Código:
TRANSPETRO - PE-
36-00000-#
Título
INSPEÇÃO EM MANGOTES
Órgão aprovador: TRANSPETRO/DT/SUPORTE/TEC/CONF
Cópia
Data...
5.3 - RECOMENDAÇÕES DE INSPEÇÃO
Recomendações dos serviços deverão ser emitidas (quando necessário) de acordo com o Projet...
8. CUIDADOS COM SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE
Para a execução das atividades previstas neste padrão ou delas decorrente...
PDCA e SUMÁRIO DE REVISÕES
REV. Data DESCRIÇÃO E/OU ITENS ATINGIDO
0 Emissão Original
DOCUMENTOS COMPLEMENTARES ADICIONAIS...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Pe mangotes

355 visualizações

Publicada em

Apostila

Publicada em: Engenharia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
355
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Pe mangotes

  1. 1. Código: TRANSPETRO - PE- 36-00000-# Título INSPEÇÃO EM MANGOTES Órgão aprovador: TRANSPETRO/DT/SUPORTE/TEC/CONF Cópia Data de Órgão gestor: TRANSPETRO/DT/SUPORTE/TEC/CONF X Assinatu 1.OBJETIVO: Este padrão tem como objetivo orientar a inspeção externa ou geral de Mangote Marítimo ou Terrestre, de modo a avaliar e definir as suas condições físicas.. 2. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA PG-21.00014-0: Inspeção de Equipamentos. 3. DOCUMENTOS COMPLEMENTARES NORMA PETROBRAS N-2073 – Inspeção em Mangotes Marítimos. NORMA PETROBRAS N-2660 – Inspeção em serviço de Mangotes para operação em Píer. 4. DEFINIÇÕES: Mangotes Marítimos: Equipamento utilizado para transporte de petróleo via subaquático ou flutuante. Mangotes operação em pier: Equipamento utilizado para transporte de petróleo e seus derivados, álcool e água conectados diretamente as embarcações. Mangotes Terrestres: Equipamento utilizado para transporte de petróleo e seus derivados, álcool e água para carregamento rodoviário ou ferroviário, conexões entre plataformas flutuantes e outros sistemas fixos. 5. DESCRIÇÃO: 5.1 TÉCNICA DE EXECUÇÃO 5.1.1- Mangotes Marítimos: Deverá ser realizado conforme a Norma N-2073. 5.1.2- Mangotes operação em Pier: Deverá ser realizado conforme a Norma N-2660. 5.1.2- Mangotes Terrestres: Deverá ser realizado conforme a Norma N-2660. 5.2 - RELATÓRIO DE INSPEÇÃO Confeccionar Relatórios com todas as informações e Registros da Inspeção realizada, de acordo com o Padrão de Execução específico de cada Regional.
  2. 2. 5.3 - RECOMENDAÇÕES DE INSPEÇÃO Recomendações dos serviços deverão ser emitidas (quando necessário) de acordo com o Projeto e Procedimentos/Normas aplicáveis ao equipamento, para garantir a continuidade operacional do equipamento inspecionado, com segurança e eficiência. A elaboração das recomendações deverá ser de acordo com o Padrão de Execução específico de cada Regional. 5.4 – PERIODICIDADES 4.4.1- Para mangotes marítimos adota-se os intervalos conforme a Norma N-2073. 4.4.2- Para mangotes para operação de pier adota-se os intervalos conforme a Norma N-2660. 4.4.3- Para mangotes terrestres de carregamento rodoviário e ferroviário e mangotes que trabalham em interligação de plataformas flutuantes, adota-se intervalo máximo 4 anos. 4.4.4- Para mangotes terrestres que trabalham em outros sistemas fixos, adota-se os intervalos conforme periodicidade de inspeção geral do equipamento principal. 6. AUTORIDADE E RESPONSABILIDADE - Compete a Coordenadoria de Confiabilidade a responsabilidade pela elaboração, gerenciamento e execução do Plano de Inspeção. - Compete a Coordenadoria de Manutenção o serviço de reparo e eventual recurso adicional necessário ao condicionamento do equipamento. - Compete a Coordenadoria Operacional a liberação dos equipamentos. 7. RECURSOS E PRÉ-REQUISITOS 7.1. PROCEDIMENTOS GERAIS: 7.1.1. Trabalho Preparatório - Antes de iniciar os serviços, observa-se os seguintes itens: - Informar a Coordenação Operacional quais os trabalhos que serão desenvolvidos, bem como sua programação; - Solicitar a Coordenação Operacional, informações sobre as anormalidades percebidas durante a operação; - Identificar prováveis problemas e/ou pontos críticos esperados. - Verificar atendimento das recomendações anteriores; - Observar mudanças de parâmetros ou de projeto; - Consultar relatórios de inspeção anteriores; - Conhecer o Plano de Inspeção estabelecido; 7.1.2. Ferramental de Inspeção A Coordenadoria de Confiabilidade deverá dispor, no mínimo, dos seguintes instrumentos e ferramentas no local de trabalho: - Aparelho ultrassônico para medição de espessura; - Raspador ou espátula; - Máquina fotográfica; - Marcador Industrial. - Lanterna portátil; - Escova de aço; - Espelho; - Régua; - Trena; - Lupa; - Imã;
  3. 3. 8. CUIDADOS COM SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE Para a execução das atividades previstas neste padrão ou delas decorrentes, deverão ser observadas as seguintes orientações: - Solicitação de permissão de trabalho; - Uso de EPI’s adequados ao serviço; - Uso adequado das ferramentas para não danificar o equipamento; - Não utilização de ferramentas de impacto (martelo, picador, etc) quando se tratar de inspeção com o equipamento em operação; - Não executar tarefas de inspeção enquanto tarefas de manutenção estejam sendo executadas no mesmo local, a menos que estas não sejam prejudiciais à qualidade e a segurança do trabalho de inspeção; - Os descartes de resíduos gerados deverão ser conforme o Padrão Gerenciamento de resíduo; - Os trabalhos em locais confinados e em altura deverão ser precedidos por análise da atividade de Segurança Industrial e eventual emissão do RAS (Recomendações Adicionais de Segurança); - Observar as condições físicas dos meios de acesso ao equipamento (plataformas, escadas e passadiços) antes da utilização dos mesmos. - Não executar esforço físico que comprometa a sua saúde e segurança; - Conhecer o plano de contingência local. - Consultar a tabela de dados local, referente aos Aspectos-Impactos e Perigos- Consequências da atividade em questão. 9 - SITUAÇÕES ANORMAIS (AÇÃO CORRETIVA): - Atender ao que prever o levantamento de aspectos e impactos aplicáveis a esta atividade. - A descrição das condições físicas do equipamento será citada no respectivo relatório de inspeção de acordo com o prescrito no Padrão de Execução específico de cada Regional. - As ações corretivas para as anomalias identificadas no equipamento serão citadas na respectiva recomendação de inspeção de acordo com o prescrito no Padrão de Execução específico de cada Regional.
  4. 4. PDCA e SUMÁRIO DE REVISÕES REV. Data DESCRIÇÃO E/OU ITENS ATINGIDO 0 Emissão Original DOCUMENTOS COMPLEMENTARES ADICIONAIS: Lista de Distribuição: Eletrônica: TRANSPETRO/DT/SUPORTE/TEC TRANSPETRO/DT/SUPORTE/NNE TRANSPETRO/DT/SUPORTE/SUL TRANSPETRO/DT/SUPORTE/SE TRANSPETRO/DT/SUPORTE/SP TRANSPETRO/DT/SUPORTE/NNE/CONF TRANSPETRO/DT/SUPORTE/SUL/CONF TRANSPETRO/DT/SUPORTE/SE/CONF TRANSPETRO/DT/SUPORTE/SP/CONF Deve-se dar prioridade à consulta a padrões através do SINPEP, evitando a sua impre Impressa: Destinatários * * * ÚLTIMA FOLHA DO PADRÃO * * *

×