Plano de Gestão Federação Gaúcha de Surf

409 visualizações

Publicada em

Projeto elaborado para a nova Gestão da Federação Gaúcha de Surf em 2012, desenvolvido pela Agência PIER e equipe candidata,- Nelson Guarda (Presidente) e Virgílio Matos (Vice-Presidente) e João Horácio (Dir. Marketing), em função da saída temporária do atual presidente Orlando Carvalho, para a sua candidatura política em 2012.

O projeto não foi aplicado, pois não ouve ocupação dos cargos em questão.

Publicada em: Negócios
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
409
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Plano de Gestão Federação Gaúcha de Surf

  1. 1. DESENVOLVIMENTO DO ! PLANO ESTRATÉGICO ! FGS FEDERAÇÃO GAÚCHA DE SURF
  2. 2. A  implantação  do  Planejamento  Estratégico  em   uma  organização  espor9va  é  um  procedimento   gradual  e  progressivo.  O  importante  é  que  os   dirigentes  assumam  o  que  denominamos   "cultura  do  planejamento"  e  saber  o  que  se   pode  ou  não                  esperar  da  mesma.   INTRODUÇÃO  
  3. 3. A  FEDERAÇÃO   GAÚCHA  DE  SURF   A  Federação  Gaúcha  de  Surfe,  denominada  FGSurf  é  uma  associação,  sem  fins  lucra9vos,  de   natureza  cultural  e  despor9va  no  Estado  do  Rio  Grande  do  Sul.     A  FGSurf  surgiu  com  a  finalidade  principal  de  representar  o  esporte  e  a  sua  cultura  no  Rio  Grande   do  Sul,  para    desenvolver,  orientar  e  difundir  por  todos  os  meios  ao  seu  alcance  a  prá9ca  do  surfe   em  todo  o  Estado,  organizando-­‐o  como  esporte  de  rendimento,  profissional  e  amador  e  em   a9vidades  de  lazer.   A  UNIÃO  DE  COLABORADORES  VOLUNTÁRIOS  QUE  SÃO  A  BASE  DE  ORGANIZAÇÕES  ESPORTIVAS  
  4. 4. A  FEDERAÇÃO   GAÚCHA  DE  SURF   Dentre  outras  finalidades,  a  FGSurf  organiza,  dirige  e  fiscaliza  o  esporte  surfe  em  todo   Estado  do  Rio  Grande  do  Sul,  através  de  campeonatos,  eventos,  torneios  de  Surfe,  de   acordo  com  as  regras  definidas  pelas  en9dades  de  hierarquia  superior  de  organização   do  esporte  em  compe9ção,  segundo  as  quais  a  federação  é  filiada,  promovendo,   organizando  e  es9mulando  a  realização  de  torneios  e  compe9ções  regionais,   interestaduais  e  internacionais.   EM  BUSCA  DA  PARTICIPAÇÃO  E  DO  COMPROMISSO  EM  TODA  A  ORGANIZAÇÃO  
  5. 5. HISTÓRIA  DO  SURFE  GAÚCHO   O  surf  começa  a  ser  pra9cado  no  Rio  Grande   do  Sul,  no  início  da  década  60,  na  Praia  da   Guarita  em  Torres.     As  primeiras  pranchas  de  madeira,  foram   trazidas  pelas  famílias  Sebon  e  Johannpeter,   diretamente    do  Rio  de  Janeiro.   Com  a  difusão  dessa  a9vidade  espor9va  no  verão   gaúcho,  surge  a  1º  compe9ção  em  1968,     organizado  por  estas  famílias  e  o  apoio  das   Empresas  Ipiranga  e  Caldas  Junior  (Jornal  Correio   do  Povo).  Após  este  evento  é  que  o  Surf  começa   a  se  propagar  por  toda  a  juventude  na  década  de   70,  no  Litoral  Gaúcho.    Com  isto  começa  a  ser  exigido  uma  união   das  Praias  em  torno  de  uma  en9dade  que   pudesse  centralizar  regras,  categorias  e   garan9r  uma  premiação  para  desenvolver   essa  a9vidade  na  região  sul.  
  6. 6. HISTÓRIA   Com  essa  mobilização,  em  1978,  surge  um   grupo  que  funda  a  1º  Federação  Gaúcha  de   Surf  no  Brasil,  sendo  seu  Presidente  João   Wallig  Neto,  pra9cante  e  lojista  de   vanguarda  do  segmento  surf  na  época.   Com  a    necessidade  de  regulamentá-­‐lo  como  uma  a9vidade  espor9va  no  Sistema  de   Desporto  Nacional,  em  1987,  a  FGS  integra  com  outras  en9dades  nacionais,  a  Associação   Brasileira  de  Surf  Amador/ABRASA,  hoje  Confederação  Brasileira  de  Surf-­‐CBS.     HISTÓRIA  DO     SURFE  GAÚCHO   Com  obje9vo  de  organizar  todas  as   compe9ções  no  Estado  nas  décadas   seguintes,  com  provas  em  diversas  praias  na   costa  Gaúcha,  cria-­‐se  um  circuito  estadual  e   consequentemente,  os  veículos  de  mídia   focam  suas  atenções  nessa  prá9ca  saudável.   REGULAMENTAÇÃO   DO  ESPORTE  SURFE   GAÚCHO  EM  1987  
  7. 7. A  FGS  segue  promovendo  e  desenvolvendo  o  esporte  surfe  há   quase  40  anos.   Atualmente  a  sua  principal  luta  é  zelar  pela  segurança  dos   pra9cantes  no  Mar  Gaúcho.  Através  da  Lei  Estadual  de   delimitação  das  áreas  de  surfe  e  pesca,  por  ela  criada,  buscamos   além  da  segurança,  introduzir  o  esporte  na  disciplina  de  Educação   Física,  em  todas  as  Ins9tuições  de  Ensino  do  Litoral.     FGS  -­‐  PROMOVENDO  E  DESENVOLVENDO     HÁ  QUASE  40  ANOS  O  ESPORTE  SURFE  NO  RGS   Esta  é  uma  maneira  de  destacar  o  esporte,   além  de  conscien9zar  jovens  sobre  a   preservação  á  própria  vida,  prevenindo   sobre  o  uso  das  drogas  e,  também,  sobre  a   preservação  do  meio  ambiente.  
  8. 8. MISSÃO  FGS   Desenvolver     A  CLASSE  DO    SURFE  GAÚCHO   Difundir  o  esporte  Surfe  no  Estado  através  de   fomento  e  espmulo  com  zelo  pela  segurança,   fiscalização,  comunicação,  organização  e   campanhas  de  aperfeiçoamento  de  técnicas  do   surfe  e  julgamento,  orientadas  para  o  melhor   proveito  e  visibilidade  do  esporte  no  Estado  do   RGS,  no  Brasil  e  no  mundo.   O  comprome9mento  social  com  a   inovação,  requer  trabalho  árduo  e   insistente  associado  ao  9no  cria9vo.   Inovar  significa  introduzir  novidades,  na   busca  de  diferenciais.   Organizar  por  meio  de  uma   gestão  profissional  o  esporte  nos   âmbitos  compe99vo  amador,   profissional,  lazer  e  es9lo  de  vida;  
  9. 9. VISÃO  FGS   Buscamos  representar  com  êxito  a  Sociedade  de  Surfistas  Gaúchos     gerando  respeito  pela  classe  nacional  e  internacional  do  esporte.   Alcançar  o  reconhecimento  como   Federação  Modelo  Nacional     sobre  aspéctos  de  gestão  e   desenvolvimento  do  esporte  Surfe.  
  10. 10. VALORES  FGS   Valorizamos  sobre  premissa  básica  o   profissionalismo  com  seriedade  e   responsabilidade  de  gestão  da  en9dade   zelando  por  vidas,  através  da  criação  de   alterna9vas  e  soluções  de  segurança  no  esporte,   sempre  respeitando  as  leis  da  natureza  e  a   preservação  do  meio  ambiente.   Valorizamos  os  fatores  de  desenvolvimento   do  esporte,  provocando  transformações   mentais  e  sociais,  a  fim  de  humanizar,   socializar  e  despertar  valores   morais  em  seus  pra9cantes,  num   processo  de  "Educar  para  a  vida";   Valorizamos  o  empenho  diário  sobre   as  a9vidades  despor9vas  com  relação   ao  comportamento  e  a  aceitação  social  dos   indivíduos  levando  em  consideração  aspéctos   relacionados  ao  Es9lo  de  Vida  dos  pra9cantes      e   simpa9zandes  do  esporte.  
  11. 11. PILARES  FGS   VIDA   MEIO   AMBIENTE   SAÚDE  ESPORTE   INOVAÇÃO   PAIXÃO  
  12. 12. MOSAICO  FGS  
  13. 13. OBJETIVOS   ESPECÍFICOS   Organizar  a  ins9tuição   Sustentabilidade  Econômica   Excelência  em  Gestão   GERAIS   Representação   Paixão  pelo  Surfe  Gaúcho   Fomentar  a  estrutura  no  esporte    
  14. 14. DEFINIÇÃO  DO   NEGÓCIO   A  FGSurf,  como  qualquer  organização  em  prol  de   obje9vos  e  resultados  posi9vos  deve  ser  vista  e   encarada  como  um  negócio  sustentável,  sobre   economia  financeira,  social  e  ambiental.       Buscar  a  associação  do  esporte,  por  organizações   que  visam  lucro  ou  interesses  específicos,  como   forma  de  patrocínios  e  apoios,  para  fomentar  o   esporte  e  gerar  sensibilidade,  associação  de   marca  e    de  consumo  ao  esporte;   A  ins9tuição  pretende  realizar  de  forma   organizada  e  efe9va  compe9ções  do  esporte,   eventos  e  feiras,  workShop,  buscar   inves9mentos  no  esporte,  pela  inicia9va   privada  ou  pública,  visando  retorno  de   imagem  e  de  mercado,  como  consequência   dos  trabalhos  de  comunicação;     Produto  é  tudo  aquilo   capaz  de  sa9sfazer  um   desejo  ou  uma   necessidade  
  15. 15. Estreitar  relações  da  ins9tuição  através  de  estratégias  de  gestão  em     planejamento  de  marke9ng,  unindo  a  inicia9va  privada  e  ou  pública.     DEFINIÇÃO  DO   NEGÓCIO   Gerar  a  u9lização  e  o  fomento    dos  acontecimentos   espor9vos,  afim  de  permi9r  a  visibilidade  dos  apoiadores;   Gerar  também  uma  maior  par9cipação  na  mente  dos   pra9cantes  e  simpa9zantes  do  esporte  surfe  no  Estado,  e   consequentemente  uma  maior  par9cipação  no  mercado.  
  16. 16. DEFINIÇÃO  DOS     PRODUTOS   Assessoria  Espor9va   Gestão  de  Campeonatos   Programas  de  Incen9vo   Gestão  de  Eventos   Gestão  de  Relacionamento    
  17. 17. DIVISÃO     POR  ÁREAS   DEMOCRÁTICO   CONSULTIVO     POLÍTICO   ADMINISTRATIVO   JURÍDICO   FINANCEIRO  E   FISCAL   MARKETING   COMUNICAÇÃO   PROJETOS  E   EVENTOS   SEGURANÇA   LEGAL  /  MÉDICA   E  MEIO   AMBIENTE   COMPETIÇÕES   AMADOR   PROFISSIONAL                             E  ATLETAS  
  18. 18. DEFINIÇÃO  DE  METAS   A  CURTO  PRAZO   •  Melhor  formação  de  dirigentes  espor9vos;     •  Melhor  formação  de  técnicos  e  treinadores;   •  Acesso  aos  conhecimentos  imprescindíveis   (administração  e  marke9ng),  para  todos  os   envolvidos  com  a  organização  dos  esportes;     •  Integração  do  esporte  com  a  comunicação  social   (propaganda,  relações  públicas  e  jornalismo);     •  Aperfeiçoamento  técnico  dos  pra9cantes,  através   de  intercâmbios;     •  Criação  de  mais  espaços  {sicos  para  a  prá9ca   espor9va;     •  Criação  e  perpetuação  de  Ídolos  espor9vos;     •  Criação  e  aproveitamento  dos  equipamentos  para   a  prá9ca  espor9va;     •  Organização  das  compe9ções;  
  19. 19. PLANO  DE     MARKETING   PESQUISAS  DE  MERCADO   DO  SURFE     Desenvolver  o  esporte,  através  da  aplicação  dos  conhecimentos   de  administração  e  marke9ng,  nas  3  manifestações  espor9vas     FORMAÇÃO,  PARTICIPAÇÃO  E  PERFORMANCE;  proporcionando   sa9sfação  dos  pra9cantes.   Patrocínio  em  eventos  FGS   Apoio  em  eventos  FGS   Patrocínio  de  equipes   Patrocínio  de  atletas   Busca  de  espaços  nas  mídias  que  transmitem     eventos  espor9vos     Busca  de  espaços  {sicos  de  exibição,  no  local  do  evento   Inves9mento  em  mídias  alterna9vas   Licenciamentos  FGS     Promoção  de  venda   ESTUDO   ASSESSORIA   FOMENTO  
  20. 20. PROGRAMAS  FGS   U9lização  de  novos  recursos  tecnológicos  para  popularizar  e  democraEzar   as  práticas  esporEvas,  bem  como  aumentar  seus  adeptos;     Pesquisas  nos  3  níveis  (formação,  par9cipação  e  performance)  para  se   conhecer  melhor  as  diferentes  realidades;     -­‐Planejamento  e  pensamento   estratégico,  e  administração  estratégica;   -­‐Fixação  de  etapas  para  o   desenvolvimento   -­‐Integração  do  sistema  de  comunicação   para  popularizar  o  esporte   com  os  grupos  sociais;    
  21. 21. PROGRAMAS  FGS         A  DESENVOLVER   MANTENEDORES   EVENTOS   ESPORTIVOS   ASSOCIADOS   PRATICANTES   EVENTOS  SOCIAIS   DE  SURFE   ASSESSORIA   ESPORTIVA   ASSOCIADOS   ATLETAS   COMITÊ  DO     MEIO  AMBIENTE   COMITÊ  DE   SEGURANÇA   FGS  E   ASSOCIAÇÕES  
  22. 22. A  FGS  Adota  o  conceito  administra9vo  com  base  nas  lideranças  de  Hierarquia  horizontal.       Este  novo  método  de  administração  visa  minimizar  a  distância  entre  a  tomada  de  decisão  e  a  área   operacional.       A  administração  horizontal  faz  com  que  os  responsáveis,  autoridades  ou  líderes  estejam  sempre   em  contato  com  os  liderados.  Desta  forma  é  mais  fácil  ver  como  as  coisas  funcionam  ou  não,  se  o   sistema  sa9sfaz  aos  colaboradores  e  clientes.     Desta  maneira  adotamos  a  divisão  em  núcleos  de  gestão  para  facilitar  e  compar9lhar   responsabilidades  de  modo  que  gere  uma  maior  agilidade,  tomada  de  decisão,  responsabilidade   compar9lhada,    delegação  de  poder  e  democracia  moderada.   ADMINISTRAÇÃO   HORIZONTAL  FGS  
  23. 23. ASSEMBLÉIA  GERAL   ASSOCIAÇÕES  E   MANTENEDORES   PRESIDENTE   VICE  PRESIDENTE   DIRETOR  EXECUTIVO   PROFISSIONAL  AMADOR   EVENTOS   FINANCEIRO  FISCAL   MÉDICO  LEGAL   JURÍDICO   DEP  ATLETAS   NÚCLEO  ADMINISTRATIVO   NÚCLEO  DE  MARKETING   COMUNICAÇÃO   PROJETOS   NÚCLEO    DE  SEGURANÇA   NÚCLEO  DE  COMPETIÇÕES   MEIO  AMBIENTE   NÚCLEO  DE  DEMOCRACIA     E  DE  CONSELHO   NÚCLEO  DE  GESTÃO   ESTRATÉGICA     E  DE  REPRESENTAÇÃO   NÚCLEOS     TÁTICOS   E     OPERACIONAIS  
  24. 24. PLANOS  DE  AÇÃO   1.  CRIAÇÃO  E  EXCECUÇÃO  DO  PLANO  ESTRATÉGICO   2.  DEFINIÇÃO  DE  EQUIPE  GESTORA   3.  ESCOLHA  DOS  MANTENEDORES   4.  DEFINIÇÃO  DE  CALENDÁRIO  DE  EVENTOS   5.  DEFINIÇÃO  DE  NOVA  IDENTIDADE  FGS   6.  AGENDA  POLÍTICA   7.  APRESENTAÇÃO  ÀS  ASSOCIAÇÕES   8.  DESENVOLVIMENTO  DOS  PROJETOS  FGS  
  25. 25. CIRCUITOS  FGS   Profissional   Amador   Feminino   Universitário   Colegial   Eco  Surf   Brasileiro  Mirim   Mundial  Mirim   <  DESENVOLVER  >  
  26. 26. CAMPANHAS  DE  RESGATE     AO  VALOR    DO  SURFE  GAÚCHO   ENQUETES   PROMOÇÕES   CONCURSOS     CULTURAIS   POST’S   COISAS  QUE  O  SURFE   GAÚCHO  FALA   NA  FAN  PAGE  FGS   DIARIAMENTE  TEREMOS  AS   SEGUINTES  CAMPANHAS    
  27. 27. CONSIDERAÇÕES     FINAIS   Considerando  que  o  presente  projeto  visa   aprimorar  a  gestão  da  FGS  em  sua  atual  situação,   iden9ficamos  a  total  necessidade  de  se  inves9r   tempo  e  um  conjunto  de  esforços  de   colaboradores  em  carácter  voluntário  para  que   se  faça  valer  a  história  de  conquistas  destes   quase  35  anos  da  FGS.   Bem-­‐estar,  Desafio,  Superação  e  Saúde"  !!!   Virgilio  Panzini  de  Matos   "SURFAMOS  PORQUE  TEMOS  UM   ESTILO  DE  VIDA  QUE  ENVOLVE    OS  SEGUINTES  VALORES  DESTE   ESPORTE:  
  28. 28. A  ZERO4  EDITORA  DESENVOLVE  PROJETOS,  APRESENTAÇÕES    E   PLANEJAMENTOS  COM  BASE  NOS  CONHECIMENTOS  EM   MARKETING  E  ADMINISTRAÇÃO  DE  EMPRESAS   A  PIER  NETWORK  FOR  IDEAS  É  UMA  AGÊNCIA  DE  RELACIONAMENTO  E   EXECUTA  PROJETOS  MERCADOLÓGICOS  COM  BASE  EM  EVENTOS,     AÇÕES  PROMOCIONAIS  E  MÍDIAS  DIRECIONADAS  CRIANDO  IDEIAS  PARA   GERAR  E  MANTER  RELACIONAMENTOS.   EXECUÇÃO  DO  PROJETO     ZERO4  EDITORA  /  AGÊNCIA  PIER  –  END.  AV  WENCESLAU  ESCOBAR  –  TRIZTEZA  –  PORTO  ALEGRE  –  FONE  51.35577727  –  E-­‐MAIL  zero4editora@gmail.com  -­‐  www.facebook.com/zero4editora         “Desenvolver  apresentações  com  base  no  encantamento,  na  teoria  e   na  ciência.  Gerar  emoção,  atenção  e  o  angajamento  da  audiência  é  a   nossa  missão  para  realizar  grandes  projetos”!    

×