Avaliação da aprendizagem escolar: Um ato Amoroso

263 visualizações

Publicada em

sobre pratica doscente e as avalições

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
263
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
20
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Avaliação da aprendizagem escolar: Um ato Amoroso

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAIBA CENTRO DE CIÊNCIAS APLICADAS E EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS LICENCIATURA DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO DISCIPLINA: Avaliação de Aprendizagem PROFESSOR: Joseval Miranda AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEMAVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM ESCOLAR:ESCOLAR: um ato amorosoum ato amorosoAlunos: Jailson Cunha Jefferson Guanabara José Sharlles
  2. 2. Tópicos abordados:Tópicos abordados: •Introdução •Provas/exames e avaliação da aprendizagem escolar •Avaliação da aprendizagem escolar como um ato amoroso •Uso escolar da avaliação da aprendizagem •Alguns cuidados necessários com a prática da avaliação da aprendizagem escolar •Conclusão
  3. 3. IntroduçãoIntrodução “ ... tenho ressaltado mais o aspecto negativo da avaliação da aprendizagem escolar.”
  4. 4. IntroduçãoIntrodução Nesta oportunidade, essencialmente, vamos abordar os aspectos positivos da avaliação da aprendizagem escolar; Luckesi, em seu texto, classifica como o ato de avaliar a aprendizagem, por si, é um ato amoroso.
  5. 5. Provas/exames e avaliação daProvas/exames e avaliação da aprendizagem escolaraprendizagem escolar  prática escolar tem pouco haver com avaliação;  mais provas e exames, menos avaliação;
  6. 6. Provas/exames e avaliação daProvas/exames e avaliação da aprendizagem escolaraprendizagem escolar • Provas/exames • Verifica o nível de desempenho em determinado conteúdo; • Classifica em termos de aprovação/reprovação; • É uma pratica seletiva.
  7. 7. Seletiva ????Seletiva ????
  8. 8. Processo de SeleçãoProcesso de Seleção
  9. 9. Provas/exames e avaliação daProvas/exames e avaliação da aprendizagem escolaraprendizagem escolar • Provas/exames • Comprometida com o modelo de prática educativa da sociedade burguesa; “A sociedade burguesa é uma sociedade marcada pela exclusão e marginalização de grande parte de seus membros.”
  10. 10. Provas/exames e avaliação daProvas/exames e avaliação da aprendizagem escolaraprendizagem escolar A denominação avaliação da aprendizagem é recente. Atribuída a Ralph Tyler, em 1930.  mudou-se a denominação, mas a prática continuou sendo a mesma, de provas e exames.
  11. 11. Provas/exames e avaliação daProvas/exames e avaliação da aprendizagem escolaraprendizagem escolar Libâneo, “... a avaliação da aprendizagem é o âmbito de ação pedagógica em que os professores são mais resistentes à mudança.”
  12. 12. Porquê essa pratica de provas ePorquê essa pratica de provas e exames é difícil deexames é difícil de ser mudada?ser mudada?
  13. 13. Avaliação da aprendizagem escolar comoAvaliação da aprendizagem escolar como um ato amorosoum ato amoroso O que é um ato amoroso? É um ato que acolhe atos, ações, alegrias e dores como eles são, ou seja, que acolhe a situação, na sua verdade (como ela é).
  14. 14. Avaliação da aprendizagem escolar comoAvaliação da aprendizagem escolar como um ato amorosoum ato amoroso • Principal característica do ato amoroso. Não julgar: • O acolhimento integra e o julgamento afasta o professor do alunos. • O ato amoroso é acolhedor, integrativo e inclusivo.
  15. 15. Avaliação da aprendizagem escolar comoAvaliação da aprendizagem escolar como um ato amorosoum ato amoroso A avaliação da aprendizagem é um ato amoroso, no sentido de acolher uma situação, para, então, apreciar a qualidade, tendo em vista dar-lhe suporte de mudança, se necessário. Na avaliação da aprendizagem como um ato amoroso a avaliação tem por objetivo diagnosticar e incluir o aluno, pelos mais variados meios, no curso da aprendizagem satisfatória, que integre todas as suas experiências de vida.
  16. 16. Avaliação da aprendizagem escolar comoAvaliação da aprendizagem escolar como um ato amorosoum ato amoroso Ao avaliar um aluno com dificuldade é criar uma base de modo a inclui-lo dentro do círculo da aprendizagem; o diagnostico permite a decisão de direcionar ou redirecionar aquilo ou aquele que esta precisando de ajuda.
  17. 17. Uso escolar da avaliação da aprendizagemUso escolar da avaliação da aprendizagem Possui dois objetivo:  Auxiliar o educando no seu desenvolvimento pessoal;  Responder à sociedade pela qualidade do trabalho realizado.
  18. 18. Ela auxilia o educador e o educando no seu crescimento. Ambos, aliados, constroem a aprendizagem. Neste contexto, ela se torna um ato amoroso, na medida em que inclui o educando.
  19. 19. Cuidados necessários com a prática daCuidados necessários com a prática da avaliação da aprendizagem escolaravaliação da aprendizagem escolar Função de propiciar a auto compreensão, tanto do educando como do educador.  Motivar o crescimento.  Aprofundamento da aprendizagem.  Auxiliar a aprendizagem.
  20. 20. Cuidados para que as funções da prática daCuidados para que as funções da prática da avaliação sejam cumpridasavaliação sejam cumpridas • Utilizar instrumentos para que o educando manifeste a sua intimidade; • Articular o instrumento com os conteúdos planejados, ensinados e aprendidos; • Coletar uma amostra dos conteúdos ensinados e aprendidos; • Compatibilizar as habilidades do instrumento de avaliação com as habilidades trabalhadas e desenvolvidas;
  21. 21. Compatibilizar os níveis de dificuldades do que está sendo avaliado com os níveis de dificuldade do que foi ensinado e aprendido; Usar uma linguagem clara e compreensível; Construir instrumentos que auxiliem a aprendizagem dos educandos. Cuidados para que as funções da prática daCuidados para que as funções da prática da avaliação sejam cumpridasavaliação sejam cumpridas
  22. 22. Cuidados no processo de avaliação da aprendizagem referente a correções dos instrumentos Correção; Devolução dos resultados.
  23. 23. ConclusãoConclusão “O ato de avaliar, por sua constituição mesma, não se destina a um julgamento “definitivo” sobre alguma coisa, pessoa ou situação, pois que não é um ato seletivo. A avaliação se destina ao diagnóstico e, por isso mesmo, à inclusão; destina-se a melhoria do ciclo de vida.”
  24. 24. Dúvidas?Dúvidas?
  25. 25. ReferênciaReferência LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação da aprendizagem escolar: um ato amoroso. In: LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação da aprendizagem escolar: estudo e proposições. 22. Ed. São Paulo: Cortez, 2011, p. 201-213.

×