A Teoria do  Agendamento naAtuação da Imprensa     Sergipana        Janete Cahet     Polyana Bittencourt
Introdução Analisar, sob a hipótese do Agenda  Setting, a cobertura da imprensa  sergipana sobre a obra da Ponte Joel  Si...
O estudo dos efeitos e a hipótesedo Agenda-setting Características da mídia: Acumulação,  Consonância e Onipresença. Os ...
O estudo dos efeitos e a hipótesedo Agenda-setting Teorias que permitem compreender os meios  de comunicação diante da so...
O estudo dos efeitos e a hipótesedo Agenda-setting “Existe, então, uma relação direta e íntima  entre a agenda midiática ...
Análise sobre a imprensasergipana Foram analisados artigos, notas  opinativas e informativas, além de  matérias publicada...
Análise sobre a imprensasergipanaO Jornal da Cidade dedicou um espaço maior  em seus cadernos apresenta 15 publicações: 8...
Ponte vira atraçãoParceria entre governo e prefeitura traz boas  novas para Aracaju.Litoral Sul comemora   boom imobiliário
Análise sobre a imprensasergipanaO Cinform devido a sua periodicidade  semanal dedicou um espaço mais restrito  ao tema: ...
Análise sobre a imprensasergipanaO tema também foi pauta do Jornal Do Dia  que dedicou suas páginas a: 1 matéria informat...
Polícia Rodoviária reforça          fiscalização       Emenda BatistãoMovimento na Ponte Joel Silveira comprova acerto do ...
Análise sobre a imprensasergipanaO Correio de Sergipe publicou: 5 notas opinativas. 4 notas informativas. 3 notas denun...
Mediocridade explícitaQuem pagou o transportepara levar o povo para a inauguração da ponte?    Obra demorada      Mobiliza...
Conclusão A realidade construída pelos textos  publicados é de que a obra também é  sinônimo de desenvolvimento para  Ara...
Conclusão   A pesquisa permitiu perceber que a    abordagem do tema varia entre os jornais    analisados. Em alguns casos...
Referências   GOBBI, Maria Cristina (Org.). Teorias da Comunicação: Antologia de Pensadores    Brasileiros. São Paulo: IN...
OBRIGADA!            Janete Cahet            @janetecahet            Janete.jor@gmail.com            Polyana Bittencourt  ...
A Teoria do Agendamento na Atuação da Imprensa Sergipana_Apresentação
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A Teoria do Agendamento na Atuação da Imprensa Sergipana_Apresentação

695 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
695
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A Teoria do Agendamento na Atuação da Imprensa Sergipana_Apresentação

  1. 1. A Teoria do Agendamento naAtuação da Imprensa Sergipana Janete Cahet Polyana Bittencourt
  2. 2. Introdução Analisar, sob a hipótese do Agenda Setting, a cobertura da imprensa sergipana sobre a obra da Ponte Joel Silveira. Mudança da dinâmica de consumo. [leitor, autor]. Conglomerados deixam de exercer forte influência. Muito do que a sociedade conhece é por meio da mídia.
  3. 3. O estudo dos efeitos e a hipótesedo Agenda-setting Características da mídia: Acumulação, Consonância e Onipresença. Os estudos sobre os efeitos analisam os processos e os modos com os quais os meios de comunicação produzem realidades. O modelo da sociedade de massa é utilizado para compreender os meios de comunicação e a sociedade.
  4. 4. O estudo dos efeitos e a hipótesedo Agenda-setting Teorias que permitem compreender os meios de comunicação diante da sociedade de massa: Hipodérmica, Crítica, Espiral do Silêncio e Agenda Setting. O agenda-setting demonstra que muito do que a sociedade de massa tem como informação é mediado pela mídia. A mídia apenas apresenta uma lista selecionada de fatos que o público deve pensar, conhecer e falar.
  5. 5. O estudo dos efeitos e a hipótesedo Agenda-setting “Existe, então, uma relação direta e íntima entre a agenda midiática e a do público, efetuada pela ordem do dia e pela hierarquização temática”. (Ferreira, 2007. p.112) McCombs (1976) “defende que os jornais são os primeiros promotores a organizar o agendamento do público”.
  6. 6. Análise sobre a imprensasergipana Foram analisados artigos, notas opinativas e informativas, além de matérias publicadas no mês de abril de 2010 nos jornais impressos de maior circulação de Sergipe (Jornal Cinform, Correio de Sergipe, Jornal da Cidade e Jornal do Dia). O material empírico reúne 38 publicações.
  7. 7. Análise sobre a imprensasergipanaO Jornal da Cidade dedicou um espaço maior em seus cadernos apresenta 15 publicações: 8 matérias dedicadas exclusivamente para tratar dos benefícios da obra. 2 notas informativas. 1 nota crítica. 1 capa com foto destaque. 1 cobertura fotográfica e 2 matérias denunciativas.
  8. 8. Ponte vira atraçãoParceria entre governo e prefeitura traz boas novas para Aracaju.Litoral Sul comemora boom imobiliário
  9. 9. Análise sobre a imprensasergipanaO Cinform devido a sua periodicidade semanal dedicou um espaço mais restrito ao tema: 1 nota opinativa. 1 matéria opinativa e 1 matéria informativa
  10. 10. Análise sobre a imprensasergipanaO tema também foi pauta do Jornal Do Dia que dedicou suas páginas a: 1 matéria informativa. 1 nota informativa. 2 notas opinativas e 1 matéria denunciativa.
  11. 11. Polícia Rodoviária reforça fiscalização Emenda BatistãoMovimento na Ponte Joel Silveira comprova acerto do governoSecretário esclarece execução de obras no Estado
  12. 12. Análise sobre a imprensasergipanaO Correio de Sergipe publicou: 5 notas opinativas. 4 notas informativas. 3 notas denunciativas e 2 matérias denunciativas.Num total de 15 retomadas do tema.
  13. 13. Mediocridade explícitaQuem pagou o transportepara levar o povo para a inauguração da ponte? Obra demorada Mobilização
  14. 14. Conclusão A realidade construída pelos textos publicados é de que a obra também é sinônimo de desenvolvimento para Aracaju. A cobertura do tema abordou informações significativas, mas em outros casos, desnecessárias, repetitivas e até mesmo inadequadas, pois estavam fora do contexto.
  15. 15. Conclusão A pesquisa permitiu perceber que a abordagem do tema varia entre os jornais analisados. Em alguns casos, há superficialidade e em outros os dados são mais articulados aos diversos aspectos da temática. Por essa razão, certamente a influência da agenda setting não é homogênea.
  16. 16. Referências GOBBI, Maria Cristina (Org.). Teorias da Comunicação: Antologia de Pensadores Brasileiros. São Paulo: INTERCOM, 2010. FERREIRA, Giovandro Marcus. As origens recentes: os meios de comunicação pelo viés da sociedade de massa. In: HOHLFELDT, Antônio, MARTINO, Luiz C. (orgs.). Teorias da comunicação: conceitos, escolas e tendências. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007. p.99-116. POLISTCHUCK, Ilana. Teorias da Comunicação: o pensamento e a prática do jornalismo. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003. SANTOS, Roberto Elísio dos. As teorias da comunicação: da fala à internet. São Paulo: Paulinas, 2003. WOLF, Mauro. Teorias das comunicações de massa. São Paulo: Martins Fontes, 2005.
  17. 17. OBRIGADA! Janete Cahet @janetecahet Janete.jor@gmail.com Polyana Bittencourt polyttencourt@yahoo.com. br

×