Realidades e Alcances da Mente Humana

464 visualizações

Publicada em

Exposição online na Sala da UAB, realizada por Jaime Diaz Page. Ensinametnos do Livro de Urântia.

Publicada em: Espiritual
1 comentário
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Uau! Que maravilha se deparar com a presença do Lu em um site como esse! Muito obrigado irmão!
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
464
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
1
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Realidades e Alcances da Mente Humana

  1. 1. Muito amados irmãos e irmãs, leitores e estudantes do Livro de Urântia, saudações afetuosas. Nesta ocasião vamos compartilhar com vocês algumas realidades relativas à nossa mente humana, que os Reveladores celestes e Cristo Miguel referiram no decorrer dos capítulos, ou documentos, dessa revelação da Verdade, com o desejo de que a luz dessas realidades ilumine a nossa consciência para nos aproximar mais intimamente ao Pai divino, e de que fique no nosso coração, cooperando de melhor modo com a presença espiritual do Pai Universal que é o nosso muito amado Ajustador do Pensamento que reside em nós, e que com muita paciência e amor sempre aguarda por nós.
  2. 2. PREÂMBULO Em primeiro lugar, gostaria que tenhamos em mente as seguintes sete declarações: 1- Diz um Conselheiro Divino de Uversa: “O homem está espiritualmente residido por um Ajustador do Pensamento para a sua sobrevivência. Se tal mente humana estiver sincera e espiritualmente motivada, se tal alma humana desejar conhecer a Deus e tornar-se semelhante a Ele, se quiser honestamente fazer a vontade do Pai, não existe influência negativa alguma, de privação mortal, nem poder positivo de possível interferência que possa impedir que essa alma divinamente motivada ascenda com segurança até os portais do Paraíso.” 63.5
  3. 3. 2- Continua o Conselheiro Divino de Uversa: “O Pai deseja que todas as suas criaturas estejam em comunhão pessoal com Ele... Deus é acessível, o Pai é alcançável, o caminho está aberto; as forças do amor divino e os modos e os meios da administração divina estão todos integrados em um esforço para facilitar o avanço de cada inteligência merecedora, de todos os universos, até a presença do Pai Universal no Paraíso.” 63.6
  4. 4. 3- Diz Cristo Miguel-Jesus: “Toda alma que entrar no caminho eterno, pelos meios que eu criei e ordenei, será salva e será capaz de continuar até alcançar os pastos eternos do Paraíso.” 1819:3
  5. 5. 4- A seguinte afirmação faz parte das declarações que Jesus e Ganid selecionaram da literatura budista, influída pelos ensinamentos dos missionários Melquisedeque: “Aqueles que estão certos da salvação estão para sempre livres da luxúria, da inveja, do ódio e das ilusões da riqueza. Embora a fé seja a energia da vida melhor, contudo, deveis elaborar a vossa própria salvação, com perseverança. Se quiserdes estar certos da vossa salvação final, então, certificai-vos de que buscais sinceramente cumprir toda a retidão.” 1447:1
  6. 6. 5- Diz um Mensageiro Poderoso: “Em um mundo material vós pensais em um corpo como tendo um espírito, mas nós consideramos o espírito como tendo um corpo. Os olhos materiais são verdadeiramente as janelas da alma nascida do espírito. O espírito é o arquiteto, a mente é o construtor, o corpo é o edifício material.” 483:12
  7. 7. 6- Diz Cristo Miguel-Jesus: A vontade é aquela manifestação da mente humana que capacita o homem a expressar-se objetivamente e a experimentar o fenômeno de aspirar a ser semelhante a Deus”. E é nesse mesmo sentido que todo ser humano reflexivo e espiritualmente inclinado pode tornar-se criativo. 1431:5
  8. 8. 7- Diz um Filho Vorondadeque estacionado em Urântia como observador: “A adoração é a insígnia da candidatura à ascensão espiritual.” 402.8
  9. 9. Agora continuaremos com as realidades da nossa mente humana: As nossas mentes originam-se na Mente Cósmica. Os Sete Espíritos Mestres são o poder físico personalizado da Mente Cósmica, eles são o potencial intelectual do grande universo. A nossa mente é um circuito individualizado, uma porção da mente cósmica, outorgado por nossa Ministra Divina do universo local de Nébadon, por meio da ação e presença dos sete Espíritos Ajudantes da Mente. As nossas mentes são de origem divina e têm um destino divino, mas as nossas mentes humanas ainda não alcançaram a dignidade divina. Devemos trabalhar para obtê-la. 103:2,4; 670:1; 189:2; 191:4.
  10. 10. Os Sete Espíritos Mestres dominam as reações básicas das mentes das criaturas, porque eles são a fonte dos potenciais intelectuais e espirituais. 191.5
  11. 11. A mente é o mecanismo do nosso organismo humano que nos permite pensar, perceber e sentir. A nossa mente, associada à vida emocional, pode alcançar, para cima e para dentro, o nível do espírito, por meio da adoração a Deus e da sabedoria. 8.8
  12. 12. A mente cósmica outorgou às nossas mentes uma ‘qualidade’, uma dotação cósmica universal denominada de “sensibilidade de resposta à realidade” e essa sensibilidade da mente cósmica à realidade responde a certos níveis da realidade universal. 191.7
  13. 13. A mente cósmica infalivelmente responde em três níveis da realidade universal, porque reconhece a resposta. Essas respostas são evidentes para as mentes que raciocinam de forma clara e que pensam de modo profundo. Esses níveis da realidade universal são:
  14. 14. 1. A Causação – o âmbito da realidade dos sentidos físicos, o âmbito científico, o discernimento matemático. 2. O Dever – o âmbito da realidade da moral, a arena da razão. 3. A Adoração – o âmbito da realidade espiritual da experiência religiosa, o reconhecimento dos valores espirituais, a certeza da sobrevivência. 192.1, 2, 3, 4
  15. 15. Essas três respostas, intuições ou discernimentos científicos, morais e espirituais, são inatas ou próprias da mente cósmica. A experiência de viver desenvolve essas três intuições ou respostas cósmicas, que constituem a “autoconsciência do pensamento reflexivo”. Mas poucas pessoas em Urântia se deleitam em cultivar essas qualidades do pensamento cósmico corajoso e independente. 192.5
  16. 16. Nas outorgas de mente nos universos locais, essas três respostas ou discernimentos da mente cósmica constituem as suposições a priori que possibilitam a nós funcionar como personalidades racionais e autoconscientes nos âmbitos da ciência, da filosofia e da religião. Dito de outro modo, a nossa mente humana reconhece a realidade dessas três manifestações da realidade universal por meio de uma técnica cósmica de autorrevelação. Assim, a energia e a matéria se reconhecem pela lógica matemática dos sentidos. 1139.4
  17. 17. A ciência torna-se o âmbito de pensamento das matemáticas, da energia e da matéria, no tempo e no espaço; a razão da mente intuitivamente sabe o seu dever moral; a fé no espírito, a adoração, é a religião da realidade da experiência espiritual, a adoração à divindade: esse é o discernimento mais elevado que a nossa mente humana pode alcançar. 192.6, 1139:4
  18. 18. Essas três respostas ou intuições do pensamento reflexivo podem ser unificados e coordenados no desenvolvimento da nossa personalidade humana, ou podem tornar-se desproporcionais e desconexas entre si. Todavia, quando se tornam unificadas, elas produzem um caráter forte, que consiste na correlação de uma ciência baseada em fatos, uma filosofia moral e uma experiência religiosa genuína com a divindade.
  19. 19. Essas intuições ou discernimentos cósmicos conferem validade e realidade à nossa experiência humana nas coisas, nos significados e nos valores, e com eles. O propósito desses ensinamentos é desenvolvermos e aguçarmos essas dotações inatas que possui a nossa mente humana. 192:1,2,3,4,5,6; 192:7.
  20. 20. À medida que a nossa mente se torna mais espiritual, e se assemelha cada vez mais a Deus, ela responde menos à gravidade material, é menos sensível à atração do mundo material. 140.1
  21. 21. A mente inicia a sua carreira de ascensão ao Paraíso como um mecanismo material e é admitida no corpo de finalitores como uma existência espiritual quase perfeita, cada vez menos sujeita à gravidade material e cada vez mais sensível à atração, em direção ao interior, da gravidade espiritual do Filho Eterno. 84.2
  22. 22. Por meio da técnica da mente, as realidades espirituais tornam-se experienciais para nossa personalidade humana, quer dizer, podemos experienciar as realidades do espírito e tudo aquilo que o espírito do Pai deseja que sintamos e conheçamos para o crescimento espiritual da nossa alma. 140.4
  23. 23. Todos os seres humanos possuímos um núcleo espiritual divino. A nossa mente é um sistema de energia pessoal que existe em torno de um núcleo espiritual divino e que funciona em um ambiente material. Essa relação viva entre a nossa mente pessoal e o espírito constitui o potencial universal para que a nossa personalidade viva eternamente. Os problemas sérios, os desapontamentos duradouros, as derrotas graves, ou a morte inescapável, advêm quando os nossos conceitos pessoais ousam deslocar totalmente o poder dominante do nosso núcleo espiritual central, interrompendo para sempre o plano cósmico para a identidade da nossa personalidade. 142.1
  24. 24. A nossa mente é o tear cósmico que porta as estruturas moronciais sobre as quais o nosso Ajustador tece os modelos espirituais de um caráter universal de valores perduráveis e significados divinos, isto é a alma sobrevivente, cujo destino é o Paraíso, um finalitor potencial com uma carreira infindável. O enlace da nossa mente com o espírito produz um valor universal novo, de duração potencialmente eterna; esse valor novo é a alma. O alcance do Paraíso depende das decisões espirituais certas que a nossa personalidade humana tome durante a vida. Convém relembrar que não existe a reencarnação, só se vive uma vez em Urântia. 1217.6, 1218.1
  25. 25. A nossa mente humana é a mais baixa de todas, no universo. A nossa mente em evolução não é, em si e por si mesma, conhecedora de Deus; a mente é buscadora de Deus. 482.7 A capacidade da mente humana para conceber, projetar e criar mecanismos automáticos demonstra as suas qualidades superiores, criativas e propositadas. A mente é sempre criativa e sempre está procurando:
  26. 26. 1. Criar mecanismos materiais. 2. Descobrir mistérios ocultos. 3. Explorar situações remotas. 4. Formular sistemas mentais. 5. Alcançar objetivos de sabedoria. 6. Alcançar níveis espirituais. 7. Realizar os destinos divinos: supremo, último e absoluto. 483.1 a 9
  27. 27. A mente é o mecanismo que intercomunica e associa o material com o espiritual, o finito com o infinito. Se temos dificuldade em compreender que o Pai Universal reside em nossa mente, então realizemos a nossa própria experiência interior, na qual nossa alma contempla a presença da centelha divina, para encontrar Deus e comungar com Ele (Adoração). 1110.11; 62.1
  28. 28. A nossa mente humana e pessoal não pode possuir valores de sobrevivência a não ser que consiga se identificar com o espírito divino residente. A mente é uma outorga da divindade, mas não pode alcançar a imortalidade se funciona sem discernimento espiritual e é desprovida da capacidade de adorar a Deus e de almejar a sobrevivência. 403.5
  29. 29. Deus Pai nos deu a mente, e ela está sujeita à nossa liberdade de escolha. Conforme usemos a nossa mente durante a vida, poderemos alcançar a sobrevivência, assemelhando-nos a Deus Pai, ou destruir-nos a nós próprios, perdendo a nossa existência para sempre, então a consciência que hoje temos se perderá por toda a eternidade e não reapareceremos conscientemente em nenhum mundo do universo de Nébadon. Segundo as escolhas feitas pela mente, a nossa alma refletirá riqueza ou pobreza espiritual, durante a nossa vida humana. Se escolhermos associar-nos com nosso espírito divino, o procurarmos e adorarmos com sinceridade, em busca da perfeição e da retidão de Deus Pai, SOBREVIVEREMOS À MORTE FÍSICA DO CORPO e continuaremos VIVOS, existindo no universo e alcançando a Deus Pai no Paraíso. 1216.4, 5
  30. 30. A mente que hoje temos nos foi prestada para o nosso uso pessoal; é um sistema de intelecto temporário por meio do qual, conforme o uso dado a ele, estaremos aceitando ou rejeitando a VIDA ETERNA. 1216.6 Ao cumprir os requisitos do Evangelho do Reino, por meio de um esforço amoroso para com o nosso Pai, salvaremos a nossa alma da extinção. É importante que, durante a nossa vida humana, na busca da salvação, procuremos que a nossa alma evolutiva receba, em união com Deus, os valores eternos e divinos para a sua sobrevivência. Ao finalizar a nossa existência humana, se esses valores divinos de sobrevivência não estiverem presentes na alma, então a nossa vida não terá tido nenhum significado, ela terá sido uma ilusão trágica.
  31. 31. No entanto, se a nossa alma recebe os valores divinos da verdade, da beleza e da bondade do Pai divino, os quais indicam comunhão com a consciência de Deus, salvar-se- á eternamente. O caminho para a salvação da alma pela fé está perfeitamente traçado no Evangelho do Reino de Jesus. Em verdade, não há outro caminho, nele achamos a verdade, a sabedoria e a técnica espiritual para a autorrealização da alma e a iluminação da mente. É necessário um verdadeiro esforço, um trabalho espiritual real com Deus, com constância. Deveríamos deixar de lado a preguiça, a dúvida e a incredulidade se desejarmos o melhor futuro para a nossa personalidade. Ao vivermos a nossa vida humana, demos à matéria o que corresponde à matéria e a Deus o que é de Deus. Sabendo e aceitando que todos somos filhos de Deus, demos sempre a Deus Pai o primeiro lugar perante qualquer alternativa potencial.
  32. 32. Os seres humanos que não desejam escutar os Deuses quando falam a eles por meio das leis do espírito, da mente e da matéria, realizam um ato de desdém deliberado e consciente que afasta os ouvidos das personalidades espirituais de escutar os pedidos pessoais desses seres humanos desobedientes que rejeitam a lei do Pai. Palavras do profeta Zacarias: “Mas eles recusaram-se a escutar e, dando as costas, fecharam os seus ouvidos para não ouvir.” Jesus disse: “Aquele que afasta o seu ouvido, para não ouvir a lei divina, até mesmo a sua prece será uma abominação”. 1638.3
  33. 33. Nem mesmo o amor infinito de Deus pode forçar a salvação, da sobrevivência eterna, dos seres humanos que escolhem não sobreviver. 1638.5
  34. 34. A revelação nos diz que a mente humana pode ser deformada, distorcida, e tornar-se má e feia pelas maquinações pecaminosas de uma vontade humana perversa e egoísta. Do mesmo modo, a mente pode tornar-se nobre, bela, verdadeira e boa – realmente grande –, de acordo com a vontade iluminada pelo espírito de um ser humano que conhece a Deus. A nossa alma não fica suja, ela recebe as qualidades divinas do espírito, que a enobrecem e elevam para Deus. 1217.1
  35. 35. A coragem humana é a forma mais baixa de bravura. A bravura mental é um tipo mais elevado de coragem humana, mas a coragem mais elevada e suprema de todas é a lealdade inabalável às convicções esclarecidas das realidades espirituais profundas. Essa coragem constitui o heroísmo do homem que conhece a Deus. (Jesus). 1608:4
  36. 36. Como a nossa mente não é totalmente material, ela pode alcançar, por meio do caminho interior, os âmbitos de valores da divindade que reside em nós. Nossa mente pode alcançar elevados níveis de discernimento espiritual porque, como já sabemos, o núcleo espiritual divino - o Ajustador - reside nela. 2094:5
  37. 37. A nossa mente humana não é capaz de criar valores espirituais verdadeiros, pois estes são doados por Deus à nossa alma, ao procurá-lo através do caminho ensinado por Cristo Miguel. Agora, quanto ao reconhecimento dos valores morais e ao discernimento dos significados espirituais, tudo o que a nossa mente pode fazer é descobri-los, reconhecê-los, interpretá-los e escolhê-los. Tudo isso graças à Mente Cósmica unida ao Ajustador do Pensamento e ao Espírito da Verdade; sem eles, nada poderíamos fazer para progredir e avançar espiritualmente no universo. 2094:9 2094:15
  38. 38. Os significados e os valores espirituais não se encontram no mundo material ou sensorial. Os significados e os valores podemos percebê-los apenas nos níveis mais internos ou supramateriais da nossa experiência espiritual religiosa, quando a nossa mente e alma comungam com Deus, quando de todo o coração e com devoção adoramos ao Pai divino que mora em nós. 1220:1
  39. 39. Apenas nos níveis mais elevados da supraconsciência, quando entramos no âmbito espiritual da experiência religiosa pessoal, podemos achar os elevados significados e valores que transformam a nossa mente e consciência, proporcionando-nos uma civilização melhor e mais duradoura. Nossa personalidade é criativa, mas funciona criativamente apenas na nossa VIDA INTERIOR ESPIRITUAL, ILUMINADA POR DEUS PAI. 1220:2 1220:4
  40. 40. Às vezes, é possível que a nossa mente se ilumine e que escutemos a voz divina que continuamente fala dentro de nós, de forma que possamos tornar-nos parcialmente conscientes da sabedoria, da verdade, da beleza e da bondade da personalidade potencial que está residindo em nós, o Ajustador divino. 1199.3
  41. 41. O Ajustador divino não está muito envolvido com os nossos assuntos temporais, mas sim está ensaiando, a cada dia, na nossa mente humana evolutiva, as realidades da nossa futura carreira no universo. 1195.1
  42. 42. O Espírito do Senhor desceu para morar nos nossos corações, procurando transformar as nossas mentes e guiar as nossas almas até a presença do Pai Universal no Paraíso. 1475.1
  43. 43. Na mente de Deus há um plano maravilhoso que abrange a todos nós; e esse plano é um propósito eterno de oportunidades infinitas, de progresso ilimitado e de vida eterna. E os tesouros infinitos dessa carreira espiritual incomparável serão nossos se apenas nos esforçarmos, praticando a amizade real com Deus! 365.3; 1766.5
  44. 44. A presença do Ajustador na nossa mente torna impossível que a ciência e a filosofia consigam compreender satisfatoriamente a alma humana evolutiva. A nossa alma é filha do universo e podemos conhecê-la realmente por meio do discernimento cósmico e da descoberta espiritual que realize a nossa personalidade humana. 1215:1
  45. 45. A mente é o solo humano a partir do qual o Ajustador faz surgir a alma moroncial, com a cooperação e determinação voluntária da nossa personalidade. 1216.2
  46. 46. O Ajustador não reside no nosso cérebro, reside na nossa mente. O Ajustador é um manipulador sábio e experiente do potencial espiritual da nossa mente humana, guiando- nos, com toda a segurança, para dentro e para cima, em direção Paraíso eterno. Indiretamente e sem ser reconhecido, o Ajustador se comunica constantemente conosco, especialmente durante as experiências sublimes de contato adorador, da nossa mente com o espírito, na supraconsciência. 1203.3, 4
  47. 47. A mente é a dotação do Espírito Infinito, portanto, seu potencial é infinito e sua outorga é universal. A mente é o canal necessário para que as realidades materiais e as realidades espirituais do universo se comuniquem entre si. Por meio da ação ou ministração da mente podemos conceber e compreender o nosso espírito interior. 638.6 A mente é uma realidade material e o Espírito interior é uma realidade espiritual.
  48. 48. O nosso Pai Universal reside no Paraíso eterno, mas também está presente nas mentes dos seus filhos evolutivos e temporais, reside em nossa mente como um Monitor Misterioso ou Ajustador do Pensamento. Os Ajustadores são o amor do Pai divino morando nas nossas mentes e almas. Os fragmentos divinos que vivem nas nossas mentes são a garantia absoluta de que nós, se verdadeiramente o desejamos e nos esforçamos, podemos encontrar o Pai Universal associando-nos, durante a nossa vida humana, com a sua presença espiritual, o Ajustador do Pensamento que mora em nós. 1176.1, 2, 3
  49. 49. O Ajustador divino cria, dentro de nós, o anseio insaciável de buscar a Deus e de ser como Ele É, para alcançar o Pai Universal no Paraíso. 1176.5. Isso acontece se realmente queremos conhecer, amar e servir a Deus, se queremos viver conforme a sua retidão divina, realizando uma verdadeira união com Ele para que, posteriormente, nos fusionemos com a sua divina presença imortal que reside em nós.
  50. 50. A nossa mente, sem a intervenção do Espírito, não pode sobreviver à existência física. A sobrevivência da mente depende de que tenha sido espiritualizada pelo Ajustador – do nascimento e da evolução da alma imortal. Por isso é importante realizarmos a transformação espiritual da nossa mente material, com a ajuda do Ajustador do Pensamento e do Espírito da Verdade. 565.1
  51. 51. Cristo Miguel-Jesus ensina-nos que a religião do espírito, na qual buscamos a Deus por meio da experiência espiritual religiosa, é uma revelação progressiva das realidades espirituais à nossa alma, realidades que a nossa mente, por si só, jamais poderia descobrir, nem sondar plenamente. Os nossos esforços intelectuais podem revelar-nos os fatos da vida, mas o Evangelho do Reino de Jesus nos revela as verdades do ser. 1641.3
  52. 52. O propósito da religião de Cristo Jesus consiste em assegurar o nosso progresso espiritual, cumprindo os requisitos do seu Evangelho do Reino. Não podemos ter paz no nosso coração, nem progresso na nossa mente, a menos que nos apaixonemos de todo o coração pela VERDADE DIVINA, pelos IDEAIS DAS REALIDADES ETERNAS DO UNIVERSO. 1745.1
  53. 53. A verdadeira religião origina-se no âmbito da nossa consciência moral, ao crescer o nosso discernimento espiritual pela ação do Ajustador revelador de Deus, na nossa mente ávida do divino. 1105.2
  54. 54. Todos nós, os que acreditamos em Jesus e no seu Evangelho divino, devemos aprender a afastar- nos a cada dia, por um tempo, da afobação da vida, das atividades do trabalho, do lar, etc. para que, em um lugar íntimo onde ninguém possa interromper, vivifiquemos a nossa alma, inspiremos a nossa mente e renovemos o nosso ânimo espiritual por meio da comunhão espiritual com Deus, na adoração, a meditação espiritual em que nossa mente focaliza a sua atenção em Deus, com devoção, amor e fé. 1739:7
  55. 55. Jesus ensinou aos seus seguidores, e a nós, que, após fazermos as nossas preces, deveríamos permanecer durante um tempo em um estado de receptividade silenciosa (sem pensamentos) para dar ao nosso Ajustador interior a melhor oportunidade de falar à nossa alma atenta. O espírito do Pai fala melhor a nós quando a nossa mente está em uma atitude de verdadeira adoração. Nós adoramos a Deus, com a ajuda do Ajustador do Pensamento e da iluminação da mente, por meio do ministério do Espírito da Verdade. Jesus ensina-nos que a adoração nos torna cada vez mais semelhantes ao ser adorado, isto é, nos assemelhamos a Deus, pois é a Ele que adoramos. A adoração é uma experiência espiritual interior que transforma progressivamente ao adorador, e desse modo o adorador (o finito) aproxima-se gradualmente a Deus (o infinito), e finalmente o alcança.
  56. 56. A segurança que provê a religião, por meio da experiência com Deus, transcende em muito à razão da nossa mente humana. O sentimento de segurança religiosa é mais do que um sentimento emocional. A guia do Espírito é diferente do impulso moral da nossa consciência humana. A religião experiencial é fé, confiança e segurança, por que os seus agentes são: Deus, a alma e a mente. 1104.3
  57. 57. Podemos ter uma manifestação ou expressão do Ajustador por meio do mecanismo da dotação natural da nossa mente; essa é a razão da dificuldade do Ajustador em entrar em comunicação direta com a nossa mente, pois ela carece de espiritualidade. Um Melquisedeque de Nébadon e um Mensageiro Solitário de Orvonton exortam-nos a desenvolver e disciplinar espiritualmente a nossa mente; e ao melhor modo de fazer isso é através o caminho da adoração perseverante, a comunhão com o Ajustador divino, na qual ele iluminará e ordenará progressivamente a nossa mente humana, com a nossa cooperação decidida. Assim seremos verdadeiros pensadores e facilitaremos a ligação favorável na comunicação entre o Ajustador e a nossa mente humana. Essa atividade é básica para a alimentação e o crescimento da nossa alma. 1104.5, 1213.1
  58. 58. A mente que pode realmente discernir e escutar a Deus, o Ajustador do Pensamento, é a mente pura, a mente limpa, a mente impregnada de santidade. Os reveladores ensinam-nos algo bem importante: a religião do espírito deve trabalhar sob uma necessidade paradoxal, a necessidade de fazer uso efetivo do pensamento, para a sua compreensão e discernimento, ao mesmo tempo em que descarta a utilidade espiritual de todo pensamento durante a adoração a Deus ou receptividade silenciosa, na qual nada pedimos a Deus e nada esperamos receber. Aprendamos a cultivar a presença de Deus (adoração) com devoção, amor e fé em Deus. Assim, Ele revelar-se-á na nossa alma, iluminando cada vez mais a nossa mente. Esse é o caminho para a autorrealização espiritual da nossa personalidade. 1104.6, 1641.1, 1121.3
  59. 59. A nossa experiência religiosa resulta da impressão feita na nossa mente pelo Ajustador e pelo Espírito da Verdade, pois ambos espíritos funcionam dentro e sobre as ideias, os ideais, os discernimentos e os esforços espirituais de fé. A religião prospera por meio da fé e do discernimento interior (riqueza espiritual), não por meio da vista e dos sentimentos. 1104.6, 1105.1
  60. 60. A mais elevada experiência religiosa não depende de atos prévios de crença, tradição e autoridade; também não depende de sentimentos sublimes e de emoções místicas. Ela é, antes, uma experiência profunda e real de comunhão espiritual que experimentamos com os espíritos que residem dentro e junto da nossa mente humana. É a experiência de viver a realidade de crer em Deus, uma experiência de fé puramente pessoal. 1105.1 O Ajustador reside na nossa mente e o Espírito da Verdade está junto de nós, está em suspenso no mundo para ensinar a Verdade ao buscador sincero.
  61. 61. Jesus nos ensina que não poderemos compreender ou conhecer a Deus em nós pelo mero ensinamento da mente, pelo ensinamento intelectual, mas sim por meio das REALIDADES DA EXPERIÊNCIA COM DEUS, A EXPERIÊNCIA RELIGIOSA ESPIRITUAL PESSOAL NOS NIVELES DIVINOS DA SUPRACONSCIÊNCIA HUMANA, para além no nosso estado de consciência cotidiano. Por isso os reveladores e Cristo Miguel enfatizam a real necessidade de praticarmos A ORAÇÃO- ADORAÇÃO A DEUS, pois essa técnica descoberta, realizada e doada a nós por Jesus nos fornece o alcance dos níveis divinos e da comunhão real com o nosso espírito interior, o Ajustador Divino.
  62. 62. Devemos ter fé na realidade dessas verdades e exercitá- las. Não deveríamos nos contentar com umas louváveis leituras religiosas e com as nossas boas intenções de progredir espiritualmente, pois essas atividades integram a chamada religião da mente, na qual a presença de Deus não participa diretamente. Deus participa diretamente na religião do espírito, na qual a nossa mente, alma e personalidade focalizam a atenção em Deus por meio da adoração, alcançando assim os níveis superiores da realidade espiritual, nos quais Deus Pai alimenta a nossa alma, a enobrece e a faz crescer, iluminando a nossa mente e dotando-a do verdadeiro discernimento espiritual da realidade divina. Amados irmãos, dizemos estas palavras com muito respeito por vocês e pela sua fé, com o desejo de nos ajudar a compreender a verdade revelada e nos facilitar o caminho da ascensão espiritual.
  63. 63. Unicamente as pessoas que se submetem à guia do espírito e são alimentadas pelo seu Ajustador divino, conseguem sobreviver à existência humana no espaço-tempo, como filhos imortais do mundo espiritual eterno do Supremo, do Último e do Absoluto: O INFINITO. 484.3
  64. 64. Por meio do consentimento da nossa vontade, o Ajustador tem o poder de sujeitar as tendências da nossa mente às ações transformadoras das motivações e propósitos da nossa alma emergente, que está se formando progressivamente como o veículo moroncial para a nossa personalidade. 1191.5
  65. 65. A missão do Ajustador consiste em elevar espiritualmente a nossa mente e em conduzir a nossa alma até as alturas divinas e até os níveis espirituais da perfeição do Paraíso. 1185.1
  66. 66. Devemos saber que o Ajustador está trabalhando na nossa mente com o propósito de construir, por meio de ajustamento e de espiritualização, uma nova mente para os novos mundos. A sua missão concerne, principalmente, à nossa vida futura, não tanto a esta vida. 1191.6
  67. 67. Depois de o Ajustador se separar de nós na morte física, as transcrições da nossa mente humana e os padrões da nossa memória, tal como foram transformados dos níveis materiais para os espirituais, são da posse individual do Ajustador. Esses fatores espiritualizados da nossa mente, memória e personalidade, são, para sempre, parte do Ajustador. 533.1
  68. 68. Tudo o que vale a pena da vossa vida mental, e que tem valor de sobrevivência, é duplicado pelo Ajustador e é conservado como parte da memória pessoal durante toda a nossa carreira ascendente. A medida que passamos de um mundo para outro, iremos tomando consciência das nossas experiências valiosas. 535.1
  69. 69. Os Ajustadores trabalham nos níveis mais elevados da nossa mente, e procuram produzir duplicatas moronciais de cada um dos nossos conceitos intelectuais valiosos. O Ajustador não está tentando controlar o nosso pensamento, mas, antes, está tentando espiritualizá-lo para eternizá-lo. O Ajustador dedica-se a aperfeiçoar, a ajustar, a modificar, e a coordenar os nossos processos de pensamento; mas, mais especialmente, ele trabalha para construir as contrapartes espirituais, as transcrições moronciais do nosso verdadeiro eu em avanço, com propósitos de sobrevivência. 1205:1, 2
  70. 70. Durante o sono, o nosso Ajustador tenta obter aquilo que aprovamos no uso da nossa vontade, por meio das decisões e escolhas que foram feitas durante o dia, em consciência plenamente desperta, e que se alojou nos altos níveis da nossa mente, na supramente, a área de conexão da inter-relação entre o humano e o divino. 1208:2
  71. 71. Durante a nossa vida, a vontade humana, o poder de escolha-decisão da nossa personalidade, reside nos circuitos da nossa mente humana material. 1219:1
  72. 72. Os valores divinos os percebemos nos níveis supramateriais da experiência religiosa. Esses valores sentem-se, a alma sente-os. A alma é a criação mútua da nossa mente e do nosso espírito, e é o espírito que torna real a nossa alma. Quando a nossa alma se torna permeada pela verdade, pela beleza e pela bondade, as quais são valores que indicam a realização da consciência de Deus, a nossa alma torna-se indestrutível. Se, no final da nossa vida humana, a nossa alma não possuir valores de sobrevivência, então a nossa existência não terá tido nenhum significado, e a nossa própria vida terá sido uma ilusão trágica. Alimentemos a nossa alma segurando a mão de Deus, e recebamos dele os valores supremos de sobrevivência na nossa alma, com fé, amor e perseverança. 1219.5, 6
  73. 73. A verdade revelada por Deus, a que descobrimos na nossa experiência religiosa, é o supremo deleite da nossa alma. A alma é a criação conjunta da nossa mente humana e do Ajustador interior. A salvação eterna da nossa alma que discerne a verdade e que ama a beleza, fica assegurada pela sede de bondade que nos leva a fazer a vontade do Pai, a encontrar Deus e a tornar-nos como Ele. 1459:4, Jesus.
  74. 74. Nosso exercício perseverante da fé atua para liberar as atividades supra- humanas na centelha divina que vive dentro de nossa mente humana; desse modo a nossa alma reúne poder e riqueza espirituais duradoras. 1459:6
  75. 75. A presença do espírito de Deus na nossa mente constitui a promessa de revelação e a garantia de fé de que teremos uma existência eterna de progressão divina, devida ao esforço de nos identificar com a nossa centelha divina interior, a presença do Pai Universal. 1460.2 Jesus.
  76. 76. A fé é o único requisito para entrar no reino de Deus. A fé em Deus, em Cristo, nos ensinamentos do seu Evangelho, tem um grande poder espiritual porque produz uma mudança na nossa mente humana, essa mudança é o novo nascimento que admite- nos imediatamente no reino, quando nos tornamos divinamente conscientes de Deus. A fé viva é a porta aberta para a entrada no amor presente, perfeito e eterno de Deus. 1545:9, Jesus.
  77. 77. Os ensinamentos de Cristo Miguel ajudam-nos a confortar a nossa mente, a liberar o nosso espírito e a salvar a nossa alma. 1576.6, Jesus.
  78. 78. A ira indica a medida em que a nossa natureza espiritual fracassou em ganhar o controle sobre a nossa mente e corpo. A ira indica a falta de amor fraterno tolerante, somada à falta de dignidade e autocontrole. A ira exaure a nossa saúde, degrada a nossa mente e obstaculiza a guia do nosso espírito Ajustador para a alma.
  79. 79. Devemos certificar-nos de que as fundações intelectuais e morais do nosso caráter sejam tais que suportem adequadamente a superestrutura da nossa alma, que se amplia e se enobrece, a qual transformará a nossa mente mortal para depois, em associação com a mente recriada, conseguir o desenvolvimento espiritual da alma de destino imortal. 1738.1 Jesus.
  80. 80. Não devemos cometer o erro de estimar o valor da nossa alma pelas imperfeições da nossa mente, ou pelos apetites do corpo. Não devemos julgar a alma, nem avaliar o seu destino, pelo padrão de episódios humanos infelizes. O nosso destino espiritual é condicionado pelas nossas aspirações e propósitos espirituais. 1739.4 Jesus.
  81. 81. Diz o Grande Mandado: Amarás ao Senhor teu Deus com todo o teu coração, com toda a tua alma, mente e força, e ao teu próximo como a ti mesmo”. 1809.3 Jesus.
  82. 82. Muitas pessoas escutam a verdade e acreditam nela, superficialmente, com as suas mentes, mas poucas pessoas permitem que a verdade crie profundas raízes espirituais vivas no seu coração. Essas pessoas conhecem o evangelho na sua mente, mas não o experimentaram no seu coração. 1927.3 Jesus.
  83. 83. Devemos nos esforçar para persuadir as mentes dos nossos irmãos, mas não devemos ousar forçá-los. Tudo aquilo que gostaríamos que os homens nos fizessem, façamo-lo a eles. 1931:3 Jesus.
  84. 84. A verdade divina é uma realidade viva que discerne a nossa alma. E essa verdade existe apenas nos níveis espirituais elevados de compreensão da divindade e de consciência da comunhão com Deus. Podemos conhecer e viver a verdade; podemos experimentar o crescimento da verdade na nossa alma, e desfrutar da liberdade do seu esclarecimento (iluminação) na mente, mas não podemos, nem devemos, aprisionar a verdade divina em fórmulas, códigos, credos nem em padrões intelectuais de conduta humana. Sempre que tentemos formular a verdade divina de modo humano, ela morrerá rapidamente. A verdade divina é eterna, viva é dinâmica, e apenas pode gozar de uma existência experiencial na nossa mente humana. A verdade divina é um valor da realidade espiritual (Deus), não é um valor da realidade material. 1949.4, 5 Jesus.
  85. 85. Podemos apropriar-nos pessoalmente das qualidades da divindade por meio da experiência real de viver divinamente, porque viver divinamente significa: viver realmente a vontade de Deus. 1174.7. Compreendamos que essas palavras estão nos indicando que devemos nos aliar com Deus e adorá-lo de todo o coração, em cada dia da nossa vida, dedicando um tempo a essa atividade divina. Assim é que a nossa mente realiza a decisão suprema: fazer a vontade de Deus de todo o coração.
  86. 86. Devemos buscar a Deus com o olho da fé espiritual e não com os olhos da mente material. Por meio do exercício da fé espiritual, a nossa mente consegue discernir o amor de Deus. 1145.4, 1960.1 Jesus.
  87. 87. Não cometamos o erro de ouvir os ensinamentos espirituais de Cristo Miguel com a mente, sem compreender o seu significado no coração. 2052.3 Jesus. Não fiquemos no mero nível intelectual da realidade, elevemo-nos ao nível espiritual da realidade divina que mora em nós. Façamos a vontade de Deus.
  88. 88. As situações problemáticas e os estímulos para entrar em ação se unem para produzir as atividades da mente, da alma e do espírito que contribuem para alcançarmos os objetivos da nossa progressão humana e para o alcance dos níveis mais elevados do destino espiritual. 1719.1 Jesus.
  89. 89. Cristo Miguel-Jesus disse-nos o seguinte: “A todos vós, que tivestes a coragem de confessar a fé no meu evangelho perante os homens, eu vos reconhecerei, em breve, perante os anjos do céu; mas aquele que negar conscientemente a verdade dos meus ensinamentos perante os homens será negado pelo seu guardião do destino até mesmo perante os anjos do céu.” 1820:4 Quem tenha olhos que veja, e quem tenha entendimento que entenda.
  90. 90. Amados irmãos e irmãs, temos compartilhado hoje com vocês algumas realidades sobre a mente humana para que, ao conhecê-las, melhore a nossa compreensão a respeito das realidades do mundo espiritual. E para que, conhecendo em grande medida a verdade revelada, amando-a e aceitando-a no nosso coração, aumente a nossa lealdade ao Pai Universal e ao nosso Pai Criador Cristo Miguel-Jesus, oferecendo a eles realizações espirituais genuínas, junto com a produção dos nossos frutos espirituais que são necessários na nossa carreira de ascensão espiritual, para a maior glória de Deus Pai e do seu Filho Cristo Miguel.
  91. 91. Para nós, os crentes, não são os conhecimentos guardados na nossa memória humana os que vão nos dar a salvação, mas sim a determinação fiel e férrea da nossa vontade humana de realizar uma dedicação entusiasta e amorosa a fazer a vontade do nosso Pai que está no céu. Essa é a maior oferenda que podemos entregar ao nosso Pai Celeste durante a nossa vida em Urântia.
  92. 92. Despeço-me de vocês, agradecendo de todo o coração o tempo e a atenção que dedicaram a essa apresentação, que é apenas uma fração da verdade revelada.
  93. 93. Amados irmãos e irmãs, recebam da minha parte um grande abraço espiritual e fraternal e que o Pai divino, por meio do nosso esforço pessoal, ilumine a todos nós. Sinceramente, seu irmão Jaime. FONTE: O LIVRO DE URÂNTIA. www.urantia.org/pt

×