áLcool na gravidez

198 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
198
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

áLcool na gravidez

  1. 1. Álcool na Gravidez Durante o período de gravidez, a mulher passa por uma série de transformações hormonais. Nesse período,a mulher é recomendadaa não ingerir bebidas alcoólicas e usar drogas e cigarros que são os principais vilões de uma gravidez, pois, podem gerar a variação de genes. Alterações em genes simples, grupos de genes ou em cromossomos inteiros podem causar defeitos de nascença. O consumo de bebidas alcoólicas durante a gestação pode trazer consequências para o recém- nascido, sendo que, quanto o maior o consumo de bebida maior a chance de prejudicar o feto. Bebês de mães dependente do álcool são afetados pela Síndrome Fetal pelo Álcool, os recém-nascidos apresentam irritações, as crianças que conseguem sobreviver aos primeiros momentos de vida, podem apresentas problemas físicos e mentais.
  2. 2. De acordo com os estudos, diversos fatores podem contribuir para o surgimento de problemas no feto, como padrão de consumo de álcool, metabolismo materno, suscetibilidade genética, período da gestação em que o álcool foi consumido e vulnerabilidade das diferentes regiões cerebrais da criança. De qualquer forma, sabe-se, atualmente, que os riscos para o feto aumentam com o nível de consumo e a frequência de uso. Em mulheres grávidas que bebem, a alcoolemia fetal é bastante similar à materna, uma vez que a placenta é totalmente permeável à passagem do álcool para o feto. As mais graves consequências relacionadas ao consumo de álcool durante a gestação são a Síndrome Fetal Alcoólica (SFA) e os Efeitos Relacionados ao Álcool(ERA). A criança com SFA¹ exibe algumas anomalias faciais e apresenta déficit intelectual, além de problemas cognitivos e comportamentais. Já no caso do ERA, existem três formas de manifestação:  Parcial: crianças que apresentam algumas alterações faciais e comprometimentos neurológicos;  Malformações congênitas:crianças que apresentam uma ou mais anormalidades congênitas, incluindo anormalidades cardíacas, auditivas, renais e esqueléticas,e;  Desordemneuropsicomotoras:crianças que apresentam déficits em sua capacidade de aprendizado, especialmente em aritmética e em seu desenvolvimento sócio emocional. Também é válido reforçar que o etanol, presente nas bebidas alcoólicas, é transferido para o leite materno. Desta forma, o álcool eliminado na amamentação de crianças de alcoolistas pode causar efeitos adversos no sono da criança, no desenvolvimento neuromotor e, mais tarde, no aprendizado. A recomendação é para que a mãe que ingeriu bebida alcoólica se abstenha de amamentar nas horas seguintes à ingestão. Síndrome do Álcool - A SAF é a consequência no feto do consumo de álcool durante a gravidez e é irreversível. Caracteriza- se por retardo no crescimento intrauterino, retardo do desenvolvimento neuropsicomotor e intelectual, distúrbios do
  3. 3. comportamento (irritabilidade e hiperatividade durante a infância), diminuição do tamanho do crânio (microcefalia), malformações da face como nariz curto, lábio superiorfino e mandíbula pequena, pés tortos, malformações cardíacas, maior sensibilidade a infecções e maior taxa de mortalidade neonatal. SÍNDROME ALCOOLICAFETAL O consumo do álcooldurante a gestação também pode causar distúrbios no desenvolvimento neural do bebê.Estimativas mostram que um a cada cinco casos de deficiênciamental no mundo, um seja causado pelo álcoolingerido pela gestante. Números que poderiam ser muito menores se houvesse maior consciênciaentre as futuras mães.Bebês nascidos com a síndrome,além de apresentar falta de coordenação motora, distúrbios de comportamento,e até retardo mental, costumam apresentar malformações na face.
  4. 4. Nem todas as crianças que sofrem do distúrbio apresentam todos os sintomas, por isso a doença é “recente”.A única forma de prevenção do distúrbio é o não consumo do álcool,porém muitas mulheres que consomem grandes quantidades de álcoolnão menstruam regularmente, e por isso às vezes engravidam sem saber, o álcoolpode causar danos logo nessas primeiras semanas de gravidez, principalmente no cérebro do bebê. Tabagismo
  5. 5. Mulheres que mantém o vício de fumar nos primeiros três meses de gravidez correm o risco de sofrer aborto natural, sangramentos, descolamento de placenta e parto prematuro, além de problemas de saúde congênitos para o bebê. Quando ainda está na barriga, o feto absorve tudo que está no sangue da mãe. A mamãe fumante, além de oxigênio no sangue também tem monóxido de carbono, que é liberado pela fumaça do cigarro. Ou seja, o bebê “fuma” junto com a mãe. Além disso, a nicotina, outra substância presente no cigarro, estreita os vasos sanguíneos fazendo com que chegue menos nutrientes e oxigênio para o feto, o que pode acarretar graves problemas de desenvolvimento. Além dos males que o cigarro traz para o feto, a saúde da mamãe também é prejudicada. Por causa do estreitamento dos vasos sanguíneos causado pela nicotina, e da pressão natural que a gravidez causa nas veias abdominais, a circulação de sangue nas pernas fica comprometida, podendo causar trombose, que é a formação de coágulos dentro das veias. Se não for tratada rapidamente, a trombose pode se complicar e acarretar problemas mais sérios como: Embolia pulmonar: o coágulo pode soltar da veia e ir até o pulmão, causando falta de ar e dor para respirar. A gravidade do problema depende do tamanho do coágulo, variando desde sutil até insuficiência respiratória aguda. Trombose na placenta: é a formação de coágulos na placenta, que pode evoluir para insuficiência placentária (a placenta não consegue mais levar oxigênio e nutrientes para o feto). A gravidade também é variável, e nos quadros mais graves pode levar até a morte do bebê, além de provocar uma série de defeitos congênitos graves, incluindo defeitos cardíacos,falta membros / deformado, pé torto, distúrbios gastrointestinais, distúrbios e facial (por exemplo, dos olhos e lábio leporino / palato). Lábio leporino com ou sem fenda palatina
  6. 6. Trata-se de uma divisão no lábio superior, entre a boca e o nariz, que ocorre porque as duas partes do rosto do bebê não se uniram adequadamente durante a gestação.Os tipos de lábio leporino variam desde uma pequena fenda no lábio superior à total separação nos dois lados do lábio, atingindo até o nariz. Um estudo chegou a indicar que mulheres que fumavam 20 ou mais cigarros por dia durante a gestação tinham mais que o dobro de chance de dar à luz bebê com lábio leporino e/ou fenda palatina.
  7. 7. A mesmapesquisaafirmou que bebês apresentavam chances oito vezes maiores de nascer com um ou o outro quando tinham pré- disposiçãogenéticapara isso e a mãe tivesse fumado na gravidez.

×