ESTRANGEIROS EM SCHULTZ & GEORG SIMMEL

701 visualizações

Publicada em

O conceito de estrangeiro em Adolf Schultz e Georg Simmel.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
701
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

ESTRANGEIROS EM SCHULTZ & GEORG SIMMEL

  1. 1. DEFINIÇÃO? “todos são estrangeiros de acordo com a definição dada (SCHUTZ, p. 118).” “Fixou-se em um grupo espacial particular, ou em um grupo cujos limites são semelhantes aos limites espaciais (SIMMEL, p. 1).”
  2. 2. CULTURA? “ C e r t a m e n t e , d o p o n t o d e v i s t a d o e s t r a n g e i r o , t a m b é m a c u l t u r a d o g r u p o a p r o x i m a d o t e m s u a h i s t ó r i a p e c u l i a r , e e s t a h i s t ó r i a é a t é m e s m o a c e s s í v e l a e l e . P o r é m e l a n u n c a s e t o r n o u u m a p a r t e i n t e g r a n t e d e s u a b i o g r a f i a , c o m o f o i a h i s t ó r i a d e s e u g r u p o d e o r i g e m ( S C H U T Z , p . 1 2 2 ) . ” “ ( . . . ) n e s t a r e l a ç ã o , a d i s t â n c i a s i g n i f i c a q u e e l e , q u e e s t á p r ó x i m o , e s t á d i s t a n t e ; e a c o n d i ç ã o d e e s t r a n g e i r o s i g n i f i c a q u e e l e , q u e t a m b é m e s t á d i s t a n t e , n a v e r d a d e e s t á p r ó x i m o , p o i s s e r u m e s t r a n g e i r o é n a t u r a l m e n t e u m a r e l a ç ã o m u i t o p o s i t i v a : é u m a f o r m a e s p e c í f i c a d e i n t e r a ç ã o ( S I M M E L , p . 1 ) . ”
  3. 3. PARTICIPAÇÃO? “ S a l t a n d o d a p l a t é i a p a r a o p a l c o , e n t ã o p a r a o d i s c u r s o , o o u t r o r a o b s e r v a d o r t o r n a - s e u m m e m b r o d o e l e n c o , e n t r a c o m o u m p r o t a g o n i s t a d e n t r o d a s r e l a ç õ e s s o c i a i s c o m s e u s c o a u t o r e s , e p a r t i c i p a a p a r t i r d a í d a s a ç õ e s e m p r o g r e s s o ( S C H U T Z , p . 1 2 3 ) . ” “ A o b j e t i v i d a d e d o e s t r a n g e i r o é o u t r a e x p r e s s ã o d e s t a c o n s t e l a ç ã o ( . . . ) O b j e t i v i d a d e n ã o s i g n i f i c a d e m a n e i r a a l g u m a n ã o p a r t i c i p a ç ã o ( q u e g e r a l m e n t e e x c l u i t a n t o a i n t e r a ç ã o s u b j e t i v a q u a n t o a o b j e t i v a ) , m a s u m t i p o e s p e c í f i c o e p o s i t i v o d e p a r t i c i p a ç ã o ( S I M M E L , p . 3 ) . ”
  4. 4. POSIÇÃO? “ P r i m e i r o , q u a l q u e r e s q u e m a d e o r i e n t a ç ã o p r e s s u p õ e q u e c a d a u m q u e u s á - l o p e r c e b e o m u n d o c i r c u n v i z i n h o c o m o a g r u p a d o e m v o l t a d e s i m e s m o , e s t a n d o e l e p o s i c i o n a d o n o c e n t r o d e s t e m u n d o ( S C H U T Z , p . 1 2 4 ) . ” “ O e s t r a n g e i r o e s t á p r ó x i m o n a m e d i d a e m q u e s e n t i m o s t r a ç o s c o m u n s d e n a t u r e z a s o c i a l , n a c i o n a l , o c u p a c i o n a l , o u g e n e r i c a m e n t e h u m a n a , e n t r e e l e e n ó s . E s t á d i s t a n t e n a m e d i d a e m q u e e s t e s t r a ç o s c o m u n s s e e s t e n d e m p a r a a l é m d e l e o u p a r a a l é m d e n ó s , e n o s l i g a m a p e n a s p o r q u e l i g a m m u i t í s s i m a s p e s s o a s ( S I M M E L , p . 5 ) . ”
  5. 5. DIFERENÇA? “ E m o u t r a s p a l a v r a s , o p a d r ã o c u l t u r a l d o g r u p o a p r o x i m a d o p a r a o e s t r a n g e i r o n ã o é u m a b r i g o , m a s u m c a m p o d e a v e n t u r a s , n ã o u m a c o i s a n a t u r a l , m a s u m q u e s t i o n á v e l t ó p i c o d e i n v e s t i g a ç ã o , n ã o u m i n s t r u m e n t o p a r a d e s v e n d a r s i t u a ç õ e s p r o b l e m á t i c a s , e s i m e l e m e s m o u m a s i t u a ç ã o p r o b l e m á t i c a e d i f í c i l p a r a d o m i n a r . ( S C H U T Z , p . 1 2 4 ) . ” “ P o r o u t r o l a d o , h á u m a f o r m a d e " s e r e s t r a n g e i r o " q u e r e j e i t a a t é m e s m o a q u i l o q u e s e t e m e m c o m u m , c o m b a s e e m a l g o m a i s g e r a l q u e a b r a n g e a m b a s a s p a r t e s ( . . . ) P o r e s s a r a z ã o , o s e s t r a n g e i r o s n ã o s ã o r e a l m e n t e c o n c e b i d o s c o m o i n d i v í d u o s , m a s c o m o e s t r a n h o s d e u m t i p o p a r t i c u l a r : o e l e m e n t o d e d i s t â n c i a n ã o é m e n o s g e r a l e m r e l a ç ã o a e l e s q u e o e l e m e n t o d e p r o x i m i d a d e . ( S I M M E L , p . 5 ) . ”
  6. 6. BIBLIOGRAFIA: SHÜTZ, Alfred. O Estrangeiro – Um ensaio em Psicologia Social in Revista Espaço Acadêmico nº.113 p. 117-129; out 2010;. MORAES FILHO, Evaristo de (Org.). 1983. Simmel – Sociologia. São Paulo: Ática. Coleção Grandes Cientistas Sociais, vol. 34. p. 182- 188.

×