Perfil do Novo Turista Português

846 visualizações

Publicada em

Apresentação realizada no âmbito do 2º Fórum sobre o Turismo Interno - Vê Portugal, no dia 25 de junho de 2015, no Centro de Congressos de Aveiro.

Publicada em: Turismo
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
846
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
16
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Perfil do Novo Turista Português

  1. 1. O Novo Perfil do Turista Português: Perspetivas empíricas Irina Saur-Amaral irina.amaral@ipam.pt
  2. 2. Desafio lançado ao IPAM Lab: Inovar de forma orientada para o público-alvo – mercado interno (alargado) • 2011-13: crise afeta o consumidor português e o turismo interno • 2013: desafio lançado pela E.R. Turismo do Centro – plano de marketing da região Centro de Portugal • 2013-14: equipa IPAM Lab opta por usar uma lógica de marketing “puro”, em alinhamento com a estratégia do Turismo de Portugal, orientada para conhecimento do turista e comunicação personalizada • 2014: estudo de mercado representativo permite traçar o perfil do turista português; orientam-se as ações de marketing para segmentos específicos; divulga-se o plano de marketing da região Centro de Portugal. ER Turismo do Centro torna-se pioneira na governança territorial participativa e na economia colaborativa
  3. 3. Mudança de paradigma na construção das experiências turísticas e promoção do território: foco na interação e construção de uma relação com o turista Os primeiros passos para uma marca humanizada, personalizada, dinâmica, que se constrói com base no alinhamento da oferta e da procura (mercado interno alargado)
  4. 4. Quem é o Turista Português?
  5. 5. A intelligence (tecnológica ou não) e o turismo interno • “Os dados só são úteis se permitirem: a) melhorar a experiência do turista; b) ajudar as empresas a tomar melhores decisões;” c) [n.a. ajudar as entidades gestores de destinos a orientar melhor a oferta e assegurar sustentabilidade] – João Cotrim de Figueiredo, Turismo de Portugal • “Internet of things abre uma nova era de competência – Michael Porter – e permite a criação de novos modelos de negócios baseados na economia colaborativa” – Javier Blanco, Assessor OMT • “O turismo é um negócio em que o que queremos é que o turista gaste o mais possível e que acabe por voltar” – Vítor Fraga, Membro do Governo regional dos Açores • “A vida é o que fazemos dela. As viagens são os viajantes. O que vemos, não é o que vemos, senão o que somos – Fernando Pessoa” – Cristian Palazzi, Observatório do Turismo Responsável
  6. 6. Ficha técnica: • 450 inquiridos • Margem de erro de 4,94% • Intervalo de confiança: 95% • Estratificação sistemática ponderada por NUT II, grupos etários e género • 64,5% casados / união de facto • 68,7% têm filhos
  7. 7. Regiões de turismo já visitadas
  8. 8. Atributos preferidos num destino
  9. 9. Motivos para viajar
  10. 10. Fontes de informação usadas
  11. 11. Companhia de viagem / férias
  12. 12. Preferências de deslocação Para o destino: carro próprio (71,3%), avião (40%) ou autocarro (21,6%) No destino: a pé (74,2%), carro próprio (39,3%), autocarro (22,4%)… Preferências de alojamento Hotéis até 3*** (29,1%), amigos/familiares (28,4%), hotéis 4**** ou 5***** (26,7%), residenciais/pensões (21,1%), campismo (20,2%)
  13. 13. Hábitos e preferências: destinos de curta duração (min. 1 noite fora) A última viagem ocorreu: há mais de 2 anos (30,2%) menos de 3 meses (28,2%), 3 meses a 1 ano (26,4%)… Frequência de viagem: 1 x ano ou menos (36%), 2-4 x ano (30,4%)… Preferências de destino Cidades (50,9%), mar/praia (48,7%), monumentos e património histórico (46%), aldeias e zonas rurais (36%), montanha (26,2%), zonas religiosas (24,2%)
  14. 14. Hábitos e preferências: destinos de curta duração (min. 1 noite fora) Intenção de gasto em viagens de curta duração Menos de 100 euros/pessoa (53,1%), 101-200 euros/pessoa (31,1%)… Último destino Centro (33,3%), Porto e Norte (24,4%), Algarve (24,2%), Lisboa e Vale do Tejo (16,7%), Espanha (10,7%), Alentejo (8,9%)…
  15. 15. Hábitos e preferências: férias (min. 4 noites fora) A última viagem ocorreu: há mais de 2 anos (39,8%), 3 meses a 1 ano (30,7%) … Frequência de viagem: 1 x ano (46,7%), 1x cada 2 anos ou menos (19,8%), nunca (14,7%), 2-3 x ano (13,6%)… Preferências de destino O mesmo que nas viagens de curta duração (55,3%), mar/praia (30,4%), cidades (24,9%), monumentos e património histórico (13,8%), montanha (10%)…
  16. 16. Hábitos e preferências: férias (min. 4 noites fora) Intenção de gasto em férias Menos de 250 euros/pessoa (46,9%), 251-500 euros/pessoa (30,9%)… Último destino Algarve (38,9%), Centro (20,9%), Porto e Norte (18,4%), Espanha (16%), Lisboa e Vale do Tejo (12%), Alentejo (8,4%)…
  17. 17. Segmentos de turistas Exploradores interessados (Disponíveis, Ativos e Descobridores) – 35,77% dos inquiridos. Acomodados (Hedónicos, Preguiçosos e Distantes) – 11,11% dos inquiridos; Apreciadores forretas (Hedónicos, Curiosos e Preguiçosos) – 19,11% dos inquiridos; Sofisticados poupados (Apaixonados, Hedónicos e Aventureiros) – 27,11% dos inquiridos.
  18. 18. Exploradores Interessados (35,77%) Apreciam de forma ponderada todas as tipologias de destino Jovens (18 – 34 anos) Rendimento mensal do agregado: 1001-2000 euros Maior percentagem de solteiros ou divorciados Principal fonte de informação: Internet Transportes para o destino: carro + avião Alojamento: hostels / pousadas, hotéis Acompanhados por companheiro(a) e amigos Viagens de curta duração: 1 ou mais por ano; cidades, mar/praia, monumentos e património, aldeias e zonas rurais; não valorizam viagens religiosas; menos de 100 euros/pax, mas 30,4% entre 101 e 200 euros/pax Férias: 1 vez por ano; variam destinos face às viagens de curta duração; cidades, mar/praia e montanha; 251 – 500 euros/pax, mas maior percentagem de gastos entre 501 e 750 euros/pax
  19. 19. Acomodados (11,11%) Maduros (+ 55 anos), casados ou viúvos Rendimento mensal do agregado: - 1000 euros; 1001-2000 euros; Principal fonte de informação: Internet + Agências de Viagens; uso acrescido dos folhetos turísticos Transporte para o destino: carro próprio Alojamento: hotéis; não valorizam o campismo Acompanhados por companheiro(a) e filhos Viagens de curta duração: 1 vez por ano; monumentos e património, mar/praia, cidades, aldeias e zonas rurais; não valorizam viagens religiosas; menos de 100 euros/pax, mas 32% entre 101 e 200 euros/pax Férias: 1 vez por ano; variam destinos face às viagens de curta duração; mar/praia, cidades e monumentos e património; 251 - 500 euros/pax
  20. 20. Apreciadores Forretas (19,11%) Maduros (+ 55 anos), casados ou viúvos Rendimento mensal do agregado: - 1000 euros Principal fonte de informação: familiares e amigos; agências de viagens, postos de turismo Transporte para o destino: autocarro (excursionistas) Alojamento: hotéis; não valorizam o campismo Acompanhados por companheiro(a) e filhos Viagens de curta duração: muito raramente ou nunca; monumentos e património, cidades, aldeias e zonas rurais; menos de 100 euros/pax Férias: muito raramente ou nunca; não variam destinos face às viagens de curta duração; menos de 250 euros/pax
  21. 21. Sofisticados Poupados (27,11%) Distribuição etária diversificada, casados com filhos Rendimento mensal do agregado: - 1000 euros Principal fonte de informação: Internet Transportes para o destino: carro próprio Alojamento: diversificado Acompanhados por companheiro(a) e filhos Viagens de curta duração: 1 ou mais por ano; cidades, mar/praia, monumentos e património, menos de 100 euros/pax Férias: 1 vez por ano; não variam destinos face às viagens de curta duração, menos de 250 euros/pax
  22. 22. Foco no turista português: Implicações e desafios Entidades gestoras de destinos com foco no turismo interno: • Comunicação orientada para diversidade • Comunicação personalizada por segmentos (ex. aventura e desporto só para Exploradores Interessados) • Presença adequada na Internet (Google SEO) e nas redes sociais / comunidades Agentes económicos com atividade relacionada ao turismo: • Co-promoção (mostrar diversidade) • Ofertas personalizadas e surpreendentes, orientadas para famílias / grupos, criadas de forma colaborativa (co-criação) • Presença adequada na Internet (Google SEO) e nas redes sociais / comunidades
  23. 23. Mudança de paradigma na construção das experiências turísticas e promoção do território: foco na interação e construção de uma relação com o turista É preciso tornar o turista português, o “herói” da história! É preciso personalizar a mensagem, envolver o turista na criação de novas experiências turísticas, estar nas comunidades onde ele(a) está. É preciso seguir as tendências (tecnológicas e comportamentais) para inovar de forma sustentável. É preciso trabalhar cada segmento de forma distinta e “vender” o território da forma como o turista o quer comprar…
  24. 24. O Novo Perfil do Turista Português: Perspetivas empíricas Irina Saur-Amaral irina.amaral@ipam.pt
  25. 25. Portefólio científico utilizado para traçar o perfil de turista português • Aragonez, Gouveia, Saur-Amaral (2013): Estudo de avaliação da Marca Centro de Portugal, BTL, IPAM Lab • Saur-Amaral, Gouveia, Aragonez (2014): Plano de marketing da Turismo do Centro, IPAM Lab • Aragonez, Saur-Amaral, Gouveia (2015): 1º Barómetro da Marca Centro de Portugal, BTL, IPAM Lab • Saur-Amaral, Gouveia, Aragonez (2015): Plano de desenvolvimento regional da Turismo do Centro, IPAM Lab

×