Manuel antônio de almeida Slide

825 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
825
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
42
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Manuel antônio de almeida Slide

  1. 1. Manuel Antônio de Almeida
  2. 2. Manuel Antônio de Almeida nasceu no Rio de Janeiro em 17 de novembro de 1831 e morreu num naufrágio, perto de Macaé em 28 de novembro de 1861. Doutorou-se em Medicina no Rio de Janeiro, em 1855, embora não tivesse chegado a exercer a profissão. Foi funcionário público, nos cargos de administrador da Tipografia Nacional e de oficial do Ministério da Fazenda.
  3. 3. O único trabalho de sua autoria, que merece menção, é o romance Memórias de um Sargento de Milícias, que foi publicado primitivamente em folhetins. E mais tarde em livro, em dois volumes, que saíram nos anos de 1854 e 1855. Este trabalho, que foi o primeiro romance de costumes publicado no brasil, bastou para consolidar lhe a fama de romancista. Nele o autor patenteou sobejamente os seus recursos, tanto pela fidelidade com que desenhou os personagens, como pelo ritmo de naturalidade que imprimiu à narrativa.
  4. 4. Memórias de um Sargento de Milícias Leonardo é o protagonista desta história, o típico malandro carioca, concebido durante uma travessia marítima que conduz seus pais de Portugal ao Brasil. Desde criança ele revela seu mau gênio e antevê os desafios com os quais irá se deparar em sua existência. Rejeitado pelos pais, só lhe resta o amparo do padrinho, proprietário de uma barbearia. A forma ilícita como este profissional conquistou seu capital simboliza o famoso ‘jeitinho brasileiro’, já comum na vida social deste período.
  5. 5. O romance de Manuel Antônio de Almeida destoa do romantismo convencional. Isso dá um sabor especial ao livro, menos pelo fato em si, e mais por mostrar a precariedade de certas classificações excessivamente redutoras. A narrativa tem o poder de ampliar a concepção de literatura romântica, mostrando que os escritores da estética sabiam explorar tanto o sentimentalismo quanto o humor em suas obras.

×