Fichamento texto 6

2.157 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.157
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fichamento texto 6

  1. 1. Universidade de Brasília – UnB Centro de Estudos Avançados Multidisciplinares – CEAM Curso de Especialização em Gestão Escolar Disciplina: Oficinas Tecnológicas Prof. Pedro Andrade Aluno: Jailson Carvalho ALMEIDA, Maria Elizaabeth Bianconcini. Gestão da tecnologia na escola. Série “Tecnologia e Educação: Novos tempos, outros rumos” – Programa Salto para o Futuro. São Paulo, 2002. Disponível em < http://moodle.mec.gov.br/unb/mod/data/view.php?id=1135> Acesso em 02/07/2013. Resumo: A autora destaca a origem da introdução da tecnologia na escola como forma de auxiliar nos procedimentos administrativos. Com o passar do tempo as TIC passaram a ser inseridas como atividades adicionais como auxilio nas coordenações. Essa inserção contribuiu para o acesso a aprendizagem por meio da internet, estabelecendo novas relações que conseguem ultrapassar os limites físicos da sala de aula, articulando com vários outros aspectos. 2) Citações principais do texto: “Não se pode esperar que as TIC funcionem como catalisadores dessa mudança, uma vez que não basta o rápido acesso a informações atualizadas continuamente, nem a simples adoção de novos métodos e estratégias de ensino ou de gestão.” “Há que se empregar nas ações de hoje todos os recursos disponíveis, inclusive as TIC, tendo em vista a criação de comunidades colaborativas, que propiciem a criação de suas próprias redes de conhecimentos, cuja trama ajuda a construir uma sociedade solidária e mais humanitária”
  2. 2. “Nessa formação, cujo eixo articula a realidade da escola com o domínio dos recursos tecnológicos e com a prática pedagógica com as TIC, o educador terá a oportunidade de identificar e analisar as problemáticas envolvidas em sua atuação, na sua escola, no sistema educacional e na sociedade [...]” “[...]as TIC podem ser incorporadas na escola como suporte para: a comunicação entre os educadores da escola, pais, especialistas, membros da comunidade e de outras organizações; a criação de um fluxo de informações e troca de experiências, que dê subsídios para a tomada de decisões; a realização de atividades colaborativas, cujas produções permitam enfrentar os problemas da realidade; o desenvolvimento de projetos inovadores relacionados com a gestão administrativa e pedagógica; a representação do conhecimento em construção pelos alunos e respectiva aprendizagem.” “A incorporação das TIC na escola vem se concretizando com maior freqüência nas situações em que diretores e comunidade escolar se envolvem nas atividades como sujeitos do trabalho em realização, uma vez que o sucesso desta incorporação está diretamente relacionado com a mobilização de todo o pessoal escolar, cujo apoio e compromisso para com as mudanças envolvidas nesse processo não se limitam ao âmbito estritamente pedagógico da sala de aula. As mudanças se estendem aos diferentes aspectos envolvidos com a gestão do espaço e do tempo escolar, com a esfera administrativa e pedagógica. Daí a importância da formação de todos os profissionais que atuam na escola, fortalecendo o papel da direção na gestão das TIC e na busca de condições para o seu uso no processo de ensino e de aprendizagem.” “Essa evolução levou à tomada de consciência da importância de incorporar as TIC à prática pedagógica e ao contexto da sala de aula, bem como da necessidade de envolver os gestores nessas atividades [...]” “Desta forma, a incorporação das TIC na escola e na prática pedagógica não mais se limita à formação dos professores, mas se volta também para a preparação de dirigentes escolares e seus colaboradores, propiciando-lhes o domínio das TIC para
  3. 3. que possam auxiliar na gestão escolar e, simultaneamente, provocar a tomada de consciência sobre as contribuições dessa tecnologia ao processo de ensino e aprendizagem. Cria-se, assim, um ambiente de formação para que o diretor escolar possa analisar e reconstruir o seu papel frente às responsabilidades que lhe cabem como liderança da instituição e como gestor do projeto político-pedagógico da escola, bem como pela criação de uma nova cultura da escola, que incorpore as TIC às suas práticas. De modo semelhante, o coordenador pedagógico terá a oportunidade de rever-se e de analisar as contribuições das TIC para desempenhar o papel de articulador entre as dimensões pedagógicas e administrativas da escola.” “A par disso, observa-se a disponibilidade de ambientes virtuais para a formação e a criação de comunidades colaborativas que apresentam um forte potencial para aglutinar recursos tecnológicos, especialistas, formadores e educadores em torno de atividades que permitam trilhar novos caminhos na formação continuada a distância, baseada em um trabalho contextualizado na realidade da escola, sem afastar de seu contexto de atuação o educador em formação.” “O uso das TIC na gestão escolar permite: registrar e atualizar instantaneamente a sua documentação; criar um sistema de acompanhamento e participação da comunidade interna e externa à escola por meio de ambientes virtuais; definir metodologias de avaliação adequadas e compatíveis com critérios democráticos e participativos; trocar informações e experiências com a comunidade, identificando talentos e potencialidades que possam contribuir com a evolução conjunta de problemáticas tanto da escola como da comunidade; discutir e tomar decisões compartilhadas.” “Inicialmente, foi realizado um trabalho com os multiplicadores dos Núcleos de Tecnologia Educacional – NTEs -, do ProInfo, a fim de introduzir os gestores na cultura informática e dar-lhes condições de desenvolver o da tecnologia para a resolução de problemas da escola e de sua prática profissional.” “Anuncia-se um novo tempo, cabendo a cada educador, seja gestor ou professor, participar de processos de formação continuada e em serviços que criam a oportunidade de formação de redes colaborativas de aprendizagem apoiadas em
  4. 4. ambientes virtuais para encontrar, no coletivo da escola, o caminho evolutivo mais condizente e promissor de acordo com a identidade da escola e com o contexto em que se encontra inserida.” 3) Comentários: As TIC foram inseridas nas escolas como forma de auxilio nos processos administrativos escolares. Como passar do tempo essa tecnologia passou a ser utilizada como ferramenta no processo de aprendizagem. Primeiro nas coordenações dos professores, em seguida nas salas de informáticas e por fim, ultrapassando a barreira física do ambiente escolar. Com esse processo veio os NTE’s (Núcleo de Tecnologia Educacional) nas universidades federais. Hoje vários gestores, professores e servidores das escolas podem estudar em ambientes virtuais criando comunidades de troca de informação e conhecimento.

×