10 coisas que você precisa saber sobre o desenho da criançaNeste momento especial para a criança tem de tudo: diversão, es...
desenho diferente e, quanto maior a variedade, maiores asexperiências das crianças.4 - Espaço para desenhar. Tenha em casa...
outras ferramentas, eles podem ser usados para avaliação dentro deum contexto mais amplo.Fontes: Laïs Krücken Pereira, esp...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

10 coisas que você precisa saber sobre o desenho da criança

2.207 visualizações

Publicada em

desenhos

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.207
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
27
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

10 coisas que você precisa saber sobre o desenho da criança

  1. 1. 10 coisas que você precisa saber sobre o desenho da criançaNeste momento especial para a criança tem de tudo: diversão, estímulo aodesenvolvimento, criatividade e até autoconhecimento. Veja aqui comoenriquecer ainda mais esse momentoCristiane Rogerio e Marina VidigalO lápis fica no meio da pequena mãozinha, procurando o equilíbrio. Aponta encosta o papel e - meio reto, meio torto - o risco sai. O autoresboça um sorriso, olha para o adulto, procura cumplicidade nogrande feito. Imaginem a emoção que vive a criança em seusprimeiros traços. O que você precisa saber para este momentoartístico comum a todas as crianças ser ainda melhor.1 - Expressão e emoção. A criança tem uma intensa elaboraçãomental enquanto desenha. É comum, enquanto o lápis risca o papel,ouvir as crianças narrando histórias que se passam com ospersonagens que traçam. É como o que acontece no brincar.2 - Fases e estilos. Por mais que, no geral, a criança comece pelosrabiscos por prazer e vá mudando o traço até chegar a formas mais"reais", essas fases não são fixas. Ao longo da infância, as criançaspodem ir e voltar várias vezes em determinados estilos, fazer umdesenho característico de uma fase pela manhã e, à tarde, esboçarum desenho próprio de outra. E é por isso que não é adequadoclassificarmos os desenhos como "bom" ou "ruim". Odesenvolvimento da criança por meio do desenho não tem umacaracterística linear.3 - Diferentes materiais. Procure oferecer diferentes suportes eriscadores para seu filho. Papéis de diferentes texturas, cores etamanhos, como lixa, papelão, papel canson, papel vegetal... Quantomaior a variedade, melhor. Entre os riscadores, varie os tipos delápis, giz de cera e canetas. Cada material vai proporcionar um
  2. 2. desenho diferente e, quanto maior a variedade, maiores asexperiências das crianças.4 - Espaço para desenhar. Tenha em casa um cantinho onde seufilho possa desenhar, vale até ser no chão, caso ele prefira. Umcaderno de desenho e um estojo com lápis apontados, gizes de cera ecanetinhas devem sempre estar à mão. Se forem pincéis, tintas oucanetinhas, forre um pedaço do chão e deixe a criança à vontade.5 - Um mundo novo. Desenhar é um reflexo do descobrir. Além deabrir um enorme leque para a expressão e a fantasia, o desenhotambém contribui para a exploração do real, já que chama a atençãopara os seres e objetos e desperta a atenção para formas, texturas,tamanho, cores, volumes e proporções.6 - Observar e lembrar. É comum as crianças desenharem deacordo com a lembrança que têm dos objetos - e não os observando.Procure ajudar seu filho a despertar para o olhar. Use o cotidiano.Chame a atenção dele para uma janela grande, para as cores daágua do mar, até para o desenho no chão com as gotas de águasaídas de um regador, por exemplo. Descubram juntos texturas,formatos de folhas e de nuvens...7 - Pais não são os grandes modelos. Resista ao desejo demostrar como desenhar. Apesar de desenhar em família ser ótimo,cada um deve ter seu espaço e seu traço.8 - Crie referências. Visite museus, galeria de artes e onde tiverexposições que possam ser boas referências de arte para a criança,converse sobre o que for visto, o estilo do artista, compare. Livrosinfantis são também excelente estímulo - talvez o primeiro contatodeles com uma obra de arte!9 - Use fotografias. Para o francês Henri-Cartier Bresson, a maiorreferência em fotografia no mundo, a foto é um meio de desenhar.Fotografias podem render ótimos exercícios. Em uma exposição, porexemplo, converse com a criança sobre as formas, como pessoasdiferem de objetos, os ângulos. Outra atividade bacana é colocar umafolha de papel vegetal por cima de uma foto e, com um lápis, permitirque ela descubra as linhas principais e, quem sabe, a poesia que hánas grandes fotografias de todos os tempos (na internet há milharesde exemplos como sites de grandes fotógrafos ou temáticos).10 - Não serve como avaliação psicológica. Muita cautela parausar o desenho como uma avaliação de aspectos intelectuais ouemocionais da criança. Chega a ser perigoso dizer, por exemplo, quecores escuras no desenho denunciam crianças deprimidas, porexemplo. Apenas em consultórios de psicólogos, em meio a várias
  3. 3. outras ferramentas, eles podem ser usados para avaliação dentro deum contexto mais amplo.Fontes: Laïs Krücken Pereira, especialista em psicologia de desenvolvimentohumano, Ana Paula Martinho, coordenadora da área de artes da escola Estilo deAprender (SP), psicóloga Mônica Cintrão, Kika Almeida Mendes, tutora de Artes daEducação Infantil da Escola Viva

×