O que e_mkt_janaina_a_oliveira

73 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
73
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O que e_mkt_janaina_a_oliveira

  1. 1. Janaina Alves de OliveiraADENB5 – Administração de empresas – UNIFIEO Prontuário : 16040221
  2. 2. A empresa e o Marketing.Com tantas áreas dentro das empresas não se pode comparar Marketing com a áreade vendas. Apesar de alguma semelhança ou ligação, Marketing com seu conceitomaior, tem, além das funções em relação a bens e serviços, existe para elestambém, pesquisas de mercado , política de produtos, divulgação promoção e outrascoisas.
  3. 3. Marketing ou Mercadologia. Karl A. Boedecker organizou os primeiros cursos de Administração na FGV, daí em diante o termo Marketing passa a ser empregado no mundo acadêmico empresarial. Não se pode chamar Marketing de Mercadologia, pois mercadologia seria um termo similar.
  4. 4. A definição de Marketing.Definia-se Marketing inicialmente como aspectos relacionados à transferência de possesquanto a compra e vendas de bem, em outras ocasiões referia-se a distribuição. A AMA (Associação Americana de Marketing) por muito tempo definia a área como ―dona‖ de todasas atividades que envolviam o fluxo de bens e serviços entre o produtor e o consumidor.Sobre criticas, essa definição caiu. Ela deu lugar a uma interpretação mais ampla e maisvoltada a dois aspectos primordiais: à responsabilidade das funções administrativas dentrodo processo de Marketing na empresa (o chamado Managerial Marketing) e à abordagemsistêmica que se preocupa com a integração ordenada entre os diversos instrumentos queparticipam de um processo mercadológico qualquer. A mais recente das modificaçõesconceituais [pág. 16] do Marketing surgiu em conseqüência das repercussões dosmovimentos consumistas mundiais, de um lado, e, do outro lado, do reconhecimento de queo conceito de Marketing poderia ter aplicação e utilidade em áreas não necessariamenterestritas à atuação das empresas privadas.
  5. 5. Então, entendeu - se que Marketing não servia só para empresa de finslucrativos, que servia para outras visões, desde as pequenas até as maiores.A partir dessas considerações, definimos Marketing como sendo asatividades sistemáticas de uma organização humana voltadas à busca erealização de trocas para com o seu meio ambiente, visando benefíciosespecíficos. O núcleo desta definição é a idéia da troca ou do intercâmbiode quaisquer tipos de valores entre partidos interessados.
  6. 6. UM SISTEMA INTEGRADO DE MARKETING.Os 4 A’s: Resumi-se em:a) análise, para compreender as forças vigentes no mercado em que operaou pretende operar a empresa no futuro;b) adaptação, ou o intuito de ajustar a oferta da empresa — ou seja, as suaslinhas de produtos e/ou serviços — às forças externas detectadasatravés da Análise;c) ativação, como o conjunto de medidas destinadas a fazer com que oproduto atinja os mercados pré-definidos e seja adquirido peloscompradores com a freqüência desejada; ed) avaliação, que se propõe a exercer controles sobre os processos decomercialização e de interpretar os seus resultados a fim de racionalizaros futuros processos de Marketing.
  7. 7. Classifica-se os 4 A’s em dois grupos: A Análise e Avaliação constituem funções de staff ou de apoio àsoutras duas funções. Estas são exercidas por homens de linha, diretamenteenvolvidos na execução das tarefas mercadológicas voltadas ao dia-a-dia.Para cada uma das 4 funções, o Marketing desenvolveu uminstrumental apropriado e muito versátil em termos de técnicas, métodos esistemas profissionais. Assim, as duas funções auxiliares Análise eAvaliação operam essencialmente com o levantamento e a interpretação deinformações provenientes do mercado, que são processadas através de umconjunto de métodos possivelmente integrados num sistema denominadoSIM: Sistema de Informações Mercadológicas.
  8. 8.  O instrumental básico da função Adaptação é composto do design, damarca, da embalagem, do preço e da assistência aos clientes, cujo conjuntoé frequentemente denominado Composto de Apresentação. Por sua vez, oinstrumental da Ativação, que se congrega no chamado Composto deComunicação, envolve as áreas e os instrumentos de distribuição, logística,venda pessoal e publicidade.A combinação racional entre os dois subcompostos (de apresentação ede comunicação) é [pág. 23] denominada Marketing Mix ou Composto deMarketing. Administrar esse composto, dentro do objetivo geral de otimizaros recursos à sua disposição, é a responsabilidade máxima do principalexecutivo de Marketing numa empresa.***Tudo isso combinado com a Área Comercial.
  9. 9. Combinar os 4 A’s é uma arte diria os mais entusiastas, e não uma ciência, é preciso ter―feeling‖ para poder criar em cima desses ―start’s‖ . Marketing Mix, a mistura bem sucedida dealguns do 4 A’s.
  10. 10. As finalidades básicas do marketing.Primordialmente é necessário detectar oportunidades de mercado ou a existência dedemandas inadequadamente satisfeitas pelas ofertas existentes.Ficar atento as necessidades do consumidor é primordial, uma vez que esteescolhe e escolhe mesmo o que consome, e não aceita qualquer produto.
  11. 11. Por exemplo, para tirar real proveito do conceito integrado de Marketing, nãobasta que a empresa crie um setor de pesquisa de mercado ou que passe aadotar um plano de publicidade. Tanto o uso da pesquisa quanto a aplicação deprogramas de publicidade só começam a contribuir efetivamente ao processo deracionalização mercadológica quando fazem parte de um conjunto deinstrumentos em boa parte intercambiáveis entre si.
  12. 12. A FUNÇÃO ANÁLISE.Definimos como sendo o processo contínuo de investigação das condições que determinam alocalização, a natureza, o tamanho, a direção e a intensidade daquelas forças vigentes nomercado que interessam à empresa comercialmente.Esta função busca informações que se referem a experiências registradas e úteis aoprocesso decisório e interessa pela informação que lhe é útil de alguma maneira para [pág.30] reduzir os riscos das suas decisões.
  13. 13. A pesquisa de mercado. Função Analise se baseia na pesquisa de mercado, ponto. Essa é a ferramenta de trabalho. A essência da Análise é a busca e o processamento sistemático de informações. Mas não de quaisquer informações; somente aquelas que se referem a experiências registradas e úteis ao processo decisório. Toda e qualquer informação que serve ―apenas‖ para ampliar os horizontes do conhecimento (e que é a essência da investigação científica) pouco ou nada interessa ao homem da prática. Essas informações envolvem tipicamente o acompanhamento dos resultados de vendas realizados nos diversos segmentos de mercado, confrontos dos movimentos de venda da empresa e os seus principais concorrentes (por exemplo, em termos de participação de mercado), a evolução dos custos e despesas de venda, além de informações básicas de ordem econômica e social sobre as principais áreas geográficas em que opera a empresa.
  14. 14. Modelo de um SIM Por um SIM entendemos um conjunto integrado de coleta de dados, modelos e instrumentos, parcialmente computerizados, que uma empresa reúne e integra para facilitar as suas ações de adaptação ao seu meio ambiente. O SIM é comparável a uma geladeira que uma dona-de-casa abastece e à qual ela recorre em função da sua programação do consumo alimentar da família ao longo de um determinado período (digamos uma semana) e cujas ―entradas‖ e ―saídas‖ ela controla em termos das refeições a serem preparadas e do orçamento caseiro à sua disposição. Os principais objetivos da coleta de informações ambientais costumam ser o de manter a empresa continuamente informada sobre as oportunidades que surgem no mercado, bem como sobre as ameaças que podem criar barreiras aos seus planos e, finalmente, as tendências externas que ela deve acompanhar para poder dimensionar os seus planos de expansão e de diversificação.
  15. 15. A FUNÇÃO ADAPTAÇÃO Ela envolve todas as atividades da empresa que visam a ajustar as características da sua oferta (produtos e serviços) às forças vigentes no mercado. Principal preocupação do Profissional de Marketing, a adaptação ao mercado. Através da Adaptação, os setores de Marketing e industrial da empresa criam o que os economistas chamam de utilidade de forma. Para isso a empresa dispõe de um instrumental que se compõe dos cinco elementos seguintes: design, marca, embalagem, preço e assistência aos clientes.Para o profissional de Marketing por exemplo, muito mais vale tornar oproduto competitivo do que quais são as matérias usadas para tornaraquele produto flexivel.
  16. 16. Assim, o composto de apresentação consiste no esforço de ajustar as características facilmenteaparentes de um produto, inclusive as de ordem cronológica, às prioridades da demanda,preferencialmente dentro de determinados ―nichos mercadológicos‖ (estes são oportunidades demercado inadequadamente preenchidas pelos produtos disponíveis, seja de concorrentes ou daprópria empresa).
  17. 17. Funções primordiais no esforço de Adaptação: Design: propõe modificações do conceito tecnológico dos produtos em função deinformações colhidas no mercado; Marca: Identifica o produto, protege contra imitações, evidencia características; Embalagem: Oferece proteção ao produto e muitas vezes serve como decisor na hora dacompra; Preço: Variável na hora da compra, pode ou não influenciar, e pode ou não ser baseada emcustos; Assistência ao cliente: Primordial. Em suas variações e dependendo da importância donegócio, pós vendas pode ser decisiva para novos negócios.
  18. 18. O lançamento de produtos novos.Ficar atento a concorrência é fator para lançamento de novos negócios, é a parte mais acirrada.No Brasil é comum novidades gerar cópias melhores, semelhantes ou pioradas. Mas isso podeter dois lados, o bom de sempre lançar novidades ao mercado e também a dificuldade de lançarnovidades no mercado.Premissas: Só lançar produtos com a identidade da Empresa; Identificar o tipo de inovação do produto, se ele agrega, não só para o cliente masprincipalmente para a empresa; Originalidade; Teste de mercado, para saber se o produto será aceito; Planejamento; Excesso de entusiasmo, cautela é fundamental; Não permitir 100% de controle de tecnologias, pesquisa de mercado e tecnologia devemcaminhar lado a lado; Não desista no primeiro obstaculo.
  19. 19. O ciclo de vida dos produtos.A principal razão da necessidade de constantes inovações é a própria dinâmica do mercadopropulsada por mudanças nos desejos e hábitos dos consumidores e pela pressão competitiva queestimula a oferta de novas opções de produtos e serviços, frequentemente a preços reaisdecrescentes e valores adicionados em ascensão, graças à inovação tecnológica conjugada aosefeitos da curva de experiência, que provocam uma redução dos custos de muitos dos produtos eserviços da sociedade moderna.Com tantas novidades no mercado, torna-se cada vez mais curto o ciclo de vida dos produtos.Lealdade dependendo do produto, não é coisa corriqueira. A curva de evolução das vendas de umproduto, ao longo do ciclo, é acompanhada por uma curva de lucratividade que, todavia, nunca éparalela ao movimento do faturamento. Durante a introdução, os lucros são nulos ou mínimos, mastendem a aumentar e atingir o seu auge durante a fase decrescimento. Já na fase de maturidade os esforços para manter o produtono mercado tendem a exercer uma pressão baixista sobre as margens,pressão essa que evidentemente se intensifica durante o declínio, de modo que muitos produtos queainda permanecem no mercado nesta fase final já são deficitários.
  20. 20. Há produtos que são ―empurrados‖ para fora do mercado por outro que passam a ter apreferência dos consumidores. Ex: Tv Preto e Branco e CDS.Há situações, no entanto, onde determinados produtos revertem deuma fase posterior para uma fase anterior devido a mudanças do ambiente,incontroláveis pela empresa, ou do próprio ramo de atividade. As bicicletas por exemplo, cujademanda recebeu um impulso inesperado no mundo devido à associação de dois fatoresfavoráveis: a escassez de energia e a valorização do esporte como medida de defesa dasaúde.
  21. 21. A FUNÇÃO ATIVAÇÃO.Ativação abrange todas as atividades que visam à satisfação das utilidades de tempo, local e possede um produto ou serviço. a Ativação se concentra na criação ouno refinamento de outros tipos deutilidades, como tempo e local, visando colocar o produto à disposição do comprador na hora e nolugar em que este mais o deseja.O status que hoje é mencionado com tanta frequência, como um elemento dinamizante da demanda,é uma das expressões mais representativas da utilidade de posse. Por exemplo, quantos fumantesutilizam isqueiros não tanto porque lhes parece ser a forma mais racional econveniente de acendercigarros, mas primordialmente porque o isqueiro tem para eles uma conotação afetiva, inconscientetalvez, representada por valores como o machismo, o poder ou o status social? Somos todos maisou menos vítimas desses valores não necessariamente aparentes e facilmente explicáveis emtermos de argumentos racionais. O bom mercadólogo sabe descobrir e explorar esses valores embenefício da sua empresa.
  22. 22. Compostos de Marketing Mix; Distribuição: é a escolha, o atendimento e o controle dos intermediários que conduzem osprodutos do produtor ao consumidor; Logística: Entregas, Localizações, Armazenagens; Venda Pessoal: Treinamentos realizados através do RH, para ofertar os produtos;Publicidade: comunicação, através de meios impessoais (impressos eeletrônicos), destinada a informar, divulgar e promover a oferta de idéias,bens e/ou serviços por parte de um patrocinador identificado.
  23. 23. Problemas de distribuição e logística.1) O que é uma via de distribuição e que tipos de vias existem?Uma via ou um canal de distribuição é um conjunto de instituições interligadas entre si que conduzem os fluxos de movimentação física dos produtos, bemcomo os fluxos de serviços, de informações, de promoção e depagamentos entre os produtores e usuários ou consumidores finaisdesses produtos ou serviços.
  24. 24. 2) Qual é a melhor via: direta ou a indireta?Normalmente, o produtor prefere umavia muito curta ou até venda direta quando prevalecem as seguintescondições:O poder aquisitivo de cada comprador individual, bemcomo o vulto de suas encomendas médias, é elevado; Um número substancial de visitas resultam em vendas efetivas; Há a conveniênciaou até necessidade de demonstrações pessoais por parte de vendedoresespecialmente treinados para esta função;Os compradores potenciais estão localizados próximos entre si; Os clientes necessitam deserviços diretos para poderem utilizar os produtos adequadamente(como, por exemplo, a instalação e manutenção de máquinas); O produto precisa estar disponível rapidamente para poder ser [pág. 70]vendido.
  25. 25. 3) Quando a empresa opta pela distribuição indireta, quais costumam ser osprincipais critérios de seleção quanto aos tipos de intermediários?Destaca-se:A questão da intensidade de distribuição. Distribuição intensiva, que se utiliza de um máximode pontos de venda; A distribuição exclusiva, Situações intermediárias denominadas distribuição seletiva, onde apenas algunsintermediários dentro dos possíveis são escolhidos para representar as marcas dos produtores(como no caso de eletrodomésticos ou de móveis). b) Aquestão da prioridade por um dado sistema operacional de distribuição, tendo dentro deles:A determinação dos objetivos e das limitações dos canais, o levantamento das principaisalternativas de escolha dos canais e a avaliação das principais alternativas disponíveis, queenvolve a análise de critérios econômicos de controle e de adaptação, dos quais a primeiraevidentemente é a mais importante.
  26. 26. 4) Quais são as principais componentes de um sistema de logística voltadoà produtividade mercadológica? O núcleo de um sistema logístico écomposto de cinco elementos, a saber: decisões referentes àlocalização, ao transporte, aos estoques, à comunicação nas vias e aomovimento de materiais.
  27. 27. Problemas referentes à venda pessoal.1) Quais são as principais medidas que uma empresa deve tomar paramontar uma equipe eficaz de vendedores? uma definição clara dos objetivos de Marketing e dacontribuição que a força de vendas pode e deve dar para atingi-los; dados objetivos sobre a relação entre produtos e os segmentos [pág. 74]geográficos do mercado que devem ser atingidos e que permitemdeterminar o tamanho ideal da força de vendas; Descrições sumárias,mas bastante explícitas, das funções básicas dos diversosmembros daequipe (como vendedores, supervisores, promotores e suas relações paracom a gerência); o recrutamento ou a procura cautelosa de candidatos às posições a serempreenchidas através de contatos com agências especializadas, anúncios em jornais,entrevistas em faculdades e outros meios; a seleção dos candidatos através de entrevistas e testes; bons programas de treinamento de vendas com o intuito defamiliarizar os vendedores com a empresa, seus objetivos, seusprodutos, suas maneiras de agir e as principais características dos seusclientes e concorrentes, além de prepará-los para se tornarem cada vezmais eficientes e motivados, seja na apresentação, seja no fechamento eacompanhamento do ato de venda;
  28. 28. um método de remuneração que seja justo e motive a equipe a manter um altopadrão de desempenho;um mecanismo de supervisão e motivação contínuo, intimamenteligado aos programas de treinamento; e (9) um sistema de controlesintegrado ao SIM e à auditoria mercadológica.
  29. 29. 2) Por que gastar dinheiro com o treinamento de vendas?A não ser que seja mal preparado [pág. 75] e executado, um programa de treinamento se faz pagarrapidamente, não só porque fortalece a posição e portanto a eficácia do vendedor perante o cliente,graças ao seu melhor conhecimento de causa, mas também porque o treinamento gera e reforça umasérie de aspectos motivacionais como segurança, autoconfiança, lealdade e a capacidade do vendedorde avaliar seus clientes potenciaiscom maior precisão, o que lhe facilita moldar a sua argumentação devenda à luz desses conhecimentos.
  30. 30. 3) O que é um bom vendedor?Assegura ATENÇÃO, provocar INTERESSE, gerar DESEJO, induzir àAÇÃO e levar o cliente à SATISFAÇÃO. Há um consenso [pág. 76]também no sentido de que o bom vendedor reúne duas qualidadescentrais, empatia e impulso de ego
  31. 31. 4) Quais são os fatores que mais motivam os vendedores?Salário, salário e salario, é o que mais motiva os vendedores.
  32. 32. 5) Qual é a melhor maneira para remunerar os vendedores?O que se pode afirmar:Todavia, é que cada um dos sistemas conhecidos tem o condão de atingirem maior ou menor grau os objetivos centrais da administração devendas, seja do ponto de vista do vendedor (que procura salário,estabilidade, segurança e genericamente os fatores de Maslow acimacitados), seja da empresa (que visa eficácia, baixos índices de rotação,um sistema de fácil administração, integração e lealdade do corpo devendas, etc.).
  33. 33. 6) Como pode-se manter os custos de vendas dentro de padrõeseconômicos e controláveis?A partir de um sistema que parte de fatoresexógenos que constituem parâmetros de comparação da eficácia dasvendas (como os potenciais relativos por território e zona), conjugados adados derivados da experiência.
  34. 34. Problemas referentes à publicidade. 1) Quais são os principais objetivos da publicidade? ampliar a demanda;  tornar a demanda mais inelástica (ou menos sensível a aumentos de preços);  apoiar os esforços de venda pessoal. Esses objetivos se aplicam tanto ao estímulo da demanda primária quanto ao estímulo da demanda seletiva
  35. 35. 2) Quais são as principais etapas de um plano publicitário e quem deve serresponsável pela sua execução e seu controle? definição dos objetivos à luz da estratégia de Marketing e das funções específicas da comunicação impessoal dentro desta estratégia, que inclui aspectos como determinação dos públicos-alvo, definição dos principais temas e tipos de mensagem a serem usadas e escolha do tipo de mídia a serer empregado; a elaboração do plano de mídia, ou seja, do composto deveículos publicitários impressos e/ou eletrônicos que mais se prestampara atingir os objetivos; a elaboração de um orçamento que especifica verbas por mídia, região eprodutos; a determinaçãodos meios de controle de avaliação dos resultados esperados.
  36. 36. Mais delicada é a questão quanto à responsabilidade de execução e controle deste plano.Muitas empresas, sobretudo aquelas que se sentem despreparadas para exercer funçõesde Marketing sem auxílio externo, delegam esta função à sua agência, determinando apenasas verbas. Ao proceder desta maneira, a empresa corre o risco elevado de desintegrar asfunções de comunicação de Marketing, pois uma agência nem tem obrigação de elaborar, nemse pode esperar dela que esteja em condições de elaborar, um plano integrado decomunicações que atribua pesos adequados às funções de venda pessoal ou mesmo dedistribuição e/ou de logística. Portanto, no nosso entender, a responsabilidade pela execução eo controle das quatro fases acima resumidas é indelegável.
  37. 37. 3) Quais são os melhores critérios para determinar as verbas depublicidade?Primeiro é preciso reconhecer que não existe um únicomeio plenamente satisfatório, sobretudo devido à [pág. 82] dificuldadede se avaliar os retornos da publicidade.
  38. 38. uma percentagem fixa sobre as vendas passadas ou estimadas parao período de apropriação; um montante totalmente subjetivo alocadoem função daquilo que alguém com poderes julga ser necessário,suficiente e economicamente justificável para ser atribuído à publicidade;o método da paridade competitiva, que se baseia nas taxas―costumeiras‖ aplicadas na setor ou ramo de atividade e/ou entre osprincipais concorrentes da empresa.
  39. 39. 4) Existem critérios confiáveis para a composição racional da mídiadestinada a determinada campanha?O confronto direto entre váriasopções distintas de mídia (por exemplo, entre televisão e rádio), bemcomo a escolha entre opções dentro de um determinado tipo de mídia(custo por inserção em várias revistas) é viável até certo ponto e énecessário que seja feito.
  40. 40. 5) Como se compara a evolução da publicidade no Brasil frente à de outrospaíses, sobretudo os industrialmente avançados?A publicidade é inegavelmente o instrumento de Marketing mais antigo que se utiliza noBrasil com bastante regularidade.
  41. 41. A FUNÇÃO AVALIAÇÃOProcuramos dar uma conotação ampla ao conceito da Avaliação, quenão só inclui um ―estado de alma‖ do homem de ação à busca de melhoriasde desempenho das suas funções, mas que também abrange a elaboraçãosistemática de métodos e técnicas destinadas a mensurar os resultados dedeterminadas ações com o intuito de recomendar melhorias que contribuampara um maior grau de eficácia de futuros processos de mercadização.
  42. 42. O conceito de Avaliação é semelhante mas não idêntico aode controle. Este é aplicável a qualquer setor administrativo da empresa,enquanto que a Avaliação se refere exclusivamente ao setor de Marketing.Dentro deste setor, todavia, ele é mais amplo do que a conotação comumdada ao controle nas empresas. Avaliação abrange obrigatoriamente:a determinação de padrões de controle;o acompanhamento sistemático dos desvios entre os resultados de certas açõesmercadológicas e os seus padrões;a recomendação de ações corretivas, derivadas daobservação dos desvios e que visam melhorias no desempenho deMarketing.
  43. 43. As áreas de enfoque da avaliação.Para se chegar aos poucos a um Sistema de Auditoria Mercadológica aempresa deverá proceder passo a passo, procurando desenvolverprocessos de avaliação que se referem adeterminadas áreas, inicialmente as que oferecem os maiores problemasde desempenho. Todas estas tentativas parciais de avaliação podemconduzir a um sistema integrado ao longo do tempo, contanto que partamsempre dos objetivos e das diretrizesMercadológicas que norteiam o comportamento mercadológico da empresacomo um todo.
  44. 44. Primordialmente: A empresa precisa definir o que ela pretende controlar eavaliar (como desempenho da Força de vendas, relações entre potenciais e cotas, etc.); épreciso ter decorrido um período mínimo em que as funções aserem avaliadas possamse desenrolar para serem controladas; Para este período e sua avaliação é preciso ter padrões decontrole que sirvam como base de confronto entre ―oplanejado e o executado‖ (como metas de venda, número devisitas, verbas, etc.); A empresa precisa dispor de meios (pessoas, técnicas epossivelmente equipamentos) para poderConfrontar as expectativas com os resultados do desempenhoao longo do período; A empresa deve estabelecer normas quanto aos desviosaceitáveis entre o esperado e o realizado (porque umaconcordância total entre os dois quasenunca é atingida, nem isso é recomendável na maioria doscasos);
  45. 45.  O grau dos desvios entre o planejado e o realizado deve oferecer um indícioquanto às funções que merecem ser investigadas com maior ou menor minúcia, a fimde ..... Detectar as causas de eventuais falhas ocorridas aolongo do sistema que sirvam de base para ... formular recomendações.
  46. 46. A segunda área de interesse especial para o SAM é a própriaorganização de vendas ou de [pág. 95] uma parte dela, como, por exemplo, umagerência regional. Ao se voltarem a aspectos estruturais da empresa, osauditores de Marketing exercem funções mais de aconselhamento do que deauditoria no sentido mais restrito da expressão (e que necessariamente envolveo processamento de muitos dados). Como conselheiros, os auditores conduzementrevistas e, por vezes, se envolvem em programas de treinamento, porexemplo para reduzir conflitos em áreas particularmente sensíveis daadministração,Como os frequentes desentendimentos entre representantes da área deMarketing e da engenharia de produtos, quando do lançamento de inovações nomercado.

×