O declínio do Imperio Romano

10.446 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
10.446
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.167
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
207
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O declínio do Imperio Romano

  1. 1. A Idade Média compreende operíodo entre 476, quando Roma caiu nas mãos dos povos germânicos, e 1453, com a conquista de Constantinopla, capital do Império Romano doOriente, pelos turcos-otomanos.
  2. 2. Assim chamada por corresponder ao período entre a Idade Antiga e a Idade Moderna. Idade das trevas ou umperíodo onde se formou o mundo ocidental?
  3. 3.  Fatores:  Fim do expansionismo  Crise do escravismo  Ruralização da economia  Aumento do cristianismo  Cristãos não queriam lutar, eram contra a escravidão e eram monoteístas.  Instabilidade interna  A divisão do Império: tentativa de controlar a crise.  Invasões bárbaras
  4. 4. Os romanos chamavam de “bárbaros” todos aqueles que não compartilhavam sua cultura e que não falavam a sua língua, o latim.Eram povos de origem Germânica.
  5. 5.  Praticavam a agricultura Criavam rebanhos de bois, porcos e carneiros. Caça e pesca Nômades Comércio através da troca Vestiam-se com roupas feitas de peles Não tinham noção de Estado centralizado Direito consuetudinário  Leis e costumes transmitidos oralmente Animistas  Cultuavam as forças da natureza
  6. 6. Átila, chefe dos Hunos
  7. 7. “Os historiadores antigos mal mencionam os hunos. Eles habitam nas margens do Mar Glacial. A sua ferocidade supera tudo. Não cozinham nem temperam o que comem. Alimentam-se de raízes silvestres ou da carne do primeiro animal que aparece, carne esta que esquentam por algum tempo, sobre o dorso de seu cavalo, entre suas próprias pernas. Não possuem abrigo. Entre eles não se usam casas, nem túmulos. Não encontraríamos nem mesmo uma cabana. Passam a vida percorrendo as montanhas e as florestas. São endurecidos desde o berço contra o frio, a fome e a sede. Mesmo em viagem, não entram em habitação sem necessidade absoluta e não se crêem nunca em segurança. Não têm reis nem governantes, mas obedecem a chefes, eleitos em cada circunstância. Quando se lançam ao combate, soltam no ar uma gritaria terrível.”(Amiano Marcelino. Res gestae. Transcrito por Courcelle, Pierre. História literária das grandes invasões germânicas. Petrópolis, Vozes, 1955, pp. 151-152)
  8. 8. 1. Responda as questões 1, 2 e 3, p. 26 do livro.2. Quem eram os povos bárbaros?3. Os germânicos adotavam o direito consuetudinário e o animismo. O que isso significa?4. Leia o texto da p. 28 e responda as questões a), b), c) e d), da p. 29 do livro.

×