HistóriaA origem do Halloween remonta às tradições dos povos que habitaram a Gália e as ilhas da Grã-Bretanha entre os ano...
Se analisarmos o modo como o Halloween é celebrado hoje, veremos que pouco tem a ver com as suasorigens: só restou uma alu...
Trabalho elaborado por:João Baptista      Nº8Pedro Dias         Nº15                          CEF
Cef nº8 nº15_halloween
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Cef nº8 nº15_halloween

195 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
195
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
21
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cef nº8 nº15_halloween

  1. 1. HistóriaA origem do Halloween remonta às tradições dos povos que habitaram a Gália e as ilhas da Grã-Bretanha entre os anos 600 a.C. e 800 d.C., embora com marcadas diferenças em relação às atuaisabóboras ou da famosa frase “Doçura ou travessuras", exportada pelos Estados Unidos, quepopularizaram a comemoração. Originalmente, o Halloween não tinha relação com bruxas. Eraum festival do calendário celta da Irlanda, celebrado entre 30 de outubro e 2 de novembro emarcava o fim do verão. A celebração do Halloween tem duas origens que no transcurso da Históriaforam se misturando:Origem CatólicaDesde o século IV a Igreja da Síria consagrava um dia para festejar "Todos os Mártires". Três séculosmais tarde o Papa Bonifácio IV († 615) transformou um templo romano dedicado a todos os deuses(Panteão) num templo cristão e o dedicou a "Todos os Santos", a todos os que nos precederam na fé.A festa em honra de Todos os Santos, inicialmente era celebrada no dia 13 de maio, mas o PapaGregório III († 741) mudou a data para 1º de novembro, que era o dia da dedicação da capela deTodos os Santos na Basílica de São Pedro, em Roma. Mais tarde, no ano de 840, o Papa GregórioIV ordenou que a festa de Todos os Santos fosse celebrada universalmente. Como festa grande, estatambém ganhou a sua celebração vespertina ou vigília, que prepara a festa no dia anterior (31 deoutubro). Na tradução para o inglês, essa vigília era chamada All Hallow’s Eve (Vigília de Todos osSantos), passando depois pelas formas All Hallowed Eve e "All Hallow Een" até chegar à palavraatual "Halloween".
  2. 2. Se analisarmos o modo como o Halloween é celebrado hoje, veremos que pouco tem a ver com as suasorigens: só restou uma alusão aos mortos, mas com um carácter completamente distinto do que tinhaao princípio. Além disso foi sendo pouco a pouco incorporada toda uma série de elementos estranhostanto à festa de Finados como à de Todos os Santos.Entre os elementos acrescidos, temos por exemplo o costume dos "disfarces", muito possivelmentenascido na França entre os séculos XIV e XV. Nessa época a Europa foi flagelada pela Peste Negra e apeste bubónica dizimou perto da metade da população do Continente, criando entre os católicos umgrande temor e preocupação com a morte. Multiplicaram se as Missas na festa dos Fiéis Defuntos enasceram muitas representações artísticas que recordavam às pessoas a sua própriamortalidade, algumas dessas representações eram conhecidas como danças da morte ou dançasmacabras.Em pouco tempo a data converteu se numa grande festa na Inglaterra: muitos protestantes acelebravam usando máscaras e visitando as casas dos católicos para exigir deles cerveja e pastéis.Mais tarde, a comemoração do dia de Guy Fawkes chegou à América trazida pelos primeiroscolonos, que a transferiram para o dia 31 de outubro, unindo a com a festa do Halloween, que haviasido introduzida no país pelos imigrantes irlandeses. Vemos, portanto, que a atual festa do Halloweené produto de muitas tradições, trazidas pelos colonos no século XVIII para os Estados Unidos e aliintegradas de modo peculiar na sua cultura. Muitas delas já foram esquecidas na Europa, ondehoje, por colonização cultural dos Estados Unidos, aparece o Halloween enquanto desaparecem astradições locais.
  3. 3. Trabalho elaborado por:João Baptista Nº8Pedro Dias Nº15 CEF

×