Baiano curtiu o show inteiro. Isso que éfãmesmo!!! NIVER AbailarinaLorenaestácomemorandoseuaniversárioes- sasemana.Tedesejomuitosucessoesaúde,queorestose correatrás. AMAISSEXYDOMUNDO Agoraéoficial!BrunaMar- quezine venceu a mais atraente delas. A atriz foi escolhida,com314.000vo- tos,avencedoranatradicio- naleleiçãodaMulherMais Sexy do Mundo, promo- vida todo ano pela revista “Vip”.Asfotosparaapubli- caçãoforamfeitasemFer- nandodeNoronha,nomês de setembro. O ensaio foi registrado, com exclusivi- dade, pela Retratos da Vi- da. Esta eleição é feita pe- la internet. Essa menina nãotemsiliconenosseios nemmuitosmúsculosde- finidos. Fora dos persona- gens,gostaderoupassim- pleselargasquenãomos- tram muito o corpo e pou- camaquiagem.Seráquea preferenciadoshomenses- támudando? Atençãomu- lheres!Comestanovamo- dadecorpodefinidoema- lhado,oshomensnãogos- tamdecompetircommús- culosfemininos. Amaioria doshomenspreferemmu- lheresdefinidas,maisfemi- ninase sensuais,enãocor- poscommuitosmúsculos. Ficaadica!!! Aiiii que Gracinha ... essa fofura toda é a Maria filha da Karine e do Christyan. A foto e da Naja Resende. TÁNAMORANDO!!! Novocasalnacidade,minha amiga,evizinha,Flávia!Estou vendosólovedaquidajanela. Quegracinhadessecasal,Flá- viaeLeonardo.Façovotosde felicidades!!! ABAILARINAGEOVANA Napontadospés,essabai- larina encantou a todos comseusorrisolindoedan- çou lindamente. Foi uma noitemuitomágica.Com- pletando 10 anos, na sua festa,alémdosváriosbrin- quedos,tevetambémaboa- te,apresentaçãodebalé,ho- menagemnotelãoeavisita damaisnovasensaçãodo Fuzuê:oFuzuelito. Geovanaéfilhadonos- so amigo Sérgio e na foto estátambémsuairmãAn- dressa.ParabénsGeovana, continue sempre assim dançandoesendoessalin- dacriançafeliz. massemespaçofísicoparaas pessoasviveremdignamente. Mudandodeassunto,va- moslá.Esserecadinhoéem especialparaaspessoasque criticam a nossa cidade so- bre a falta de cultura. Acon- teceránaPraiaMunicipalno sábadoumespaçoparanos- sos artistas da nossa terra e regiãomostraremseutalen- tomusical. Seráo1°Festival deMúsica Autoral deLagoa daPrata-Lacustre,sábadoàs 15:30h,entradafranca. #Fica adica.Euvouestarpresentee façoquestãodeprestigiares- teeventocultural.Entãosaia dainternet,paredecriticar,le- vante-seevenhaconferir.Te- mosexcelentesartistas,mas oquefaltaéumbompúblico para incentivar a fazer cada vezmelhor. NOVOENDEREÇO MinhaamigaChrisKelymudouosalãodelugar,estàdecasa nova,agoraoferecendonovosserviços.Ficouumluxo,tudono- voepintadopeloVinicius,alémdeserumótimocabelereiroé criativoemdecoração.Av.GetúlioVargas,nº1085.
  26. 26. RELÍQUIAS!!! Nodia01defevereiroseráoencontrodecarrosemotosanti- gos.Paraosamantesdessesmodelosecolecionadoreséuma boaoportunidadeparatrocarfigurinhasefazerboasfotos.Pa- raaspessoasquenãoconheceméumaexcelenteoportuni- dadeparaconhecermelhorevergrandesmáquinaspossan- tesdosanos70.SerárealizadonaMotoPistaTeodoro,locali- zadanaruaGoiás,n°650, bairroAlexandrinapróximoàPraia. Exposição LEONARDO DA VINCI Omaterialfazpartedoacer- vodoMuseoNazionaledella ScienzaedellaTecnologiaLe- onardo da Vinci (MUST), de Milão,naItália.Osprojetosfo- ramproduzidosporpesquisa- doreseengenheiros,em1952, paraacelebraçãodo‘aniver- sáriode500anos’deLeonardo daVinci,quenasceuem1452. Sãomáquinas,desenhos,pro- INGRESSOS ESGOTADOS Tudo que Miguel Fala- bella toca vira ouro. Além decolocar50ingressos na internet, as pessoas ficam nafilanaesperançadede- sistênciaparaentrarepres- tigiaranovapeçamusical. O Teatro do Sesi-SP se preparaparamaisseisme- ses de apresentações gra- tuitas. A partir de 14 de ja- neiro, a montagem ganha novas sessões, novamen- tecomentradatotalmente CatracaLivreedistribuição onlinedeingressos.Have- rá50ingressosdisponíveis porsessãopararetiradadi- retamentenabilheteriado 41ª CAMPANHA DE POPU- LARIZAÇÃO DO TEATRO EMBH A Campanha começou na décadade70,quandoprodu- toreseartistaspreocupados com a diminuição das pes- soasnosespetáculospropu- seramaoGovernoFederala criaçãodeumaaçãoparaes- timularopúblicoairaotea- tro.Assim,nasceuaCampa- nhadasKombis,poisosin- gressos,apreçosreduzidos, eramvendidosnessespostos móveis,localizadosnocentro dacidadeeemoutrosbairros. Aaçãofoiumgrandesucesso eseespalhouporoutroses- tados.Comotempoeasmo- dificações,apenasMinasGe- raiseSãoPaulocontinuaram jetoseesboçosdedaVinci.A exposiçãofoifeitaapartirdo métododetrabalhodoartis- ta.Oobjetivo,segundoocura- dordaexposição,é“renovara percepçãosobresuaatuação comoengenheiroepensador, explicandoaimportânciade seulegadonocontextohistó- ricoesocialdaépoca”.Opú- blicovaipoderconferirestu- dosdedaVincisobreoauto- móvel,avião,submarino,bi- cicleta, tanque de guerra e mecanismosdorelógio,por exemplo. Estive presente na exposi- ção e fiquei impressionada com a inteligência do artis- ta e a criatividade em criar tantosmecanismosqueho- jenãoconseguimosmaisvi- versematecnologia. Quem tiveroportunidadede passar porSãoPauloeconferiréen- tradafranca. Serviço: ExposiçãoLeonardodaVin- ci,aNaturezadaInvenção Local:CentroCulturalFiesp -RuthCardoso. Endereço: Avenida Paulis- ta,1.313. Quando:de11denovembro de2014a10demaiode2015, das10hàs20h. Entradagratuitaecomclas- sificaçãoindicativalivre. comoprojeto. Nacapitalmineira,aCampa- nhafoiassumidaem1983pe- loSinparc(naépoca,Amparc) epassouasechamarCampa- nhadePopularizaçãodoTea- tro.Em1999,adançafoiinclu- ídanoprojetoeonomemu- douparaCampanhadePopu- larizaçãodoTeatroedaDan- ça. Hoje, além de Belo Hori- zonte,ascidadesdeJuizde Fora, Betim e Itabirito tam- bémfazempartedoevento. ACampanhadePopulariza- ção do Teatro e da Dança é umareferêncianoBrasileo maiorprojetodepopulariza- çãodasartescênicasnopaís. O Grupo Galpão estará pre- senteefarásuasapresenta- çõesduranteosdias05á08 de fevereiro com a peça: DE TEMPO SOMOS – UM SA- RAU DO GRUPO GALPÃO COMADireção:LydiaDelPic- chiaeSimoneOrdone. ClassificaçãoLivre Gênero:SarauLiterárioMu- sical Duração:70minutos 41ªCampanhadePopulari- zaçãodoTeatroedaDança 5a8defevereiro Quintaasábado–21h Domingo–19h Teatro Bradesco (Rua da Bahia,2244–Lourdes) Informações:313516-1360 Ingressosàvendanospos- tosdoSinparcoupelosite: http://www.sinparc.com.br/ ingressobh/index.php espaço.Oespetáculoganha vidaemumaespéciedema- ratonasemanal,sendoapre- sentadodequartaadomin- go.ComtextooriginaldeDa- leWasserman,músicasde MitchLeigheletrasdeJoe Darion,amontagemganha produçãodoAtelierdeCul- turaapós42anosdaprimei- ra versão teatral brasileira, dirigidaporFlávioRangel. Oclássico“OHomemde LaMancha”foiinspiradoem “DomQuixote”,deMiguelde Cervantes(1547-1616),eFa- labellaacrescentoupitadas doBispodoRosário,umar- tistaplásticoautodidataque ficouinternadopor50anos na Colônia Juliano Morei- ra,umhospício.Todaatra- ma do espetáculo é, pois, ambientada em um mani- cômiobrasileirodofinalda décadade1930.Paraoelen- co,foramescalados35ato- res,entregrandesnomesdo teatronacional,comoSara Sarres, Guilherme Santan- na,CletoBaccic,JorgeMaia, Kiara Sasso, Ivan Paren- te, Ivanna Domenyco, Car- los Capeletti, Fred Reuter e muitomais. Agoraéficargrudadona internetparaconseguirre- tirarseuingressoparacon- ferirestegrandeespetáculo. Valeapena!!!

×