Júlio Diniz Clique para avançar
Francisco de Assis, um dia,   Assim que deixara a orgia   No castelo,   Entregou-se à Natureza   A uma vida de aspereza   ...
— “ Filho meu, faze-te esposo   Da pobreza desvalida,   Emprega toda a tua vida   Na doce faina do bem.   Francisco, ouve,...
Esquece as imperfeições!...   Vai, conforta os desgraçados,   Sedentos e esfomeados,   Flagelados pela dor.   Quem alivia ...
Francisco chorava e ria,   E em divinal alegria   Via os lírios e os jasmins,   Que não fiam, que não tecem,   Com roupage...
Via a terra enverdecida   Exaltando a força e a vida,   A seiva misteriosa   No seio dos vegetais,   E a ânsia cariciosa  ...
Francisco de Assis, então,   Submerso o coração   Em sublimes alegrias,   Entregou-se às harmonias   Vibrantes da Natureza...
Créditos: Imagens:  www.american-buddha.com   Extraídas de cenas do Filme de Franco Zephirelli:  Irmão Sol, Irmã Lua, que ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Chico

303 visualizações

Publicada em

Recebi do amigo José Carneiro, compartilho. Irene Aguiar

Publicada em: Educação
1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
303
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Chico

  1. 1. Júlio Diniz Clique para avançar
  2. 2. Francisco de Assis, um dia,  Assim que deixara a orgia  No castelo,  Entregou-se à Natureza  A uma vida de aspereza  Num canto doce e singelo.  Abandonara a vaidade,  Buscando a paz da humildade,  A santa luz da harmonia;  E nas horas de repouso,  Francisco em estranho gozo  A voz de Jesus ouvia:  
  3. 3. — “ Filho meu, faze-te esposo  Da pobreza desvalida,  Emprega toda a tua vida  Na doce faina do bem.  Francisco, ouve, ninguém  Vai aos Céus sem a bondade,  Que é a grande felicidade  De todos os corações. 
  4. 4. Esquece as imperfeições!...  Vai, conforta os desgraçados,  Sedentos e esfomeados,  Flagelados pela dor.  Quem alivia e consola,  Recebe também a esmola  Das luzes do meu amor!”
  5. 5. Francisco chorava e ria,  E em divinal alegria  Via os lírios e os jasmins,  Que não fiam, que não tecem,  Com roupagens que parecem  Vestidos de Serafins;  As aves que não trabalham  E no entanto se agasalham,  Nos celeiros da fartura,  Saltando de galho em galho  Buscando a graça do orvalho,  Bênção do Céu, doce e pura . 
  6. 6. Via a terra enverdecida  Exaltando a força e a vida,  A seiva misteriosa  No seio dos vegetais,  E a ânsia cariciosa  Das almas dos animais.  E sobretudo, inda via,  A sacrossanta harmonia  Do coração sofredor,  Que não tendo amor nem luz,  Tem tesouros de esplendor  No terno amor de Jesus. 
  7. 7. Francisco de Assis, então,  Submerso o coração  Em sublimes alegrias,  Entregou-se às harmonias  Vibrantes da Natureza,  Tornou-se o amparo da dor  E guiado pelo amor  Fez-se Esposo da Pobreza...   
  8. 8. Créditos: Imagens: www.american-buddha.com Extraídas de cenas do Filme de Franco Zephirelli: Irmão Sol, Irmã Lua, que narra a vida de São Francisco de Assis. Música: Trecho de Brother Sun, Sister Moon – Donovan, 1968 (Parte do Acervo do Grupo Sintonia Elevada) Formatação do Slide: Maristela Ferreira Sintonia Elevada Clique para visitar o nosso site: Clique para receber nossas mensagens gratuitamente:

×