FOTO: Paulo Marques                      Nº18 . MARÇO 2013
NOTÍCIASDOCARVALHAL                                                                                                       ...
NOTÍCIASDOCARVALHAL                                                                                                       ...
NOTÍCIASDOCARVALHAL                                                                                                       ...
NOTÍCIASDOCARVALHALConto Tradicional :   O Burro do Azeiteiro                                 Atelier da Páscoa 2013      ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Jornal 18, Março 2013

1.754 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.754
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.479
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Jornal 18, Março 2013

  1. 1. FOTO: Paulo Marques Nº18 . MARÇO 2013
  2. 2. NOTÍCIASDOCARVALHAL NOTÍCIASDOCARVALHALTEMPO DE RENASCER Passagem de ano na Aldeia... convívio entre diferentes gerações...P áscoa, a grande passagem, o renascimento da festa de Passagem de Ano e as Janeiras, estando aalma para os cristãos (com o perdão dos pecados), ser organizado para a o Sábado de Aleluia o já Foi com muito boa disposição e alegria que se realizou aa vitória de Cristo sobre a morte. Enfim, a maior tradicional Jantar de Borrego, pelo que se conta passagem de ano na Aldeia. Um grande número de sóciosfesta de toda a cristandade. Quando se comemora com a presença de todos os nossos carvalhenses, e familiares esteve presente e viveu o momento intensam-a Páscoa, parece que começamos a viver nova- esperando que para o próximo ano o local de ente.mente com novas esperanças, como no ano novo, realização desta festa já possa ser o novo Centro dequando sempre esperamos algo melhor para o ano Convívio. Pelas 20 horas deu-se início à longa ceia bem variada eseguinte. bem regada que se prolongaria pela noite, combinada Comecei falando da Páscoa, pois espero que neste com muita música e animação.Vocês que me conhecem já sabem, sou um eterno mês de Março em que a comemoramos, tenhamosotimista e acredito que tudo vai dar certo e melho- o nosso renascimento de caráter crítico social e É de realçar o convívio, harmonia e alegria entre a meiarar sempre e realmente acredito nisso, mas só para comecemos a exercer mais o nosso direito e dever centena de presentes que se prolongou pela noite fora atéaqueles que se empenham, lutam por tudo o que de associados. de madrugada, como podemos ver nas fotos que sequerem, trabalham arduamente, enfim aqueles que seguem.merecem. É dentro deste contexto de união, cama- Feliz Páscoa!radagem e empenho associativo, que acredito no Nascemos na prece e no dom.alcance dos objetivos descritos no nosso plano deatividades. AS JANEIRASNestes últimos quatro meses a nossa Associação, Como é do conhecimento generalizado, a festa do Carval- Este ano, porque o dia 20 de Janeiro correspondeu a umcom o apoio da Comissão de Festas 2013-2014 e hal celebrava-se, anualmente, no dia 20 de Janeiro, dia domingo e porque alguns uma grande parte de carval-dos carvalhenses, tem desenvolvido um conjunto O Presidente da Direcção do Santo Padroeiro S. Sebastião, mas com a gradual henses a viver fora pretendiam marcar presença, lutandode atividades, de que se realçam o fogo de Natal, a João Paulo do Amaral de Oliveira desertificação da nossa aldeia houve necessidade de contra as distâncias, a Comissão de Festas 2013-2014 transferir os festejos para o Verão, altura de maior resolveu adiar para o dia 26 de Janeiro, sábado, a celebra- presença dos filhos da terra que se viram obrigados a ção do evento, procurando conciliar o festejo com asQuando os recursos são limitados… geral, ”libertando” um pouco a carismática casa do povo rumar a outras paragens à procura de uma vida melhor. disponibilidades de deslocação, permitindo que o regresso em momentos de eventos de maior relevo, mas, reconhecidam- se fizesse calmamente no dia seguinte, domingo.A ssociação Desportiva e Cultural “Os Amigos do Carvalhal” é ente, ainda faltam fundos significativos para a conclusão da A mudança do período dos festejos não significou o aban- Durante este dia transportou-se os enchidos e recordou-sehoje possuidora de um património diversificado que inclui um obra e, quando os recursos são limitados, há que definir uma os tempos idos, recolhendo, cantando e arrematando as dono da nossa história e, para se honrar e continuar aconjunto de bens imóveis e móveis, de que se destacam o estratégia adequada à superação das dificuldades. janeiras e terminando o dia em convívio coletivo. manter viva a tradição do 20 de Janeiro, em que osnúcleo museológico, a casa do povo, um conjunto muito signifi- Neste momento, em meu entender, a prioridade das priori- habitantes ofereciam chouriças e pés de porco em louvorcativo de terrenos rústicos e o futuro centro de convívio, em dades, é a conclusão do centro de convívio e todos os esforços de S. Sebastião, agradecendo por o porco não terconstrução. Reconheçamos que uma boa parcela desse dos associados devem ser canalizados para esse fim, porque morrido, sendo a sua carne imprescindível para a alimen-património foi adquirida com a ajuda de apoios de diversas estou certo que o centro de convívio, depois de concluído, será A comissão de Festas 2013-2014 tação do agregado familiar.comissões de festas, a benemerência de alguns e não menos motivo de orgulho dos Amigos do Carvalhal, mas também serásignificativos, alguns apoios comunitários. um equipamento que poderá contribuir para uma maiorTambém é notoriamente reconhecido que as receitas da gestão proximidade de todos os carvalhenses ao seu berço ou dos seuscorrente são insuficientes para colmatar as despesas correntes o familiares.que, em condições de normalidade, nos levaria a um deficit Para terminar aqui deixo duas mensagens; sejamos solidáriosacumulado que tornaria insustentável a continuidade da com a direção, que ficará muita grata com os apoios queassociação; mas, como os carvalhenses e os Amigos do Carval- receber; mas também deixo um desafio à direção. Que fiquehal, em geral, têm um grande coração; não têm faltado apoios registado, nem que seja num livro de honra, quem, de formae donativos que têm mantido a associação e os seus dirigentes significativa, contribuiu para que o sonho do comandantenuma situação de conforto, permitindo-lhe uma gestão equili- Alberto Pereira se tenha tornado realidade. Estou certo que abrada. honra é, e será, merecida por muitos Amigos do Carvalhal.Está em curso a construção do novo centro de convívio, que se Presidente da Assembleia Geralespera, possa melhor servir todos os associados e população em José Gil
  3. 3. NOTÍCIASDOCARVALHAL NOTÍCIASDOCARVALHALAS BARBAS DO MEU COMPADRE!... multidão e fustigado pelo grito estridente do sacerdote - Armas são traições e agressões. Enquanto muitos portugueses militarmente mal que do alto do palanque vociferou: - Um bebé é sinal de novas relações. preparados, famintos, com os pés congelados nasA história que hoje vou transcrever, foi narrada com o - Prendam-me esse infiel que me está a perturbar a - Um beijo é traição ou engano. trincheiras francesas, em orações incontáveis, olharesseu estilo peculiar, pelo nosso amigo Manuel José minha santa missa! - Os cabelos podem estar ligados a um êxito ou realiza- de adoração e súplicas de esperança, veneravam emSoares, mais conhecido na aldeia pelo Manel Samuel, e Num ápice alguns agentes de segurança tentam romper ção pessoal. derradeiro desespero o Cristo de NeuveChapelleno círculo mais restrito dos amigalhaços do peito pelo Sr. por entre a multidão boquiaberta, tentando agarrar o - O caranguejo é um aviso de que alguém pode estar a "Cristo das Trincheiras", colocado na planície doDr. “Coimbra”, mercê dos anos passados na briosa energúmeno que se atrevera a desafiar a voz da Igreja prejudicar-nos. combate, o tio Matias anticlerical convicto, fugiu docidade do Mondego e das “consultas” gratuitas que ao proclamar tamanha blasfémia… - Nudez representa insegurança perante o perigo que se embarque e regressou ao Carvalhal, esgueirando-se decom assiduidade concede na cave da sua residência no Após um estudo rápido da situação o nosso conterrâ- avizinha. noite e de dia, com a aflição própria do desertor, porCarvalhal onde dispõe de uma panóplia de “medica- neo, que não era de se ficar ainda gritava: - O coelho é felicidade e boa sorte (principalmente para entre moitas e lapas fugindo da pena mais temida, omentos”, devidamente aditivados que apagam qualquer -Eu nem estou dentro nem estou fora!... se algum f.p. os caçadores)! degredo perpétuo em África ou eventualmente aresquício depressivo que qualquer amigo carregue. me agarrar ao casaco eu desfaço-o!.. - As cobras são sinais negativos- perdas, desaires, morte “acidental” nalguma prisão da recenteOra numa dessas visitas colectivas ao dito “consultório”, Dito isto e enquanto preparava a estratégia para uma traições e medos (concordo plenamente). República dirigida pelo orgulhoso democrata Afonsoveio à tona um episódio que ficou célebre na época e rápida retirada do local ainda vislumbrou um elemento - Lágrimas são bons presságios. Costa. Só Josefa Maria Pereira, sua mãe, sabia doque o tinha ouvido contar ao seu pai Manuel Samuel e da segurança que mais lesto se preparava para lhe deitar - O polvo augura péssimas perspectivas. paradeiro do desertor e era ela que lhe levava oscom a devida vénia passo a narrar. a mão aos fagotes. O Manuel José num gesto brusco alimentos dinheiro e a roupa necessários.No início do século passado viveu na aldeia o Sr. Manuel agarrou a barbicha do dito e alvitrou em tom irónico: Depois conseguiu fugir para Espanha onde se manteveJosé, homem de poucas posses, jornaleiro de profissão e - Olha, olha que lindas barbas tu tens, parecem as a trabalhar, por tempo que não conseguimos apurar,que como quase todos os habitantes vivia paredes meias barbas do bode do meu compadre Manuel Tavares!.. como assalariado agrícola. Talvez esta experiência ocom a pobreza, que infelizmente era um denominador Com um enérgico safanão desembaraçou-se do tivesse ajudado a perceber o valor do trabalho e acomum nos nossos meios rurais. Homem espevitado, elemento da GNR que o tentava deter e desapareceu sedimentar algumas convicções.tirando sempre partido com audácia e astúcia das situa- por entre o magote de amigos que assim o salvaram de De volta ao “Cristo das Trincheiras”, mutilado pelasções anómalas que a vida quotidianamente lhe apresen- uma visita aos calabouços da cadeia de Pinhel onde balas alemãs manteve-se erguido no cenário dantescotava. Era o que hoje se podia apelidar de um bom porventura seria hóspede por alguns dias. do campo de batalha, e serviu de último conforto a“vivant”. muitos portugueses que derramaram o seu sangue porNesse dia, festejava-se o s. Brás, padroeiro da vizinha J.Amaral terras gaulesas (não houve mortos do Carvalhal) e osaldeia do Pereiro. Em dois tempos, o nosso amigo vestiu Enfim, estes são os pontos principais a reter. Mas, se soldados creio que foram os seguintes: Joaquim Gilo casaco domingueiro e dirigiu-se para a aldeia vizinha alguns dos maus exemplos que acabo de focar tomar (África), o ti Henriques e Francisco Aurélio (França). Este conta dos seus sonhos não desista e aguarde pelos mais último foi o regedor (autoridade administrativa local) Sonhos e Superstiçõesonde esperava aproveitar algumas franquezas dos mora-dores em dia de festa. positivos. O quotidiano tanto nos mostra coisas boas do Carvalhal durante muitos e longos anos.Ao chegar ao recinto de festas o povoléu já se dirigia como nos revela aquilo que detestamos. A referida imagem acaba por regressar a Portugal empara a igreja e o nosso amigo, mesmo dando alguns A interpretação dos sonhos e das superstições, apesar C’ est la vie!... ( É A VIDA!...) 1957 e em 1958 por altura do quadragésimoencontrões e cotoveladas não conseguiu entrar no da indesmentível evolução das mentalidades, neste caso aniversário da Batalha de la Lys, o “Cristo das Trinchei-interior da igreja ficando postado mesmo debaixo da das dos mais jovens que pouco ou nada ligam a essas J.Amaral ras”, propriedade da Liga dos Combatentes é colocadosoleira da porta grande onde pensava assistir à santa tradições, continuam no entanto enraizadas no nosso na Sala do Capítulo do Mosteiro da Batalha, junto aomissa. povo. túmulo do “Soldado Desconhecido”, onde penso queChegou a altura sempre esperada do sermão. O prega- Achei por isso curioso, trazer à liça, algumas dessas O tio Matias e o Corpo ainda se mantém atualmente.dor dirigiu-se imponente para o púlpito, iniciando a sua convicções que perduram na memória de muita gente. Expedicionário Português Uma coisa é certa, o tio Matias não preencheu as sepul-exposição dramatizada que levavam ao rubro as Aliás, este exercício torna-se bastante interessante pois turas de guerra como aconteceu a 10.000 portuguesesemoções da assistência que num silêncio sepulcral reflecte, a meu ver, um pouco o nível da cultura de um Em 1916 Portugal, por influência da Inglaterra, manda que pereceram no inferno inimaginável da Primeiraseguiam o pensamento iluminado do sacerdote. Já o povo que mantém na sua ruralidade, hábitos de séculos fazer o apresamento dos barcos germânicos na costa Grande Guerra, com custos económicos e sociaissermão ia bem alongado, quando o pregador atirou em passados. lusitana, o que teve como consequência a declaração de desmesurados para a nação, nenhum objetivo parecealto e bom som: Transcrevo, por isso, algumas dessas versões em voga, guerra a Portugal pela Alemanha em 9 de Março de ter sido conseguido, pelo contrário a instabilidade- Aqui , neste lugar sagrado vós sois o meu rebanho de sobretudo na população rural do interior. 1916. política acentuou-se e o regime democrático acaba porovelhas e eu sou o vosso pastor que vos irá conduzir à Sonhar com: O tio Joaquim Matias consegue fugir, com argúcia e cair em 1926 e é substituído por um regime ainda pior,vida eterna!.. - Aranhas significa problemas que exigem a nossa provavelmente com dinheiro, ao Corpo Expedicionário uma ditadura fascista, que espoliou, torturou e matou- E eu sou o CARNEIRO que as cobre, gritou o Manuel atenção. Ex: proximidade de processos judiciais. Português que seguiu em 1917 em direção à Flandres e um sem número de pessoas. E já agora, convémJosé. - Açucar e arroz estão ligados a prosperidade ou êxito que depois seguiu para terras de França. E como vamos lembrar uma coisa que não vem nos livros de história,Nesse momento foi fulminado pelo olhar incrédulo da nas relações amorosas. verificar parece ter sido a decisão acertada! quando Hitler morreu Salazar decretou 3 dias de luto
  4. 4. NOTÍCIASDOCARVALHAL NOTÍCIASDOCARVALHALnacional. Presto aqui a minha homenagem a todas as sentido, é necessário não esquecer as palavras de Miltonvítimas mortais do regime, não esquecendo o nosso Friedman, o guru dos monetaristas de Chicago e divin-herói beirão Aristides de Sousa Mendes, cônsul em dade dos atuais governantes quando diz: A responsabili-Bordéus que morreu na miséria, expropriado dos seus dade social coletiva não deve pertencer ao Estado, masbens sem trabalho e sem reforma, sem sequer ter sim às entidades privadas que aliviarão a pobreza atravésroupa para a mortalha por ter desobedecido corajosa- da caridade!mente às ordens de Salazar e ter salvado da morte O tio Matias era virtuoso com desprendimento, não faziacerta 30.000 pessoas das garras sanguinárias de Hitler. o bem por interesse ou sacrifício ou para ganhar bem-Atualmente num país e numa Europa em decom- aventuranças para salvação da alma, ou enfim paraposição, onde reina a maior desumanidade e desigual- ganhar um lugar no Céu, penso que o fazia porque se Olá amiguinhos do Carvalhal!dade, havendo a pretensão de destruir o Estado Social, sentia bem com isso, já que afirmava perentoriamente,onde o Vaticano e a Opus Dei (causa e efeito no com alguma graça herética para quem o quisesse ouvir: As festas da Páscoa estão a porta, fonte de inspiração Minis talentosprocesso histórico em curso) realizam obra social, mas “quando morrer quero ir para o Inferno, porque para que faz renascer em nós a alegria de viver e o desejo deparalelamente detêm o controlo dos mercados e das além de ser um lugar mais quente do que o Céu, é o sítio comunicar este prazer.bolsas, gerando com isso milhões de pobres, para a para onde vão todos os meus amigos!”. Quisemos juntar nesta página, o melhor dos últimosseguir negociarem a proteção social desses mesmos Acredito mesmo que ele fizesse bem a destrinça entre meses. Agora com a chegada da Páscoa e da Primavera, (Poema)pobres com os Estados, através da transferência de princípios religiosos e clero como coisas substancialmente remete-nos para outro tipo de atividades. CARVALHALparte dos impostos novamente para as instituições diferentes, de acordo com o conhecido ditado popular Apresentamos assim novos talentos «pequenoseclesiásticas. “Que bem prega Frei Tomás, faz o que ele diz não escritores do Carvalhal» e o nosso novo atelier para Carvalhal, terra bonita Cheia de vegetaçãoVejamos o que diz o Catecismo Católico e a citação das faças o que ele faz”. celebrar a data festiva mais importante depois do Natal. É uma aldeia muito catitapalavras de S. Paulo quando diz o seguinte no seu De grande animação§1826: “… E tudo o que é privilégio, serviço e mesmovirtude... "se não tivesse a caridade, isso nada me Nesta terra eu cresci Para relembrar o nosso Atelier de Durante sete anosadiantaria"(...)as virtudes teológicas "Permanecem fé, Natal. Foi assim… Lá morei desde que nasciesperança, caridade, estas três coisas. A maior delas, Longe dos climas urbanosporém, é a caridade" (1 Cor 13,13).” E também neste António Almeida Matias Vou para lá sempre que posso Seja sábado ou domingo Gosto do que seja nosso Mas também do que seja de um amigoRECEITAS TRADICIONAIS O Carvalhal faz-me recordarTARTE DE CENOURA BOLA DE CARNES Com saudade e muito amor Os meus avós que partiram E deixaram muita dorIngredientes: 750gr de cenoura cozida e escorrida; Ingredientes: 1 chávena de ovos; 3 chávenas de farinha;300gr de açúcar; 1 colher (sopa) bem cheia de farinha; 1 chávena de óleo; 1 chávena de leite; 1 colher de chá de Mafalda Lourenço (10 anos)5 ovos; 150gr de amêndoa ralada¸1 colher(chá) de fermento e um pouco de sal.fermento. Os lobos na aldeiaBate-se as gemas com o açúcar, a raspa e o sumo da Bate-se bem os ovos, vai-se juntando o leite, o óleo e olaranja, de seguida junta-se a cenoura em puré e no sal, depois a farinha e o fermento. A forma é untada com Antigamente era habitual avistar lobos, que punhamfim a farinha e as claras. manteiga e farinha; coloca-se um pouco da massa e por em perigo os rebanhos e o gado. Devido a alguns fatores, os lobos extinguiram-se na nossa aldeia eCozem-se as cenouras e passam-se pelo passe-vite e cima desta pode-se colocar restos de carne assada (de redondezas.escorrem-se bem; Bate-se o açúcar com a cenoura, os porco ou frango) ou pode-se fazer com chouriço e bacon, Mas os lobos voltaram!ovos, um de cada vez, bem batidos. Seguidamente fica a gosto de cada pessoa, vai-se colocando em cama- Voltou-se a avistar esta espécie nas redondezas e osjunta-se a amêndoa a farinha e o fermento. das e a ultima será de massa que se decora com rodelas rebanhos e o resto do gado foram atacados. Registaram-se várias baixas, tanto nas propriedadesVai ao forno em forma de tarte untada com manteiga de chouriço e vai ao forno. do Carvalhal, como em outras aldeias próximas.e polvilhada de farinha. Por agora ainda não voltaram a atacar, nem foram vistos, mas nunca sabemos quando voltam.Muito boa e fácil de confecionar. Amélia Amaral Beatriz dos Santos Marques
  5. 5. NOTÍCIASDOCARVALHALConto Tradicional : O Burro do Azeiteiro Atelier da Páscoa 2013 « Uma aventura no Carvalhal»Dois estudantes encontraram numa estrada um azeiteiro quelevava pela rédea um burro carregado de bilhas de azeite.E repararam que o azeiteiro batia, sem dó nem piedade, com ochicote no pobre burro. Este, provavelmente porque já vinha Sexta feira santa:de muito longe, ia cansado, subindo a encosta a custo e ao > Orientação no Carvalhal (tarde).ritmo das chicotadas do dono.- Deve ser já muito velho, ou então, está doente – disse um dos > Spa para crianças (ao final da tarde mediante previa inscrição).estudantes para o outro.- Seja como for, o certo é que o azeiteiro só pensa no seu Sábado:dinheiro – disse o outro, também indignado com aquela > Atelier de Culinária (Pão de ló).brutalidade.- E se fôssemos explicar-lhe que é desumano tratar assim o Domingo de Páscoa:animal? > Caça aos ovos da Páscoa (de manhã, depois da Missa).- Não ganhamos nada com isso!- Tens razão, ele deve ser um grande sovina. Podemos é ainda > Sessão de Cinema.receber alguma chicotada como paga de nos termosintrometido na sua vida. Participem!!!!- É isso mesmo. Então arriscar por arriscar, vamos salvar o burroe, ao mesmo tempo, salvar a nossa situação.- Que queres dizer?- Não estamos aflitos, sem dinheiro? Próximo desafio dos- Se estamos! E daí?- Tive uma ideia. Vamos roubar o burro e vendê-lo. É bom para Amiguinhos do Carvalhalnós que precisamos de dinheiro e bom para o burro que, comcerteza, vai passar a ter um dono melhor.Então o estudante que teve a ideia transmitiu-a ao outro ecolocaram-na em prática. I – Aguardamos novas histórias dos nossos minis escritores, jornalis-Enquanto um dos estudantes distraiu o azeiteiro perguntando tas ou poetas.qual o caminho mais perto para alcançar uma certa aldeia, ooutro soltou o burro, escondeu-o e colocou no seu próprio II - Desenhos sobre o verão no carvalhal.pescoço a cabeçada do burro.O azeiteiro, quando voltou para trás e viu um homem no lugar Contamos com a vossa participação!!!do burro, ia desmaiando.Então o estudante-feito-burro disse com muita calma:- Ah, senhor, quanto lhe agradeço ter-me dado tanta pancadana cabeça! Foi assim que me quebrou o encanto que durantetantos anos me fez passar por burro! A mim, Príncipe do reinoda Felicidade. Então o azeiteiro tirou o chapéu e disse-lhe Lançamento de livro sobre o Carvalhalmuito humildemente:- Perdi em Vossa Alteza um burro, mas paciência! Como Em Agosto, em data a confirmar pela Comissão de FestasPríncipe que agora é, peço-lhe muitas desculpas por tê-lo 2013-2014, com previsão a 10 de Agosto, será lançadomaltratado tantas vezes.- Está perdoado. Só lhe peço que me deixe ir agora depressa um livro da autoria de Vasco Gaspar sobre o Carvalhal,para o meu reino… Na Corte devem estar todos preocupados convidando todos os amigos do Carvalhal a participaremcom a minha longa ausência. no evento, que muito honrará o autor e todos os convida-No dia seguinte, o labrego do azeiteiro foi à feira comprar dos.outro burro. E curiosamente foi lá encontrar o jumento que lhetinha pertencido. A Comissão de Festas 2013-2014O azeiteiro, julgando então que o príncipe-burro se tinhatransformado de novo no seu burro, chegou-se ao pé do outroestudante, que ele não reconheceu porque estava bem disfar-çado, e pediu-lhe licença para dizer um segredo ao burro. Almoço anual de convívioO estudante disse-lhe que sim e o azeiteiro, chegando-sepróximo da orelha do animal, gritou com toda a força:- Olhe, senhor Príncipe, quem o não conhecer que o compre! Os organizadores do almoço anual de convívio comunicam que o mesmo se realiza a 26 de Outubro no restaurante “a TENDINHA” em Mem-Martins. Posteri- Correio Eletrónico Carvalhense ormente será publicitado com mais pormenor a ementa e noticiasdocarvalhal@gmail.com a localização do referido restaurante, assim como as BLOG Carvalhense coordenadas para GPS. O preço mantem-se o mesmo do http://amigosdocarvalhal.blogspot.pt ano anterior (25 € por pessoa, crianças até 3 anos grátis e N.I.B. “Amigos do Carvalhal” dos 3 aos 10 anos 12.50 €). 0033 0000 09580130466 25 Contamos com todos para proporcionarmos um bom Blogs dos amigos ambiente familiar. http://pontedaspoldras.blogspot.com http://largodasmoreirinhas.blogspot.com Os organizadores http://arturmartines.blogspot.com J. Amaral e H. Oliveira

×