S. A. DO MONTE
Vereadores Quelli Couto, Cida e Natinho tiraram
recursos até das diárias de viagens dos motoristas das
ambu...
ANO ii • Edição 41
16/01/2015 a 30/01/2015
www.jornalcidademg.com.br
OPINIÃO2
CARTA AO LEITOR
Juliano Rossi | Jornalista e...
ANO ii • Edição 41
16/01/2015 a 30/01/2015
www.jornalcidademg.com.br
POLÍTICA4
llAofinaldecadaanolegislativo,quandoaCâmara...
ANO ii • Edição 41
16/01/2015 a 30/01/2015
facebook.com/jornalcidademg
CIDADES 5
ll No dia 4 de dezembro
de 2014 um veícul...
ll O mosquito transmis-
sor da dengue é originário
do Egito, na África, e vem
se espalhando pelas regi-
ões tropicais e su...
ll O projeto ainda es-
tá em fase de elabora-
ção juntamente com o
Conselho Municipal de
Saúde e tem como obje-
tivo envol...
lApicadadomosquitoéa
únicaformadetransmis-
sãodadengue?
Sim,adenguenãoétransmiti-
daporpessoas,objetosouou-
trosanimais.
l...
Entenda a ChikungunyallAinfecçãopelovíruschi-
kungunyaprovocasintomas
parecidoscomosdadengue,
porém mais dolorosos. No
idi...
ANO ii • Edição 41
16/01/2015 a 30/01/2015
facebook.com/jornalcidademg
ll Idealizado por jovens
músicos lagopratenses,
jun...
ANO ii • Edição 41
16/01/2015 a 30/01/2015
www.jornalcidademg.com.br
COLUNISTAS12
José Antônio (Rádio Samonte FM)
bandeira...
Maquiador das famosas
revela tendências de make
para o verão 2015
Dicas de
moda rápidas
Fernando Torquatto conta o que vai...
ANO ii • Edição 41
16/01/2015 a 30/01/2015
www.jornalcidademg.com.br
COLUNISTAS14
Nilson Antonio Bessas é Diretor do Sicoo...
ANO ii • Edição 41
16/01/2015 a 30/01/2015
facebook.com/jornalcidademg
SOCIAL 15
Michele Pacheco
michele@jornalcidademg.co...
ANO ii • Edição 41
16/01/2015 a 30/01/2015
www.jornalcidademg.com.br
llOSicoobCredipratare-
alizounoperíodode13a21
de deze...
Jornal Cidade - Lagoa da Prata, Santo Antônio do Monte e região - Ano II Nº 41
Jornal Cidade - Lagoa da Prata, Santo Antônio do Monte e região - Ano II Nº 41
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Jornal Cidade - Lagoa da Prata, Santo Antônio do Monte e região - Ano II Nº 41

4.030 visualizações

Publicada em

Publicada em: Notícias e política
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.030
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3.596
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Jornal Cidade - Lagoa da Prata, Santo Antônio do Monte e região - Ano II Nº 41

  1. 1. S. A. DO MONTE Vereadores Quelli Couto, Cida e Natinho tiraram recursos até das diárias de viagens dos motoristas das ambulâncias. Mudanças no orçamento municipal chegam a um milhão, trezentos e dois mil reais. Polêmica do carro guinchado da Secretaria de Saúde Página 05 Páginas 05 e 11 Página 15 Páginas 12 e 14 Eventos Culturais agitam S. A. do Monte e Lagoa da Prata Confira “fotos e babados” na coluna Estrelando, de Michele Pacheco Confira o “Causo” do José Antônio, a receita da Solange Barbosa e o artigo do Nilson Bessas COLUNISTASSOCIALCULTURA Em nota, prefeitura afirma que veículo foi rebocado por causa de multa, mas despachante garante que multas em atraso não são motivos para o guincho Cortes no orçamento prejudica a Saúde Página 04 LAGOA DA PRATA
  2. 2. ANO ii • Edição 41 16/01/2015 a 30/01/2015 www.jornalcidademg.com.br OPINIÃO2 CARTA AO LEITOR Juliano Rossi | Jornalista e Diretor do Jornal Cidade juliano@jornalcidademg.com.br ll Os vereadores voltarão do recesso parlamentar no início defevereiro.Ascâmarasmuni- cipaisestarãosobnovadireção. Em Santo Antônio do Monte, o vereador Martim Rodrigues se- ráopresidente,juntamentecom outrostrêscolegasdabasedogo- verno:LuisAntônioResende(vi- ce), Américo Libério da Silva (1º secretário) e Antônio Sebastião de Miranda (2º secretário). Em Lagoa da Prata, a composição da mesa diretora da Câmara fi- cou predominantemente ocu- pada por vereadores da oposi- ção.QuelliCoutoseráapresiden- te,tendocomovicePauloRober- toPereira.CidaMarcelinoeNati- nhoserãoossecretários.Apenas PauloRobertonãoparticipafor- malmentedoblocodeoposição aogoverno. SAMONTE O presidente Martim des- tacaque,duranteoseumanda- toàfrentedolegislativo,câmara eprefeituraestarãoemsintonia. “Nossoobjetivoéuno,eesteéo bem da população. Quero con- tarcomacomunidade,equees- tafaçadaCâmaraavossacasa”, afirmou. Martimpretenderevertodo oregimentointernodoLegislati- vo,criadoem1990.Tambémde- sejarevisareatualizaraLeiOrgâ- nicaMunicipal,promoverações llVimosnasúltimaseleições presidenciais a demonstração mais factível de que os políti- cosnãoestãonemaíparaopa- ís,estadooucidadeemquego- vernam ou legislam. O que es- tá em jogo é o projeto de poder e o uso dos instrumentos pú- blicos para beneficiar os seus intere$$es partidários, com ra- ríssimasexceções. As redes sociais potencia- lizaram a disseminação de de- sinformações que interessam aos grupos políticos. De um la- do, a presidente reeleita Dilma Roussefinventoumentirasso- bre os seus adversários, mos- trou um país que não existia e agora, já no segundo mandato, estáfazendoexatamenteocon- trário do que havia prometido durante a campanha. O adver- sário dela, o tucano Aécio Ne- ves,especialistaemmanipula- ção e controle dos veículos de imprensa, também caluniou e prometeu continuar muitos projetos que seus adversários já faziam. Chegou ao cúmulo demanipularumapesquisade umtalInstitutoVeritá(cujono- me lembra algo relacionado ao candomblé) para evitar a der- rota em seu próprio estado, em vão.Ocertoéqueosdoisdeixa- ramdeladosuasideologiaspo- líticaseadaptaramosseusdis- cursos, de forma conveniente, para tentar ganhar a eleição e enganar o eleitor. É o projeto de poder que está em jogo. Ne- nhum apresentou um projeto depaís. E essa metástase vai se alastrando em todas as esfe- ras,inclusiveamunicipal. OMISSÃO A principal função de um vereadorévotareelaborarleis. sociaisemelhoriasparaapopu- lação dentro dos serviços pres- tadospelaCâmara. “Alémdisso, queroapopulaçãopresente.As pessoasnecessitamsaberoque ecomoascoisasacontecemna Câmara. Sem contar que quero quesaibamdosserviçosquees- tamosprestandoàcomunidade. Bemcomocontinuardandoan- damentoaoserviçoqueoantigo presidentedeuinício”,frisou. LAGOADAPRATA QuelliCoutofoiaúnicacan- didataaocargodepresidentena CâmaradeLagoadaPratae,con- sequentemente, recebeu o voto de todos os vereadores. Ela é a segunda mulher a dirigir o Po- derLegislativonacidade.“Essa eleiçãorepresentaavalorização e o reconhecimento da capaci- dadedenós,mulheres,demos- trarmososnossosvaloresquete- mosnasociedadeenavidapú- blica”,afirma. Apresidentedissequepre- tenderesgatarorespeitoeadig- nidadedaCâmaradiantedoPo- der Executivo e da população. “Vamos examinar os projetos sempre à luz da transparência, respeito ao regimento interno, aleiorgânicadomunicípioeos princípiosconstitucionais.Va- mos trabalhar na fiscalização da aplicação dos recursos pú- blicos”. Osparlamentaremtambémsão responsáveis pela fiscaliza- ção dos atos do Poder Executi- vo, ou seja, da prefeitura. Essas atribuiçõessãoinerentesàfun- ção.Issosignificaqueseovere- adorascumpre,nãoestáfazen- donadamaisdoqueasuaobri- gação. Nos tempos atuais, não há espaço para os mais ou me- nos.Éprecisofazeradiferença efazermuitomais. Isto posto, o vereador tam- bémtempoderesparaobterre- cursos para o município, por meio de relacionamento com deputados estaduais e fede- rais, que podem direcionar emendas parlamentares para investimento nos municípios. Enestesentido,osatuaislegis- ladoresdeLagoadaPrataeS.A. do Monte tem produzido mui- topouco(ouquasenada)aesse respeito. Isso significa que, ao finaldedoisanosdelegislatura, otrabalhodamaioriadelesnão trouxe nenhum benefício con- cretoparaaspopulaçõesdestas cidades. Uma comparação é válida neste sentido. Todos os parla- mentares atuais de Lagoa da Prata,juntos,nãotrouxeramem benefíciosparaacidadeoqueo ex-vereadorNarcízioNazacon- seguiusozinho.Aqui,nãoestão emdiscussãoosexcessoseer- ros cometidos pelo Naza, mas, sim,aatuaçãoeresultadosque ele obteve no exercício da fun- ção. Iremos apurar estas infor- maçõesetrazerparaoleitornas próximasedições. E como se não bastasse a ínfima obtenção de recursos e iniciativas dos atuais vereado- resnessesdoisprimeirosanos, eles foram omissos quando a Câmara teve a oportunidade decorrigiramaiorinjustiçatri- butária do município, por oca- sião da votação da correção do IPTU. Épúblicoenotórioqueeste impostoemLagoadaPrataestá desatualizado há muitos anos. De modo que, em certos casos, proprietários de imóveis que valem acima de um milhão de reais pagam o mesmo valor do IPTU que um cidadão, proprie- tário de uma casa popular em um bairro distante do centro, paga. Tem até vereador que se beneficia dessa aberração tri- butária. O fato é que, em 2013 a pre- feituraenviouparaaCâmarade LagoadaPrataumprojetodelei quepretendiacorrigiracobran- ça do imposto. É certo que pro- posta do governo também era um disparate, com a atualiza- ção dos valores de forma exor- bitante, de modo que certos contribuintes teriam elevado o seu imposto de 150 reais/ano para3.000reais/anodeumasó vez. O vereador Paulo Rober- to Pereira debruçou-se sobre o projeto, elaborou planilhas, estudou caso a caso e chegou a uma alternativa que corrigia gradativamente a cobrança do imposto, acabando, em médio prazo,comessainjustiçatribu- tária sem que o cidadão tives- se o impacto imediato do au- mento desse imposto em seu bolso. Proposta dentro da rea- lidade, onde o município teria a sua arrecadação aumentada e pagaria menos quem tivesse imóveldemenorvalor. A proposta do vereador PauloRobertoPereirasequerfoi votada,porquenãoconseguiuo apoio dos colegas para ir a ple- nário.Éissomesmo!Osdemais vereadoresseomitiram.Ora!Se o Executivo apresenta um pro- jetodeleieovereadornãocon- cordacomaproposta,ele,ove- reador, tem por obrigação mo- ral, de, no mínimo, apresentar outraalternativa. Masnãofoiissooqueacon- teceu! O título desse texto afir- ma a existência da política a serviçodeinteressespessoais. Efatoscomoessecorrobo- ram essa tese. Os vereadores “amarelaram” mais uma vez por medo de perder votos. Afi- nal,discutirreajustedeimpos- to pode trazer abalos na ima- gem pessoal do político, mas, se a discussão for feita de for- ma responsável e voltada para obemcomum,épossívelqueo cidadão/eleitorsepareojoiodo trigo. Infelizmente, o projeto de se manter no poder sobrepôs oprojetoemproldomunicípio. Preferiram fazer média para a plateiaqueouveassessõespe- lo rádio do que discutir, de for- ma apartidária, uma iniciativa que iria beneficiar toda a cida- de. GASTOSCOMPUBLICIDADE Não estou entendendo to- do esse alarde que a Câmara deLagoadaPrataestáfazendo em relação aos gastos com pu- blicidadedaPrefeitura!Nãosei seosvereadoresfizeramacon- ta, mas o gasto com publicida- dedelesficou15vezesmaiordo que o gasto da Administração Municipalem2014. Éissomesmo!Osvereado- res gastaram com propaganda 15vezesmaisdoqueaprefeitu- ra,proporcionalmenteaosseus respectivosorçamentos. Traremosmaisdetalhesna próximaedição. Novos presidentes assumem comando das Câmaras de LP e Samonte LAGOA DA PRATA E S. A. DO MONTE Vereador Martim, presidente da Câmara de Samonte E A Vereadora Quellli, presidente da Câmara de Lagoa DA PRATA
  3. 3. ANO ii • Edição 41 16/01/2015 a 30/01/2015 www.jornalcidademg.com.br POLÍTICA4 llAofinaldecadaanolegislativo,quandoaCâmaraMunici- pal vota o orçamento do município para o próximo exercício, os vereadores têm a oportunidade de sentirem-se como che- fes do Poder Executivo, mesmo que por alguns instantes, ao apresentarem emendas ao orçamento indicando onde a pre- feituradeveinvestirosrecursos-muitasdasvezessendocon- tráriosaotrabalhoelaboradodurantesemanaspelostécnicos da administração municipal, dentre eles, contadores, tesou- reiroeanalistadesistema. Os cortes no orçamento totalizam R$ 1.302.000,00. As emendas retiraram verbas dos gastos com material de con- sumo, publicidade, consultoria, diárias de viagens, serviços e destinaram-nas para as áreas de segurança, assistência so- cial, educação, coleta de lixo e esportes, sem levar em consi- deraçãoseosrecursosiriaminviabilizarassuasáreasdeori- gem. As emendas apresentadas pelos vereadores de oposição Quelli Couto (PPS), Cida Marcelino (PRB) e Natinho (PDT), e aprovadas pelos colegas (Adriano Moraes, Adriano Moreira e Di-Gianne), se por um lado indicaram importantes áreas on- deaprefeituradeveconcentrarosseusinvestimentos,porou- tro,segundoasecretáriamunicipaldeFazenda,NíviaMariade Melo, inviabilizam os trabalhos da administração municipal. “Eu não sei qual foi a intenção dos vereadores. Acho que eles tentaram fazer o papel do Executivo. A lei permite que eles façam as emendas, mas tinham que ter estudado. Não esta- mos brincando de fazer o orçamento. Somos técnicos. O que foifeitoláinviabilizaofuncionamentodaprefeitura”,afirma Melo. A autora das emendas, Quelli, se defende argumentando queoExecutivopodeenviarnovosprojetosdesuplementação para serem analisados pela Câmara ou então movimentar os 5%doorçamentopordecreto,semconsultaaoPoderLegisla- tivo, conformeprevêalegislaçãomunicipal. OJornalCidadeouviuavereadoraQuellieasecretáriaNí- via, quemanifestaramsobreas polêmicas emendas: DIÁRIAS DE VIAGENS DO FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE DeacordocomNívia,aprefeiturapreviugastarR$190mil em2015emdiáriasdeviagensdoFundoMunicipaldeSaúde, que englobam todos os funcionários da Secretaria de Saúde, dentreelesosmotoristasdasambulânciaseveículosquevia- jamdiariamentetransportandopacientesparaváriascidades doestado.“OsvereadorestiraramR$40mildessafichaorça- mentária”. AvereadoraQuelliafirmaqueelescortaramapenasasdi- áriasdeviagemdosecretáriodeSaúde,deR$10milparaR$5 milporano,masasecretáriaexplicaqueQuelli,CidaeNatinho também tiraram recursos das diárias do Fundo Municipal de Saúde, conformeaunidadeorçamentáriadenúmero021202. MATERIAL DE CONSUMO DO GABINETE DO PREFEITO Nívia:“Essaverbaéutilizadaparatodoomaterialdeconsumo dogabinete,comomaterialdeescritório,combustívelepeças para o veículo do prefeito. A previsão era gastar até R$ 27 mil em 2015. Os vereadores deixaram só R$ 2 mil nesta ficha. Pa- ravocêterideia,somenteemcombustível,ocarrodoprefeito gastou R$ 14 mil em 2013. Em 2012, último ano do governo Di- vininho,gastouR$21milcomcombustível.Esseveículotam- béméutilizadopelaSecretariadeSaúdeparalevarpacientes quandoosoutroscarrosnãoestãodisponíveis”. Quelli:“Eudesconheçoessaquestão.Quandooorçamentovem paraaCâmaraelenãovemespecificandoseéparaocarrodo prefeito.Vemcomvalorglobalealgumasespecificações.Não étãominucioso”. Questionadasobrecomoosvereaoresfizeramcortesnoor- çamentosemsaberexatamentedoquesetratavaafichaorça- mentária,avereadoraQuelliexplicouqueotextodoorçamen- to apresenta apenas nomenclaturas gerais, como por exem- plo “material de consumo”, “material permanente”. “Não vem falando se são mesas ou cadeiras. Não vem o detalhamento doqueserácomprado”, argumenta. Nívia: “Os vereadores têm ferramentas e informações sufi- cientesparasaberemdetodososgastosdasfichasorçamen- tárias.Seelaverificaroqueagentepagounessaficha,vaive- rificar todas as despesas pagas. Qualquer pessoa pode entrar no site do TCE e ver tudo que a prefeitura gasta em qualquer setor.Elatemferramentasparaisso”. SERVIÇOS CONTRATADOS PELO GABINETE Nívia: “A nossa previsão era investir R$ 28 mil em 2015. Essa verbaéutilizadaparapagartodososserviçoscontratadospe- lo gabinete, como oficina mecânica, energia elétrica e telefo- nia, como todos os telefones fixos e celulares de todos os se- cretários.OsvereadoresdeixaramsomenteR$2milnessafi- chaparaoanotodo”. Quelli:“Eudesconheçoessasemendas.Asemendasquefize- mosforamnasáreasdeconsultoria,publicidadeealgumasdi- áriasdeviagens,quetambémachamosaltas.Masnãosãodiá- riasdemotoristasdeambulância.Sãoapenasdossecretários”. GASTO COM PUBLICIDADE Nívia:“AprefeituraenviouparaaCâmaraadotaçãodeR$100 mil para ser gasta com publicidade em 2015. Os vereadores cortaram R$ 80 mil. Essa verba é utilizada pela assessoria de comunicaçãoparadivulgartodasasaçõesdaadministração, como campanhas educativas da dengue, vacinação, progra- maçãodeeventoscomoocarnaval,etc”. Quelli:“R$20milparapublicidade,entendoqueaprefeiturapo- degastarmenos.Seoprefeitoentenderqueépouco,elepode suplementar o que precisar dentro dos 5% que ele tem dispo- nívelnoorçamento.Sótiramosaverbadapublicidadeporque não pudemos tirar de outras áreas. Se o prefeito quiser gastar maisésósuplementar”. Veja no quadro ao lado quanto a prefeitura de Lagoa da Prata gastou com publicidade nos últimos 10 anos. CONSULTORIA JURÍDICA Nívia: “Temos um contrato com o escritório Ferraz e Vascon- celos.Aprefeituratemcincoadvogados.Doisdelesficamex- clusivamente dedicados ao setor de compras e licitação. To- dasascomprasprecisamterumparecerjurídico.Sãomaisde milprocessosporano.ADéboraficacomascausastrabalhis- tas em Bom Despacho. O procurador responde por todas as áreas da assessoria e o assessor da procuradoria é responsá- velpelocadastro.Comonãotemosadvogadossuficientespa- raacompanhartodososprocessos,essaempresaacompanha nossosprocessosnoEstadoeaténoSTF,atéotrânsitoemjul- gado,alémdeelaboraçãodeconsultoriasjurídicas,novasleis ecomodevemosnosadequar.Elesfazemtodosessesestudos. Alémdisso,omunicípiorespondeamaisde700processostra- balhistasqueforamgeradosnasadministraçõesanteriores”. Quelli: “No ano passado essa consultoria foi de R$ 150 mil. E agora ela dobrou. É um valor alto. Essa assessoria é necessá- ria,masentendemosserumvaloraltoedesnecessário.Osad- vogadosdaprefeituranãopodemfazertudo,maspodemfazer amaiorpartedoserviço”. CORTE NO ORÇAMENTO REPERCUTE NA IMPRENSA OscortesnoorçamentoapresentadospelaCâmarare- percutiramnaimprensa.OjornalistaDirceuPereira,doGru- poDPAeRádioVeredasFM,equemantémumcontratode divulgaçãodas ações daprefeituradesdeoprimeiroman- datodoex-prefeitoDivininho,criticouocortedaverbadas diárias dos motoristas das ambulâncias e da publicidade. “O caminho é de mostrar ideias, serviços e compromisso, não deixando de mostrar as coisas boas de Lagoa da Pra- ta. Eu não sei se tem outros vereadores que também em- barcaramnestacanoa,issoéruimparaacidadeepéssimo paraopovo.Opovonãoquersaberdisso,opovoquersaber deumacidadequevaiparafrente,deprogresso,quetenha coisas boas e não esta política que Lagoa da Prata adotou. Nãotenhonoçãototaldeorçamentosdomunicípio,masa senhora(Quelli)estáentrandoparaumalistanegradepes- soas que vão passar pela Câmara e serão esquecidas por- quenãofizeramnadadebomparaacidade”,questionou. Dirceudissequeembreveiráiniciaracampanha “Qualopiorvereadordesuacidade?” O jornalista convidou os vereadores Natinho, Quelli e Cida Marcelino para um debate ao vivo na Rádio Veredas, que seria realizado no último sábado. Mas os parlamenta- resnãocompareceram. Mudanças no orçamento desarticula governo municipal LAGOA DA PRATA Vereadores Quelli Couto, Cida e Natinho tiraram recursos até das diárias de viagens dos motoristas das ambulâncias. Mudanças no orçamento chegam a um milhão, trezentos e dois mil reais.
  4. 4. ANO ii • Edição 41 16/01/2015 a 30/01/2015 facebook.com/jornalcidademg CIDADES 5 ll No dia 4 de dezembro de 2014 um veículo da Pre- feitura de Santo Antônio do Montefoiabordadopróximo à Itapecerica, ainda de ma- drugada, pela Polícia Rodo- viária e guinchado após ser constatado que estava em situação irregular. Na oca- sião, uma moradora da ci- dade estava sendo levada a uma consulta em Santo Antônio do Amparo, no sul deMinas.“Aquilofoiumato humilhante e degradante. Minha autoestima e moral foram lá embaixo por pas- sar uma humilhação tão grande. Ter que descer de um veículo da Secretaria de Saúde porque ele estava sendo apreendido por fal- ta de licenciamento! Fica- va pensando sobre o que as pessoas que passavam por aquelelocaliriampensarde nós (eu e o motorista)”, re- clamouEunicedeQueiróz. Aassessoriadecomuni- cação da prefeitura de San- to Antônio do Monte infor- mou em nota enviada ao Jornal Cidade que o motivo do reboque do veículo teria sidoporcausadeumamul- tadetrânsitoqueaadminis- tração municipal não tinha conhecimento. “O Tribunal de Contas do Estado de Mi- nas proíbe o pagamento de multas de trânsito com re- cursos municipais, assim o município regulamen- tou pelo decreto nº 274 de 14/11/2012 que todas as in- fraçõesdevemsersuporta- das pelos infratores. O qual foiidentificadonaépocada infração,ouseja,24deoutu- brode2012″,afirmouaases- soria. No site do Detran, em consulta realizada no dia 6 de janeiro, constava que o veículo da Secretaria de Saúdetinhaamultaporex- cesso de velocidade e tam- bémumainfraçãopor“con- duzir o veículo registrado que não esteja devidamen- telicenciado”. Um especialista em trânsito e proprietário de um despachante ouvido pelo Jornal Cidade contes- ta a versão apresentada pe- logovernodeSantoAntônio do Monte e avalia o que po- deteracontecido.“Veículos quepertencemaprefeituras são isentos do pagamento do IPVA e do seguro DPVAT. Porém, precisam portar o CRLV – Certificado de Re- gistro e Licença do Veículo –doanovigente.Oquepro- vavelmente deve ter acon- tecidoéqueomotoristanão conferiuosdocumentosdo veículoantesdeseguirvia- gem e, consequentemente, nãopercebeuqueocarroes- tava sem o CRLV”, explica o despachante, que pediu si- gilodesuaidentidade. DeacordocomoDetran, o veículo foi licenciado no dia10dedezembro. Polêmica do carro guinchado da Secretaria de Saúde S. A. DO MONTE Em nota, prefeitura afirma que veículo foi rebocado por causa de multa, mas despachante garante que multas em atraso não são motivos para o guincho REPRODUÇÃO DA TELA DE CONSULTA NO SITE DO DETRAN-MG ll Inspirado pela canção da banda de pop rock mi- neira Jota Quest – “Vive- mos esperando Dias Me- lhores”,oprofessorIgorSil- vapromoveentreosdias21 a 25 de janeiro, às 19h, no Centro Cultural João Rob- sondeCastro–CETUC,a5ª edição da Mostra Cultural dosseusalunos. A Escola de música do professor Igor Silva funcio- na,atravésdeumaparceria comaAdministraçãoMuni- cipal,noterceiropisodoCE- TUC. A Prefeitura disponibi- liza o espaço do teatro sem nenhumcustoparaosorga- nizadoresdeeventoscultu- raisoueducacionais,epara utilizá-lobastaagendarcom antecedênciaadatanoCen- trodeMemóriaMunicipal. Ao todo, mais de seten- ta músicos entre alunos e convidados, passarão pelo palco da V Mostra Cultural de Santo Antônio do Monte emapresentaçõesdeviolão, guitarraebaixo,algumasin- terpretadastambémporvo- cais. Professor Igor Silva confirma data da V Mostra Cultural de S. A do Monte S. A. DO MONTE FOTO: prefeitura de s. a. do monte FOTO: arquivo pessoal
  5. 5. ll O mosquito transmis- sor da dengue é originário do Egito, na África, e vem se espalhando pelas regi- ões tropicais e subtropi- cais do planeta desde o sé- culo 16, período das Gran- des Navegações. Admite- -se, segundo pesquisado- res do Instituto Oswaldo Cruz, que o vetor foi intro- duzido no Novo Mundo, no período colonial, por meio de navios que traficavam escravos. Ele foi descrito cientificamente pela pri- meira vez em 1762, quando Aedes aegypti é originário do Egito foi denominado Culex Ae- gypti. O nome definitivo - Aedes Aegypti - foi estabe- lecido em 1818, após a des- crição do gênero Aedes, re- latos da Organização Pan- AmericanadeSaúde(OPAS) mostam que a primeira epi- demia de dengue no conti- nente americano ocorreu no Peru, no início do sécu- lo 19, com surtos no Caribe, Estados unidos, Colômbia e Venezuela,. No Brasil, os primei- ros relatos de dengue da- tam do final do século XIX, Mosquito surgiu na África e se espalhou pelos países tropicais durante as Grandes Navegações em Curitiba (PR), e do iní- cio do século XX, em Nite- roi (Rj). No início do sécu- lo XX, o mosquito já era um problema,masnãoporcon- ta da dengue - na época a principalpreocupaçãoeraa transmissão da febre ama- rela. Em 1955, o Brasil erra- dicouoAedesaegypticomo resultado de medidas para o controle da febre amarela . No final da década de 1960, o relaxamento da medidas adotadas levou à reintrodu- ção do vetor em território nacional. hoje, o mosquito é encontrado em todos os estados brasileiros. Segundo dados do Mi- nistério da Saúde , a pri- meira ocorr~encia do ví- rus no país documentada clínica e laboratorialmen- te aconteceu em 1981- 1982, em Boa Vista (RR) cansada pelo vírus DENV -4. Anos depois, em 1986, houve epidemias no Rio de Janeiro e em algumas capitais do Nordeste. Des- de então, a dengue vem ocorrendo no Brasil de forma continuada. Pesquisa de 1908 já descrevia o mosquito ll Overãode1908deixoua populaçãocariocaemalerta pelo risco da febre amarela. FoinestecontextoqueAntô- nioCarlosPeryassú,pesqui- sadorentãoInstitutoSorote- rápicoFederal,queganharia onomedeInstitutoOswaldo Cruz (IOC), naquele mesmo ano, fez descobertas sobre o ciclo de vida os hábitos e abiologiadoAedesaegypti. Numa monografia com mais de 400 páginas, intitu- lada Os Culicídeos do Bra- sil, a entomologista descre- veuoshábitosdoAedesAe- gypti e de uma série de ou- tros mosquitos da mesma família, apresentando as- pectos nunca antes obser- vados de sua biologia. Du- rante dois anos, Peryassú realizou uma série de ex- perimentos com A. Aegyp- ti.Seuestudotrouxeprecio- sas informações sobre as- pectos como resistência do ovodomosquito,quepodefi- car até um ano sem contato comaágua.Tambémfazob- servaçõesquantoàproduti- vidadedoscriadouros,ques- tãoaindadebatidanaatuali- dadeafirmandoque,emge- ral,grandesreservatóriosde água são os focos mais pro- dutivosdovetor. Ao realizar o primei- ro levantamento detalhado da infestação do mosquito no Rio de Janeiro, o pesqui- sador associou a maior pre- sença do Aedes Aegypti ao aumento da densidade po- pulacional de certas áreas de certas áreas da cidade e tambémmostrouasimilari- dade entre o mapa da con- centração da população do inseto com o da ocorrência de casos de febre amarela. Suas observações mostram ainda,queaquedadatempe- ratura ambiente para me- nosde20Cinterferenode- senvolvimentoenaprodu- çãodomosquito,quesere- duzem drasticamente, le- vando a uma redução de casos. As descobertas de Peryassú deram ainda mais forças à campanha movida pelo médico sani- tarista Oswaldo Cruz para aeliminaçãodomosquito, quefoicontroladonadéca- da de 1920 no rio de janei- ro e considerado erradica- dodoBrasilpoucomaisde trintaanosdepois. ll O vetor foi descrito cientificamente pela primei- ra vez em 1762, quando foi denominado Culex ae- gypti. Culex significa “mosquito” e aegypti, “egípcio, portanto:mosquito egípcio. O gênero Aedes só foi des- crito em 1818. Logo verificou-se que a espécie aegypti , descrita anos ante, apresenta características morfoló- gicas ebiológicas semelhantes às deespécies dogêne- roAedes-enãoàsdojáconhecidogêneroCulex.Então foiestabelecidoonomeAedesAegypti. Por que o nome Aedes Aegypti? Saiba mais ll Os mosquitos fêmea sugam sangue para produzir ovos. Se o mosquito da dengue estiver infectado , pode- rátransmitirovírusdadenguenesteprocesso.Emgeral, os mosquitos sugam uma só pessoa a cada lote de ovos que produzem. O mosquito da dengue tem uma pecu- liaridade que se chama “discordância gonotrófica”, que significaqueécapazdepicarmaisdeumapessoapara ummesmolotedeovosqueproduz.hárelatodequeum sómosquitodadengueinfectivotransmitiudenguepa- racincopessoasdeumamesmafamília,nomesmodia. Quantas pessoas um mosquito é capaz de infectar? llAfêmeaprecisadesangueparaaproduçãodeovos. Tanto o macho quanto a fêmea se alimentam de subs- tâncias que contêm açúcar (néctar, seiva, entre outros), mas como o macho não produz ovos, não necessita de sangue. Embora possam ocasionalmente se alimentar comsangueantesdacúpula,asfêmaeasintensificama voracidadepelahematofagiaapósafecundação,quan- do precisam ingerir sangue para realizar o desenvolvi- mentocompletodosovos ematuraçãonosovários.nor- malmente,trêsdiaapósaingestãodesangueasfêmeas jáestãoaptasparaapostura,passandoentãoaprocurar localparadesovar. Por que só a fêmea pica?
  6. 6. ll O projeto ainda es- tá em fase de elabora- ção juntamente com o Conselho Municipal de Saúde e tem como obje- tivo envolver a popula- ção. De acordo com o co- ordenador da Vigilância Sanitária, o bioquímico Geraldo Mangelo de Al- meida, é preciso mobi- lizar a cidade para con- trolar os focos da den- gue. “Vamos atuar em várias frentes. E a prin- cipal será com as crian- Aula sobre dengue poderá entrar na grade curricular das escolas municipais de LP ças e adolescente nas es- colas, onde terão em sua grade curricular uma dis- ciplina semanal ligada à prevenção da dengue e da Chikungunya, para que se crie uma cultura de eli- minação dos criadouros. Em segundo plano, fare- mos uma parceria com as igrejas para que padres e pastores façam também campanhas orientando a população no combate ao mosquito; bem como as pastorais que atuem nes- ta linha. Em terceiro, fa- remos uma parceria com a sociedade organizada como ONGs, fundações e a Associação Comercial, que atuará junto aos em- presários. Enfim, trava- remos uma estratégia de guerra contra o mosqui- to”, enfatizou. Almeida garante que a doença está sob controle em Lagoa da Prata, mas o período que vai de janeiro a março requer cuidados: “Assim, estamos chaman- do a atenção da população para eliminar os criadou- ros. O ovo pode ficar depo- sitado no local por meses ou durante um ano intei- ro até a chuva chegar. Es- ses ovos começam a eclo- dir e transformam-se em larvas. Desse modo, con- sequentemente o número de casos podem aumen- tar”, destacou. O coordenador da Vi- gilância Sanitária afirma que a maioria dos focos é encontrada em residên- cias e terrenos baldios. “Há alguns casos em que as pessoas apresentam resistência para atender o nosso agente, mas por se tratar de um caso de saúde pública, caso ne- cessário, vamos atrás de uma ordem judicial para que a própria po- pulação não possa ser prejudicada, inclusive porque o mosquito já te- ve uma mutação, que é a febre Chikungunya “, afirmou. FOTO: ASCOM lP
  7. 7. lApicadadomosquitoéa únicaformadetransmis- sãodadengue? Sim,adenguenãoétransmiti- daporpessoas,objetosouou- trosanimais. lQualquerinseticidama- taomosquitodadengue? Sim,porémaaplicaçãodosin- seticidasatuasomentesobre a forma adulta do mosquito, surtindoefeitomomentâneo compoder residualdepouca duração. lUma pessoa infectada podepassaradoençapa- raoutra? Nãohátransmissãoporcon- tatodiretodeumdoenteoude suassecreçõesparapessoas sadias. Apessoatambémnão secontaminapormeiodefon- tesdeágua,alimento,ouuso deobjetospessoaisdodoen- tededengue. lAlgumoutromosquitoé capaz de transmitir a do- ença? Sim,omosquitoAedesAegyp- ti tambémpodeserencontra- doemáreasurbanas,também podetransmitiradengue. lTodomundoqueépica- do pelo mosquito Aedes Aegyptificadoente? Éprecisoqueomosquitoes- tejainfectadocomovírusda dengue. Além disso, muitas pessoaspicadaspelomosqui- toinfectadonãoapresentam sintomas.Outrasapresentam sintomasbrandosquepodem passardespercebidosoucon- fundidoscomgripe,existin- doaindaaquelasquesãoaco- metidasdeformaacentuada, comsintomatologiaexacer- bada. lApartirdequemomento deve-seprocurarummé- dico? Apartirdosprimeirossinto- mas. lPor que não se deve to- mar medicamentos a ba- se de ácido acetilsalicíli- cocomoaspirina,melho- raleAAS? Porqueestesmedicamentos temefeitosanticoagulantese podemcausarsangramentos. lQual é o tempo de cura paraadengue? Afebrecostumadurardetrês a oito dias e pode causar pe- quenas bolhas vermelhas em algumas regiões do cor- po,comopés,pernaseaxilas. Namaioriadasvezes,odoen- te demora uma semana pa- raficarbom.Porém,ocansa- çoeafaltadeapetitepodem demoraratéquinzediaspara sumir.Arecuperaçãocostu- masertotal. lHá cuidados especiais com bebês e crianças pe- quenas? Nascriançaspequenasado- ença assemelha-se mais a umainfecçãoviralinespecí- fica, sendo que os sintomas maisfrequentessão:febre,vô- mito,enasquejáfalam,ador abdominal.Aprostaçãoéme- nosintensa.Deve-se procurar ummédicologoqueaparecem osprimeirossintomas. lQuemjátevedengueuma vezpodesercontaminado novamenteouficaimune? Estudos indicam que uma pessoadoenteficaimunepa- rasemprecomrelaçãoaoso- rotipoquedeterminouainfec- ção,alémdoqueporumperí- ododealgunsmeseselafica protegida para qualquer dos sorotiposdadengue.Passado estetempo,seelasecontami- narporoutrotipodevírusdi- ferentedaquelequeseconta- minouantespoderátercom- prometimentodoquadroclí- nicoedesencadearadengue hemorrágica. lQual a diferença entre dengueclássicaouhemor- rágica? A clássica é mais branda do queahemorrágica,quepode atécausaramortedodoente. lAspessoasquejátiveram dengueumavezpodemde- senvolverotipohemorrá- gico? Sim,qualquerumdosquatro soropositivos da dengue po- decausaradenguehemorrá- gica.Aprobabilidadedema- nifestações hemorrágicas é menor em pessoas infecta- daspelaprimeiravez.Portan- to,pessoasquecontraemden- guemaisdeumavezapresen- tammaiorchancedecompli- caçõesdoquadroclínico,in- cluindo manifestações he- morrágicas. lO mesmo mosquito que transmite a dengue clás- sicapodetransmitirahe- morrágica? Sim. lÉverdadequeomosqui- tonãopicaànoite? A fêmea do Aedes tem hábi- tosdiurnos,nãocostumapi- caranoite. lQueoutroshábitosoAe- destem? O mosquito fica onde o ho- memestiver,epreferepicá-loa qualqueroutraespécieetam- bémgostadeáguaacumulada paracolocarseusovos. lÉverdadequeomosqui- tosereproduzmaisrápido nocalor? Sim.Nocaloroperíodorepro- dutivodomosquitoficamais curto e ele se reproduz com maiorvelocidade.Istoexplica oaumentosdoscasosdeden- guenoverão. l Quanto tempo vive o mosquitoAedesAegypti? Afêmeavivecercade30a45 diase,nesseperíodopodecon- taminaraté300pessoas. lÁgua de piscina é uma ameaça? Nãoseestiverrecebendootra- tamentoadequadocomapli- caçãodecloroem quantida- decorreta.Casocontráriose- ráumcriadourodemosquitos. lOs ovos ressecados do Aedestambémsãoumpe- rigo? Sim. Mesmo ressecados, os ovossãoperigosos.Elessobre- vivematéumanosemáguae, se neste período entrar em contatocomágua,ocicloevo- lutivorecomeça. lA solução de água sani- tária com água limpa nas plantaséeficiente? Não, é necessário substituir bromélias e outras plantas que acumulem água em su- asfolhas. lAplicaraborradecaféna água das plantas e sobre aterraajudaacombatero Aedes? Aeficáciadaborradecaféna dosagemdeduascolheresde sopaparameiocopodeágua nãofoicomprovadaesuauti- lizaçãonãosimplificaoscui- dadosrecomendados. lAborrifaçãodeinsetici- das mata os ovos ou ape- nasosmosquitosadultos? Apenasosmosquitosadultos. Porisso,aborrifaçãodeinse- ticidassóéeficaznocaso de surtosouepidemias.Parama- tarosmosquitoséprecisoaca- barcomosovos.casocontrá- rio, outros mosquitos nasce- rão. lComo a pessoa infecta- datransmiteovírusparao mosquito? Durante seis dias ela pode transmitirovírusparaomos- quito.Umdiaantesdecome- çarasentirossintomasenos cincoprimeirosdiasdesinto- ma.Depoisdisso,nãoinfecta mais. Fonte:MinistériodaSaúde Dúvidas sobre a dengue
  8. 8. Entenda a ChikungunyallAinfecçãopelovíruschi- kungunyaprovocasintomas parecidoscomosdadengue, porém mais dolorosos. No idioma africano makonde, o nomechikungunyasignifica “aqueles que se dobram”, em referência à postura que os pacientesadotamdiantedas penosasdoresarticularesque adoençacausa. Em compensação, com- parado com a dengue, o no- vovírusmatacommenosfre- quência.Emidosos,quandoa infecçãoéassociadaaoutros problemas de saúde, ela po- de até contribuir como cau- sademorte,porémcomplica- çõessériassãoraras,deacor- do com a Organização Mun- dialdaSaúde(OMS). Comoaspessoaspegam ovírus? Por ser transmitido pe- lo mesmo vetor da dengue, o mosquito Aedes aegypti, e também pelo mosquito Ae- desalbopictus,ainfecçãope- lochikungunyasegueosmes- mospadrõessazonaisdaden- gue,deacordocomoinfecto- logista Pedro Tauil, do Comi- têdeDoençasEmergentesda SociedadeBrasileiradeInfec- tologia(SBI). Oriscoaumenta,portan- to,emépocasdecalorechu- va,maispropíciasàreprodu- ção dos insetos. Eles também picamprincipalmenteduran- te o dia. A principal diferença de transmissão em relação à dengueéqueoAedesalbopic- tustambémpodeserencontra- doemáreasrurais,nãoapenas emcidades. Ochikungunyatemsub- tipos diferentes, como a dengue? Diferentementedadengue, quetemquatrosubtipos,ochi- kungunyaéúnico.Umavezque apessoaéinfectadaeserecu- pera,elasetornaimuneàdoen- ça.Quemjápegoudenguenão estánemmenosnemmaisvul- nerávelaochikungunya:apesar dos sintomas parecidos e da formadetransmissãosimilar, tratam-sedevírusdiferentes. Quaissãoossintomas? Entrequatroeoitodiasapós a picada do mosquito infecta- do,opacienteapresentafebre repentina acompanhada de doresnasarticulações.Outros sintomas,comodordecabeça, dor muscular, náusea e man- chasavermelhadasnapele,fa- zemcomqueoquadrosejapa- recidocomodadengue.Aprin- cipaldiferençasãoasintensas doresarticulares. Emmédia,ossintomasdu- ramentre10e15dias,desapare- cendoemseguida.Emalguns casos,porém,asdoresarticula- respodempermanecerporme- seseatéanos.Deacordocoma OMS,complicaçõesgravessão incomuns. Em casos mais ra- ros,hárelatosdecomplicações cardíacaseneurológicas,prin- cipalmenteempacientesido- sos.Comfrequência,ossinto- mas são tão brandos que a in- fecçãonãochegaaseridentifi- cada,ouéerroneamentediag- nosticadacomodengue. SegundoBarbosa,éimpor- tante observar que o chikun- gunya é “muito menos seve- roqueadengue,emtermosde produzircasosgravesehospi- talização”. Temtratamento? Nãoháumtratamentoca- pazdecurarainfecção,nemva- cinasvoltadasparapreveni-la. O tratamento é paliativo, com uso de antipiréticos e analgé- sicosparaaliviarossintomas. Seasdoresarticularesperma- necerempormuitotempoefo- remdolorosasdemais,umaop- çãoterapêuticaéousodecorti- coides. DeacordocomTauil,daSBI, osserviçosdesaúdebrasileiros jáestãopreparadosparaidenti- ficaradoença.“Provavelmen- te quem vai receber esses ca- sossãoreumatologistas.Jáes- crevemosartigosvoltadospa- raessesprofissionais,orientan- do-osaficaratentosapessoas provenientesdeáreasemque hátransmissão”,dizoinfecto- logista.Pessoasqueapresenta- remossintomascitadoseesti- veremvoltandodeáreasonde existe a transmissão do vírus, como o Caribe, devem comu- nicaromédico. Apesardehaverpoucosris- cosdeformashemorrágicasda infecçãoporchikungunya,re- comenda-se evitar medica- mentosàbasedeácidoacetil- salicílico(aspirina)nosprimei- rosdiasdesintomas,antesda obtençãododiagnósticodefini- tivo. Comoseprevenir? Sobre a prevenção, valem asmesmasregrasaplicadasà dengue:elaéfeitapormeiodo controle dos mosquitos que transmitemovírus. Portanto,evitaráguapara- da,queosinsetosusamparase reproduzir,éaprincipalmedida. Emcasosespecíficosdesurtos, ousodeinseticidasetelaspro- tetoras nas janelas das casas tambémpodeseraconselhado. Quemedidaspreventivas ogovernobrasileiroado- tou? Desdeoanopassado,quan- do foram confirmados os pri- meiroscasosdechikungunya noCaribe,oMinistériodaSaú- decomeçouaelaborarumpla- nodecontingênciadovíruspa- raoBrasil.“Existeapossibilida- dedetransmissãoemtodolo- calquehámosquitosvetores”, explicaosecretárioBarbosa. O plano consiste em pro- mover uma redução drástica da população de mosquitos nosarredoresdeondeosca- sossãoidentificadoseorien- tar médicos, assistentes e profissionaisdelaboratórios dereferênciasobrecomore- conhecer um caso suspeito. Atualmente,seislaboratórios dopaíssãocapazesdefazero testeparadetectaronovoví- rus. Em2010,oBrasiljátinha recebidotrêscasosdadoença doexterior:doissurfistasque foraminfectadosnaIndoné- siaeumamissionária,naÍn- dia.
  9. 9. ANO ii • Edição 41 16/01/2015 a 30/01/2015 facebook.com/jornalcidademg ll Idealizado por jovens músicos lagopratenses, juntamente com a Secre- taria Municipal de Cultu- ra e Turismo, o I Festival de música autoral acon- tecerá no dia 31 de janei- ro na Praia Municipal de Lagoa da Prata. De acordo com a orga- nização do evento, o fes- tival, denominado Lacus- tre, tem como objetivo criar um ambiente agra- dável e atrativo para que os artistas locais e de to- da região possam apre- sentar suas obras origi- nais ao público. As inscrições serão realizadas até o dia 19 de janeiro pelo site lacustre- festival.wix.com/lacus- trefestival, onde os ar- tistas deverão apresentar o áudio, o vídeo e a letra das canções que irão con- correr, release e fotos em boa qualidade para a se- leção dos participantes, além da ficha de inscri- ção preenchida através do próprio site do evento. O julgamento das mú- sicas será feito por um jú- ri técnico e os valores das premiações variam de R$ 500 a R$ 2.000, totalizan- do R$ 5 mil em prêmios. Os recursos foram doa- dos pela prefeitura e Se- cretaria de Cultura por meio de iniciativa do ve- reador Di-Gianne Nunes. “Lagoa da Prata tem se tornado um grande pólo de compositores e cantores. Desse modo, investir na cultura tor- nou-se fundamental pa- ra incentivar os artistas”, afirma a organização do evento. 1º Festival de música autoral acontecerá no final de janeiro em LP lagoa da prata CIDADES 11 ll A administração mu- nicipal inaugurou as no- vas instalações da Uni- dade Básica de Saúde Os- mari de Oliveira, no bair- ro Santa Helena. Foram investidos R$ 191 mil na obra, por meio do gover- no federal. A cerimônia aconteceu no dia 9 de janeiro e contou com a participação de popula- res, políticos, funcioná- rios da secretaria de saú- de e religiosos. O prédio não oferecia condições adequadas para o atendimento ao público e foi totalmente reformado. Um consultó- rio odontológico também foi instalado. “ Q u a n d o a g e n t e inaugura uma obra des- ta magnitude elevamos também a alegria de um povo. Estamos buscando mais recursos para ofe- recermos serviços de qualidade. E só tenho o que agradecer ao apoio dos funcionários da saú- de, secretários, vereado- res e de toda a população que deposita a confiança em nosso trabalho”, dis- se o prefeito Paulo César Teodoro em seu discur- so. A unidade de saúde leva o nome de Osmari Clarinda de Oliveira. O ir- mão dela, Amir Antônio de Oliveira, ex-secretá- rio de governo da gestão de Zezinho Ribeiro, falou sobre a trajetória de vi- da de Osmari. “Ela tinha um poder de indignação tremendo, e se comovia com as coisas. Para ela não existiam fronteiras, e mesmo sem muita tec- nologia ela conseguia in- formações para aconse- lhar os jovens. Osmari ti- nha uma visão de mundo profunda. A saúde sem- pre foi uma causa pela qual sempre lutou, prin- cipalmente em favor das mulheres que trabalham no corte de cana. Ela ti- nha uma dedicação mui- to grande pelas mino- rias”, disse, emociona- do, Amir. Prefeitura conclui reforma e ampliação de unidade de saúde no bairro Santa Helena lagoa da prata FOTOS: ASCOM lP
  10. 10. ANO ii • Edição 41 16/01/2015 a 30/01/2015 www.jornalcidademg.com.br COLUNISTAS12 José Antônio (Rádio Samonte FM) bandeirantes@isimples.com.br Causos e Prosas Solange Barbosa (Buffet Divina Gula) solangecfb@gmail.com Alimentos e Culinária llQuando eu era menino- te trabalhava meio período nas granjas da Tina do Zé Cabral, localizadas há 5 km deSantoAntôniodoMonte. Juntava dentro de uma brasíliaeu,oZéCabral,oLu- cinho do supermercado e o Nardo do açougue; e lá ia nós para as granjas. A gen- techegavaláedá-lhegente trabalhando...tinhaoDinho Césarajudandonaconstru- çãodemaisgranjas,osser- ventes Eli e o saudoso Edi- nho boca de rosa, e eu que ficavaporali. Minhaprincipalfunção eracaçargalinhasarreben- tadas, que eram aquelas que botavam ovos maiores do que davam conta e arre- bentavam o “oritimbó”. Eu encontravadecincoanove galinhasdessejeitopordia. Assimqueeupegavaasda- nadas já comunicava a Ti- na e ela mandava colocar água pra “quentá” para de- penar as pobres e arrumar elas para a tarde eu ir ven- dê-las atrás do cemitério. E assimeufazia.Jogavauma baciadeplásticonacabeça, chegavaatrásdocemitério edavasóumgrito.Jáeram fregueses o senhor Alfredo fazedordefoice,adonaLia, oPedrocuíca,dentreoutros. Eu sempre voltava com a bacia vazia nas costas, só que algumas pessoas me passavam medo dizendo que as galinhas estavam muito caras e que duas va- liamopreçodeuma.Ecomo euestavacommedoacaba- vavendendomaisbarato. Naquela época comer carne não era para qual- quer um, a vida era muito difícil...eeuvendiatudo. Lembrocommuitasau- dade, pois a Tina sempre deuempregopragenteede vezenquandodavaumaga- linhatambém. As galinhas da Tina Pavê de Goiaba MODO DE PREPARO • Umedeça os biscoitos champagne com um pouco do lei- te.Escorra-osecoloque-osnumafôrmarefratáriaretangu- lar, fazendo uma só camada. •Batanoliquidificadorodocedeleitecom2xícarasdoleite que sobrou e deixe levantar fervura. Engrosse com a mai- sena, mexendo sempre, até obter um creme homogêneo. Retire do fogo, espere esfriar e coloque sobre os biscoitos. •Espalheocremedegoiabasobreodocedeleite,reservan- do um pouco para a decoração. •Bata as claras em neve e em seguida junte o açúcar, a es- sênciadebaunilha,agelatinaeocremedeleitegelado,sem o soro. Continue batendo para obter um creme denso. Dis- tribua sobre o pavê e coloque no congelador por cerca de 24 horas. •Sirvadecoradocomocremedegoiabaeasgoiabasfrescas. INGREDIENTES (10 a 12 porções) • 200g de biscoito cham- panhe • 1 litro de leite • 400g de doce de leite • 3 colheres (sopa) de mai- sena diluídas em meio co- po de água • 400g de doce de goiaba cremoso (compre cremo- so ou bata o doce de goiaba no liquidificador com água para obter o creme) • 4 claras em neve • 4 colheres (sopa) de açú- car • 1 colher (chá) de essência de baunilha • 2 colheres (sopa) de ge- latina incolor diluída em 1 xícara (chá) de água • 1 lata de creme de leite (deixe a lata na geladeira) DECORAÇÃO • Goiabas frescas fatiadas • Creme de goiaba colate em pó
  11. 11. Maquiador das famosas revela tendências de make para o verão 2015 Dicas de moda rápidas Fernando Torquatto conta o que vai fazer sucesso na temporada! Maquiagem do Verão 2015 mistura tons nudes e terrosos a cores muito vivas Gloss com efeito molhado e sombras em tons vivos estão com tudo! Look olho tudo e boca tudo é um hit da temporada. Aestaçãomaisquentedo anochegoue,comela,umaex- plosãodecoresnouniversoda maquiagem.AconvitedoGuia da Semana, Fernando Tor- quatto, maquiador das famo- sas e make up artist da linha MakeB.deOBoticário,elegeu ascincoprincipaistendências demaquiagemdoverão2015. O beauty artist acredita que a moda deve ser demo- cráticaeastendênciasvalem paratodasaspessoasqueque- rem ficar ainda mais bonitas comoshitsdatemporada.“O importante é que cada pes- soa respeite seu estilo pes- soal e selecione as novida- desquevalorizamasuabele- za.Umapessoacompelemais madura,porexemplo,nãopre- cisausarumasombraamare- la,maspodeapostaremuma bocamarcada”,sugere. De acordo com Fernan- do Torquatto, as ocasiões pa- rausarmaquiagensmaismo- dernaseousadastambémes- tãomaislivres. “Hoje dá para apostaremiluminadorebri- lhoduranteodia.Nadaéproi- bido, o importante é buscar aquilo que ressalte a beleza e que faça a mulher se sentir confiante e bonita de verda- de!” Confiraasdicasdoexpert abaixo,abasteçaanecéssaire comasnovidadesearrasenos looks! Hoje o Silhueta Femini- na vem mais uma vez trazer dicasrápidas,porémeficien- tes. Dicas de moda são efica- zes pra você não sair por aí comprandotudooquevêpela frenteeacabecomoguarda- -roupa cheio, mas com pou- cas opções que valorizem a sua silhueta. Então se joga emnossasdicas: •Estilonãoécopiarofigurino deumarevistaoudealguém. Estiloéadaptaramodaaoseu jeito,criandoumaidentidade visualqueanunciequemvo- cêéassimquechegaaumlu- gare,sobretudo,queafaçase sentirsegura,comaautoesti- maláemcima. •Toda mulher tem sua bele- za. As magras têm a vanta- gemdeficarbemcomtudoo quevestem,masporoutrola- do,seexageraremnadose–e aquilê-seabusardasensuali- dadenolook–ofigurinonão vaificarlegal. •Para tirar proveito de suas qualidades,bastavocêinves- tirnoquetemdemaisbonito, emvezdesemartirizarcomo quenãoédoseuagrado. •Se o seu forte são as pernas, você pode usar fendas, dimi- nuirocomprimentodovesti- do, complementar com san- dáliasmaisabertas…Masex- ponha as suas pernas de for- maeleganteenuncavulgar. •Mas se você acha que as su- aspernassãogrossasoufinas demais,chameaatençãopa- ra outra parte do corpo: des- taque o colo com um tomara quecaiaouumdecoteem“V”, porexemplo. •E lembre-se: o fato de uma roupaestarnamodanãosig- nifica que você precise usá- -la.Amodaéagentequefaz! Fonte: silhuetafeminina.com.br 1.Cores “Amisturadecoresterrosase ácidas,comoazul,laranja,ver- melhoerosa,emtonsvivose saturados,estáemalta.Cores vivasefortesnoslábiostam- bémserãobem-vindasnessa temporada”. 2.Efeitomolhado “Umdosprincipaisdestaques paraoverão2015éoefeitomo- lhado.Essatendência,quefoi sucesso nas passarelas in- ternacionais,poderáserusa- datantonamaquiagem,abu- sandodogloss,comonocabe- lo,comgelououtrosprodutos quecriamesseefeito. 3.Iluminadores “Elessãoótimosparadaraca- bamentoàmaquiagemedei- xarolookalegreesofisticado, com a cara do verão. O mer- cado já oferece diversas op- ções de produtos para corpo erosto”. 4.Sobrancelhamarcada “A sobrancelha marcada, no estilo Cara Delavigne, tam- bém é uma grande aposta. O estilo deixa o olhar mais ex- pressivo e dá personalidade aolook”. 5.Atitude “Exuberância e ousadia. Is- so vale para tudo. Neste ve- rão, veremos como é possí- velusarolhoscoloridosebo- ca marcada ao mesmo tem- po, com sofisticação e muito estilo,porexemplo”. Fonte:guiadasemana.com.br
  12. 12. ANO ii • Edição 41 16/01/2015 a 30/01/2015 www.jornalcidademg.com.br COLUNISTAS14 Nilson Antonio Bessas é Diretor do Sicoob Lagoacred Gerais e autor do livro “Tornando sua empresa um sucesso” com mais de 2.000 exemplares vendidos. Para perguntas, críticas e sugestões mande um e-mail para: nilsonbessas@nilsonbessas.com.br Empreendedorismo e Negócios llNodia21dedezembroa Turma do Alto Forno reali- zou a doação de 268 cestas básicasparaasfamíliasca- rentesdeSantoAntôniodo Monte e zona rural. A coleta de alimentos iniciou em novembro com obatalhãoeosguardiõesda caridade, que visitaram to- das as residências da cida- desolicitandoadoação.As doações este ano geraram aproximadamente seis to- neladasdegênerosalimen- tícios,materiaisdelimpeza e higiene pessoal. Para receber a doação as famílias carentes se ca- dastraramjuntoàequipeda TurmadoAltoForno.“Fize- mos as entregas com mui- ta alegria e espírito natali- no. Nosso presente foi ver aalegriadasfamíliasaore- ceberem as cestas”, infor- ma a nota dos organizado- resenviadaaoJornalCida- de. O encerramento da campanha aconteceu no dia 27 de dezembro com umapartidadefutebolrea- lizada no campo do Nacio- nal,entreatleticanosecru- zeirenses. O time do Atléti- cofoi comandadopelotéc- nicoTiãoMirandaevenceu pelo placar de 4 a 1. O Cru- zeirofoidirigidopelotécni- co Rodrigo Sapato. Os árbi- tros da partida foram João Francisco dos Santos e Ro- bson José dos Santos. A campanha foi idea- lizada por Eli Francisco de Aquino, hoje já falecido. “A Turma do Alto For- no agradece a população de Santo Antônio do Mon- te que mais uma vez con- tribuiu com a campanha, agradecemostambémadi- retoria do Nacional Espor- teClubeporcederoestádio para a realização da parti- da”. Turma do Alto Forno arrecada seis toneladas de donativos Cestas básicas foram doadas a famílias carentes em Santo Antônio do Monte S. A. DO MONTE Voluntários preparam a entrega das 268 cestas básicas FOTO: t.a.f ll José tinha uma reunião im- portanteeacabouchegandoatra- sado.Elogosecolocouaexplicar aosdemais–quechegarampon- tualmente–omotivodoseuatra- so.Disseele,semnenhumcons- trangimento, que não teve in- tenção, pois, o responsável por suademoraforaotrânsitopara- do. Joana tinha um relatório pa- raentregaraodepartamentocon- tábilnaquartademanhã,masen- tregousomenteàtarde.Omotivo segundosuasjustificativasfoique o seu computador travou. A em- presaondePedrotrabalhacontra- touumapalestrasobre“Relacio- namentoeatendimentoaclien- tes”paraaprimorarastécnicasde vendasdaequipe.Porém,quando Pedrochegou,apalestrajáhavia começadohámaisde10minutos. Ecomoeleeraparteinteressada no assunto por compor a equipe de vendas, a cena não lhe pegou bem.Nofinaldapalestra,sesenti- doàvontadeesemnenhumaini- bição,veioexplicarquenãodor- miubemànoite,eporisso,perdeu ahora.Beatriz,estudantedeeco- Campeões de desculpas nomia,nãoconseguiuentregaro trabalhodefinançasnadatapre- vista,etevequerecorreràdireção dafaculdadeesolicitarumanova oportunidade, pois, argumentou quesuavidanãotemsidofácil.A empresaondetrabalhatemcres- cidomuito,exigindodelamaises- forçosqueonormal.Lúciofoire- comendadoporseugerenteafa- zerumavisita,namanhãseguin- te,paraumclienteempotencial. Porém, neste dia, ele se disper- sou com outros afazeres da em- presaeacaboudeixandodelado a recomendação, ficando então, avisitaparaoutraocasião. José, Joana,Pedro,Beatriz,Lúcio,Vitor, Mário,Júlia,Davi...,todostêmar- rumadoalgumaexplicaçãoparao nãocumprimentodealgumpra- zo.Esta displicênciatemocorri- docommuitagenteepodeestar acontecendotambémcomvocê. Oqueanteseraapenasumades- culpaisolada,hojepassouafazer partedanossarotina.Dardescul- paseexplicaçõesparafracassos, falhaseatrasosvirouocotidiano demuitagente. Podeserqueafaltadedisci- plina seja uma herança deixada por nossos antepassados e que acabamospraticando-aporcos- tume,dando-nosamáfama,co- mo brasileiro que somos, de não respeitar e não ligar para a pon- tualidade,diferentementecomo fazem os britânicos, e principal- mente, os japoneses e seus vizi- nhos.Ofatoéque,sejaumaheran- çaounão–enãoimportaaquia suaorigem–temosquedescon- tinuar essa prática. Temos que evoluirenquantocidadãosepro- fissionaisefazerjusàdisciplina, cumprir horários e prazos, res- peitarquemestádooutrolado.É uma falta de consideração com as pessoas quando chegamos atrasados em algum compro- misso, ainda que possamos ela- borarumaboadesculpa.Nãopo- demosesquecerquetodasaspes- soasdasquaisnosrelacionamos, vivemtambémnestenossomes- moplaneta,comomesmotempo, sujeitasaotrânsitocongestiona- do,asnoitesmaldormidas,aoex- cessodetrabalho...Asameaçasà pontualidadevalemparatodose nãosomenteavocê. Grandeslíderesempresariais não aceitam a falta de compro- missocomprazosehorários.Em suascompanhias,quemprocede assim,ficadefora,aindaquees- tapessoatenhatalentoequalifi- caçõesparaosnegócios.Segundo eles,nãosepodeconfiaremquem nãocumpreprazosecompromis- sos. Radicalismoàparte,éimpor- tante ressaltar que existem im- previstosacimadanossacapaci- dadedeevitá-lopodendoaconte- cerenosfazerchegaratrasados ou nos deixar de fora de algum evento e até nos fazer fracassar diante de uma missão ou de um projeto.Masestetipodeimprevis- to, normalmente é fato isolado e nãoserepetecomfrequência,po- dendoserentendidoeperdoado pelaspessoasafetadas.Mas,im- previstosoufracassosocorridos por falta de compromisso e dis- ciplina nunca serão entendidos e aceitos, e sempre causará pre- juízos,principalmente,àimagem dequemassimproceder. Para quem vive atrasan- doparaos compromissos edes- cumprindohorários,talvezsejao momento de se fazer um balan- ço.Certamenteháalgoerradonis- so,eafaltadedisciplinapossaser umareaçãodoseuorganismopa- raumarotinanãodesejada.Eco- mo tal prática vem fazendo par- te da vida do brasileiro, tudo en- tão parece estar dentro da nor- malidade, deixando-lhe acomo- dado,pensandoqueaquestãofaz parte da vida. No entanto, é pre- ciso dar um rumo diferente à si- tuação, mas antes de tudo, é im- portante lembrar que não existe ummundoperfeitoevocêprecisa aprenderagostardoquefazenão somentequererfazeroquegosta. Paraconseguirmosotimizar nossosprocedimentoserotinas, evitarestresseseaprendermosa gostardasnossasatividades,te- mosqueprimeirofazerumaava- liação de como estão as nossas agendas,depoisfazerumaauto- análisedecomoestouvivendoe trabalhando. Buscar o equilíbrio davidaé abase paraanossasa- tisfaçãoprofissionalepessoal, e oiníciodacaminhadaparaosu- cesso. Para organizar uma agenda e a rotina diária, temos que pri- meiro eliminar os maus hábitos ecombaterosnossosvícios.De- poisprecisamostercoragempa- raassumirnossasfalhasereco- nhecer o motivo da nossa indis- ciplina,quenosfazchegaratrasa- dosaoscompromissos.Enxergar oserrosetercoragemparamudar éumgrandecomeço. Serdisciplinado,cumprirho- ráriosecompromissosnãopode ser um ponto fora da curva. Pelo contrário,devefazerpartedanos- savida.Nãopodemosacharque omundoestádecabeçaparabai- xoeconfundirmoso“certo”como “errado”.Temosqueterpersona- lidadeparasaberescolheracon- duta ideal. Para tanto, faça a sua parte.Aoutraparte,ouniverso,a sociedadeeomercadoseencar- regarão de fazer. Chegar na ho- racertaparaumcompromissoé umaobrigaçãoenãoumavirtude. O que antes era apenas uma atitude isolada, hoje a “desculpa” passou a fazer parte da nossa rotina.Dar desculpas e explicações para fracassos, falhas e atrasos tornou-se o cotidiano de muita gente.
  13. 13. ANO ii • Edição 41 16/01/2015 a 30/01/2015 facebook.com/jornalcidademg SOCIAL 15 Michele Pacheco michele@jornalcidademg.com.br «Estrelando« TATY MESQUITA Se apresentou no Scoth Bar na Sextinhamistu- rando os estilos eletrônicocomo clássico do vio- lino. Foi consi- derada melhor Dj Mulher Live do Brasil pela Dj SoundAwards. EDITORIAL Feitasaspromessasnache- gadadoanonovo.Chegoua horadecumprirtantaspro- messas. Será que alguém ainda lembra o que prome- teu? PARCERIADESUCESSO ORonanmostrouserviçoequalidadeematendimentonapro- duçãodegrandesfestasecoordenandoequipesdegarçons. AgoraestademalasprontasedemudançaparaDivinópolis. FoiconvidadoparatrabalharnoBuffetPaulinellicomocoor- denadordosalãodeeventos.Aindatemmaisnovidades.Sur- presa!!! Essemeninovailonge!!! APRIMORESEUSDONS Sevocêestáaprendendoou játocaviolãoouguitarranão podeperderessaoportuni- dade! No próximo dia 25, o guitarristaTarsiusLimaes- tará em Santo Antônio do Monte para um workshop. Omúsico,professordegui- tarra e violão, que ficou co- nhecido pelo seu trabalho comoinstrutordoCifraClub TVéumadasatraçõesdaV Mostra Cultural promovi- dapeloprofessorIgorSilva. Comexperiênciamuti-ins- trumental ele promete dar muitas dicas bacanas para os músicos da cidade e re- gião.Nãohácomoaprimo- rarumatécnicasemexerci- tar!#ficaadica A inscrição custa ape- nasR$15,00epodeserfeita naescolademúsicanoCE- TUC, página do professor IgorSilvanoFacebookatra- vésdemensageminboxou pelotelefone9919-7265. NIVERCARLA Dia10dejaneirofoioniverda CarlaAndrade.Soprouveli- nhas....te desejo muitas fe- licidades e saúde que o res- tosecorreatrás!Vaiserchic gente!!! FUZUÊFESTAS AcasadefestasinfantilFu- zuêestadecaranova.Toda repaginada e com muitas novidadesemuitasbrinca- deiras.AfamíliadoThiago nãoperdeutempoecome- morou seus 6 aninhos em grande estilo com muitas brincadeiras. O Fuezilito o boneco maisatrapalhadodivertiu atodosospresentes.Osa- lãoficouaindamaisdiverti- QUITANDASCASEIRAS Tomarcafétemquesercaseiroefeitocommuitocarinho e amor. A quitanda “ café da hora” (José Bernardes Ma- ciel2079-Marília)comadireçãodaNeuzeliestáatodova- por,fazendoaquelepãodequeijocaseiroquentinho!Bolos deváriossabores,deliciosos!Rosquinhasdenatacaseira. Vocêstêmqueexperimentareconferirqueláétudofei- tocommuitaqualidadeealémdissotembompreço.Eujá escolhiomeupedaçoebolodecenouracomcoberturade chocolatehummmmm....Servidos... NOVOCASAL O romance es- tá no ar. Com direito a decla- ração de amor nafestadecon- fraternização da empresa na presençadeto- dos funcioná- rios, que isso heimmm, que amor !!! Faço votos de felici- dades ao casal RogérioeThais. docomotemadosMinions. Estetemafoiescolhidopelo Thiagoenafotoestãoseus pais Inajá e Rodrigo, e sua irmã Ana Luiza. Parabéns Thiago!!! FOTO: revista ágora CASANOVA MeuamigoVaninhoestácomumasuperestruturanovinha naClínicaEmagrecerqueagoratambémofereceserviços deSpaeodiadaNoiva. Estivepresentenacasanovaefiquei encantadacomanovoespaçoeosaparelhos paraemagre- cer. Queluxo!!! Fiqueisabendoquevaiterumagrandeinauguraçãones- telocalcomdesfileemuitas surpresas,masnãopossocon- tarvaiserumanoitedeglamourebeleza......segredo!!! Boasortemeuamigonessanovaempreitadaetedesejoto- dosucessodomundo. Anovaresidência ficasituadonaRuaSantosDumont, n°177,tel:3261-7392.
  14. 14. ANO ii • Edição 41 16/01/2015 a 30/01/2015 www.jornalcidademg.com.br llOSicoobCredipratare- alizounoperíodode13a21 de dezembro de 2014, a 3ª Copa de futsal - categoria de base que foi organizada peloProfessordeEducação física Carlos Abraão. A copa reuniu o total de 450 atletas (crianças e ado- lescentes) de escolas de LP, Japaraíba, Bambuí, Bom Despacho, Pedra do Indaiá Sicoob Crediprata realiza 3ª Copa de Futsal - Categoria de Basee Santo Antônio do Monte, e teve a finalidade de valo- rizarapráticaesportiva,co- motambémalavancarofut- salnaregiãoatravésdeuma competiçãosaudável. Osjo- gos aconteceram na Praça deEsportesdoGinásioLeo- poldoBessone,Umuarama, Arce e quadra de esportes do bairro Gomes e teve co- mo campeões: Arce-Campeão1997/1998 -CategoriaJuvenil Arce-Campeão1999/2000-CategoriaInfanto ArceClube-Campeão2001/2002-CategoriaInfantil CaicdeBomDespacho-Campeão2003/2004.-CategoriaPetis LagoaFutsalClube -Campeão2004 a2006-CategoriaIniciantes LagoaFutsalClube-Campeão2005/2006-CategoriaFraldinha CraquedoFuturo-Campeão2007/2008 -CategoriaIniciantes LagoaFutsalClubeCampeão2009/2010-CategoriaIniciantes empresas e negócios16

×