DROGAS SINTÉTICAS   Alunos: David Silva e Iuri Pereira  Prof.:Ana Paula Pina
Índice   <ul><li>1º Introdução  </li></ul><ul><li>2º Definição de drogas sintéticas </li></ul><ul><li>3º Tipos de drogas s...
Introdução   <ul><li>Nós escolhemos este tema, pois queríamos saber mais sobre as drogas sintéticas e os seus efeitos e co...
Definição de Drogas Sintéticas <ul><li>Drogas sintéticas  são substâncias ou misturas de substâncias exclusivamente psicoa...
Tipos de Drogas Sintéticas   <ul><li>Anfetaminas  </li></ul><ul><li>LSD </li></ul><ul><li>Ecstasy ou MDMA  </li></ul><ul><...
Anfetaminas   <ul><li>As Anfetaminas são substâncias de origem sintética e com efeitos estimulantes..  </li></ul><ul><li>O...
Anfetaminas <ul><li>O consumo de Anfetaminas pode provocar sede, transpiração, desidratação, diarreia, taquicardia, aument...
LSD <ul><li>O LSD pode provocar ilusões, alucinações (auditivas e visuais), grande sensibilidade sensorial (cores mais bri...
Ecstasy  <ul><li>Os primeiros efeitos surgem após 20-70 minutos, alcançando a fase de estabilidade em 2 horas. Diz-se que ...
Crack <ul><li>Os efeitos destas substâncias são idênticos aos da cocaína, contudo como atingem o cérebro em poucos segundo...
Crack ( continuação ) <ul><li>Em termos psicológicos, pode provocar a destruturação da identidade da pessoa. Esta pode tor...
Heroína <ul><li>Esta substância é um opiáceo, sendo, por isso, produzida a partir da papoila (de onde é extraído o ópio), ...
Heroína ( continuação  ) <ul><li>A longo prazo, o consumidor poderá sofrer alterações a nível de peso (emagrecimento extre...
Morfina <ul><li>A morfina é o principal elemento activo do ópio, sendo, por isso, categorizada como um opiáceo.  </li></ul...
Conclusão   <ul><li>Com este trabalho aprendemos que as drogas sintéticas causam variados efeitos, como, por exemplo, baix...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Drogas SintéTicas

18.306 visualizações

Publicada em

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
18.306
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
81
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
211
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Drogas SintéTicas

  1. 1. DROGAS SINTÉTICAS Alunos: David Silva e Iuri Pereira Prof.:Ana Paula Pina
  2. 2. Índice <ul><li>1º Introdução </li></ul><ul><li>2º Definição de drogas sintéticas </li></ul><ul><li>3º Tipos de drogas sintéticas </li></ul><ul><li>4º Anfetaminas </li></ul><ul><li>5º LSD </li></ul><ul><li>6º Ecstasy </li></ul><ul><li>7º Crack </li></ul><ul><li>8º Heroína </li></ul><ul><li>9º Morfina </li></ul><ul><li>10º Conclusão </li></ul><ul><li>11º Bibliografia </li></ul>
  3. 3. Introdução <ul><li>Nós escolhemos este tema, pois queríamos saber mais sobre as drogas sintéticas e os seus efeitos e consequências do corpo humano. </li></ul>
  4. 4. Definição de Drogas Sintéticas <ul><li>Drogas sintéticas são substâncias ou misturas de substâncias exclusivamente psicoativas produzidas através de meios químicos cujos principais componentes activos não são encontrados na natureza. </li></ul><ul><li>A maioria das drogas sintéticas apresentam efeitos alucinógenios, podendo serem estimulantes ou depressores do sistema nervoso central (SNC). </li></ul>
  5. 5. Tipos de Drogas Sintéticas <ul><li>Anfetaminas </li></ul><ul><li>LSD </li></ul><ul><li>Ecstasy ou MDMA </li></ul><ul><li>Crack </li></ul><ul><li>Heroína </li></ul><ul><li>Morfina </li></ul>
  6. 6. Anfetaminas <ul><li>As Anfetaminas são substâncias de origem sintética e com efeitos estimulantes.. </li></ul><ul><li>O consumo de Anfetaminas pode provocar hiperactividade e uma grande necessidade de movimento, às quais pode associar-se o aumento da atenção e concentração (daí o seu uso por estudantes). Paralelamente, a pessoa pode perder o sono e a fome. O estado de excitação nervosa, euforia, loquacidade e aumento do grau de confiança, pode resultar numa diminuição da auto-crítica. </li></ul><ul><li>No entanto, os efeitos positivos transformam-se em negativos com alguma rapidez, podendo a pessoa experimentar fadiga, depressão, apatia ou agressividade (ocasionalmente). Os efeitos duram entre 6 a 12 horas. </li></ul>
  7. 7. Anfetaminas <ul><li>O consumo de Anfetaminas pode provocar sede, transpiração, desidratação, diarreia, taquicardia, aumento da tensão arterial, náuseas, má disposição, dor de cabeça, tonturas, vertigens, sono conturbado e pouco reparador. São frequentes tiques exagerados e anormais da mandíbula ou movimentos estereotipados. Nos casos de perda de apetite devido ao uso constante de Anfetaminas, poderá ocorrer o risco de desenvolvimento de uma anorexia nervosa, desnutrição e até morte. </li></ul>
  8. 8. LSD <ul><li>O LSD pode provocar ilusões, alucinações (auditivas e visuais), grande sensibilidade sensorial (cores mais brilhantes, percepção de sons imperceptíveis), sinestesias, experiências místicas, flashbacks, paranóia, alteração da noção temporal e espacial, confusão, pensamento desordenado, baforadas delirantes podendo conduzir a actos auto-agressivos (suicídio) e hetero-agressivos, despersonalização, perda do controlo emocional, sentimento de bem-estar, experiências de êxtase, euforia alternada com angústia, pânico, ansiedade, depressão, dificuldade de concentração, perturbações da memória. Poderão ainda ocorrer náuseas, dilatação das pupilas, aumento da pressão arterial e do ritmo cardíaco, debilidade corporal, sonolência, aumento da temperatura corporal. </li></ul><ul><li>Estes efeitos duram entre 8 a 12 horas e aparecem cerca de 30/40 minutos após o consumo. </li></ul>
  9. 9. Ecstasy <ul><li>Os primeiros efeitos surgem após 20-70 minutos, alcançando a fase de estabilidade em 2 horas. Diz-se que o MDMA pode combinar os efeitos da cannabis (aumento da sensibilidade sensorial e auditiva), os das Anfetaminas (excitação e agitação) e ainda com os do álcool (desinibição e sociabilidade). Para além disso, pode oferecer uma forte sensação de amor ao próximo, de vontade de contacto físico e sexual. </li></ul><ul><li>A longo prazo, o ecstasy pode provocar cansaço, esgotamento, sonolência, deterioração da personalidade, depressão, ansiedade, ataques de pânico, má disposição, letargia, psicose, dificuldade de concentração, irritação ou insónia. Estas consequências podem ainda ser acompanhadas de arritmias, morte súbita por colapso cardiovascular, acidente cérebro-vascular, hipotermia, hepatotoxicidade ou insuficiência renal aguda. </li></ul>
  10. 10. Crack <ul><li>Os efeitos destas substâncias são idênticos aos da cocaína, contudo como atingem o cérebro em poucos segundos, são mais rápidos e intensos. Apresentam uma duração de cerca de 5 a 10 minutos. </li></ul><ul><li>O indivíduo pode começar por sentir euforia, sensação de bem-estar intensa e excitação sexual. Contudo, os efeitos positivos poderão ser rapidamente substituídos por ardor nos olhos, secura na boca, palpitações, contracções musculares, dilatação das pupilas, dor de cabeça, depressão forte, irritabilidade, angústia, insónia e diminuição do apetite. </li></ul><ul><li>Com o consumo destas substâncias o indivíduo pode experimentar insónias, agitação psicomotora, emagrecimento, hipertensão, arritmias cardíacas, indiferença sexual ou acessos crónicos de tosse. Como produzem um aumento acentuado da frequência cardíaca e da pressão sanguínea, poderão causar enfarte do miocárdio e hemorragias cerebrais. Adicionalmente, o consumo destas substâncias poderá ainda trazer outras complicações, frequentemente mortais, como infecções nos brônquios e paragens respiratórias. </li></ul>
  11. 11. Crack ( continuação ) <ul><li>Em termos psicológicos, pode provocar a destruturação da identidade da pessoa. Esta pode tornar-se mais agressiva, ter problemas a nível de autocrítica e moral, dificuldades em estabelecer relações afectivas, desenvolver psicoses, paranóia, comportamento excessivamente anti-social, podendo inclusivamente orientar-se para a marginalidade e prostituição. </li></ul>
  12. 12. Heroína <ul><li>Esta substância é um opiáceo, sendo, por isso, produzida a partir da papoila (de onde é extraído o ópio), que é transformada em morfina e mais tarde em heroína. </li></ul><ul><li>Os efeitos da heroína duram entre 4 a 6 horas. Inicialmente podem sentir-se náuseas e vómitos que são depois substituídos por sensação de bem-estar, excitação, euforia e prazer. Constantemente, pode sentir-se uma sensação de tranquilidade, alívio da dor e da ansiedade, diminuição do sentimento de desconfiança, sonolência, analgésica, letargia, embotamento mental, incapacidade de concentração ou depressão. Para além disso, pode ainda experimentar-se miose, estupor, depressão do ciclo respiratório (causa de morte por overdose), edema pulmonar, baixa de temperatura,, anorexia, impotência, náuseas, vómitos, obstipação, pneumonia, bronquite ou morte.   </li></ul>
  13. 13. Heroína ( continuação ) <ul><li>A longo prazo, o consumidor poderá sofrer alterações a nível de peso (emagrecimento extremo), afecções gastrointestinais ou patologias ginecológicas (amenorreia, problemas de ovulação). A nível psicológico, um dependente de heroína poderá tornar-se apático, letárgico, deprimido e obcecado pela droga. </li></ul>
  14. 14. Morfina <ul><li>A morfina é o principal elemento activo do ópio, sendo, por isso, categorizada como um opiáceo. </li></ul><ul><li>A morfina, cujos efeitos duram cerca de 4 a 6 horas, pode provocar alívio da dor e da ansiedade, diminuição do sentimento de desconfiança, euforia, flash, sensação de bem-estar, tranquilidade, letargia, sonolência, depressão, impotência, incapacidade de concentração ou embotamento mental. A nível físico pode ocorrer depressão do ciclo respiratório (causa de morte por overdose), edema pulmonar, baixa de temperatura, náuseas, vómitos, contracção da pupila, desaparecimento do reflexo da tosse, obstipação, amenorreia ou morte. </li></ul><ul><li>Existe tolerância cruzada entre os opiáceos. Provoca grande dependência, tanto física como psicológica. </li></ul>
  15. 15. Conclusão <ul><li>Com este trabalho aprendemos que as drogas sintéticas causam variados efeitos, como, por exemplo, baixa de temperatura, náuseas, vómitos, palpitações, contracções musculares, dilatação das pupilas, dor de cabeça, depressão forte, irritabilidade, angústia, insónia e diminuição do apetite. </li></ul>

×