¨E e le lhe s dis s e : Vamo s às alde ias vizinhas para que e u ali també m pre g ue ;
                         po rque p...
Ge ralme nte, ve mo s na Terra a mis s ão de ens inar muito
  de s mo ralizada. A ciê nc ia ofic ial dis põe de cáte dras ...
Daí res ulta a pe rturbaç ão ge ral, porque os ouvintes s e
      s e ntem à vo ntade para mudar a ¨roupa do c aráte r¨.
 ...
No e ntanto , mis turo u palavras e te s te munhos vivos , de s de a
prime ira manife s taç ão de s e u apos tolado s ubli...
Enviando -no s divino e ns iname nto , ne s s e s e ntido ,
 c o nta-no s o Evang e lho que o Me s tre ve s tia uma
túnic ...
Pe lo e s pírito : Emmanue l.
   Ps ic o g rafia: Franc is c o Cândido Xavie r. livro : Caminho ,
                        ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

PregaçõEs. Jr Cordeiro.

404 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
404
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
11
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
15
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

PregaçõEs. Jr Cordeiro.

  1. 1. ¨E e le lhe s dis s e : Vamo s às alde ias vizinhas para que e u ali també m pre g ue ; po rque para is s o vim.¨ ( Marc o s , 1:38.) Ne s te ve rs ículo de Marc os , Je s us de c lara te r vindo ao mundo para a pre g aç ão. Todavia, c omo a s ignific aç ão do c o nc e ito tem s ido e rrone ame nte inte rpre tada, é razoáve l re c ordar que , c o m s eme lhante as s ertiva, o Me s tre inc luía no ato de preg ar to dos os ge s tos s ac rificiais de s ua vida.
  2. 2. Ge ralme nte, ve mo s na Terra a mis s ão de ens inar muito de s mo ralizada. A ciê nc ia ofic ial dis põe de cáte dras , a po lítica po s s ui tribunas , a re ligião fala de púlpitos . Contudo, o s que e ns inam, c om e xc e ç õe s louváve is , quas e s e mpre s e c aracte rizam por dois modos dife re ntes de agir. Exibe m c ertas atitudes quando pre gam, e adotam outras quando e m atividade diária.
  3. 3. Daí res ulta a pe rturbaç ão ge ral, porque os ouvintes s e s e ntem à vo ntade para mudar a ¨roupa do c aráte r¨. To da dis s e rtaç ão moldada no be m é útil. Je s us ve io ao mundo para is s o , pre gou a ve rdade e m todo s os lugare s , fe z dis c urs o s de re no vaç ão, c ome ntou a ne c es s idade do amor para a s o luç ão de nos s os proble mas .
  4. 4. No e ntanto , mis turo u palavras e te s te munhos vivos , de s de a prime ira manife s taç ão de s e u apos tolado s ublime até a c ruz. Po r preg aç ão , po rtanto, o Me s tre ente ndia igualme nte os s ac rifícios da vida.
  5. 5. Enviando -no s divino e ns iname nto , ne s s e s e ntido , c o nta-no s o Evang e lho que o Me s tre ve s tia uma túnic a s e m c o s tura na ho ra s upre ma do Calvário .
  6. 6. Pe lo e s pírito : Emmanue l. Ps ic o g rafia: Franc is c o Cândido Xavie r. livro : Caminho , Ve rdade e Vida. Edito ra: FEB. Imag e ns : Os Mais .c o m Mús ic a: Fly Wic th Me . E. Co rtazar. Rio de Jane iro . RJ. O ac as o não e xis te . Le ia Karde c . Livro do s Es pírito s : Há 150 ano s Libe rtando Fo rmataç ão :Co ns be rto c o iasiro @g mail.c o m jo s e ro c iê nc rde . Arquivo de me ns ag e ns : http://ro be rto g e nio 38.4s hare d.c o m

×