Modelo V

2.677 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.677
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
24
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Modelo V

  1. 1. Engenharia da ProgramaçãoDescrição do modelo V A estrutura do modelo V é uma aproximação estruturada de testes que pode serusada com toda a metodologia do desenvolvimento da gerência ou do sistema de projecto.A estrutura enfatiza a qualidade da fase inicial das exigências através da fase de teste final. Focaliza–se em testar durante todo o ciclo de desenvolvimento para conseguir umadetecção adiantada dos erros. Cada derivado principal no processo de desenvolvimento é avaliado, verificado,validado e testado. Os derivados de cada fase necessitam ser verificados e validados parase assegurar que estão completos e correctos. O trabalho prossegue para a fase seguintequando todos os derivados do projecto duma fase se encontram conforme as exigências deverificação e validação. O processo de verificação e de validação é uma tentativa de travartantos erros quanto possível dentro do ciclo de desenvolvimento. Este modelo introduz a criação de testes de dados e cenários de teste durante o ciclode desenvolvimento do software, ao contrário de outros que só fazem testes no fim dociclo. Este modelo disponibiliza diferentes estados de teste : “unit testing”, “integrationtesting”, “system testing” e “acceptance testing". Cada fase de testes é suportada pela documentação, conhecida como “ test plans”. O modelo V retracta a importância do teste do software no início dodesenvolvimento do ciclo e garante a qualidade do software, porque este é testado váriasvezes ao longo do ciclo. Em geral, reforça a ideia de que o teste não é uma fase, mas uma parte integrante dociclo de desenvolvimento do software. Basicamente o ciclo de desenvolvimento do modelo segue a seguinte sequência:especificação, requisitos, desenho, código, testes unitários, integração, testes, sistema,testes, aceitação, testes, especificação/desenho de código, testes unitários, requisitos,revisão, aceitação do sistema, testes de revisão, especificação/ desenho de código, testes deaceitação do sistema, desenho e revisão. Estas fases estão representadas no esquema a seguir apresentado: 1
  2. 2. Engenharia da Programação 2
  3. 3. Engenharia da ProgramaçãoVantagens e desvantagensVantagens do modelo V: 8A fase de teste começa no início do ciclo. 8A segunda fase de testes é extremamente reduzida. 8Os “test plans” detalhados em cada fase do ciclo ajudam compreender melhorqual a origem do problema. 8 O modelo V é um standard internacional para o desenvolvimento de sistemas IT,sendo superior ao modelo cascata e ao modelo espiral no endereçamento de grandesprojectos IT.Desvantagens: 8Continua a não ser suficientemente flexível; 8É necessário maior feedback entre todas as fases do ciclo. 8 3
  4. 4. Engenharia da ProgramaçãoCaso de AplicaçãoProjecto EQUIPE do ISG O ISG decidiu aplicar como base para o projecto EQUIPE os regulamentos domodelo V, porque estes descrevem actividades internacionalmente conhecidas para odesenvolvimento de software. A estrutura do modelo V divide o desenvolvimento dosistema em sub-modelos: a gerência de projecto, a gerência da configuração e a garantia dequalidade na qual o ISG deve compartilhar as actividades e responsabilidades. Asubdivisão dos sub-modelos individuais em actividades diferentes faz com que o modelo Vseja manejável e desobstruído. É possível adaptar exactamente os regulamentos do modeloV às exigências reais do ISG. Um argumento adicional para o uso do modelo V no projecto EQUIPE é aexperiência positiva que o ISG teve com o projecto InCoMM, executado como umprojecto da ESSI-PIE. Neste projecto o ISG introduziu um modelo do CM (configurationmanagement) ao software do ISG NC que segue os regulamentos do modelo V. A escolha do modelo V foi feita porque contem regulamentos para actividadesanalíticas do QA (quality assurance) bem como as actividades de construção do QA. Umaexecução melhorada do teste não melhoraria a qualidade do software no ISG sem um usoeficaz dela. Da mesma maneira uma gerência melhorada do teste seria ineficaz semmétodos apropriados de teste. Além disso o ISG procurava um tipo de guideline para amelhoria das suas actividades do QA. O submodelo do QA do modelo v pode ser usadocomo um guideline, porque o modelo V está estabelecido como um modelo do processo dociclo de desenvolvimento. 4

×