A intolerancia na sociadade actual

36.616 visualizações

Publicada em

...

0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
36.616
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
339
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A intolerancia na sociadade actual

  1. 1. 9ºGA Intolerancia na Sociedade Actual Joana Soares Faria Nº16 9ºG
  2. 2. ÍndiceIntrodução 3Intolerância 4Preconceito 5Discriminação 6Racismo 6Sexismo 7Homofobia 8Homofascismo 9Heterosexismo 9Discriminação etária 9Intolerância religiosa 10Intolerância cultural 10Preconceito sexual 11Preconceito social 12Machismo 13Misoginia 14Bullying 15Indiferença 16Conclusão 17Bibliografia 18 2
  3. 3. IntroducaoNo mundo em que actualmentevivemos existe uma sociedade de intolerância no quediz respeito às nossas divergências a vários níveis como por exemplo: Social Religioso Cultural …Por muito incrível que pareça a intolerância hoje em dia atinge todos os aspectosda vida ate aspectos como o aspecto físico ou simplesmente o modo de pensar.O que nos torna diferentes uns dos outros começa-se a tornar uma arma no que dizrespeito á intolerância, que aos poucos e poucos faz-nos ficar todos idênticos paratentar que a intolerância não nos atinja. Neste trabalho o que é pretendido eanalisar ate que ponto a intolerância interfere na nossa vida podendo assimtornarmo-nos pessoas tolerantes e compreensivas com a capacidade decompreender outros pontos de vista senão os nossos, tornando-nos pessoasmelhores. Deste trabalho falo de intolerância em geral e a vários níveis emespecifico bem como algumas das suas vertentes. 3
  4. 4. IntoleranciaIntolerância é uma atitude mental caracterizada pela falta de habilidade ouvontade em reconhecer e respeitar diferenças em crenças e opiniões. Num sentidopolítico e social, intolerância é a ausência de disposição para aceitar pessoas compontos de vista diferentes. Como um constructo social, isto está aberto ainterpretação. Por exemplo, alguém pode definir intolerância como uma atitudeexpressa, negativa ou hostil, em relação às opiniões de outrem, mesmo quenenhuma acção seja tomada para suprimir tais opiniões divergentes ou calaraqueles que as têm. Tolerância, por contraste, pode significar "discordarpacificamente". A emoção é um factor primário que diferencia intolerância dediscordância respeitosa. A intolerância está baseada no preconceito e pode levar àdiscriminação. Formas comuns de intolerância incluem acções discriminatórias decontrole social, como racismo, sexismo, homofobia, homofascismo, heterossexismo,etaísmo (discriminação por idade), intolerância religiosa e intolerância política.Todavia, não se limita a estas formas: alguém pode ser intolerante a quaisquerideias de qualquer pessoa. Em sua forma quotidiana, a intolerância é uma atitudeexpressa através de argumentação raivosa, menosprezando as pessoas por causade seus pontos de vista ou características físicas e/ou culturais, retratando algonegativamente devido aos próprios preconceitos etc. Num nível mais extremo, podelevar à violência; em sua forma mais severa, ao genocídio. 4
  5. 5. PreconceitoPreconceito é um juízo preconcebido, manifestado geralmente na forma de umaatitude discriminatória perante pessoas, lugares ou tradições consideradosdiferentes ou "estranhos". Costuma indicar desconhecimento pejorativo de alguémao que lhe é diferente. As formas mais comuns de preconceito são: social, racial esexual. De modo geral, o ponto de partida do preconceito é uma generalizaçãosuperficial, chamada estereótipo, exemplo: "todos os alemães são prepotentes","todos os americanos são arrogantes", "todos os ingleses são frios", "todos osbaianos são preguiçosos", "todos os paulistas são metidos", etc. Observa-se entãoque, pela superficialidade ou pela estereotipia, o preconceito é um erro.Entretanto, trata-se de um erro que faz parte do domínio da crença, não doconhecimento, ou seja ele tem uma base irracional e por isso escapa a qualquerquestionamento fundamentado num argumento ou raciocínio. Agora podemosperceber porque há tanta dificuldade de combatê-lo. Ou, nas palavras do filósofoitaliano, "precisamente por não ser corrigível pelo raciocínio ou por ser menosfacilmente corrigível, o preconceito é um erro mais tenaz e socialmente perigoso". 5
  6. 6. DiscriminaçãoDiscriminar significa "fazer uma distinção". Existem diversos significados para apalavra, incluindo a discriminação estatística ou a actividade de um circuitochamado discriminador. O significado mais comum, no entanto, tem a ver com adiscriminação sociológica: a discriminação social, racial, religiosa, sexual, étnica ouespecista. RacismoO racismo é a tendência do pensamento, ou do modo de pensar em que se dá grandeimportância à noção da existência de raças humanas distintas e superiores umas àsoutras. Onde existe a convicção de que alguns indivíduos e sua relação entrecaracterísticas físicas hereditárias, e determinados traços de caráter einteligência ou manifestações culturais, são superiores a outros. O racismo não éuma teoria científica, mas um conjunto de opiniões pré concebidas onde a principalfunção é valorizar as diferenças biológicas entre os seres humanos, em que algunsacreditam ser superiores aos outros de acordo com sua matriz racial. A crença daexistência de raças superiores e inferiores foi utilizada muitas vezes parajustificar a escravidão, o domínio de determinados povos por outros, eosgenocídios que ocorreram durante toda a história da humanidade. 6
  7. 7. SexismoO sexismo é a discriminação ou tratamento indigno a um determinado género, ouainda a determinada identidade sexual, e orientação sexual. Existem diferentesformas de exercício do sexismo, o heterossexismo e o homossexismo.Para a Psicologia, o Sexismo é um ideário, construído social, cultural e político ondeum género, orientação sexual tenta se sobrepor ao outro.Existem duas assunções diferentes sobre as quais se assenta o sexismo: Um género é superior a outro. Uma orientação sexual é superior a outra.Mulher e homem são profundamente diferentes (mesmo além de diferençasbiológicas), e essas diferenças devem se reflectir em aspectos sociais como odireito e a linguagem. Em relação ao preconceito contra mulheres, diferencia-sedo machismo por ser mais consciente e pretensamente racionalizado, ao passo queo machismo é um muitas vezes um comportamento de imitação social. Nesse caso osexismo muitas vezes está ligado à misoginia (ódio às mulheres). 7
  8. 8. HomofobiaA homofobia, é um termo utilizado para identificar o ódio, aversão ou adiscriminação de uma pessoa contra homossexuais ou homossexualidade, ougenericamente de modo pejorativo, qualquer expressão de crítica ouquestionamento ao comportamento homossexual. Alguns estudiosos e indivíduoscomuns atribuem a origem da homofobia às mesmas motivações que fundamentam oracismo e qualquer outro preconceito. Nomeadamente, uma oposição instintiva atudo o que não corresponde à maioria com que o indivíduo se identifica e a normasimplícitas e estabelecidas por essa mesma maioria, nomeadamente a necessidadede reafirmação dos papéis tradicionais de género, considerando o indivíduohomossexual alguém que falha no desempenho do papel que lhe correspondesegundo o seu género.Algumas pessoas consideram que a homofobia é efetivamente uma forma dexenofobia na sua definição mais estrita: medo a tudo o que seja consideradoestranho. Esta generalização é criticada porque o medo irracional pelo diferentenão é, aparentemente, a única causa para a oposição à homossexualidade, já queesta atitude pode também provir de ensinamentos (religião, formas de governo,etc.), preconceito, informação ou ideologia (como em comunidades machistas), porexemplo. 8
  9. 9. HomofascismoHomofascismo ou gayzismo seria uma suposta discriminação invertida dehomossexuais contra heterossexuais.No entanto, a palavra oposta da homofobia é heterofobia e o termos homofascismoe gayzismo são também aplicados para identificar a atitude de pessoas queclassificam a homossexualidade como superiores em relação a outras orientaçõessexuais. Sobre este assunto ver também heterofascismo.Os termos são também utilizados em artigos académicos para descrever asligações, eventualmente com conotações políticas entre os regimes fascistas e ahomossexualidade. HeterossexismoHeterossexismo é um termo relativamente recente e que designa um pensamentosegundo o qual todas as pessoas são heterossexuais até prova em contrário.Um indivíduo ou grupo classificado por heterossexista não reconhece apossibilidade de existência da homossexualidade (ou mesmo da bissexualidade).Tais comportamentos são ignorados ou por se acreditar que são um "desvio" dealgum padrão, ou pelo receio de gerar polémicas ao abordar determinados assuntosem relação à sexualidade.Apesar de poder ser considerada como uma forma de preconceito, se diferencia dahomofobia por ter como característica o ato de ignorar manifestações sexuaisgeralmente minoritárias (as situações homofóbicas não só não ignoram comoapresentam aversão). DiscriminacaoetariaDiscriminação etária, generacional ou ainda etaísmo é um tipo de discriminaçãocontra pessoas ou grupos baseado na idade. Quando este preconceito é a motivaçãoprincipal por trás dos actos de discriminação contra aquela pessoa ou grupo, entãoestes actos se constituem em discriminação por idade.Embora etaísmo possa se referir ao preconceito contra qualquer grupo etário, adiscriminação por idade está geralmente associada a duas faixas etáriasespecíficas:Adolescentes: (etaísmo contra adolescentes é também chamado "adultismo"), aquem são atribuídos as características estereotipadas de imaturos, insubordinadose irresponsáveis;Terceira idade: que são rotulados de lentos, fracos, dependentes e senis. 9
  10. 10. Intolerância religiosaIntolerância religiosa é um termo que descreve a atitude mental caracterizadapela falta de habilidade ou vontade em reconhecer e respeitar as diferenças oucrenças religiosas de terceiros. Poderá ter origem nas próprias crenças religiosasde alguém ou ser motivada pela intolerância contra as crenças e práticas religiosasde outrem. A intolerância religiosa pode resultar em perseguição religiosa e ambastêm sido comuns através da história. A maioria dos grupos religiosos já passou portal situação numa época ou noutra.A perseguição religiosa, que constitui um caso extremo de intolerância, consiste nomaltrato persistente que um grupo dirige a outro grupo ou a um individuo devido àsua afiliação religiosa. Usualmente, a perseguição desta natureza floresce devido àausência de tolerância religiosa, liberdade de religião e pluralismo religioso.Perseguição, neste contexto, pode referir-se a prisões ilegais, espancamentos,torturas, execução injustificada, negação de benefícios e de direitos e liberdadescivis. Pode também implicar em confisco de bens e destruição de propriedades, ouincitamento ao ódio, entre outras coisas.A perseguição religiosa atingiu níveis nunca vistos antes na História durante oséculo XX, quando os nazis desenvolveram métodos industriais de extermínio emmassa e eliminaram milhões de judeus e outras etnias indesejadas pelo regime.Este massacre, usualmente conhecido por Holocausto, vitimou ainda muitosmilhares, não apenas devido à sua raça, mas especificamente em retaliação contraos seus ideais religiosos e à sua objecção de consciência, como aconteceu com asTestemunhas de Jeová e alguns sacerdotes católicos. Houve intensa perseguiçãocontra os pioneiros Mórmons que habitavam os estados americanos de Ohio,Missouri e Illinois, muitos chegaram a ser expulsos de suas casas. 10
  11. 11. Intolerância culturalDizemos que existe etnocentrismo quando um indivíduo sobrevaloriza a sua cultura,considerando inferior a cultura a que pertencem outros indivíduos.O racismo é uma tomada de posição depreciativa e, frequentemente violentarelativamente a uma coletividade. Embora as atitudes racistas tenham sempreexistido na humanidade, o fenómeno de preconceito sobre raças diferentesagudizou-se nos últimos séculos, especialmente com a política colonialista daspotências europeias.Uma das grandes riquezas da humanidade é a sua heterogeneidade. Os povosdevem mostrar uma compreensão recíproca pelos vários elementos culturaisexistentes nas diferentes sociedades.Quando numa sociedade existem certas ideias de "superioridade" da sua cultura, éfrequente surgirem atitudes de xenofobia e de racismo relativamente a certassubculturas ou etnias, nomeadamente relacionadas com as populações imigrantes.Algumas atitudes mais nacionalistas que se manifestam em frases como "Alemanhapara os alemães" ou "França para os franceses" pretendem dizer que osestrangeiros devem abandonar o território. A esta forma de repúdio (ódio) aosestrangeiros chama-se xenofobia. 11
  12. 12. Preconceito sexualO preconceito sexual é discriminar alguém pela sua orientação sexual.Homossexuais e bissexuais são agredidos por não serem "iguais" às regras dasociedade. Nesse caso, muitas pessoas escondem sua orientação sexual, por medode insultos e preconceitos de outra ordem. A sexualidade de uma pessoa não é uma"opção sexual", a maneira como ela irá desenvolver o seu desejo sexual depende devários fatores (ainda discutidos pela psicologia). A maioria das sociedadescontemporâneas são heterossexistas e imaginam que a heterossexualidade é aúnica manifestação do desejo sexual, interpretando as demais manifestações comodignas de sanção moral. Preconceito socialO preconceito social é uma forma de preconceito a determinadas classes sociaisque provém da divisão da sociedade em classe dominante (que detém o capital e osbens de capital) e a classe dominada (aquela que possui a força de trabalhoapenas). A discriminação consiste em acreditar que as classes mais pobres sãoinferiores às que possuem capital. 12
  13. 13. MachismoEm países católicos como a Espanha, Itália, Portugal e em toda a América Latina,Machismo ou chauvinismo masculino ainda é a crença de que os homens sãosuperiores às mulheres.A palavra "chauvinista" foi originalmente usada para descrever alguémfanaticamente leal ao seu país, mas a partir do movimento de libertação da mulher,nos anos 60, passou a ser usada para descrever os homens que mantém a crença nainferioridade da mulher, especialmente nos países de língua inglesa. No espaçolusófono, a expressão "chauvinista masculino" (ou, simplesmente, "chauvinista")também é utilizada, mas "machista" é muito mais comum.Os machistas são por vezes postos em oposição ao feminismo. No entanto, a crençaoposta ao machismo é a da superioridade feminina e, embora alguns masculistaspossam pensar que essa é a definição de feminismo, geralmente não se consideraesta ideia correcta. Alguns machistas tendem ainda a ofender-se pordesigualdades de género favoráveis às mulheres. 13
  14. 14. MisoginiaMisoginia é um movimento de aversão ao que é ligado ao feminino.Algumas teóricas feministas pensam que a sociedade patriarcal é construída nessemovimento de expurgar o que é feminino, e de expurgar as mulheres, torná-lasalheias, abjectas.A misoginia é por vezes confundida com o machismo, mas enquanto que a primeirase baseia no ódio, o segundo fundamenta-se numa crença na inferioridade damulher.Numa sociedade onde há diferenças sociais de género, ou seja, onde homensganham mais que mulheres para fazer trabalhos semelhantes, ou mulheres não sãoremuneradas por seus essenciais trabalhos domésticos. Como forma de se vingaremda situação em que estão, é normal que muitas dessas mulheres, por dependênciafinanceira, aguentem caladas essa situação, e de forma dissimulada, procurem emoutros homens o prazer sexual ou explorem financeiramente seus parceiros. 14
  15. 15. BullyingBullying é um termo inglês utilizado para descrever actos de violência física oupsicológica, intencionais e repetidos, praticados por um indivíduo (bully ou"valentão") ou grupo de indivíduos com o objectivo de intimidar ou agredir outroindivíduo (ou grupo de indivíduos) incapaz (es) de se defender.Também existem as vítimas/agressoras, ou autores/alvos, que em determinadosmomentos cometem agressões, porém também são vítimas de bullying pela turma. 15
  16. 16. IndiferençaO que é indiferença? Seria um desvio de comportamento, um costume, uma formade sobrevivência, um mecanismo de defesa, de resistência, ou consequência doegoísmo e do medo? O fato é que todos nós, uns mais outros menos, somosindiferentes, "passamos ao largo" de muitas coisas, realidades, fatos e pessoas, emalgumas situações, até de nós mesmos.A indiferença tem um poder devastador. Ela é a companheira doentia do dominadore opressor, também dos que preferem as desigualdades, a violência, o ódio e amorte. Os indiferentes, de uma forma ou de outra, ferem, rejeitam, excluem,matam. Está correta a conclusão: o contrário do amor não é o ódio, mas aindiferença 16
  17. 17. ConclusãoSomos uma sociedade constituída de diversos valores, diversas etnias, raças,religiões....ou seja, somos um mundo de pessoas diferentes, com opiniões distintas,culturas múltiplas. A tolerância nada mais é do que o simples respeito à alteridade,ou seja, o respeito àquilo que é diferente da sua opinião, do seu modo de ser.Num mundo onde ninguém é igual, a falta de respeito causaria um caos geral, ondeninguém e todo mundo ao mesmo tempo seria o dono da verdade.Além disso, a intolerância é a grande causadora de guerras, mal-entendidos, ódioegoísmo, preconceitos... O caos humano que vivemos hoje tem sua grandejustificativa na intolerância. Alguns acreditam que é através do respeito mútuo queo mundo finalmente alcançaria a paz. E é por isso que ela é importante para todosnós, pois a paz é um desejo em comum de todos os seres humanos. 17

×