Processo de territorialização

6.186 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.186
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
199
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Processo de territorialização

  1. 1. PROCESSO DE TERRITORIALIZAÇÃO Alunos: Isadora Souza Ribeiro e João Hercos Neto Preceptora: Márcia Lopes Urquiza Disciplina: PIESF Etapa: 1 Ano: 2014 Curso de Medicina da Universidade de Franca
  2. 2. SOBRE O TERMO  Território = do latim territorium, que deriva de terra.  Dupla conotação: simbólica e material.  Terra-territorium: identificação, apropriação, pertencimento.  Terreo-territor: terror, aterrorizar, dominação. Em qualquer acepção, território tem relação com poder: poder no sentido simbólico de apropriação e poder no sentido material de dominação. 07/04/2014 2 TERRITORIALIZAÇÃO
  3. 3. CONCEITUAÇÃO  De acordo com a Geografia → espaço localizável e definido, onde a ação do homem transforma o meio natural. Os critério geopolíticos o definem.  De acordo com a Sociologia → produto social percebido e sentido, carregado de subjetividades, desejos, conflitos resultado histórico da prática humana sobre um dado espaço geográfico em função de necessidades construídas construídas coletivamente. 07/04/2014 3 TERRITORIALIZAÇÃO
  4. 4. TERRITORIALIZAÇÃO  É o reconhecimento e o esquadrinhamento do território segundo a lógica das relações entre condições de vida, ambiente e acesso às ações e serviços de saúde.  Estratégia dos indivíduos ou grupo social para influenciar ou controlar pessoas, recursos, fenômenos e relações, delimitando e efetivando o controle sobre uma área.  Resulta das relações políticas, econômicas e culturais, estando intimamente ligado com o contexto 07/04/2014 4 TERRITORIALIZAÇÃO
  5. 5. TERRITORIALIZAÇÃO  Para habitar um território é necessário explorá-lo, torná-lo seu, ser sensível às suas questões, ser capaz de movimentar-se por ele com alegria e descoberta, detectando as alterações de paisagem e colocando em relação fluxos diversos - não só cognitivos, não só técnicos, não só racionais - mas políticos, comunicativos, afetivos e interativos no sentido concreto, detectável na realidade. (CECCIM, 2005) 07/04/2014 5 TERRITORIALIZAÇÃO
  6. 6. DIAGNÓSTICO LOCAL  Perfil demográfico  Gênero  Migração  Tipos de família  Domicílios  Perfil epidemiológico  Morbidade (incidência, prevalência, fatores de risco, internações e incapacidade)  Mortalidade (faixas estárias acometidas, causas, letalidade) 07/04/2014 6 TERRITORIALIZAÇÃO
  7. 7. DIAGNÓSTICO LOCAL  Perfil socioeconômico  Moradia  Hábitos  Costumes  Estilo de vida  Atividades econômicas  Renda  Escolaridade  Crenças religiosas  Meios de comunicação  Transporte  Lazer  Participação social 07/04/2014 7 TERRITORIALIZAÇÃO
  8. 8. DIAGNÓSTICO LOCAL  Perfil ambiental  Saneamento básico  Micro áreas de risco (água contaminada, esgoto a céu aberto foco de vetores, lixão, poluição do ar, radioatividade, agrotóxico, radiação eletromagnética)  Demandas/necessidades sentidas pela população  Dados coletados através do cadastramento familiar  Discutido com a comunidade e suas lideranças 07/04/2014 8 TERRITORIALIZAÇÃO
  9. 9. RECONHECIMENTO E DEFINIÇÃO  Aspectos físicos e geográficos  Quais e como são os limites geográficos (barreiras geográficas, ligação com outros bairros ou regiões do mesmo bairro e como é o acesso)  Característica geral da área (tipo de bairro e aspecto)  Coleta de lixo (como é, destino e necessidades)  Arborização, pavimentação (presença, tipo e preservação) e transporte público (funcionamento e disponibilidade)  Rede telefônica e elétrica (presença e preservação)  Esgoto tratado e suprimento público de água (presença, destino e falta)  Elementos poluidores (presença e tipo) 07/04/2014 9 TERRITORIALIZAÇÃO
  10. 10. RECONHECIMENTO E DEFINIÇÃO  Hortas, feiras livres, comércio, serviços, táxi (pontos e tipos) e serviço de correio.  Religião (quais, atuação e mais frequentadas)  Animais errantes (quais e perigo que oferecem)  Acesso (ao centro, a hospitais e a centros de saúde)  Equipamentos sociais  Tipos de construção (predominância)  Terrenos baldios, praças públicas e áreas de lazer (presença, preservação, lixo acumulado, quem frequenta)  Vias para pedestres (segurança e preservação)  Pontos de: tráfico de drogas, prostituição, desmonte de carros, imóveis desocupados/abandonados/para alugar ou vender  Creches e escolas (presença, quantidade, tipo e atendimento) 07/04/2014 10 TERRITORIALIZAÇÃO
  11. 11. RECONHECIMENTO E DEFINIÇÃO  Aspectos populacionais e de organização social  Associação de moradores e comissão local de saúde (atuação e reuniões), outras associações e ONGs  Grupos comunitários  Características das pessoas da micro área (quantidade, idade, sexo, faixa etária, escolaridade, evasão escolar, trabalho infantil [tipo], ocupação dominante, desempregos, egressos do sistema penitenciário)  Tipo de estrutura familiar (nuclear – casal sozinha ou casal + filhos; monoparental – só a mãe ou só o pai + filhos; ampliada – agregados, parentes ou não; unipessoal – pessoa sozinha; outros)  Característica das residências (quantidade de pessoas por residência, número de pessoas por cômodo, outros cômodos sendo “transformados” em quartos, presença de 1 quarto 1 cozinha e 1 banheiro) 07/04/2014 11 TERRITORIALIZAÇÃO
  12. 12.  Segurança das ruas e presença/ausência das pessoas  Acidentes de trânsito (local e frequência)  Utilização dos recursos do território, dos Núcleos de Saúde da Família e de serviços privados de saúde  Solidariedade entre famílias  Relação entre as pessoas  Padrão de renda familiar  Renda per capita dos moradores 07/04/2014 12 TERRITORIALIZAÇÃO Miseráveis 0,5 salário mínimo per capita Indigentes 0,5 a 1 salário mínimo per capita Pobres 1 a 2 salário(s) mínimo(s) per capita Acima da linha da pobreza 2 ou mais salários mínimos per capita
  13. 13. POR QUE FAZER O DIAGNÓSTICO LOCAL?  Propor ações para solucionar os problemas identificados  Definir prioridades e recursos a ser empregados Ou seja: fazer o PLANEJAMENTO ASCENDENTE 07/04/2014 13 TERRITORIALIZAÇÃO
  14. 14. 07/04/2014 14 TERRITORIALIZAÇÃO
  15. 15. “Localizar significa mostrar o lugar. Quer dizer, além disto, reparar no lugar. Ambas as coisas, mostrar o lugar e reparar no lugar, são os passos preparatórios de uma localização. Mas é muita ousadia que nos conformemos com os passos preparatórios. A localização termina, como corresponde a todo método intelectual, na interrogação que pergunta pela situação do lugar.” (Heidegger,1998) 07/04/2014 15 TERRITORIALIZAÇÃO
  16. 16. REFERÊNCIAS Caccia-Bava, MCGG, Teixeira RA, Pereira MJB . A arena política da territorialidade. 2007. Gadelha CAG, Machado CV, Lima LD, Baptista TWF. Saúde e territorialização na perspectiva do desenvolvimento. Ciênc. saúde coletiva [internet]. 2011 jun [citado 07 abr 2014];16(6). Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413- 81232011000600038&script=sci_arttext Gondim GM, Monken M. Territorialização em Saúde. Rio de Janeiro: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, Fundação Oswaldo Cruz. P. 1-6 07/04/2014 16 TERRITORIALIZAÇÃO

×