sicoob.com.br
Abra uma Poupança Sicoob. E deixe seu porquinho livre para fazer
tudo que não pode quando está cheio de moed...
Sexta-Feira • 14 Agosto 2015
www.jornalcidademg.com.br2 Opinião
Carta ao Leitor
JULIANO ROSSI • juliano@jornalcidademg.com...
Sexta-Feira • 14 Agosto 2015
www.jornalcidademg.com.br4 Política
“A fraude está comprovada”,
afirma promotor
•Duasprofessor...
Sexta-Feira • 14 Agosto 2015
www.jornalcidademg.com.br6 Política
Vereadores aprovam SAAE
contratar 25 funcionários
•Durant...
LIBERE
SUA ENERGIA.
TRANSFORME
SUA CARREIRA.
TRAINEE DE
OPERAÇÕES
BIOSEV 2015.
A Biosev está à procura de
líderes para par...
Sexta-Feira • 14 Agosto 2015
www.jornalcidademg.com.br8 Política
Untitled-1 1 26/05/15 09:52
Apesar da crise, situação fina...
•Próteses Dentárias
Foi Credenciado o Laboratório Regional de Próteses
DentáriasnoPSFJoséLuisdaFonseca,ondeestãosen-
do re...
Sexta-Feira • 14 Agosto 2015
www.jornalcidademg.com.br10 Solidariedade e Voluntariado
Seja Solidário
AJUDE AS ENTIDADES DE...
Sexta-Feira • 14 Agosto 2015
www.jornalcidademg.com.br 11Cultura
Lagopratense rompe fronteiras e
lança livro no Paraná
Prê...
Sexta-Feira • 14 Agosto 2015
www.jornalcidademg.com.br12 Economia
ACE/CDL oferece aos
empresários a oportu-
nidade de esco...
Sexta-Feira • 14 Agosto 2015
www.jornalcidademg.com.br 13Economia
Entrevista
Paulo R. Pereira
Presidente da CDL
•Qual o re...
Sexta-Feira • 14 Agosto 2015
www.jornalcidademg.com.br14 Esportes
Jogos Escolares será
realizado em Lagoa da Prata
Lagopra...
Sexta-Feira • 14 Agosto 2015
www.jornalcidademg.com.br 15Policial
Família de Thaís pede justiça
um ano após acidente
•Afam...
Sexta-Feira • 14 Agosto 2015
www.jornalcidademg.com.br16 Editais e Publicações
9. Código de Ética
Todos os integrantes da ...
Sexta-Feira • 14 Agosto 2015
www.jornalcidademg.com.br 17Editais e Publicações
(Valores expressos reais – R$)
Nota
Receita...
Sexta-Feira • 14 Agosto 2015
www.jornalcidademg.com.br18 Editais e Publicações
aquelas relativas a títulos descontados, qu...
Sexta-Feira • 14 Agosto 2015
www.jornalcidademg.com.br 19Editais e Publicações
Descrição 30/06/2015 30/06/2014
Saldo inici...
Jornal Cidade - Lagoa da Prata - Edição 55
Jornal Cidade - Lagoa da Prata - Edição 55
Jornal Cidade - Lagoa da Prata - Edição 55
Jornal Cidade - Lagoa da Prata - Edição 55
Jornal Cidade - Lagoa da Prata - Edição 55
Jornal Cidade - Lagoa da Prata - Edição 55
Jornal Cidade - Lagoa da Prata - Edição 55
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Jornal Cidade - Lagoa da Prata - Edição 55

379 visualizações

Publicada em

Jornal Cidade - Lagoa da Prata - Edição 55

Publicada em: Notícias e política
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
379
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
69
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Jornal Cidade - Lagoa da Prata - Edição 55

  1. 1. sicoob.com.br Abra uma Poupança Sicoob. E deixe seu porquinho livre para fazer tudo que não pode quando está cheio de moedas. Poupe no Sicoob Crediprata UmJornalaServiçodoPovo | EdiçãoQuinzenal | 14Agosto2015 | nº54 | ano3 | 7.000exemplares | DISTRIBUIÇÃOGRATUITA Policial •15 Esportes •14 Política •4 Economia •12 e 13 Destak •11Cultura •11 Ministério Público investiga suposta “indústria do atestado médico” em LP Deabrilajulhode2015metadedosservidoresmunicipaispediramafastamentomédicotodososmeses ACE/CDL promove evento para fortalecer as empresas locais Combate à crise: Família de Thaís pede justiça um ano após acidente A jovem foi atropelada duas vezes por um ra- pazinabilitado.Defesa do acusado argumen- taqueelenãoteveain- tenção de matar. “Tornandosuaempresaumsucesso”,deNilson Antonio Bessas, faz sucesso entre empresários durante feira de moda em Maringá Encontro de aeromodelismo é realizado em Lagoa da Prata Lagopratense rompe fronteiras e lança livro no Paraná Prêmio Destak Empresarial chega na 9ª edição com participaçãorecorde de empresas
  2. 2. Sexta-Feira • 14 Agosto 2015 www.jornalcidademg.com.br2 Opinião Carta ao Leitor JULIANO ROSSI • juliano@jornalcidademg.com.br •O Jornal Cidade foi o pri- meiro veículo de comuni- cação a publicar a investi- gação do Ministério Públi- cosobreaprovável“indús- triadosatestadosmédicos” em Lagoa da Prata. Posta- da no início da tarde do úl- timodia5,nositedoJornal Cidade,anotíciagerouuma granderepercussãonasre- dessociais,alcançandomais de5milleitoresnasprimei- ras24horas.Muitaspessoas afirmaramterconhecimen- tosobreafacilidadedeseob- teratestadomédicoemLa- goadaPrata. Amatériatevedezenas de compartilhamentos no Facebook. Uma leitora pu- blicou:“Finalmente,espero, dofundodocoração,queal- gumacoisavárealmentepa- rafrentenisso”.Outrausuá- riadisse:“NaLagoatemmé- dicoquevendemesmo”.Um ex-integrante do conselho municipaldesaúdecomen- •LevantamentodaSecreta- riadeEstadodeFazendain- forma 21% dos veículos em LagoadaPrataestãoemdé- bitocomoIPVA.Afrotado municípioéde27.651veícu- losecercade6milaindanão pagaramoimposto–sendoa maioriamotocicletas. A Secretaria de Estado deFazendadeMinasGerais, informaque,observadosos critériosdeeficiênciaadmi- nistrativaedecustosdead- ministraçãoecobrança,está autuandoeletronicamentee encaminhandoparaprotes- toosvalores relativosaIPVA touqueumaminoriadepro- fissionaisfazissoerecomen- douaguardarotérminodas investigações. Tambémpelapáginado JornalCidadenoFacebook, umaoutrausuáriadisseque “o uso abusivo de atestados médicosétãoexplícitoquejá vicasosdeprofessorasafasta- remdaclassedeaulaparavia- jaràpraiasemomenorcons- trangimentodepostarfotos emredessociais”. Um contador acrescen- touqueesteéumproblema enfrentado também pelos empresários, que precisam se adequar quando há uma incidência maior de atesta- dosmédicos. Uma microempreende- dora disse que dos 50 fun- cionáriosqueempregava,10 se ausentavam do trabalho comatestadosmédicos.“Ti- vemosquepagarummédico paraatestarosatestados”,de- sabafou. queaindanãoforamquitados peloscontribuintes. Pelalegislaçãovigente,va- lores deIPVAemabertopo- derãoserprotestadosextra- judicialmenteeosnomesdos devedoressereminscritosno CADIN/MG(CadastroInfor- mativodeInadimplênciaem relaçãoàAdministraçãoPú- blicadoEstadodeMinasGe- rais),ouemqualquercadastro informativo,públicooupriva- do, deproteçãoaocrédito. Paraevitaroprotesto,os contribuintesqueseencon- tram inadimplentes quanto ao pagamento de IPVA de- MoradoradobairroSol Nascente,umaleitoradoJor- nalCidadenainternetpara- benizouoprefeitoPauloTe- odoropelacoragememfazer adenúncia.“Issojápassouda hora.LagoadaPratasótem aperdercomtaisatitudesde certosmédicos”,reclamou. Porfim,asecretáriamu- nicipaldeEducação,Paulene Andrade,tambémdesabafou elamentouofatodoexcesso deatestadosmédicosnare- demunicipaldeensino.“Isso setornoutãocomumnaedu- caçãoqueaspessoasnemse indignam mais! Começa- mos o semestre recebendo uma avalanche de atesta- dos.Quemperde?Oaluno! Eopior:sabemosquemui- tas vezes a pessoa está pas- seando,viajandoeatéposta nasredessociais.Precisamos resgatarorespeitopelaedu- caçãomoralizandoessasati- tudesindignasdeumeduca- dor”,disseAndrade. vemprocuraraAdministra- çãoFazendáriadesuacida- de,evitando-se,assim,aau- tuaçãoeorespectivoprotes- to.EmLagoadaPrata,oen- dereçoéruaAfonsoPena,112, noCentro.Otelefoneé3261- 2266. NÚMEROS-AfrotadeLa- goadaPrataéde27.651veícu- los, sendoque13.798sãoau- tomóveiseutilitários,10.090 motocicletasesimilares,2.315 caminhonetesepicapes,1.256 caminhõesecavalosmecâni- cos,185ônibusemicro-ôni- buse7motorcasa. Leitores opinam sobre a polêmica dos atestados médicos Cerca de 6 mil veículos estão em débito com o IPVA em Lagoa da Prata SecretariadeEstadodeFazendacomunicaqueosdébitosestãosendoprotestados
  3. 3. Sexta-Feira • 14 Agosto 2015 www.jornalcidademg.com.br4 Política “A fraude está comprovada”, afirma promotor •DuasprofessorasdaSecre- tariaMunicipaldeEducação apresentaramatestadosmé- dicoseseausentaramdotra- balho.Omotivo?Realização deprocedimentosestéticos. Naausênciadaseducadoras, asecretariatevequedelegar aduasestagiáriasatarefade ensinarascrianças. Outra servidora da pre- feituradeLagoadaPratape- diulicençadotrabalho,tam- bémembasadaporumates- tado médico, e ao invés de supostamente tratar o seu problemadesaúde,estátra- balhandoemumsupermer- cadodacidade. Umaprofessoradarede municipal de ensino apre- sentouumatestadomédico no mês de maio, solicitan- do o afastamento do traba- lho pelo período de 30 dias por motivos de saúde. Mas nas semanas seguintes ela embarcou para os Estados Unidos para curtir a praia, amigoseumafestadecasa- mento.Tudoissoregistrado emfotosepublicado,porela mesma, no Facebook. Nos Estados Unidos, ela obteve um novo atestado médico, prorrogandooafastamento pormais30dias.Aservido- ravoltouaotrabalhonaúlti- masegunda-feira. Esses e outros casos, apurados pelo Jornal Cida- dejuntoàSecretariaMuni- cipal de Educação, são con- siderados “bizarros” pelo Ministério Público de Mi- nasGerais(MPMG)eserão apurados pela promotoria para investigar a existência de uma indústria crimino- sa para a emissão de atesta- dos médicos. A promotoria tomouconhecimentodoas- sunto por meio de uma de- núncia feita pelo prefeito Paulo César Teodoro. “A si- tuação narrada pelo Muni- cípiodeLagoadaPrataatin- ge as raias do absurdo e me parece, sinceramente, evi- denciaraexistênciadeuma verdadeira indústria crimi- nosaparaemissãodeatesta- dosmédicos,que,certamen- te,contacomaatuaçãodolo- saeímprobademédicosede servidorespúblicosmunici- pais”, explicou o promotor LuisAugustoRezendePena. Nos meses de abril a ju- lhode2015,maisde50%dos servidoresmunicipais(mais de550),deumtotalde1100, se afastou mensalmente do trabalho por meio de ates- tados médicos. Nesse mes- mo período, de acordo com asinvestigaçõesdoMPMG, o índice de afastamento de umagrandeempresadeLa- goa da Prata, que emprega maisdemilfuncionários,foi de15%a17%,oqueeviden- ciaaaçãodessaindústriacri- minosadeemissãodeatesta- dosmédicos. Na entrevista a seguir, LuisAugustoafirmaque“vai atéasúltimasinstâncias”pa- rapunirosmédicoseservi- doresqueforemcomprova- damente culpados. O pro- motor vai ajuizar ação civil e criminal, que prevê multa eatéaprisãodosenvolvidos. Jornal Cidade: O senhor fala em uma indústria do atestado médico. É isso mesmo? Dr.LuisAugusto:Euestou absolutamente convicto de que nós estamos diante de umaindústriacriminosade emissãodeatestadosmédi- cos em benefício de servi- doresemLagoadaPrata.Os números falam por si mes- mo. Não é razoável, em cir- cunstância alguma, ter um afastamentode50%deser- vidorestodososmesesden- trodequalquerempreendi- mento,sejadenaturezapú- blica ou privada. A situa- ção realmente é absurda. A emissãodeatestadomédico ideologicamentefalsoécri- meprevistonoartigo302do CódigoPenal.Eousodesse atestadomédicocaracteriza crimeprevistonoartigo304, amboscompenadeaté1ano dedetenção. JornalCidade:Comoose- nhortomouconhecimento dasituação? Dr.LuisAugusto:Oprefeito chegouacomentarcomigo, por acaso, que estavam tra- balhando com um número muitograndedeservidores afastados por atestado mé- dico. Diante disso, pedi que me comunicasse o fato por escrito,masnahoraqueele enviouodocumentoeinfor- mou os números, eu me as- sustei.Nenhumaempresase sustentacomessepercentu- aldeafastamentomensal.A situação é a mesma com o município,elenãosesusten- tasenãotiverumpercentu- aldosservidoresdisponíveis todososdias. Jornal Cidade: Quais me- didasoMinistérioPúblico vaiadotar? Dr.LuisAugusto:Aprimei- raédenaturezacriminal.A emissão de atestado médi- co ideologicamente falso é crime. E o uso deste atesta- do também caracteriza cri- me.Aprimeiramedidaserá de natureza criminal, se for comprovada a fraude. Vou ajuizar ações penais contra os servidores que fizeram usodoatestadomédicofalso e contra o médico que emi- tiu falsamente um atestado médico. Esses crimes têm penadedetençãodeatéum ano.Asegundamedidaéde natureza civil. Vou ajuizar açãodeimprobidadeadmi- nistrativatantocontraoser- vidor quanto o médico. Vá- rias consequências podem acontecer. Uma delas, que eu não vou abrir mão, é co- brar do servidor e do médi- co,inclusive,oressarcimen- todosdiasqueoservidores- teve afastado à custa de um atestado médico falso, por- que isso tem um custo para omunicípio.Alémdisso,vou provocar também o CRM, dando notícia dessas situ- ações que sugerem fraude, paraqueoconselhoinstau- reprocedimentodisciplinar contraomédicoqueeventu- almentetenhaemitidoates- tadomédicograciosooufal- so.Etambémvouprovocaro municípioparaqueinstaure sindicância para apurar es- sas eventuais fraudes prati- cadasporservidores. JornalCidade:Oservidor pode perder o seu empre- go? Dr.LuisAugusto:Sim,num eventual procedimento ad- ministrativo.Épossívelque aténaaçãodeimprobidade administrativapercaocargo público.Eomédico,seeven- tualmente processado pelo CRM, pode ter o seu regis- trocassadoeficarimpedido deexerceramedicina. JornalCidade:Asituação pode estar acontecendo também com servidores públicosestaduais? Dr. Luis Augusto: Sim. É bem provável que isso pos- saestaracontecendonaSe- cretariaEstadualdeEduca- ção.Ouseja,professoresfa- zendo uso abusivo de ates- tados médicos para se au- sentar o trabalho e não su- portar o prejuízo da remu- neração. Vou dar ciência ao governodoestadoevouofi- ciaroINSSparaquetomeci- ênciadessesfatos. Jornal Cidade: As evidên- cias apuradas até o mo- mento indicam realmen- teaexistênciadafraude? Dr.LuisAugusto: O absur- do é tão grande que a gen- te tem, a cada dois meses, o municípiodesfalcadodeto- dososseusservidores,jáque acadamêseletrabalhacom metadedosservidoresafas- tados por atestado médico. Os números são absurdos e falamporsi.Maseujátiveo cuidado,inclusive,deoficiar uma empresa local para eu terapossibilidadedenúme- ros comparativos. Essa em- presatemumnúmeroapro- ximado de empregados (al- goemtornode1000a1400). Eomaiorpercentualqueela teve de afastamento nesses períodosqueaprefeiturain- formou(abril,maio,junhoe julho) foi em abril, de 25%, quefoinaépocadosurtode dengue. Nos meses seguin- tes, que não se teve a epide- mia,opercentualdeafasta- mentoficouentre15%e17%. Porquenumaempresa,que tem condições muito mais hostis de trabalho, não tem o mesmo índice de afasta- mento da prefeitura? Frau- de. O trabalhador da inicia- tiva privada sabe que se ele abusar da quantidade de atestados médicos ele é de- mitido.Enoserviçopúblico, enganosamente,seachaque issonãopodeacontecer.En- tãoafraudeestácomprova- da, não tem dúvida nenhu- maqueestamosdiantedesi- tuaçõesqueservidoresestão pagando ou recebendo um atestadomédicogracioso,e via de consequência, médi- cos vendendo ou emitindo atestadogracioso. JornalCidade:Aprefeitu- ra não citou nomes, mas informou a existência de uma servidora que apre- sentou um atestado mé- dico e, em seguida, viajou de férias para os Estados Unidos. O senhor tomou conhecimento dessa situ- ação? Dr. Luis Augusto: Infor- malmente,eujátomeiciên- ciadessefato.Estaserá,cer- tamente, uma das questões mais gritantes que a gen- te tem. Parece-me que nes- se caso, o servidor, ou a ser- vidora, teve o desplante de chegar e dizer: “Olha, eu nãovoutrabalhar,voupegar atestado médico e não vou trabalhar.” Então, há o do- lo. Ou seja, tem tanta certe- zaquenãovaitrabalhar,que vai se ausentar do trabalho, quevaiterfaltasjustificadas, queafirmaquevaiseausen- tarevaiapresentaratestado médico. E ainda teve o des- plante de colocar nas redes sociais.Éumcasoclássicode dolo e má fé, tanto da parte do servidor, quanto do mé- dicoqueemitiuoatestado. DA REDAÇÃO redacao@jornalcidademg.com.br O promotor Luis Augusto Rezende Pena vai ajuizar ação civil e criminal, que prevê multa e até a prisão dos en- volvidos. Foto:JéssicaRibeiro Ministério Público in- vestiga suposta “in- dústria do atestado médico” que teria a participação de servi- dores municipais e de médicos “Entãoafraudeestácomprovada,nãotemdúvidane- nhumaqueestamosdiantedesituaçõesqueservido- resestãopagandoourecebendoumatestadomédico gracioso,eviadeconsequência,médicosvendendoou emitindoatestadogracioso.” Luis Augusto Pena, promotor.
  4. 4. Sexta-Feira • 14 Agosto 2015 www.jornalcidademg.com.br6 Política Vereadores aprovam SAAE contratar 25 funcionários •Durante a reunião da Câ- mara de Vereadores no dia 10 de agosto, o legislativo aprovouporsetevotosaum o projeto que prevê a con- tratação de 25 funcionários para o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE). As vagas serão preenchi- das por meio de concurso público. Apenasovereador AdrianoMoraesvotoucon- trárioaoprojeto. Em um ofício enviado ao Poder Legislativo o di- retor da autarquia munici- pal,AntôniodePáduaLima Sampaio, afirma que o SA- AE está trabalhando no li- mite, com falta de pessoal, o que, segundo ele, provo- ca atrasos na prestação do serviço. Emendas apresen- tadas pelos vereadores Na- tinho (PDT), Cida (PRB) e QuelliCouto(PPS)tentaram reduzirpara22onúmerode servidorescontratados,mas foramrejeitadaspeloplená- rio.Porém,serviramparaco- locar na pauta de discussão o funcionamento da Esta- çãodeTratamentodeEsgo- to(ETE)eoaumentodata- rifadeesgoto. ParaavereadoraQuelli, os três cargos que as emen- das pretendiam excluir são dispensáveis para os traba- lhos da autarquia. “Quanto ao Técnico em Segurança doTrabalho,sabemosdesua importância,porém,oSAAE deveria fazer a contratação de nível 1 (que é quando o funcionárioiniciaacarreira dentro de uma empresa). A emenda pede que a vaga de Químiconãosejacriadaago- ra,poisjáexisteesseprofis- sionalnolocal.Aoutravaga queestamosretirandotam- bém é para Chefe de Setor, pois no SAAE já existem 11 chefes de setor. Cada cargo desserecebecerca3.779re- ais.Estamosretirando3va- gas que são dispensáveis”, enfatizou. O parlamentar Adria- no Moreira foi contrário à exclusão dos três cargos do texto original do projeto. “Quemfazaanálisedaágua éoquímico.Aívemummo- rador e fica doente ao con- sumir uma água ou um pei- xe de um local contamina- do, e posteriormente pre- cisamos pedir uma análise dessaágua.Quemiráfazer? Também é o caso do Técni- co em Segurança do Traba- lho. Uma obra daquela pre- cisa ter, sim, esse profissio- nal.Porissosoucontraessa emenda”,frisou. AUMENTO DA TAXA DE ESGOTO EM PAUTA De acordo com a presiden- teQuelli,adireçãodoSAAE enviou aos vereadores uma planilhadecustosanuaisde operação da ETE, que será de 2 milhões 464 mil reais. Ecomoaumentodataxade esgoto,de30%para90%do valor cobrado pelo consu- modeáguadocontribuinte, aautarquiaprevêarrecadar 3 milhões 669 mil reais ao ano. “Sobrará 1 milhão 204 mil para investimentos. Se- rá que o SAAE precisa dei- xar um caixa desse tão alto equeestápesandononosso bolso?OSAAEnãoébanco”, criticouQuelli. OvereadorPauloPerei- ra concordou com a colega e disse que o valor da taxa foi reajustado de forma ex- cessiva. “Esse valor de cai- xamostraoquantofoierra- doaumentaressataxa.Estão penalizandoapopulaçãoem dosagem muito maior que necessário”,afirmou. JáoparlamentarAdria- noMoreirachegouacolocar emdúvidaobenefíciodaes- tação para o município. “Às vezes passa pela minha ca- beça se essa ETE não é um presente de grego. Infeliz- mente,trouxeramumaobra comuminvestimentode32 milhões de reais, mas não tem como manter o funcio- namentodolocal.Eaíocida- dãotemquepagaressevalor emummomentotãocrítico queestamosvivendo”,disse. Em uma reunião extra- ordinária prevista para ser realizadaontemàs16horas, os parlamentares iriam in- terrogar o diretor do SAAE Toninho Sampaio sobre o aumentodatarifadeesgoto eofuncionamentodaETE. DA REDAÇÃO redacao@jornalcidademg.com.br Porém, não economi- zaram nas críticas ao aumento da tarifa de esgoto imposto pelo SAAE Projetofoitramitadoemregimedeurgência.NovoscontratadosirãotrabalharnaEstaçãodeTratamentodeEsgoto. Foto:AscomPMLP
  5. 5. LIBERE SUA ENERGIA. TRANSFORME SUA CARREIRA. TRAINEE DE OPERAÇÕES BIOSEV 2015. A Biosev está à procura de líderes para participarem do programa de formação de coordenadores para a área de Operações e que tenham vontade de fazer carreira em usina. A empresa possui 2 vagas para a unidade de Lagoa da Prata na área agrícola e industrial. As inscrições para o programa podem ser realizadas até o dia 24 de agosto pelo hotsite across.com.br/biosev A Biosev, subsidiária da Louis Dreyfus Commodities Holding, é a segunda maior processadora global de cana-de-açúcar e produz açúcar, etanol, ração animal, levedura, melaço em pó e energia. C M Y CM MY CY CMY K Biosev Jornal2.pdf 1 11/08/15 16:57
  6. 6. Sexta-Feira • 14 Agosto 2015 www.jornalcidademg.com.br8 Política Untitled-1 1 26/05/15 09:52 Apesar da crise, situação financeira do município de Lagoa da Prata está sob controle, afirma secretária •Reduçãodesalários,proi- bição de pagamento de ho- ras extras, cortes de con- tratos, interrupção de ser- viços e demissão de funcio- nários.Essatemsidoareali- dadeenfrentadaporseteem cadadezmunicípiosminei- ros.Dopróximodia17a21de agosto,deacordocomaAs- sociaçãoMineiradosMuni- cípios, ao menos 50 prefei- turas do Centro-Oeste e do Sul de Minas devem fechar asportas.Acrisefinanceira atingiumunicípiosdaregião. EmSantoAntôniodoMon- teforamdemitidoscercade 150servidoressónoprimei- rosemestrede2015.Secreta- riasforamextintasouagre- gadas a outras pastas. Meio AmbienteeCulturativeram mantidos funcionários su- ficientesapenaspara as ati- vidades básicas. A prefeitu- ra de Formiga, num quadro depoucomaisde2.000fun- cionários, já são 111 desliga- mentosdeocupantesdecar- gosdeconfiançaoucontra- tados, além de outros cujos contratosforamvencendoe nãoforamrenovadosnosúl- timosmeses,incluindoesta- giários.Alémdisso,secretá- riosestãoacumulandomais deumapastaparaevitarno- vasdespesas. Osreflexosdacriseeco- nômicaafetaramdiretamen- teocaixadaprefeituradeLa- goadaPrata,quearrecadou6 milhõese696milreaisame- nosdoqueoorçamentopre- vistoparaoprimeirosemes- trede2015.Apesardisso,de acordocomasecretáriamu- nicipal de Fazenda, Nivia Melo, não haverá paralisa- çãodeserviçosedemissões. Ela explica que medidas de austeridadevêmsendoado- tadas desde o início do atu- algovernoeestãopossibili- tando a prefeitura a honrar os seus compromissos. “No anode2013jáhouveumare- duçãonoorçamentonopri- meiro semestre, em repas- ses dos governos federal e estadual, somados às recei- tasmunicipais.Diantedessa situaçãodesfavorávelfoiim- plantadaumapolíticadeaus- teridadefiscal,rigornocon- troledegastos,afimderecu- peraroequilíbriofiscalcom a redução das despesas pú- blicas,queemnenhummo- mento interferiu em servi- ços básicos e essenciais. As medidas foram referentes aocontroledehorasextras, otimizaçãodafrota,revisão decontratosdeinteressepú- blico,melhorianosistemade compraselicitação,implan- taçãodanotafiscaleletrôni- caebuscadosprefeitosPau- linhoeRoberto,juntoaosgo- vernosfederaleestadual,de recursos para investimen- to. Com adoção dessas me- didas, o equilíbrio financei- ro começou a ser restabele- cidoeosexercíciosfinancei- rosde2013e2014fecharam comsuperávit”,afirmou. QUEDANA ARRECADAÇÃO Asecretáriadisseaindaque, apesar do município estar comasfinançassobcontro- le, o momento exige caute- ladevidoàquedadereceita apuradanoprimeirosemes- tredesteano.“Aprojeçãode FPM(FundodeParticipação doMunicípio)paraoexercí- cio 2015 é de 27 milhões de reais. Até o mês de julho foi recebidodeFPMovalorde 12.802.802,33reais,oequiva- lentea47%dovalorprevisto. Enormalmente,noprimeiro semestreosvaloresdetrans- ferênciassãomaioresqueno segundosemestre.Atéomês dejulhoomunicípiorecebeu parcialmentetransferências dasaúdeedaeducação”,ex- plicou. De acordo com Melo, a secretaria que vem sendo mais prejudicada com rela- ção às transferências de re- cursoséaAssistênciaSocial, queestásendomantidacom recursosdoprópriomunicí- pio. FUNCIONALISMO Atualmente, a prefeitura tem 1130 funcionários en- tre efetivos, comissiona- dos, contratados e conse- lheirostutelares.Asecretá- ria garante que não vai ha- ver demissões e nem sus- pensãodosserviços.“Omu- nicípioestáacimadolimite prudencial, que é de 51,3% decomprometimentodare- ceita corrente líquida com a folha de pessoal. Estamos com 52,1%, mas já toma- mos providências para re- duzir despesas e adequar o limitedafolha.Ressaltamos que não houve aumento de funcionários.Olimitedafo- lhaaumentoudevidoàque- dadearrecadação.Paraque a crise não afete a prefeitu- raeservidores,osprefeitos estãomantendoasmedidas adotadas desde 2013 com relação ao rigor nos gas- tos públicos. No mês de ju- lhohouveumareuniãocom secretáriosparareveropla- nejamento do segundo se- mestre, com o compromis- so de manter os serviços já executados, mas com eco- nomiadegastos”,afirmou. DA REDAÇÃO redacao@jornalcidademg.com.br Nivia Melo, secretária municipal de Fazenda Foto:Arquivopessoal 70% dos municípios mineiros tiveram que demitir servidores pa- ranãoultrapassarlimi- te da Lei de Responsa- bilidade Fiscal (LRF) Município arrecadou 15% a menos do que a previsão do 1º semestre de 2015. Receita prevista para o exercício de 2015: R$ 87.400.000,00 Receita prevista de janeiro a junho de 2015: R$ 45.166.000,28 Valor arrecadado de janeiro a junho de 2015: R$ 38.470.373,91
  7. 7. •Próteses Dentárias Foi Credenciado o Laboratório Regional de Próteses DentáriasnoPSFJoséLuisdaFonseca,ondeestãosen- do realizadas próteses dentárias totais e parciais para atenderapopulaçãodeMoema.Cercade750próteses já foram colocadas. •Projeto Caminhos do Cuidado Secretaria Municipal de Saúde de Moema em parceria com a Escola de Saúde Pública - ESP/MG realiza o “PRO- JETOCAMINHOSDOCUIDADO”,umaFormaçãoemSaú- deMental(crack,álcooleoutrasdrogas)paraagentesco- munitáriosdesaúdeeauxiliares/técnicosdeenfermagem da atenção básica. O curso foi de 60 horas. •Projeto Saúde perto de você! A Secretaria Municipal de Saúde de Moema realizou o Projeto “Saúde perto de você” entre os dias 23 e 25 de março. Na Praça Pedro Ferreira da Silva ficou estacio- nadaumacarretaparceirado Ministério daSaúdepara trabalhar a Promoção de Saúde e Prevenção de Doen- çaseAgravos. Sendoumdosprincipaisobjetivosabus- ca ativa de casos novos de hanseníase. •Construção de Nova UBS Construída no Bairro Alvorada uma nova Unidade Bá- sica de Saúde, que irá beneficiar toda a população da cidade de Moema e principalmente os moradores dos bairros próximos. •Compra de Equipamentos e Materiais per- manentes Para a nova UBS Lázaro Lino Lacerda estão sendo com- prados todo o mobiliário e material permanente para melhor atender a população. Estão sendo adquiridos dois Gabinetes para os consultórios odontológicos. •Projeto como cuidar de sua saúde e de sua casa! A Secretaria Municipal de Saúde em parceria com a Se- cretariadeEducação,juntamentecomosprofissionaisda AtençãoBásicaeVigilância Sanitária promoveram nas escolas primárias um Tea- troparaensinaraosalunos comocuidardesuasaúdee desuascasas,trazendoen- sinamentos sobre higiene ecuidadospessoais,vermi- noses,dengue,entreoutros. •Oxigenoterapia Inclusãodospacientesusuáriosdeconcentradordeoxi- gênio ao Programa de Oxigenoterapia Domiciliar Pro- longada. O programa de oxigenoterapia visa garantir aopacienteoatendimentohumanizado,poistemcomo diretrizotratamentodopacienteemsuaresidência.23 pessoas foram atendidas pelo programa. •CISURG AdesãoaoConsórcioparaimplantaçãodaRededeUrgênciaeEmergênciaeCriação do SAMU Regional. •Mais Médicos - Compromisso com a população A Atenção Básica, como um princípio primordial desta administração e também uma diretriz do Ministério da Saúde se faz presente no dia a dia da população de Moema. Portanto, a ampliação é nítida e em momento algum Moema esteve com essa quan- tidade de médicos fazendo a Atenção Básica do município. Hoje temos como Médi- cos na Atenção Básica: Dr. Wellington, Dr. Argélio, Dra Anna Karla, Dra. Simone e Dra Zayra – fato inédito na Atenção Básica municipal. •Almoxarifado central No PSF Alexandre de Oliveira Filho foi construído um almoxarifado central da saúde, que irá proporcionar a concentração de todos os insumos e materiais utilizados, per- mitindo controle e facilidade de acesso paras os funcionários.
  8. 8. Sexta-Feira • 14 Agosto 2015 www.jornalcidademg.com.br10 Solidariedade e Voluntariado Seja Solidário AJUDE AS ENTIDADES DE LAGOA DA PRATA! Seja voluntário ou contribua financeiramente. ENDEREÇO:RuaAlexandreBernardesPrimo,1132 DOAÇÕES: As doações poderão ser feitas através da conta de água. É só procurar o SAAE e informar a doa- ção.Outraforma,éentraremcontatopelotelefone(37) 3261-2787, informar o endereço que um autorizado da instituiçãofaráacoletadovalorquedesejardoar. ENDEREÇO:Av.Brasil,nº904 FONES:(37)3261-2547/(37)9966-5676(Raimundo) DADOS BANCÁRIOS: Banco do Brasil | Ag.: 2240-3 | C/c.:32740-9.Outrasformasdedoaçõespoderãoserar- ticuladaspelotelefone ENDEREÇO:RuaDonaNâna,453-Gomes SITE:www.fazendanovocaminho.com.br DOAÇÕES:Informaçõessobredoaçõespodemserad- quiridas através dos telefones 37 9999-2382 / 37 9905- 2013/379827-8023(AlineouDaniel) ENDEREÇO:R.SantaCatarina,38-Centro FONES:(37)3261-2858 DADOSBANCÁRIOS:CaixaEconômicaFederal Ag.:1382|C/c.:1429-5 “Apadrinhe uma Criança”. Conheça a nova campanha da Associação Sara Aparecida •A Associação Sara Apa- recida (ASA) está realizan- do a campanha “Apadri- nhe uma Criança”. A ação, quecomeçouemjulho,tem porobjetivoaumentarosre- cursos financeiros e parce- rias para manter as ativida- des prestadas e buscar me- lhoriascomnovosprojetos. Apadrinhando uma crian- ça da ASA, a empresa te- rá sua marca divulgada co- mo “Padrinhos da ASA” em umbannerqueseráafixado na sede da associação e em destaquenosdiversoseven- tos promovidos (quermes- ses,bingo,almoço,entreou- tros). Contudo, a maior di- vulgação irá acontecer em dois eventos - Noite Italia- naeFeijoada-realizadosno UmuaramaClube,querece- bempúblicodecercade500 pessoasemduasdatasanu- ais. Na Noite Italiana, a as- sociação irá homenagear e entregar um troféu à em- presa participante e tam- bém veicular em telão uma propaganda do patrocina- dor. A contribuição mensal éde80reaismensaisduran- teumano. A associação necessi- ta de apoio para continu- ar as suas atividades com as crianças moradoras dos bairros atendidos e manter o pagamento das despesas. “Pensamosentãoemprocu- rarasempresasdanossaci- dade para buscar parcerias e pedirmos o compromisso de uma contribuição men- sal. Desta forma, oferece- mos a divulgação da marca das empresas doadoras nos nossos eventos, como agra- decimentoereconhecimen- to desta parceria firmada”, explicaadiretoraFláviaLa- mounier. Atualmente, a institui- ção atende periodicamente cercade60criançasentre5 e14anosdeidade.Porém,o número chega a 140 cadas- tradasqueutilizamváriosti- posdeatendimentosdefor- maesporádica.Alémdasre- feições,ascriançastambém recebemrecreação,evange- lização, ensinamentos éti- cos e morais, atividades lú- dicas, educativas, aulas de balé,karatêecomputação. A instituição foi criada há oito anos pela iniciati- vaparticulardaempresária Zélia Amorim, que fez um voto de caridade de servir refeição para crianças dos bairros Sol Nascente, Co- ronel Luciano e Chico Mi- randa. “Logo as pessoas da cidade aderiram à propos- ta e começaram a ajudar também. Do início das ati- vidades da Associação Sara Aparecidaatéosdiasdeho- je, houve um avanço enor- me no comprometimento socialdosenvolvidos.Tudo foiconquistadograçasaoes- forçodemuitaspessoaspre- ocupadas com a sociedade, que fazem doações e auxi- liamdediversasmaneiras”, destacouadiretora. Qualquer pessoa, em- presaouprofissionalliberal pode participar da campa- nha“ApadrinheumaCrian- ça”. Para outras informa- ções, é só entrar em conta- tocomaassociaçãopelote- lefone3261-6305. DA REDAÇÃO redacao@jornalcidademg.com.br A associação também faz pudins todas às sextas- feiras como forma de arrecadação. Os pedidos poderão ser realizados até na quinta-feira de cada semana pelo telefone 3261- 6305. O preço é 10 reais. Crianças atendidas pela ASA recebem alimentação, evangelização, aulas de balé, karatê, computação e atividades de recreação. Foto:ArquivoASA FARASVEC COMUNIDADE TERAPÊUTICA AFA - ASSOCIAÇÃO FRANCISCO DE ASSIS FUNDAÇÃO CHIQUITA PERILO
  9. 9. Sexta-Feira • 14 Agosto 2015 www.jornalcidademg.com.br 11Cultura Lagopratense rompe fronteiras e lança livro no Paraná Prêmio Destak Empresarial chega na 9ª edição com participação recorde de empresas •O empresário Alexandro Silva,promotordoPrêmio DestakEmpresarial,come- moraosucessoda9ªedição doDestak,queem2015ba- teuorecordedeparticipa- ção de empresas homena- geadas. Na entrevista a seguir, Alexandro fala sobre essa marcaalcançadaeagrade- ce à confiança dos empre- sáriosdeLagoadaPrata: •O que representa para você alcançar essa mar- ca, chegar à nona edição e com recorde de parti- cipação,nessemomento deretraçãonaeconomia? Significa que trabalhamos com honestidade e trans- parência ao longo desses anos,reconhecendoasem- presaquefazemadiferença emLagoadaPrata.Sobrea atualsituaçãodomercado, vemosqueacidadetemuma economiadiferenciada,com grandesempresáriosquesão arrojadoseinovadores. Fico feliz, pois o even- to está crescendo, ganhou a confiança das empresas e Lagoa da Prata tem empre- sáriosdiferenciados. •Nesse momento de re- tração econômica, gran- departedosempresários emLagoadaPrataenten- de que a publicidade é es- sencialparaasustentabi- lidadedosseusnegócios. É verdade. Quem não é vis- tonãoélembrado.Todosos veículos com grande credi- bilidadenacidadefarãoaco- bertura do evento, como as rádiosVeredaseDivinaleo JornalCidade.Tambémvei- cularemosemcarrosdesom. Buscamostodososveículos quealcançamgrandepúbli- coparadaroretornopositi- voàsempresasparticipantes doevento. •Quantas empresas irão participardoDestakEm- presarialem2015? Temos a confirmação de 67 empresaseprofissionais,nú- merorecordedeparticipan- tesemtodasasedições.Fare- mos um jantar de gala e le- varemosumgrandepúblico ao Umuarama Clube no dia 28.Paramimissotemumsa- borespecial,porqueeufaço oconvitepessoalmenteato- dosessesempresáriosepro- fissionais.Paraobailedega- la,ofereceremosumatendi- mento vip a todos os convi- dados. Teremos uma gran- de equipe de cerimonial e umaatraçãomusicalquefa- ráumanoiteinesquecível. Gostaria de deixar uma mensagemparaosempre- sários? Sim.Agradeçopelaconfian- ça em meu trabalho e por acreditar em mais uma edi- ção do Prêmio Destak Em- presarial. Fico feliz em sa- ber que o comércio de La- goa da Prata está passan- dopelaatualsituaçãocom forçaecomdeterminação, buscandofazeradiferença. Eseráaelesquefaremosa homenagem no próximo dia28.Querofalartambém quejáestamosplanejando a10ªediçãodoprêmio,que terámuitasnovidades. PUBLIEDITORIAL Alexandro Silva, promotor do Prêmio Destak Empresarial, durante a realização da 8ª edição do prêmio. •Oadministrador,gestorde finanças, empresário e es- critor Nilson Antonio Bes- sas participou no dia 2 de agosto de uma tarde de au- tógrafos no shopping Ave- nida Fashion, em Maringá, no Paraná. Ele foi convida- doalançarolivro“Tornan- do sua empresa um suces- so”,queofereceensinamen- tosparaqueosmicrosepe- quenosempresáriostenham sucessoemseuempreendi- mento.Foramvendidoscer- ca de 100 exemplares do li- vroduranteoevento.Aobra foilançada,inicialmente,em BeloHorizonteeestáàven- danasprincipaislivrariasdo país,comoaAmazon,Sarai- vaeCultura. Para o gerente de rela- ções públicas do shopping, Eder Bruno Doro, o livro traz lições essenciais para quem deseja ter sucesso no empreendimento. “Tive a alegria de ler o livro do Nil- sonBessas,quefoientregue emminhasmãospeloagen- te de moda dele. É excelen- teparaquemqueriniciarum negócioouparaoempreen- dedor que não tenham co- nhecimento das questões contábeis,administrativase comerciais.É,praticamente, umaapostiladecomofazero seunegóciodarcerto.Achei maravilhosoerecomendo.O queoNilsonfaz,pormeiodo livro, é estimular a pessoa a conhecer melhor o seu ne- gócio, o mercado, o cliente e se preparar melhor para qualquer momento de cri- se”,afirmouDoro. A empresária Maria Aparecida dos Santos, pro- prietáriadeumalojanoSho- ppingAvenidaFashion,teve a oportunidade de visitar o stand e conhecer o livro. “A minhaperspectivaéqueele meajude.Achoquevoutirar muitoproveito.Pelapropos- ta parece muito interessan- te, dei uma olhada e já deu para aprender umas coisi- nhas”,afirmou. Deacordocomoconsul- tor de moda Cleto Miranda Silva, o livro é muito claro e objetivo. “Na minha avalia- çãooautormostracomcla- reza, é bem objetivo no que dizrespeitoafacilitareauxi- liar na resolução de proble- masnoseuempreendimen- to,trazendomuitainforma- ção para que o empreende- dorsejabemsucedido.Oque memotivouaintermediara parceriadoshoppingcomo NilsonBessasfoi,justamen- te, atingir um público dire- cionado a esse livro que são empreendedores e clientes doshopping”,frisou. Satisfeito com a proje- ção que o livro alcançou no estadodoParaná,oescritor Nilson Bessas falou sobre a experiência de ajudar ou- tros empreendedores a te- rem sucesso em seus negó- cios. “Fiquei muito satisfei- tocomoresultadodolança- mentodomeulivroemMa- ringá. E a minha satisfação não se restringiu somen- te ao número de exempla- resvendidos.Fiqueihonra- dopelointeressedaspesso- as pela obra a partir do mo- mentoquepuderamconhe- cê-la. Deparei com muitos empreendedores talento- sos que vivem lutando para fazerseusnegóciossobrevi- veremeacontecerem,onde os maiores desafios enfren- tadosporelesnãoestãonas adversidadesdomercado,e sim,nascondutasincorretas peranteàssuasgestões.Co- mo o livro traz um conteú- doqueenfatizabastantees- tes pontos, acredito que to- dos que o adquiriram po- derão reformular seus con- ceitos,mudarseushábitose combaterseusvíciosgeren- ciais,podendoprojetarseus negóciosrumoaosucesso”, concluiBessas. DA REDAÇÃO redacao@jornalcidademg.com.br Empresária e o sr. Eder Bruno Doro, Relações Públi- cas do Shopping Avenida Fashion. Cleto Miranda Silva – Consultor de Moda AlessandradeAzevedo,empresariadoShoppingAve- nida Fashion. Fotos:CássiaDuarteLacerda/JulioMarcosRodrigues “Tornando sua empre- saumsucesso”,deNil- son Antonio Bessas, faz sucesso entre em- presários durante fei- rademodaemMaringá
  10. 10. Sexta-Feira • 14 Agosto 2015 www.jornalcidademg.com.br12 Economia ACE/CDL oferece aos empresários a oportu- nidade de escolher a melhor linha de crédi- to para aquecer a eco- nomia local. Entida- de ainda promoveu a renegociação de dívi- da de consumidores inadimplentes. •Com o objetivo de forta- lecerasempresasdeLagoa da Prata e proporcionar a elas mais vigor para supe- rar esse momento de re- tração econômica, a ACE/ CDL promoveu, na sema- napassada,duasiniciativas quetrouxerambenefíciosà classe empresarial. Do dia 3 a 14 de agosto foirealizadaa“Semanade Recrédito”, que possibili- tou a dezenas de consumi- dores que estavam endivi- dados a oportunidade de renegociar suas dívidas com baixos juros, isenção de multas e facilidades de pagamento, colocando-as em condição de comprar no crediário novamente. A iniciativa teve a participa- ção de 42 empresas. “Com isso,trouxemosparaocon- sumodiversosconsumido- res que não estavam aptos ao crédito por estarem en- dividadosecomonomeno SPC”, avalia o empresário Paulo Pereira, presidente da CDL. No dia 4, no auditório do Umuarama Clube, a as- sociação promoveu a “Ro- dada de Crédito”, com a participação de sete insti- tuiçõesfinanceiras:Sicoob Crediprata, Sicoob Lagoa- cred,CaixaEconômicaFe- deral,BancodoBrasil,Bra- desco, BDMG e BNDES. O evento contou com a par- ticipação de aproximada- mente 100 empresários, que tiveram a oportuni- dade de conhecer, em uma únicatarde,todasaslinhas de crédito disponíveis pa- ra fomentar o seu negó- cio. A “Rodada de Crédi- to” foi uma realização da ACE/CDL-LP,emparceria com Sebrae e FIEMG (Fe- deração das Indústrias de Minas Gerais). “Os bancos ofereceram crédito com taxas muito interessantes. Agoraosempresáriosterão condições financeiras pa- ra investir e crescer”, dis- seopresidentedaACEJo- sé Raimundo de Rezende. Para a consultora em- presarial Glaura Figueire- do, o momento econômico exige criatividade e inova- çãoporpartedosempresá- rios.EainiciativadaACE/ CDL irá contribuir para que as empresas possam seplanejar.“Agoraéahora de buscar oportunidades, pois o mercado está aber- to a todas as iniciativas de negócio. A ideia é fazer di- ferente.Éproporoportuni- dades,comsustentabilida- de. Na Rodada de Negócio os empresários tiveram a oportunidade de apresen- tarsuasdemandas,conhe- cer as soluções e tomar as melhoresdecisões”,expli- ca a consultora. Figueiredo também elogiouoperfildosempre- sários da cidade. “Gosta- ria de parabenizar a ACE/ CDL,queéumainstituição parceira fantástica e sem- pre está promovendo ini- ciativas interessantes. Pa- rabenizo também os em- presários que buscam in- formações. Lagoa da Prata é uma cidade onde os em- presáriosbuscamsoluções. Esseéograndediferencial da cidade”. PUBLIEDITORIAL Combate à crise: A evento para fortalece “AgrandeimportânciaparamimdessainiciativadaACE/ CDLérecolocaressaspessoasnomercado,ficandoaptasa fazernovoscréditoseassimmovimentaromercado.Outro valordessainiciativaédiminuirainadimplênciaparaaem- presaetambémrecolocaressaspessoas,quepormotivos deforçamaiornãopuderamhonrarseuscompromissose queremretornaraomercado.” Kerley Resende, proprietário da Ótica Acuidade Visual “Essainiciativaémuitoimportante,aindamaisemummo- mentofinanceirodelicadoqueopaísestáenfrentando. Muitosestãoendividadoseàsvezesnãopossuemaorgani- zaçãoparafazerisso,achomuitoimportante.Tambémpa- ramovimentarmaisocomérciodacidade.Algumasempre- sasquenãotêmocrediárioorganizadotêmaoportunidade deseorganizar.” Willian Oliveira, gerente da Luidar Tintas LOJISTAS APROVAM SEMANA DE RECRÉDITO Cerca de cem empresários participaram da rodada de crédito Dênis Silva (Sebrae), Antônio Claret (Sicoob Crediprata), Glaura Figueiredo (consultora empresarial), Paulo Pereira (CDL) e José Raimundo (ACE) Fotos:ACE/CDL
  11. 11. Sexta-Feira • 14 Agosto 2015 www.jornalcidademg.com.br 13Economia Entrevista Paulo R. Pereira Presidente da CDL •Qual o resultado que a ACE/CDL espera alcan- çar com a realização da RodadadeCrédito? EsperamoscumpriramissãodaACE/CDL,queéfortale- cerocomérciolocal.Ediantedacrisefinanceiraatual,es- tudamos a melhor forma para contribuir com os empre- sários para que eles saiam fortalecidos desse momento. Numa crise falta dinheiro. O que podemos fazer de ime- diatoéprepararasempresasparaummomentodeescas- sez.Convidamososbancosetrouxemosnossosparceiros BNDESeBDMGeaproximamosdezenasdeempresários parafazeremnegócioscomessasinstituiçõesfinanceiras. Com isso, esperamos que o comércio tenha mais dinhei- ro,giremaisdinheiro. Dinheiroéumprodutocomoqualqueroutro.Osban- cosvendemdinheiro.Enós,geralmente,nosacostumamos atrabalharsomentecomumúnicobanco.E,àsvezes,nem conhecemosoqueosoutrosbancospodemnosoferecer. A ideia desse evento é que os empresários pudessem co- nhecer,deumasóvez,tudooqueosbancospodemofere- cer. •QualfoioresultadodaSemanadeRecrédito? Trouxemosparaoconsumonovamentediversosconsumi- doresquenãoestavamaptosaocréditoporestaremendivi- dadosecomonomenoSPC.Dezenasdeempresasentra- ramnesseprojetoerenegociamosajurosbaixos,comisen- çãodemultasegrandesfacilidadesparaqueessaspessoas estejamaptasaconsumir.Oresultadoé:empresasfortese pessoasaptasaoconsumofazemaeconomiagirar.Éessaa nossacontribuiçãoquepretendemosdeixarparaacidade. •QuaisoutrasiniciativasqueaACE/CDLpretendem realizarparafortalecerasempresas? O próximo serviço que iremos trazer para o portfólio é uma central de compras. Queremos reunir as necessida- desdecomprasdeempresários,principalmentedosramos debares,restaurantes,merceariasesupermercados.Com poderdecompra,iremosofereceraessesempreendedo- res a oportunidade de comprar por um preço mais baixo ecomissoaumentaralucratividadedeles. ACE/CDL promove er as empresas locais EMPRESÁRIOS APROVAM RODADA DE CRÉDITO “FoiumaboainiciativadaACE/CDL,poisnaatualconjun- turaeconômica,comproblemasdecapitaldegiro,aquines- seeventotivemosacessoamuitaspropostas.Vamosanali- saroqueosbancostêmaoferecer.Encontreiumalinhade créditoespecíficaparaomeuramocomumataxadejuros muitointeressante.” Clóvis (direita), proprietário do Bar Passatempo “Euacheiincrível!Oempresário,àsvezes,nãotemconhe- cimentogeraldoscréditospossíveis,dastaxasdisponíveis nomercado.Àsvezeseleachaqueestátudodifícil.Prin- cipalmentenessacrise,entreaspas,queagenteestápas- sando,amenteficamuitofechada,principalmenteaqui emLagoadaPrata,queéconservadoranessesentido.Isso foiumafontedeinformaçãoeumaideiamuitobacanada ACE/CDLpararealmenteajudaroempresárioemicroem- preendedoraalavancarasuaempresaeomercadoemge- ral.Issoéumacorrente.Umacoisapuxaaoutra.” Mariana Duarte de Faria (esquerda), sócia-proprietária da Floricultura Dedo Verde “Émuitoimportante.Foiumainiciativaexcelenteeopor- tunidadeúnicadeconheceraslinhasdecréditodetodos osbancosparaampliarefortaleceronossonegócio.” Solange Barbosa (esquerda), proprietária do bufê e sa- lão de festas Divina Gula Consultoras da ACE/CDL renegociaram crédito de clientes inadimplentes de 42 empresas da cidade Um saboroso coquetel foi servido pelo chef Romero e por Cleonice.
  12. 12. Sexta-Feira • 14 Agosto 2015 www.jornalcidademg.com.br14 Esportes Jogos Escolares será realizado em Lagoa da Prata Lagopratenses são destaques no JEMG Equipe de futsal infantil é campeã da Copa AABB de Bambuí A Praça de Esportes oferece aos associados aulas de Natação, Ginástica aeróbica e funcional, Zumba, Musculação, Futsal, Basquete, Karatê, Atletismo e conta também com Sauna, Futebol Society, Piscina e Lanchonete. Campeonato de Voleibol de Quarteto •A22ªediçãodosJELP(Jo- gos Escolares de Lagoa da Prata)serárealizadanaPra- çadeEsportesentreosdias21 deagostoe6desetembro.O jogoscontarãocomapartici- paçãodetodasasescolasmu- nicipais,estaduaiseparticu- •AdelegaçãodeAtletismode LagoadaPrataparticipouen- treosdias3e7deagostodaEta- paFinaldoJEMG(JogosEsco- laresdeMinasGerais),emUbe- raba.Aotodo,foram26atletas deLagoadaPrataconcorrendo comaproximadamente1.500 atletasdemaisde100cidades deMinasGerais. Osatletasla- •AequipedeFutsalInfantilde LagoadaPratafoicampeãda CopaAABBdeFutsaldeBam- buí,queaconteceunosdias1e 8deagosto. •AconteceunacidadedePai- neirasoCampeonatodeVolei- boldeQuarteto.AequipedeLa- goadaPrata,conquistoumeda- lhadeprata. laresdeLagoadaPrata,com alunosde9a16anos, nasmo- dalidadesdefutsal,queima- da,handebol,basqueteevo- leibol,atletismo,natação,ci- clismo,dama,xadrez,peteca etênisdemesa.Tambémfará partedasmodalidadesoFes- gopratensestrouxeramparaa cidade6medalhasdeouro,3 medalhasdepratae5meda- lhasdebronze.Destaquepa- raosatletasEricGustavo,Tha- ísZanfilli,RaphalelaMacedo, CarolayneBatistaeGuilherme Silvério,quealémdoouro,con- quistaramvagaparaasOlimpí- adasEscolaresBrasileira. tivaldeDançaeoConcurso AlunoNota10. Aaberturaseránodia21 de agosto no Poliesportivo LeopoldoBessoneàs16:30h, comapresentaçãodasdelega- çõesecomoDdsfile“Garoto &GarotaJELP”. Carolayne Batista - Atletismo AGENDA Principais eventos e acontecimentos da cidade de Lagoa da Prata nos próximos dias. Segundas,quartasesextas •AulasdeZumbanaPraçadeEsportes A partir das 17h - Mais informações pelo telefone 37 9961-3554/9160-3554-comaprofessoraBrunaCosta 20a23deAgosto •FestadoCongadodaPa- róquia São Francisco de Assis A partir das 19h. Mais in- formaçõespelotelefone37 3261-7162 23deAgosto •4ªEtapadaLigaCentroOestedeTrêsTambores Local:PesquePague,apartirdas10h InformaçõescomFernando(379946-2807)/Ricardo(37 9844-0697)/Beraldino(379863-0499). 25deAgosto(Início) •CopaSuperCraqueFuteboldeBase Maisinformaçõespelotelefone373261-4768comChris- tianFreitas. 05deSetembro •AniversáriodoMotoclubeAsasdeÍcaro Local:CentrodeeventosdaParóquiaSãoCarlos Apartirdas11h 28e 29deNovembro •EncontrodeNoivosdaParóquiaSãoSebastião Os interessados deverão fazer as inscrições na secre- taria paroquial ou através dos contatos 37 3261-5442/ 9925-1113 Avise-nosdoseventoseacontecimentosnacidade: Fone:373261-9885 Whatsapp:379195-1978 Encontro de aeromodelismo é realizado em Lagoa da Prata •AAssociaçãoLagopraten- sedeAeromodelismo(ALA) realizounodia9deagostoo 1º Encontro de Aeromode- lismo de Lagoa da Prata. O evento teve a participação de mais de sessenta pilotos. Durante o encontro esteve presente o tricampeão bra- sileirodeaeromodelismona categoriaF3A(categoriaque avalia precisão e grande di- ficuldade),BrunoVisconde, que já esteve na cidade du- ranteumeventodeaeromo- delismonaPraiaMunicipal. “Foi um evento muito bacana.Quandoagenteco- meçouaorganizarnãopen- samosqueiatomaressapro- porção.Foiimpressionantea adesãodapopulaçãodeLa- goa da Prata pela aviação”, enfatizou Breno Henrique Alves, um dos organizado- resdoevento. O aeromodelismo é re- conhecido como esporte e existem campeonatos re- gionais, estaduais, nacio- nais e até internacionais. AlvesacrescentaqueaALA pretende sediar um grande encontro em Lagoa da Pra- ta.“Nósnãotemosestrutura aindaparasediarumaetapa deeventosdesseporte,pre- cisamos crescer muito ain- da,masagenteestánocami- nho”,disse. Oorganizadorressaltou que o aeromodelismo é um esporte democrático, que pode ser praticado por pes- soas de qualquer nível eco- nômico e social. “Tivemos no encontro aeronaves ava- liadas em 30 mil reais, mas tivemos também aeronaves de50reais”,destacou. Emoutubro,aALApar- ticiparádeumencontroem Belo Horizonte, que é rea- lizado pela AMA (Associa- ção Mineira de Aeromode- lismo). “Já participamos de váriosoutroseventosemci- dades como Santo Antônio do Amparo, Coromandel, Oliveira,ArcoseLuz”. Os integrantes da ALA praticam o aeromodelismo em um campo de pouso si- tuadoàsmargensdarodovia MG-170,pertodoparquede exposição.Avisitaçãoégra- tuita. DA REDAÇÃO redacao@jornalcidademg.com.br Oaeromodelismoéreconhecidocomoesporteeexistemcampeonatosregionais, estaduais, nacionais e até internacionais. Foto:AscomPMLP Mais de sessenta pi- lotos participaram do evento. O tricampeão de aeromodelismo Bruno Visconde tam- bém marcou presença no encontro.
  13. 13. Sexta-Feira • 14 Agosto 2015 www.jornalcidademg.com.br 15Policial Família de Thaís pede justiça um ano após acidente •AfamíliadeThaísApare- cidaMartinsclamaporjus- tiçaumanoapósamorteda jovem. A garota foi atrope- lada no dia 5 de agosto de 2014 por Thalles Renner SilvaMartins–quenaépo- catinha19anoseerainabili- tado–quandosaíadotraba- lho de bicicleta. De acordo com pessoas que testemu- nharam o acidente, na épo- ca, além de atropelar a ga- rota, Thalles deu ré na ca- minhonete Hilux e a atro- pelou novamente, fugindo sem prestar socorro à víti- ma.Thaísteve váriasfratu- raspelocorpoefoiinterna- da no Hospital João XXIII, em Belo Horizonte, mas não resistiu aos ferimentos eveioaóbito. Amigos e familiares de Thaísrealizaramváriasma- nifestações em frente à de- legacia, ao fórum e nas re- des sociais, pedindo a con- denação do autor. O Minis- tério Público ofereceu de- núncia contra Thalles e em marçode2015foirealizada aúnicaaudiênciadocasono fórum de Lagoa da Prata. A mãe Tatiana Martins diz que confia na justiça e rela- taodramasofridodurantea audiência,quandofoiimpe- didadefazerumapergunta aThalles.“Ojuizachouque eunãoestavaemcondições de fazer essa pergunta por- que eu estava muito nervo- sa. Eu queria perguntar co- mo ele consegue deitar na cama sabendo que ele des- truiu a vida de uma moça tão simples. Que tinha so- nhos tão simples, conhecer apraiaetirarcarteiradeha- bilitação.Comoficaacabe- çadeumapessoaassim?Se- ráqueelecolocaacabeçano travesseiro e pensa naqui- lo que ele fez? Será que ele temaconsciênciadequeele acaboucomavidadevárias pessoas,nãoacabousócom avidadela”,desabafaamãe, que,desdeoacontecimento, fazusodeantidepressivose tratamentocompsicólogoe psiquiatra. “A gente espera que a justiçasejafeitasim!Euvou lutar, vou correr atrás, vou até onde minhas forças de- remeatéondeDeusmeper- mitir. Alguém que está aci- madolimitedevelocidade, atropela uma pessoa du- as vezes, não presta socor- ro, foge e é inabilitado de- veserconsideradoautorde umcrimeenãodeumatro- pelamento. Eu prometi pa- raminhafilhaeprometipa- ra Deus, de joelhos, que eu vou atrás de justiça”, afir- mouMartins. O pai de Thaís, Sidnei Carlos,tambémrelataoso- frimento da família. “A mi- nha esposa passa a maioria do seu tempo fazendo tra- tamentos médicos para ver se consegue viver um pou- comais.Enquantoissooau- tor do atropelamento anda tranquilamentedecarropa- ra baixo e para cima como se nada tivesse acontecido. Não vamos desistir. Vamos continuar lutando pra que justiçasejafeita”,destacou. LAUDO DA PERÍCIA De acordo com o advogado deacusaçãoMaiconTeixei- radosSantos,olaudodape- rícia não chegou a ser con- clusivo acerca da culpa de Thalles. “Mas trouxe notí- ciasimportantesparaopro- cesso. Primeiro, que o réu dirigia acima da velocida- de permitida no dia dos fa- tos. Também trouxe aos fa- tos,principalmenteasteste- munhas,quenodiadoocor- ridoapósatropelaravítima oréuaindapassoucomaca- minhonete sobre ela outra vezquandofoievadirdolo- cal dos fatos”, confirma o advogado. O OUTRO LADO O advogado de Thalles, Leonardo Almeida, argu- mentou que o réu não teve a intenção de matar Thaís. “Quantoàquestãodaculpa, cumpreesclarecerqueano- tícia surgida após o aciden- te,dequeThallesteriaagido comdolonodiadosfatos,ou seja,teriatidoaintençãode atropelaravítima,nãopro- cede,pois,tantoaautorida- de policial quanto o ilustre representante do Ministé- rioPúblicoconcluíramque nãohouvedolo,ouintenção do réu em cometer o homi- cídio, pois o acusado foi in- diciado e denunciado por suposta prática de homicí- dio culposo, sem que hou- vesse a intenção de matar. Ademais, o acusado Thal- les sequer conhecia a víti- ma e não tinha motivos pa- raintentarcontrasuavida”, afirmou. Almeida defende a te- sedequeoocorridotratou- -se de um acidente de trân- sito,sujeitoaacontecercom qualquer pessoa. “O acusa- donãofazusodebebidaal- coólica e nem de drogas, não tem o costume de con- duzirveículoemaltaveloci- dade,sendoque,oocorrido foi um fato isolado em sua vida. Tanto é verdade que a perícia realizada pela Polí- ciaCivilnãoconseguiucon- cluirquantoàculpadoacu- sado pelo acidente em te- la. Por outro lado, pelo que ficou demonstrado na ins- trução do processo, infeliz- mente, a própria vítima co- operouparaodesfechetrá- gicodosfatos,pois,atraves- soucomsuabicicletaemlo- cal inapropriado na via, ou seja, resolveu atravessar a via na metade do quartei- rão, sem sequer observar o fluxo de veículo e tomar as devidas cautelas na traves- sia”,enfatizou. O advogado acrescenta queasleisdetrânsitodevem sercumpridaspeloscondu- toresdeveículosepelospe- destres. “As leis de trânsito devem ser respeitadas não somente pelos condutores de veículo automotor, mas também por ciclistas e pe- destres. E no caso em tela, infelizmente, a norma de trânsito não foi observada pela vítima, na ótica da de- fesa. Apenas para efeito de esclarecimento,desdeada- tadosfatos,oacusadoesua família estão sofrendo al- guns ataques com bombas e pedras em sua residên- cia, porém, já providencia- ram câmaras de segurança para identificar os respon- sáveis e pedir a devida pu- nição”,disse. DA REDAÇÃO redacao@jornalcidademg.com.br A jovem foi atropelada duas vezes por um ra- pazinabilitado.Defesa do acusado argumen- taqueelenãoteveain- tenção de matar. Os pais Sidnei e Tatiana sofrem um drama enquanto aguardam a decisão judicial Foto:JéssicaRibeiro “Agenteesperaqueajustiçasejafeitasim!Euvoulu- tar,voucorreratrás,vouatéondeminhasforçasde- remeatéondeDeusmepermitir.Alguémqueestáaci- madolimitedevelocidade,atropelaumapessoaduas vezes,nãoprestasocorro,fogeeéinabilitadodeveser consideradoautordeumcrimeenãodeumatrope- lamento.Euprometiparaminhafilhaeprometipara Deus,dejoelhos,queeuvouatrásdejustiça.” Tatiana Martins, mãe de Thaís “Quantoàquestãodaculpa,cumpreesclarecerque anotíciasurgidaapósoacidente,dequeThalesteria agidocomdolonodiadosfatos,ouseja,teriatidoain- tençãodeatropelaravítima,nãoprocede,pois,tanto aautoridadepolicialquantooilustrerepresentante doMinistérioPúblicoconcluíramquenãohouvedo- lo,ouintençãodoréuemcometerohomicídio,poiso acusadofoiindiciadoedenunciadoporsupostaprá- ticadehomicídioculposo,semquehouvesseainten- çãodematar.Ademais,oacusadoThallessequerco- nheciaavítimaenãotinhamotivosparaintentarcon- trasuavida” Leonardo Almeida, advogado de Thalles
  14. 14. Sexta-Feira • 14 Agosto 2015 www.jornalcidademg.com.br16 Editais e Publicações 9. Código de Ética Todos os integrantes da equipe do SICOOB CREDIPRATA aderiram, por meio de compromisso firmado, ao Código de Ética e de Conduta Profissional proposto pela Confederação Nacional das Cooperativas do SICOOB – SICOOB CONFEDERAÇÃO. E todos os novos funcionários, ao ingressar na Cooperativa, assumem o mesmo compromisso. 10. Sistema de Ouvidoria A Ouvidoria, constituída em 2007 representou um importante avanço a serviço dos cooperados, dispõe de diretor responsável pela área e de um Ouvidor. Atende às manifestações recebidas por meio do Sistema de Ouvidoria do SICOOB, composto por sistema tecnológico específico, atendimento via DDG 0800 e sítio na internet integrado com o sistema informatizado de ouvidoria tendo a atribuição de assegurar o cumprimento das normas relacionadas aos direitos dos usuários de nossos produtos, além de atuar como canal de comunicação com os nossos associados e integrantes das comunidades onde estamos presentes. No primeiro semestre de 2015, a Ouvidoria do SICOOB CREDIPRATA registrou duas manifestações de cooperados sobre a qualidade dos produtos e serviços oferecidos pela Cooperativa. Dentre elas, havia reclamações, pedidos de esclarecimento de dúvidas e solicitações de providências relacionadas principalmente a atendimento, conta corrente, cartão de crédito e operações de crédito. As duas reclamações foram consideradas procedentes e resolvidas dentro dos prazos legais, de maneira satisfatória para as partes envolvidas, em perfeito acordo com o previsto na legislação vigente. 11. Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito - FGCoop De acordo com seu estatuto, o Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito- FGCoop tem por objeto prestar garantia de créditos nos casos de decretação de intervenção ou de liquidação extrajudicial de instituição associada, até o limite de R$ 250 mil por associado, bem como contratar operações de assistência, de suporte financeiro e de liquidez com essas instituições. O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou resolução que estabelece a forma de contribuição das instituições associadas ao Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito (FGCoop), ratifica também seu estatuto e regulamento. Conforme previsto na Resolução nº 4.150, de 30.10.2012, esse fundo possui como instituições associadas todas as cooperativas singulares de crédito do Brasil e os bancos cooperativos integrantes do Sistema Nacional de Crédito Cooperativo (SNCC). Conforme previsto no artigo 2º da Resolução/CMN nº 4.284, de 05/11/2013, a contribuição mensal ordinária das instituições associadas ao Fundo é de 0,0125%, dos saldos das obrigações garantidas, que abrangem as mesmas modalidades protegidas pelo Fundo Garantidor de Créditos dos bancos, o FGC, ou seja, os depósitos à vista e a prazo, as letras de crédito do agronegócio, entre outros. As contribuições ao FGCoop pelas instituições a ele associadas tiveram início a partir do mês de março de 2014 e recolhidas no prazo estabelecido no § 4º do art. 3º da Circular 3.700, de 06/03/2014. Ainda nos termos de seu estatuto, a governança do Fundo será exercida pela Assembleia Geral, pelo Conselho de Administração e pela Diretoria Executiva, e está estruturada de modo a permitir a efetiva representatividade das associadas, sejam elas cooperativas independentes ou filiadas a sistemas cooperativistas de crédito, sendo o direito de voto proporcional às respectivas contribuições ordinárias. Agradecimentos Agradecemos aos nossos associados pela preferência e confiança e aos funcionários e colaboradores pela dedicação. Lagoa da prata, MG, 28 de Julho de 2015. Conselho de Administração e Diretoria Executiva Adriana Oliveira Gontijo Gomes Alice Miranda Borges Anderson Eustáquio Gontijo Wantuil Candido de Almeida Helson Gontijo de Mesquita José Aparecido da Silva Luciano de Castro Doco Rafael Rezende Lacerda Antonio Clarete Rezende Ivo Jonas Gontijo Relatório da Administração Senhores Associados, Submetemos à apreciação de V.S.as as Demonstrações Contábeis do semestre findo em 30/06/2015 da Cooperativa de Crédito de Pequenos Empresários, Microempresários e Microempreendedores do Alto São Francisco Ltda. - SICOOB CREDIPRATA na forma da Legislação em vigor. 1. Política Operacional Em 2015 o SICOOB CREDIPRATA completa 26 anos, mantendo sua vocação de instituição voltada para fomentar o crédito para seu público alvo, os cooperados. A atuação junto aos seus cooperados se dá principalmente através da concessão de empréstimos e captação de depósitos. 2. Avaliação de Resultados No 1º semestre de 2015, o SICOOB CREDIPRATA obteve um resultado de R$ 1.652.307,49 representando um retorno sobre o Patrimônio Líquido de 8,22%. 3. Ativos Os recursos depositados na Centralização Financeira somaram R$ 51.054.125,71. Por sua vez a carteira de créditos representava R$ 61.836.351,44. A carteira de crédito encontrava-se assim distribuída: Carteira Rural R$ 18.013.450,53 29,13% Carteira Comercial R$ 43.822.900,91 70,87% Os Vinte Maiores Devedores representavam na data-base de 30/06/2015 o percentual de 18,89% da carteira, no montante de R$ 11.678.684,68. 4. Captação As captações, no total de R$ 75.634.629,19, apresentaram uma evolução em relação ao mesmo período do semestre anterior de 24,75%. As captações encontravam-se assim distribuídas: Depósitos à Vista R$ 22.786.176,22 30,13% Depósitos a Prazo R$ 52.848.452,97 69,87% Os Vinte Maiores Depositantes representavam na data-base de 30/06/2015 o percentual de 23,60% da captação, no montante de R$ 17.847.120,14. 5. Patrimônio de Referência O Patrimônio de Referência do SICOOB CREDIPRATA era de R$ 18.857.966,78. O quadro de associados era composto por 6.749 cooperados, havendo um acréscimo de 6,56% em relação ao mesmo período do semestre anterior. 6. Política de Crédito A concessão de crédito está pautada em prévia análise do propenso tomador, havendo limites de alçadas pré-estabelecidos a serem observados e cumpridos, cercando ainda a Singular de todas as consultas cadastrais e com análise do Associado através do “RATING” (avaliação por pontos), buscando assim garantir ao máximo a liquidez das operações. A Singular passou a utilizar-se dos serviços prestados pela Cobrança Centralizada do SICOOB CENTRAL CREDIMINAS, visando padronizar os procedimentos de cobrança de créditos de difícil recuperação. O SICOOB CREDIPRATA adota a política de classificação de crédito de sua carteira de acordo com as diretrizes estabelecidas na Resolução CMN nº 2.682/99, havendo uma concentração de 95,86% nos níveis de “A” a “C”. 7. Governança Corporativa Governança corporativa é o conjunto de mecanismos e controles, internos e externos, que permitem aos associados definir e assegurar a execução dos objetivos da cooperativa, garantindo a sua continuidade, os princípios cooperativistas ou, simplesmente, a adoção de boas práticas de gestão. Nesse sentido, a administração da Cooperativa tem na assembleia geral, que é a reunião de todos os associados, o poder maior de decisão. A gestão da Cooperativa está alicerçada em papéis definidos, com clara separação de funções. Cabem ao Conselho de Administração as decisões estratégicas e à Diretoria Executiva, a gestão dos negócios da Cooperativa no seu dia a dia. A Cooperativa possui ainda um Agente de Controles Internos, supervisionado diretamente pelo SICOOB CENTRAL CREDIMINAS que, por sua vez, faz as auditorias internas. Os balanços da Cooperativa são auditados por auditor externo, que emite relatórios, levados ao conhecimento dos Conselhos e da Diretoria. Todos esses processos são acompanhados e fiscalizados pelo Banco Central do Brasil, órgão ao qual cabe a competência de fiscalizar a Cooperativa. Tendo em vista o risco que envolve a intermediação financeira, a Cooperativa adota ferramentas de gestão. Para exemplificar, na concessão de crédito, a Cooperativa adota o Manual de Crédito, aprovado, como muitos outros manuais, pelo Sicoob Confederação e homologado pela Central. Além do Estatuto Social, são adotados regimentos e regulamentos, entre os quais destacamos o Regimento Interno, o Regimento do Conselho de Administração, o Regimento do Conselho Fiscal, o Regulamento Eleitoral. A Cooperativa adota procedimentos para cumprir todas as normas contábeis e fiscais, além de ter uma política de remuneração de seus empregados e estagiários dentro de um plano de cargos e salários que contempla a remuneração adequada, a separação de funções e o gerenciamento do desempenho de todo o seu quadro funcional. Todos esses mecanismos de controle, além de necessários, são fundamentais para levar aos associados e à sociedade em geral a transparência da gestão e de todas as atividades desenvolvidas pela instituição. 8. Conselho Fiscal Eleito bianualmente na AGO, com mandato até a AGO de 2016, o Conselho Fiscal tem função complementar à do Conselho de Administração. Sua responsabilidade é verificar de forma sistemática os atos da administração da Cooperativa, bem como validar seus balancetes mensais e seu balanço patrimonial anual. Todos os membros efetivos e suplentes do Conselho Fiscal participaram de um curso de formação ministrado pelo SICOOB CENTRAL CREDIMINAS, com o objetivo de detalhar as responsabilidades dos conselheiros fiscais e as formas de exercê-las.
  15. 15. Sexta-Feira • 14 Agosto 2015 www.jornalcidademg.com.br 17Editais e Publicações (Valores expressos reais – R$) Nota Receitas (Ingressos) da Intermediação Financeira 4.740.028,12 4.360.705,61 Operações de Crédito 4.740.028,12 4.358.562,96 Resultado das Aplicações Compulsórias - 2.142,65 Despesas (Dispêndios) da Intermediação Financeira (3.175.217,00) (2.311.469,29) Operações de Captação no Mercado (3.016.344,22) (1.984.705,43) Operações de Empréstimos, Cessões e Repasses (421.282,17) (410.758,40) Provisão para Operações de Créditos 262.409,39 83.994,54 Resultado Bruto Intermediação Financeira 1.564.811,12 2.049.236,32 Outras Receitas / Despesas (Ingressos / Dispêndios) Operacionais 250.779,65 (602.873,45) Receitas (Ingressos) de Prestação de Serviços 476.255,35 464.462,52 Rendas (Ingressos) de Tarifas Bancárias 273.862,53 233.771,82 Despesas (Dispêndios) de Pessoal (2.180.001,17) (1.945.348,27) Outras Despesas (Dispêndios) Administrativas (1.591.570,77) (1.468.318,64) Despesas (Dispêndios) Tributárias (45.467,33) (47.704,19) Ingressos de Depósitos Intercooperativos 3.126.695,34 1.936.699,00 Outras Receitas (Ingressos) Operacionais 16 333.840,30 367.489,76 Outras Despesas (Dispêndios) Operacionais 17 (142.834,60) (143.925,45) Resultado Operacional 1.815.590,77 1.446.362,87 Resultado Não Operacional 18 14.266,92 32.462,87 Resultado Antes da Tributação/Participações 1.829.857,69 1.478.825,74 Imposto de Renda sobre Atos Não Cooperativos (51.242,06) (55.372,48) Contribuição Social sobre Atos Não Cooperativos (37.945,24) (40.119,97) Participação no Lucro (Sobra) (88.362,90) 80.107,04 LUCRO/PREJUÍZO(SOBRA/PERDA) LÍQUIDO 1.652.307,49 1.463.440,33 As Notas Explicativas são parte integrante das demonstrações contábeis. Cooperativa de Crédito de Pequenos Empresários, Microempresários e Microempreendedores do Alto São Francisco Ltda. SICOOB CREDIPRATA DEMONSTRAÇÕES DE SOBRAS OU PERDAS PARAOS SEMESTRES FINDOS EM 31 DE JUNHO DE 2015 E DE 2014 30/06/2015 30/06/2014 DEMONSTRAÇÕESDASMUTAÇÕESDOPATRIMÔNIOLÍQUIDOPARAOSSEMESTRESFINDOSEM30DEJUNHODE2015EDE2014 (Valoresexpressosreais–R$) Capital Subscrito Capitala Realizar Legal Saldosem31/12/2013 7.379.101,81 - 7.645.739,66 751.915,26 15.776.756,73 DestinaçãodeSobrasExercícioAnterior: - - - - - EmContaCorrentedoAssociado - - - (249.941,39) (249.941,39) AoCapital 500.219,89 - - (500.219,89) - CotasdeCapitalàPagar-Exassociados - - - (1.753,98) (1.753,98) MovimentaçãodeCapital: - - - - - PorSubscrição/Realização 100.150,93 - - - 100.150,93 Por Devolução(-) (25.597,98) - - - (25.597,98) SobrasouPerdasLíquidas - - - 1.303.226,25 1.303.226,25 Saldosem30/06/2014 7.953.874,65 - 7.645.739,66 1.303.226,25 16.902.840,56 Saldosem31/12/2014 8.036.934,08 - 9.320.994,45 1.340.203,82 18.698.132,35 DestinaçãodeSobrasExercícioAnterior: - - - - - EmContaCorrentedoAssociado - - - (296.188,85) (296.188,85) AoCapital 1.043.053,49 - - (1.043.053,49) - CotasdeCapitalàPagar-Exassociados - - - (961,48) (961,48) MovimentaçãodeCapital: - - - - - PorSubscrição/Realização 75.085,48 (587,65) - - 74.497,83 Por Devolução(-) (38.310,14) - - - (38.310,14) SobrasouPerdasLíquidas - - - 1.652.307,49 1.652.307,49 Saldosem30/06/2015 9.116.762,91 (587,65) 9.320.994,45 1.652.307,49 20.089.477,20 AsNotasExplicativassãoparteintegrantedasdemonstraçõescontábeis. CooperativadeCréditode PequenosEmpresários,MicroempresárioseMicroempreendedoresdoAltoSãoFranciscoLtda. SICOOBCREDIPRATA Eventos Capital ReservasdeSobras Sobrasou Perdas Acumuladas Totais (Valores expressos reais – R$) A T I V O 30/06/2015 30/06/2014 Circulante Nota 92.843.605,14 75.979.573,60 Disponibilidades 1.030.544,26 1.131.631,73 Relações Interfinanceiras 4 51.054.125,71 38.137.984,74 Centralização Financeira - Cooperativas 51.054.125,71 38.137.984,74 Operações de Crédito 5 39.537.710,47 35.558.434,41 Operações de Crédito 40.902.654,84 37.740.687,07 (Provisão para Operações de Crédito de Liquidação Duvidosa) (1.364.944,37) (2.182.252,66) Outros Créditos 6 841.155,01 507.955,91 Créditos por Avais e Fianças Honrados 3.692,65 - Rendas a Receber 594.680,89 345.028,86 Diversos 251.118,40 184.904,95 (Provisão para Outros Créditos de Liquidação Duvidosa) (8.336,93) (21.977,90) Outros Valores e Bens 7 380.069,69 643.566,81 Outros Valores e Bens 331.206,26 587.021,26 Despesas Antecipadas 48.863,43 56.545,55 Realizável a Longo Prazo 22.003.704,90 17.548.308,46 Operações de Crédito 5 20.933.696,60 16.549.647,13 Operações de Crédito 20.933.696,60 16.549.647,13 Outros Créditos 6 1.070.008,30 998.661,33 Diversos 1.070.008,30 998.661,33 Permanente 4.719.294,84 4.240.599,14 Investimentos 8 3.001.385,13 2.483.583,82 Participações em Cooperativas 2.872.109,42 2.364.522,29 Outros Investimentos 129.275,71 119.061,53 Imobilizado em Uso 9 1.691.941,51 1.729.714,79 Imóveis de Uso 1.468.317,50 1.424.823,31 Outras Imobilizações de Uso 1.338.362,42 1.276.630,43 (Depreciações Acumuladas) (1.114.738,41) (971.738,95) Intangível 10 25.968,20 27.300,53 Ativos Intangíveis 79.324,52 70.405,96 (Amortização Acumulada) (53.356,32) (43.105,43) - TOTAL DO ATIVO 119.566.604,88 97.768.481,20 - - - - Cooperativa de Crédito de Pequenos Empresários, Microempresários e Microempreendedores do Alto São Francisco Ltda. SICOOB CREDIPRATA As Notas Explicativas são parte integrante das demonstrações contábeis. BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE JUNHO DE 2015 E DE 2014 (Valores expressos reais – R$) P AS S IV O 30/06/2015 30/06/2014 Circulante Nota 87.189.212,70 69.384.989,83 Depósitos 11 75.634.629,19 60.626.717,57 Depósitos à Vista 22.786.176,22 23.133.190,87 Depósitos a Prazo 52.848.452,97 37.493.526,70 Relações Interfinanceiras 12 7.725.539,37 5.273.059,59 Repasses Interfinanceiros 7.725.539,37 5.273.059,59 Relações Interdependências 491.043,90 266.820,46 Recursos em Trânsito de Terceiros 491.043,90 266.820,46 Outras Obrigações 13 3.338.000,24 3.218.392,21 Cobrança e Arrecadação de Tributos e Assemelhados 77.093,22 37.622,01 Sociais e Estatutárias 1.143.390,64 943.132,52 Fiscais e Previdenciárias 197.388,90 193.867,75 Diversas 1.920.127,48 2.043.769,93 Exigívela Longo Prazo 12.287.914,98 11.480.650,81 Relações Interfinanceiras 12 9.995.495,04 9.024.193,55 Repasses Interfinanceiros 9.995.495,04 9.024.193,55 Obrigações Por Empréstimos 12 261.506,31 - Empréstimos no País -Outras Instituições 261.506,31 Obrigações Por Repasses do País -Instituições Oficiais 12 951.928,76 1.456.133,11 Outras Instituições 951.928,76 1.456.133,11 Outras Obrigações 13 1.078.984,87 1.000.324,15 Diversas 1.078.984,87 1.000.324,15 Patrimônio Líquido 15 20.089.477,20 16.902.840,56 Capital Social 9.116.175,26 7.953.874,65 De Domiciliados no País 9.116.762,91 7.953.874,65 (Capital a Realizar) (587,65) - Reserva de Lucros 9.320.994,45 7.645.739,66 Sobras Acumuladas 1.652.307,49 1.303.226,25 TOTAL 119.566.604,88 97.768.481,20 Cooperativa de Crédito de Pequenos Empresários,Microempresários e Microempreendedores do Alto São Francisco Ltda. SICOOB CREDIPRATA As Notas Explicativas são parte integrante das demonstrações contábeis. BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE JUNHODE 2015 E DE 2014
  16. 16. Sexta-Feira • 14 Agosto 2015 www.jornalcidademg.com.br18 Editais e Publicações aquelas relativas a títulos descontados, que são calculadas com base no método linear. As operações de crédito com taxas pós-fixadas são atualizadas até a data do balanço. As receitas e despesas são reconhecidas na demonstração de sobras em conformidade com o regime de competência. As receitas com prestação de serviços são reconhecidas na demonstração de sobras ou perdas quando da prestação de serviços a terceiros, substancialmente serviços bancários. Os dispêndios e as despesas e os ingressos e receitas operacionais, são proporcionalizados de acordo com os montantes do ingresso bruto de ato cooperativo e da receita bruta de ato não-cooperativo, quando não identificados com cada atividade. b) Estimativas contábeis Na elaboração das demonstrações contábeis faz-se necessário utilizar estimativas para contabilizar certos ativos, passivos e outras transações. As demonstrações contábeis da Cooperativa incluem, portanto, estimativas referentes à provisão para créditos de liquidação duvidosa, à seleção das vidas úteis dos bens do ativo imobilizado, provisões necessárias para passivos contingentes, entre outros. Os resultados reais podem apresentar variação em relação às estimativas utilizadas. A Cooperativa revisa as estimativas e premissas, no mínimo, semestralmente. c) Caixa e equivalentes de caixa Caixa e equivalentes de caixa, conforme Resolução CMN nº 3.604/08, incluem as rubricas caixa, depósitos bancários e as relações interfinanceiras de curto prazo e de alta liquidez, com risco insignificante de mudança de valores e limites, com prazo de vencimento igual ou inferior a 90 dias. O caixa e equivalente de caixa compreendem: Descrição 30/06/2015 30/06/2014 Caixa e depósitos bancários 1.030.544,26 1.131.631,73 Relações interfinanceiras – centralização financeira 51.054.125,71 38.137.984,74 Total 52.084.669,97 39.269.616,47 d) Operações de crédito As operações de crédito com encargos financeiros pré-fixados são registradas a valor futuro, retificadas por conta de rendas a apropriar e as operações de crédito pós-fixadas são registradas a valor presente, calculadas "pro rata temporis", com base na variação dos respectivos indexadores pactuados. e) Provisão para operações de crédito Constituída em montante julgado suficiente pela Administração para cobrir eventuais perdas na realização dos valores a receber, levando-se em consideração a análise das operações em aberto, as garantias existentes, a experiência passada, a capacidade de pagamento e liquidez do tomador do crédito e os riscos específicos apresentados em cada operação, além da conjuntura econômica. A Resolução CMN nº 2.682 introduziu os critérios para classificação das operações de crédito definindo regras para constituição da provisão para operações de crédito, as quais estabelecem nove níveis de risco, de AA (risco mínimo) a H (risco máximo). f) Depósitos em garantia Existem situações em que a cooperativa questiona a legitimidade de determinados passivos ou ações movidas contra si. Por conta desses questionamentos, por ordem judicial ou por estratégia da própria administração, os valores em questão podem ser depositados em juízo, sem que haja a caracterização da liquidação do passivo. g) Investimentos Representados substancialmente por quotas do SICOOB CENTRAL CREDIMINAS e ações do BANCOOB, avaliadas pelo método de custo de aquisição. h) Imobilizado Equipamentos de processamento de dados, móveis, utensílios e outros equipamentos, instalações, veículos, benfeitorias em imóveis de terceiros e softwares, são demonstrados pelo custo de aquisição, deduzido da depreciação acumulada. A depreciação é calculada pelo método linear para baixar o custo de cada ativo a seus valores residuais de acordo com as taxas divulgadas em nota específica abaixo, que levam em consideração a vida útil econômica dos bens. i) Intangível Correspondem aos direitos adquiridos que tenham por objeto bens incorpóreos destinados à manutenção da Cooperativa ou exercidos com essa finalidade. Os ativos intangíveis com vida útil definida são geralmente amortizados de forma linear no decorrer de um período estimado de benefício econômico. Os ativos intangíveis compreendem softwares adquiridos de terceiros e são amortizados ao longo de sua vida útil estimada. j) Ativos contingentes Não são reconhecidos contabilmente, exceto quando a Administração possui total controle da situação ou quando há garantias reais ou decisões judiciais favoráveis sobre as quais não cabem mais recursos contrários, caracterizando o ganho como praticamente certo. Os ativos contingentes com probabilidade de êxito provável, quando aplicável, são apenas divulgados em notas explicativas às demonstrações contábeis. k) Obrigações por empréstimos e repasses As obrigações por empréstimos e repasses são reconhecidas inicialmente no recebimento dos recursos, líquidos dos custos da transação. Em seguida, os saldos dos empréstimos tomados são acrescidos de encargos e juros proporcionais ao período incorrido, assim como das despesas a apropriar referente aos encargos contratados até o final do contrato, quando calculáveis. l) Demais ativos e passivos São registrados pelo regime de competência, apresentados ao valor de custo ou de realização, incluindo, quando aplicável, os rendimentos e as variações monetárias auferidos, até a data do balanço. Os demais passivos são demonstrados pelos valores conhecidos ou calculáveis, acrescidos, quando aplicável, dos correspondentes encargos e das variações monetárias incorridos. m) Provisões São reconhecidas quando a cooperativa tem uma obrigação presente legal ou implícita como resultado de eventos passados, sendo provável que um recurso econômico seja requerido para saldar uma obrigação legal. As provisões são registradas tendo como base as melhores estimativas do risco envolvido. n) Passivos contingentes São reconhecidos contabilmente quando, com base na opinião de assessores jurídicos, for considerado provável o risco de perda de uma ação judicial ou administrativa, gerando uma provável saída no futuro de recursos para liquidação das ações, e quando os montantes envolvidos forem mensurados com suficiente segurança. As ações com chance de perda possível são apenas divulgadas em nota explicativa às demonstrações contábeis e as ações com chance remota de perda não são divulgadas. o) Obrigações legais São aquelas que decorrem de um contrato por meio de termos explícitos ou implícitos, de uma lei ou outro instrumento fundamentado em lei, aos quais a Cooperativa tem por diretriz. p) Imposto de renda e contribuição social O imposto de renda e a contribuição social sobre o lucro são calculados sobre o resultado apurado em operações consideradas como atos não-cooperativos. O resultado apurado em operações realizadas com cooperados é isento de tributação. q) Segregação em circulante e não circulante Os valores realizáveis e exigíveis com prazos inferiores a 360 dias estão classificados no circulante, e os prazos superiores, no longo prazo (não circulante). (Valores expressos reais – R$) Atividades Operacionais Sobra / Perda do Exercício Antes da Tributação 1.829.857,69 1.478.825,74 IRPJ / CSLL (89.187,30) (95.492,45) Provisão para Operações de Crédito (417.870,59) (210.729,33) Depreciações e Amortizações 105.758,86 99.877,33 Participação dos Funcionários nos Lucros (88.362,90) (80.107,04) 1.340.195,76 1.192.374,25 Aumento (Redução) em Ativos Operacionais Operações de Crédito (8.534.760,09) 2.670.528,56 Outros Créditos (208.272,23) (147.284,61) Outros Valores e Bens 44.230,31 169.326,63 - - Aumento (Redução) em Passivos Operacionais - - Depósitos a Vista 959.630,87 3.232.415,79 Depósitos sob Aviso (82.292,97) (25.841,20) Depósitos a Prazo 17.393.618,30 6.228.268,05 Outras Obrigações (9.591.763,50) (3.236.087,10) Relações Interdependências 471.497,93 247.853,31 Relações Interfinanceiras 3.133.654,40 (3.279.833,86) Obrigações por Empréstimos e Repasses (244.726,06) (253.098,25) Caixa Líquido Aplicado em Atividades Operacionais 4.681.012,72 6.798.621,57 Atividades de Investimentos Alienação de Imobilizações de Uso 271,00 26.462,70 Aplicação no Intangível - (8.133,98) Inversões em Imobilizado de Uso (94.804,58) (181.394,04) Inversões em Investimentos (101.994,67) (318.911,19) Baixa Imobilizado 348,65 - Outros Ajustes - 2.899,60 Caixa Líquido Aplicado / Originado em Investimentos (196.179,60) (479.076,91) Atividades de Financiamentos Aumento por novos aportes de Capital 74.497,83 100.150,93 Devolução de Capital à Cooperados (38.310,14) (25.597,98) Destinação de Sobras Exercício Anterior Cotas de Capital à Pagar (961,48) (1.753,98) Destinação de Sobras Exercício Anterior em C/C Associados (296.188,85) (249.941,39) Caixa Líquido Aplicado / Originado em Financiamentos (260.962,64) (177.142,42) Aumento / Redução Líquida das Disponibilidades 4.223.870,48 6.142.402,24 Modificações em Disponibilidades Líquida No Início do Período 47.860.799,49 33.127.214,23 No Fim do Período 52.084.669,97 39.269.616,47 Variação Líquida das Disponibilidades 4.223.870,48 6.142.402,24 As Notas Explicativas são parte integrante das demonstrações contábeis. Cooperativa de Crédito de Pequenos Empresários, Microempresários e Microempreendedores do Alto São Francisco Ltda. SICOOB CREDIPRATA DESCRIÇÃO 30/06/2015 30/06/2014 DEMONSTRAÇÕES DOS FLUXOS DE CAIXA PARA OS SEMESTRES FINDOS EM 30 DE JUNHO DE 2015 E DE 2014 Cooperativa de Crédito de Pequenos Empresários, Microempresários e Microempreendedores do Alto São Francisco Ltda. - SICOOB CREDIPRATA CNPJ - 26.178.111/0001-86 NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS PARA OS SEMESTRES FINDOS EM 30/06/2015 e 30/06/2014 (Valores expressos em reais, exceto quando especificado) 1. Contexto operacional A Cooperativa de Crédito de Pequenos Empresários, Microempresários e Microempreendedores do Alto São Francisco Ltda. - SICOOB CREDIPRATA é uma cooperativa de crédito singular, instituição financeira não bancária, fundada em 16/06/1989, filiada à Cooperativa Central de Crédito de Minas Gerais Ltda. – SICOOB CENTRAL CREDIMINAS e componente da Confederação Nacional das Cooperativas do SICOOB – SICOOB CONFEDERAÇÃO, em conjunto com outras cooperativas singulares e centrais. Tem sua constituição e o funcionamento regulamentados pela Lei nº 4.595/64, que dispõe sobre a Política e as Instituições Monetárias, Bancárias e Creditícias, pela Lei nº 5.764/71, que define a Política Nacional do Cooperativismo, pela Lei Complementar nº 130/09, que dispõe sobre o Sistema Nacional de Crédito Cooperativo e pela Resolução CMN nº 3.859/10, do Conselho Monetário Nacional, que dispõe sobre a constituição e funcionamento de cooperativas de crédito. O SICOOB CREDIPRATA possui Postos de Atendimento (PA’s) nas seguintes localidades: Japaraíba, Moema e distrito de Esteios (Luz); e tem como atividade preponderante a operação na área creditícia, tendo como finalidade: (i) Proporcionar, através da mutualidade, assistência financeira aos associados; (ii) Oferecer formação educacional de seus associados, no sentido de fomentar o cooperativismo, através da ajuda mútua da economia sistemática e do uso adequado do crédito; e (iii) Praticar, nos termos dos normativos vigentes, as seguintes operações dentre outras: captação de recursos, concessão de créditos, prestação de garantias, prestação de serviços, formalização de convênios com outras instituições financeiras e aplicação de recursos no mercado financeiro, inclusive depósitos a prazo com ou sem emissão de certificado, visando preservar o poder de compra da moeda e remunerar os recursos. 2. Apresentação das demonstrações contábeis As demonstrações contábeis são de responsabilidades da Administração da Cooperativa e foram elaboradas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, consideradas as alterações exigidas pelas Leis nº 11.638/07 e nº 11.941/09, adaptadas às peculiaridades da legislação cooperativista e às normas e instruções do Banco Central do Brasil – BACEN, bem como apresentadas conforme o Plano Contábil das Instituições do Sistema Financeiro Nacional – COSIF. Consideram ainda, no que for julgado pertinente e relevante, os pronunciamentos, orientações e as interpretações técnicas emitidos pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis – CPC. Desta forma, as demonstrações contábeis foram revisadas e aprovadas pela administração, em sua reunião datada de 28/07/2015. Em aderência ao processo de convergência às normas internacionais de Contabilidade, algumas Normas e suas Interpretações foram emitidas pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC), as quais serão aplicadas às instituições financeiras quando aprovadas pelo Banco Central do Brasil. Nesse sentido, os Pronunciamentos contábeis já aprovados pelo Banco Central do Brasil são: CPC Conceitual Básico (R1) - Resolução CMN nº4.144/12; CPC 01(R1) - Redução ao Valor Recuperável de Ativos - Resolução CMN nº 3.566/08; CPC 03 (R2) - Demonstrações do Fluxo de Caixa - Resolução CMN nº 3.604/08; CPC 05 (R1) - Divulgação sobre Partes Relacionadas - Resolução CMN nº 3.750/09; CPC 10 (R1) - Pagamento Baseado em Ações - Resolução CMN nº 3.989/11; CPC 23 – Políticas Contábeis, Mudança de Estimativa e Retificação de Erro. – Resolução CMN nº 4.007/11; CPC 24 - Evento Subsequente - Resolução CMN nº 3.973/11; e CPC 25 – Provisões, Passivos Contingentes e Ativos Contingentes – Resolução CMN nº 3.823/09. 3. Resumo das principais práticas contábeis a) Apuração do resultado Os ingressos e dispêndios são registrados de acordo com o regime de competência. As operações de crédito com taxas pré-fixadas são registradas pelo valor de resgate, e os ingressos e dispêndios correspondentes ao período futuro são apresentados em conta redutora dos respectivos ativos e passivos. Os ingressos e dispêndios de natureza financeira são contabilizados pelo critério "pro-rata temporis" e calculados com base no método exponencial, exceto
  17. 17. Sexta-Feira • 14 Agosto 2015 www.jornalcidademg.com.br 19Editais e Publicações Descrição 30/06/2015 30/06/2014 Saldo inicial 1.383.395,03 1.302.101,60 Valor das operações transferidas no período 150.895,68 132.066,61 Valor das operações recuperadas no período (286,90) (4.834,96) Total 1.534.003,81 1.429.333,25 6. Outros créditos Valores referentes às importâncias devidas a Cooperativa por pessoas físicas ou jurídicas domiciliadas no país, conforme demonstrado: Descrição 30/06/2015 30/06/2014 Rendas a Receber (a) 594.680,89 345.028,86 Devedores por Depósito e Garantia (b) 1.070.008,30 998.661,33 Títulos e Créditos a Receber (c) 8.756,74 7.531,13 Devedores Diversos (d) 246.054,31 177.373,82 (-) Provisão para Outros Créditos (8.336,93) (21.977,90) Total 1.911.163,31 1.506.617,24 (a) Em Rendas a Receber estão registrados: receita sobre saldo mantido na Centralização Financeira do SICOOB CENTRAL CREDIMINAS (R$ 560.745,29), rendas a receber da previdência social - INSS (R$ 625,84), rendas de tributos federais, estaduais e municipais (R$ 7.979,07), rendas de cartões (R$ 15.254,38) e outras rendas de convênios (R$ 10.076,31); (b) Em Devedores por Depósito em Garantia estão registrados depósitos judiciais para: Recursos Fiscais (R$ 50.888,89), PIS sobre Atos Cooperativos (R$ 141.558,26), COFINS sobre Atos Cooperativos (R$ 714.749,69) e PIS sobre Folha de Pagamento (R$ 162.811,46); (c) Em Títulos e Créditos a Receber estão registrados os valores a receber de e tarifas (R$ 8.756,74); (d) Em Devedores Diversos estão registrados adiantamentos e antecipações salariais (R$ 104.929,68), vendas financiadas de bens não de uso próprio (R$ 83.000,00), impostos e contribuições a compensar (R$ 25,31), pendencia a regularizar (R$ 1.808,74), plano de saude a receber (R$ 45.713,29), diferenças de compensação a receber do BANCOOB (R$ 6.784,64), crédito por avais e fianças honrados (R$ 3.692,65); 7. Outros valores e bens Descrição 30/06/2015 30/06/2014 Bens Não de Uso Próprio 331.206,26 587.021,26 Despesas Antecipadas 48.863,43 56.545,55 Total 380.069,69 643.566,81 Em Bens Não de Uso Próprio está registrado o valor de R$ 331.206,26, referente a bens recebidos como dação em pagamento de dívidas, não estando sujeitos a depreciação ou correção. Registram-se ainda no grupo, as despesas antecipadas, no montante de R$ 48.863,43, referentes a prêmios de seguros, processamento de dados, contribuição cooperativista e sindical, contribuições ao Fundo de Ressarcimento de Valores – FRV, IPTU e IPVA. 8. Investimentos O saldo é representado, substancialmente, por quotas do SICOOB CENTRAL CREDIMINAS e ações do BANCOOB, conforme demonstrado: Movimentação dos investimentos Descrição SICOOB CENTRAL CREDIMINAS BANCOOB Outros Investimentos Total Saldos em 31/12/2013 2.045.611,10 113.061,53 6.000,00 2.164.672,63 Investimentos 318.911,19 - - 318.911,19 Saldos em 30/06/2014 2.364.522,29 113.061,53 6.000,00 2.483.583,82 Saldos em 31/12/2014 2.780.328,93 113.061,53 6.000,00 2.899.390,46 Investimentos 91.780,49 10.214,18 - 101.994,67 Saldos em 30/06/2015 2.872.109,42 123.275,71 6.000,00 3.001.385,13 9. Imobilizado de uso Demonstrado pelo custo de aquisição, menos depreciação acumulada. As depreciações são calculadas pelo método linear, com base em taxas determinadas pelo prazo de vida útil estimado conforme abaixo: Descrição Taxa de Depreciação a.a. 30/06/2015 30/06/2014 Terrenos - 40.000,00 40.000,00 Edificações 4% 1.428.317,50 1.384.823,31 Móveis e Equipamentos 10% 853.657,98 794.375,07 Sistema de Processamento de Dados 20% 287.717,51 285.268,43 Sistemas de Comunicação 10% 73.339,63 73.339,63 Sistema de Transportes 20% 78.859,20 78.859,20 Sistema de Segurança 10% 44.788,10 44.788,10 TOTAL 2.806.679,92 2.701.453,74 Depreciação acumulada (1.114.738,41) (971.738,95) TOTAL 1.691.941,51 1.729.714,79 10. Intangível Nesta rubrica registram-se os direitos que tenham por objeto os bens incorpóreos, destinados à manutenção da companhia. Descrição Taxa de Amortização 30/06/2015 30/06/2014 Softwares Até 20% a.a. 79.324,52 8.133,98 Outros Ativos Intangíveis Até 20% a.a. - 62.271,98 Amortização acumulada (53.356,32) (43.105,43) TOTAL 25.968,20 27.300,53 11. Depósitos Os depósitos à vista não são remunerados. Os depósitos a prazo recebem encargos financeiros contratados. Descrição 2015 2014 Sem Vencimento Total Depósitos à vista 22.786.176,22 23.133.190,87 Depósitos a prazo (RDC) 51.277.900,67 35.637.427,83 Depósito sob Aviso 1.570.552,30 1.856.098,87 Total 75.634.629,19 60.626.717,57 Os depósitos até o limite de R$ 250 mil por CPF/CNPJ estão garantidos pelo Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito (FGCoop), constituído conforme Resoluções CMN nº 4.150/12 e nº 4.284/13. Esse fundo tem como instituições associadas as cooperativas singulares de crédito e os bancos cooperativos integrantes do Sistema Nacional de Crédito Cooperativo (SNCC), além disso, tem o objetivo de prestar garantia de créditos nos casos de decretação de intervenção ou de liquidação extrajudicial de instituição associada. A contribuição mensal ordinária das instituições associadas ao Fundo é de 0,0125% dos saldos das obrigações garantidas, que abrangem as mesmas modalidades protegidas pelo Fundo Garantidor de Crédito dos bancos, o FGC, que considera, os depósitos à vista e a prazo, e as letras de crédito do agronegócio, de acordo com a Resolução CMN nº 4.150/12. 12. Relações interfinanceiras / Obrigações por empréstimos e repasses r) Valor recuperável de ativos – impairment A redução do valor recuperável dos ativos não financeiros (impairment) é reconhecida como perda, quando o valor de contabilização de um ativo, exceto outros valores e bens, for maior do que o seu valor recuperável ou de realização. As perdas por “impairment”, quando aplicável, são registradas no resultado do período em que foram identificadas. Em 30 de junho de 2015 não existem indícios da necessidade de redução do valor recuperável dos ativos não financeiros. s) Eventos subsequentes Correspondem aos eventos ocorridos entre a data-base das demonstrações contábeis e a data de autorização para a sua emissão. São compostos por:  Eventos que originam ajustes: são aqueles que evidenciam condições que já existiam na data-base das demonstrações contábeis; e  Eventos que não originam ajustes: são aqueles que evidenciam condições que não existiam na data-base das demonstrações contábeis. Não houve qualquer evento subsequente para as demonstrações contábeis encerradas em 30 de junho de 2015. 4. Relações interfinanceiras Em 30 de junho de 2015 e 2014, as aplicações em Relações Interfinanceiras estavam assim compostas: Descrição 30/06/2015 30/06/2014 Centralização Financeira – Cooperativas (a) 51.054.125,71 38.137.984,74 Total 51.054.125,71 38.137.984,74 (a) Referem-se à centralização financeira das disponibilidades líquidas da Cooperativa, depositadas junto ao SICOOB CENTRAL CREDIMINAS, conforme determinado no art. 37, da Resolução CMN nº 3.859/10. 5. Operações de crédito a) Composição da carteira de crédito por modalidade: Modalidade 30/06/2015 30/06/2014 Circulante Não Circulante Total Adiantamento a Depositante 349.295,99 - 349.295,99 417.544,44 Cheque Especial / Conta Garantida 1.770.266,23 - 1.770.266,23 1.531.656,15 Empréstimos 11.551.505,67 10.649.968,55 22.201.474,22 17.106.543,73 Financiamentos 1.380.906,18 665.938,80 2.046.844,98 3.378.601,90 Títulos Descontados 17.455.019,49 - 17.455.019,49 17.184.241,40 Financiamento Rural Próprio 209.972,83 54.198,30 264.171,13 929.845,10 Financiamento Rural Repasses 8.185.688,45 9.563.590,95 17.749.279,40 13.741.901,48 ( - ) Provisão para Perda com Op. de Crédito (1.364.944,37) - (1.364.944,37) (2.182.252,66) Total 39.537.710,47 20.933.696,60 60.471.407,07 52.108.081,54 Em fevereiro de 2015 ocorreu a implantação da nova Plataforma de Risco de Crédito – PRC que contém um conjunto de 14 (quatorze) metodologias para avaliação de risco de tomadores e do risco das operações de crédito, em consonância com o preconizado na Resolução CMN nº 2.682/99. Desde então, as cooperativas podem utilizar a PRC para subsidiar as suas decisões de crédito. A avaliação de risco das operações é feita com base em Estimação de Perdas (PE) e parte da combinação do risco do tomador (PD – Probabilidade de Descumprimento) com o componente de risco Perda Dado o Descumprimento (LGD, em inglês), que é definido em função das garantias vinculadas. b) Composição por tipo de operação, e classificação por nível de risco de acordo com a Resolução CMN nº 2.682/1999: Nível / Percentual de Risco / Situação Total em Provisões Total em Provisões 30/06/2015 30/06/2015 30/06/2014 30/06/2014 AA - Normal 1.353.044,14 - - - A 0,50% Normal 21.317.705,18 (106.588,57) 9.451.116,11 (47.255,62) B 1% Normal 24.528.743,15 (245.287,53) 19.952.307,48 (199.523,26) B 1% Vencidas 114.867,30 (1.148,67) 85.341,49 (853,42) C 3% Normal 11.821.402,52 (354.642,23) 19.408.473,30 (582.254,73) C 3% Vencidas 140.990,91 (4.229,73) 124.828,96 (3.744,87) D 10% Normal 1.042.622,51 (104.262,29) 2.850.054,60 (285.005,72) D 10% Vencidas 145.468,32 (14.546,84) 116.408,67 (11.640,88) E 30% Normal 786.704,67 (236.011,50) 1.454.153,34 (436.246,40) E 30% Vencidas 322.472,68 (96.741,84) 304.632,14 (91.389,73) F 50% Normal 32.565,20 (16.282,61) 18.542,13 (9.271,07) F 50% Vencidas 77.952,48 (38.976,26) 17.744,20 (8.872,11) G 70% Normal - - 1.789,78 (1.252,85) G 70% Vencidas 18.620,30 (13.034,22) - - H 100% Normal 74.862,17 (74.862,17) 253.834,57 (253.834,57) H 100% Vencidas 58.329,91 (58.329,91) 251.107,43 (251.107,43) Total Normal 60.957.649,54 (1.137.936,90) 53.390.271,31 (1.814.644,23) Total Vencido 878.701,90 (227.007,47) 900.062,89 (367.608,43) Total Geral 61.836.351,44 (1.364.944,37) 54.290.334,20 (2.182.252,66) Provisões (1.364.944,37) - (2.182.252,66) - Total Líquido 60.471.407,07 - 52.108.081,54 - c) Composição da carteira de crédito por faixa de vencimento (em dias): Descrição Até 90 De 91 a 360 Acima de 360 Total Empréstimos 3.514.178,39 8.036.673,13 10.649.968,55 22.200.820,07 Títulos Descontados 15.902.899,82 1.552.119,67 - 17.455.019,49 Financiamentos 404.828,58 976.077,60 665.938,80 2.046.844,98 Financiamentos Rurais 4.237.372,88 4.158.288,40 9.617.789,25 18.013.450,53 Total 24.059.279,67 14.723.158,80 20.933.696,60 59.716.135,07 Obs.: Não inclui Adiantamento a Depositantes, Cheque Especial e Conta Garantida. d) Composição da carteira de crédito por tipo de produto, cliente e atividade econômica: Crédito Vencido A Vencer A partir de 15 dias até 3 meses de 3 a 12 meses de 1 a 3 anos de 3 a 5 anos SET.PRIV.ATV.EMP.AGROPECUARIA 0,00 270.835,87 28.156,85 1.228,91 0,00 SET.PRIV.ATV.EMP.INDUSTRIA 71.578,61 829.594,61 84.481,86 104.475,35 37.782,58 SET.PRIV.ATV.EMP.COMERCIO 3.821,81 6.185.932,17 2.136.159,92 1.436.385,01 228.724,88 SET.PRIV.ENT.FILANTROP 0,00 3.414,97 10.368,65 13.349,48 0,00 SET.PRIV.OUTROS SERVICOS 12.292,13 2.316.071,93 992.249,41 1.367.231,94 152.470,73 PESSOA FISICA 312.476,26 14.147.780,80 11.435.312,84 16.104.091,27 1.429.866,23 400.168,81 23.753.630,35 14.686.729,53 19.026.761,96 1.848.844,42 Obs.: Não inclui Adiantamento a Depositantes, Cheque Especial e Conta Garantida. e) Concentração dos Principais Devedores: Descrição 30/06/2015 % Carteira Total 30/06/2014 % Carteira Total Maior Devedor 833.673,81 1,35% 803.685,01 1,48% 10 Maiores Devedores 6.900.414,01 11,16% 6.115.467,78 11,27% 50 Maiores Devedores 20.687.579,15 33,46% 16.996.017,16 31,31% f) Movimentação de Créditos Baixados Como Prejuízo:

×