Analisar fontes ppt

109 visualizações

Publicada em

Como analisar fontes de informação em História e Geografia de Portugal.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
109
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Analisar fontes ppt

  1. 1. Trabalhar fontes em HGP Nesta disciplina vais aprender a conhecer os oceanos, os continentes, os países e a forma como se foram alterando ao longo do tempo.
  2. 2. Como explorar um mapa • Os mapas ajudam-nos a conhecer melhor os espaços específicos em que ocorreram os acontecimentos históricos, num determinado momento. Ocupação Muçulmana da Península Ibérica no séc. XI Orientação Escala Legenda Título Data
  3. 3. Como explorar um mapa • O título – ajuda-te a identificar o espaço representado; • a data – localiza no tempo o espaço representado no mapa; • A legenda – ajuda-te a perceber questões específicas representadas no mapa, através da utilização de cores, símbolos ou outros sinais; • A escala – permite compreender a relação entre a dimensão representada no mapa e a dimensão da realidade aí representada.
  4. 4. Como analisar um documento escrito • Os documentos escritos são fundamentais para que possamos conhecer e compreender alguns dos mais importantes episódios da História da humanidade. • Para que a tua análise seja completa, deves seguir os seguintes passos:
  5. 5. Como analisar um documento escrito • Ler todo o documento, assinalando as palavras que não conheces; • Procurar num dicionário da língua portuguesa o significado dessas palavras; • Assinalar ou sublinhar as ideias principais do documento (o título é geralmente um sumário do seu conteúdo); • Assinalar o autor e a obra de que foi extraído o documento; • Pesquisar sobre o autor e o período em que o documento foi escrito.
  6. 6. Como analisar um documento escrito “ A lenda de Deuladeu Martins Durante as guerras de D. Fernando I de Portugal com Henrique II de Castela, veio Pedro Rodrigues Sarmento, adiantado de Galiza, pôr cerco à vila de Monção. Foi então que a Providência, que muitas vezes se serve dum fraco instrumento para acções grandiosas, inspirou a uma mulher o como salvaria Monção de cair em poder de tão desapiedados inimigos. Deuladeu Martins, esposa do capitão-mor daquela vila, Vasco Gomes de Abreu, era uma dessas mulheres de que a História nos aponta exemplos que ocultam, em peito feminino, um coração varonil. Onde o perigo era maior, lá aparecia com o denodo de um soldado corajoso e animando a todos, como o faria um chefe valoroso e dedicado. Infelizmente tinham chegado as coisas a um ponto em que estava passado o tempo para os actos de valor, isto é, em que era intil para os sitiados o valor das armas. A fome, zombando do esforço humano, ia pôr termo a tão heróica resistência. Título
  7. 7. Como analisar um documento escrito Deuladeu Martins, que, enquanto teve pão para dar, o ia repartindo pelos soldados, adiando a hora fatal do rendimento da praça, chegou uma vez ao seu celeiro, e só encontrou nele uma exígua porção de farinha, com que apenas poderia fabricar alguns poucos pães. A outro qualquer desfalecer-lhe-ia o ânimo e romperia em lágrimas, vendo, nesses miseros restos do seu provimento triste anúncio da morte ou do cativeiro. Porém, a uma alma daquela têmpera a grandeza do infortúnio costuma exaltar o espírito e o pensamento. E, com efeito, a iminência do perigo sugeriu-lhe urna ideia luminosa, que Deus se dignou de coroar. A resoluta dama, sabendo que aos inimigos começava a escassear o pão, pega da farinha, manda-a amassar e cozer, e, depois, enchendo o regaço com os pães que ela produzira, sobe às muralhas, e daí os lança aos Castelhanos, dizendo- lhes: — A vós, que não podendo conquistar-nos pela força das armas, nos haveis querido render pela fome, nós, mais humanos, e porque, graças a Deus, nos achamos bem providos, vendo que não estais fartos, vos enviamos esse socorro, e vos daremos mais, se o pedirdes.
  8. 8. Como analisar um documento escrito Ficaram os inimigos tão desconcertados com esta acção (que os fez crer em que a praça estava abundante de mantimentos) que, perdendo a esperança de a submeter, e, já cansados, levantaram o cerco. Fonte Biblio VASCONCELLOS, J. Leite de Contos Populares e Lendas II Coimbra, por ordem da universidade, 1966 , p.683-684 Place of collectionMonção, MONÇÃO, VIANA DO CASTELO InformanteVilhena Barbosa (M),” autor Obra Data em que foi escrita Pessoa que informou o autor do conteúdo da lenda
  9. 9. Como observar uma imagem • As imagens são muito importantes para analisar alguns acontecimentos históricos. • Nelas podemos encontrar muitos pormenores que nos ajudam a visualizar e compreender determinadas situações. • Imagens são documentos iconográficos, que nos ajudam a compreender melhor uma época e a ter uma ideia mais realista de como viviam os povos em tempos remotos.
  10. 10. Como observar uma imagem Observa atentamente a imagem:
  11. 11. Como observar uma imagem Devemos seguir alguns passos na sua análise: • Identificar o título; • identificar a figura principal; • identificar as figuras secundárias; • identificar outros pormenores.
  12. 12. Como observar uma imagem Na imagem que observaste: O título era... A figura principal era... As figuras secundárias eram ... Outros pormenores...
  13. 13. Como observar uma imagem Na imagem que observaste: O título era... A caça ao mamute” (a imagem fala-nos das comunidades de caçadores- recoletores) A figura principal era... um mamute, que se destaca pela sua dimensão As figuras secundárias eram ... um conjunto de caçadores que tenta abater o animal Outros pormenores... As montanhas em 2º plano; o chão coberto de neve; as roupas usadas pelos caçadores são peles de animais; as armas utilizadas pelos caçadores são lanças; a ideia de movimento que a imagem nos transmite; a importância do grupo nesta atividade. Um mamute nunca poderia ser caçado por um só homem.

×