Patrocínio	
  Cultural	
  
Apoio	
  
Realização	
  
Lançamento	
  Documentário	
  “Arquitetura	
  e	
  o	
  Ballet	
  da	
  Rua”	
  
	
  
+	
  PERGUNTAS	
  E	
  RESPOSTAS	
  ...
1902	
  
1929	
  
1988	
  
Uma	
  homenagem	
  
Professor	
  Sir	
  Peter	
  Hall	
  (1932-­‐2014)	
  
1998	
   2013	
  
Persepc^va:	
  Daniel	
  Piaa	
  &	
  Caio	
  Cacholas	
  
Idealização	
  e	
  Concepção	
  	
  
Vinicius	
  M.	
  Ne6o	
  
	
  
Roteiro	
  
Bruno	
  Passari	
  
	
  
Direção	
  
Ni...
A	
  CIDADE	
  COMO	
  RESULTADO:	
  
	
  
CONSEQUÊNCIAS	
  DE	
  ESCOLHAS	
  ARQUITETÔNICAS	
  
Vinicius	
  M.	
  Neao,	
...
Desejamos	
  entender	
  se	
  –	
  e	
  se	
  sim,	
  o	
  quanto	
  	
  
a	
  arquitetura	
  influencia	
  seu	
  entorno...
Natal	
  –	
  RN	
  
Foto:	
  Lucas	
  Figueiredo	
  
Natal	
  –	
  RN	
  
Foto:	
  GoogleStreetView	
  
Aracajú	
  –	
  SE	
  
Foto:	
  Googlestreetview	
  
Barra	
  da	
  Tijuca	
  –	
  RJ	
  
Foto:	
  autor	
  
Fonte:	
  Harvey,	
  1992	
  
Barra	
  da	
  Tijuca,	
  Rio	
  de	
  Janeiro	
  
Foto:	
  Osmar	
  Carioca	
  
Rarefação	
  da	
  forma	
  arquitetônica	
  e	
  urbana	
  
	
  
redução	
  da	
  apropriação	
  pedestre	
  e	
  da	
  a...
Rarefação	
  da	
  forma	
  arquitetônica	
  e	
  urbana	
  
	
  
redução	
  da	
  apropriação	
  pedestre	
  e	
  da	
  a...
O	
  peso	
  da	
  arquitetura	
  mulM-­‐familiar	
  /	
  	
  
mulM-­‐pavimentos:	
  
	
  
	
  
Rio	
  de	
  Janeiro:	
  3...
Rio	
  de	
  Janeiro:	
  	
  
24	
  áreas,	
  250	
  segmentos	
  de	
  rua,	
  3.800	
  edixcios	
  	
  
	
  
	
  
Floria...
Rio	
  de	
  Janeiro	
  
Tipo	
  	
  
Isolado	
  
Tipo	
  	
  
Convnuo	
  
1.	
  Tipos	
  arquitetônicos	
  e	
  pedestres	
  	
  
Áreas Média de pedestres no segmento
Razão Média
Pedestres
Acess p-valor tipo contínuo > 50% tipo isolado > 50% Cont / Iso...
1.	
  Tipos	
  arquitetônicos	
  e	
  pedestres	
  	
  
Área / Faixa
acessibilidade
Tipo
Arquitetônico
Variáveis pedestres...
Florianópolis	
  
Porto	
  Alegre	
  
Rio	
  de	
  Janeiro	
  
^po	
  cont	
  <	
  50%	
  	
   ^po	
  cont	
  >	
  50%	
  ...
2.	
  ConMnuidade	
  das	
  fachadas	
  e	
  o	
  pedestre	
  	
  
!
Intervalos
Índice de
Continuidade
Número de
Ruas
(segmentos)
Média
Movimento
Pedestre
0% ˫ 75% 67 8.69
75% ˫ 80% 34 7.19...
2.	
  ConMnuidade	
  das	
  fachadas	
  e	
  o	
  pedestre	
  	
  
Ruas	
  de	
  baixa	
  acessibilidade	
  |	
  Rio	
  de...
2.	
  ConMnuidade	
  das	
  fachadas	
  e	
  o	
  pedestre	
  	
  
Ruas	
  de	
  baixa,	
  média	
  e	
  alta	
  acessibil...
3.	
  Afastamento	
  Lateral	
  e	
  o	
  pedestre	
  	
  
Afastamento
Lateral
(metros)
Número de
Ruas
(segmentos)
Média
Movimento
de pedestre
0 ˫ 2.5 23 37.70
2.5 ˫ 5 8 19.63
5 ˫ 1...
3.	
  Afastamento	
  Lateral	
  e	
  o	
  pedestre	
  	
  
Ruas	
  de	
  todas	
  as	
  faixas	
  de	
  acessibilidade	
  ...
4.	
  Afastamento	
  Frontal	
  e	
  o	
  pedestre	
  	
  
Afastamento
Frontal
(metros)
Número de
Ruas
(segmentos)
Média
Movimento
Pedestre
0 ˫ 1 28 39.68
1 ˫ 2 11 18.41
2 ˫ 3 9 6.4...
4.	
  Afastamento	
  Frontal	
  e	
  o	
  pedestre	
  	
  
Ruas	
  de	
  todas	
  as	
  faixas	
  de	
  acessibilidade	
  ...
Ruas	
  de	
  baixa	
  acessibilidade	
  |	
  Rio	
  de	
  Janeiro	
  
4.	
  Afastamento	
  Frontal	
  e	
  o	
  pedestre	...
5.	
  Arquitetura	
  e	
  aMvidade	
  econômica	
  
5.	
  Arquitetura	
  e	
  aMvidade	
  econômica	
  
Área / Faixa
acessibilidade
Tipo
Arquitetônico
Atividades nos térreos
...
6.	
  Interfaces:	
  Muros	
  
Correlações	
  negaMvas	
  Muros	
  x	
  Pedestres:	
  geral:	
  -­‐0.433	
  	
  
áreas	
  ...
Correlações	
  posi^vas	
  com	
  pedestres:	
  0.592	
  |	
  BA	
  0.725	
  
	
  
Correlações	
  posi^vas	
  com	
  ^po	
...
Áreas	
  urbanizadas	
  mais	
  recentemente	
  mostram:	
  
	
  
	
  
Queda	
  na	
  diversidade	
  	
  
a^vidades	
  em	...
Áreas	
  urbanizadas	
  mais	
  recentemente	
  mostram:	
  
	
  
	
  
Aumento	
  da	
  presença	
  de	
  muros:	
  	
  
C...
Rarefação	
  da	
  forma	
  arquitetônica	
  e	
  urbana	
  
	
  
redução	
  da	
  apropriação	
  pedestre	
  e	
  da	
  a...
Obrigado	
  ;)	
  
	
  
	
  
	
  
Equipe	
  UFF	
  
Julia	
  Cantarino	
  
Mirella	
  Furtado	
  
Ádil	
  Bulkool	
  
	
  ...
Apresentação da palestra "Cidade do Amanhã"
Apresentação da palestra "Cidade do Amanhã"
Apresentação da palestra "Cidade do Amanhã"
Apresentação da palestra "Cidade do Amanhã"
Apresentação da palestra "Cidade do Amanhã"
Apresentação da palestra "Cidade do Amanhã"
Apresentação da palestra "Cidade do Amanhã"
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresentação da palestra "Cidade do Amanhã"

443 visualizações

Publicada em

Apresentação do arquiteto e pesquisador Vinicius M. Netto, da Universidade Federal Fluminense (UFF), feita na sede do IAB-RJ.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
443
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
105
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação da palestra "Cidade do Amanhã"

  1. 1. Patrocínio  Cultural  
  2. 2. Apoio   Realização  
  3. 3. Lançamento  Documentário  “Arquitetura  e  o  Ballet  da  Rua”     +  PERGUNTAS  E  RESPOSTAS  com  os  autores  (cinema)     Palestrantes   •  Vinicius  M.  Ne6o,  UFF   •  Julio  Vargas,  UFRGS     Mesa  Redonda   •  Jerônimo  de  Moraes,  Presidente  CAU/RJ   •  Pedro  da  Luz,  Presidente  IAB/RJ   •  Cristovão  Duarte,  FAU/UFRJ   •  Júlio  Bentes,  Diretor  adjunto  financeiro  CAU/RJ   •  PLATÉIA!  
  4. 4. 1902  
  5. 5. 1929  
  6. 6. 1988  
  7. 7. Uma  homenagem   Professor  Sir  Peter  Hall  (1932-­‐2014)   1998   2013  
  8. 8. Persepc^va:  Daniel  Piaa  &  Caio  Cacholas  
  9. 9. Idealização  e  Concepção     Vinicius  M.  Ne6o     Roteiro   Bruno  Passari     Direção   Nina  Tedesco     Produção  Execu^va   Hadija  Chalupe     Direção  de  produção   Vivian  Malusá     Direção  de  Fotografia   Vitor  Novaes     Animação  e  créditos   Daniel  Sake     Croquis  arquitetônicos   Daniel  Pi6a     Croquis  digitais   Caio  Cacholas       Edição  de  Imagens   Tauana  Carlier     Colorista   William  Condé     Desenho  sonoro,  Edição  de  som     e  Trilha  Sonora  original   Pedro  Drumond       Som  Direto   Daniel  VelluMni   Lucas  Paes  Leme   Matheus  Tiengo   Uerlem  Queiroz     Bordados   Jamile  Chalupe     Vozes   Danielle  Fritzen   Leonardo  Simões   Maria  Elizabeth  S.  Peixoto  Curi     Maria  Livia  do  Nascimento   Tunico  Amancio   Perguntas   Respostas  &  
  10. 10. A  CIDADE  COMO  RESULTADO:     CONSEQUÊNCIAS  DE  ESCOLHAS  ARQUITETÔNICAS   Vinicius  M.  Neao,  UFF        
  11. 11. Desejamos  entender  se  –  e  se  sim,  o  quanto     a  arquitetura  influencia  seu  entorno     A  arquitetura  pode  influenciar  o  uso  do  espaço  público?   A  arquitetura  pode  influenciar  a  microeconomia  do  bairro?  
  12. 12. Natal  –  RN   Foto:  Lucas  Figueiredo  
  13. 13. Natal  –  RN   Foto:  GoogleStreetView  
  14. 14. Aracajú  –  SE   Foto:  Googlestreetview  
  15. 15. Barra  da  Tijuca  –  RJ   Foto:  autor  
  16. 16. Fonte:  Harvey,  1992  
  17. 17. Barra  da  Tijuca,  Rio  de  Janeiro   Foto:  Osmar  Carioca  
  18. 18. Rarefação  da  forma  arquitetônica  e  urbana     redução  da  apropriação  pedestre  e  da  a^vidade  microeconômica  local   queda  da  caminhabilidade,  indução  da  dependência  veicular,  impactos  ambientais,     micro-­‐segregação,  insegurança   implicações  nega^vas  para  as  cidades   diluição  no  uso  social  das  ruas    
  19. 19. Rarefação  da  forma  arquitetônica  e  urbana     redução  da  apropriação  pedestre  e  da  a^vidade  microeconômica  local   queda  da  caminhabilidade,  indução  da  dependência  veicular,  impactos  ambientais,     micro-­‐segregação,  insegurança   implicações  nega^vas  para  as  cidades   diluição  no  uso  social  das  ruas    
  20. 20. O  peso  da  arquitetura  mulM-­‐familiar  /     mulM-­‐pavimentos:       Rio  de  Janeiro:  37,62%  dos  domicílios   90.61%  dos  endereços:  domiciliar     Florianópolis:  37.77%     90,79%  dos  endereços:  domiciliar     Porto  Alegre,  46.66%   91.14%  dos  endereços:  domiciliar         Fonte:  Censo  Demográfico  2010:  CNEFE  -­‐  Cadastro  Nacional  de  Endereços  para  Fins  Estavs^cos.  
  21. 21. Rio  de  Janeiro:     24  áreas,  250  segmentos  de  rua,  3.800  edixcios         Florianópolis:       169  segmentos  de  rua  e  1036  edixcios     (Saboya  et  al,  2015)       Porto  Alegre:     330  segmentos  e  4.000  edificações     (Vargas  et  al,  no  prelo)   Estudos  em  3  capitais  brasileiras:  
  22. 22. Rio  de  Janeiro  
  23. 23. Tipo     Isolado   Tipo     Convnuo   1.  Tipos  arquitetônicos  e  pedestres    
  24. 24. Áreas Média de pedestres no segmento Razão Média Pedestres Acess p-valor tipo contínuo > 50% tipo isolado > 50% Cont / Isol Geral 0.003 15.13 7.02 2.16 BA 0.004 20.15 7.40 2.72 MA 0.144 14.44 6.31 2.29 AA 0.294 7.40 6.44 1.15 Mais  de  2  vezes  mais  pedestres  em  ruas  com     predominância  >  50%  do  ^po  con$nuo   1.  Tipos  arquitetônicos  e  pedestres    
  25. 25. 1.  Tipos  arquitetônicos  e  pedestres     Área / Faixa acessibilidade Tipo Arquitetônico Variáveis pedestres Mov. Pedest Grupos Est Pessoas Est Geral Contínuo 0.187 0.341 0.367 Isolado -0.232 -0.244 -0.243 BA Contínuo 0.328 0.447 0.407 Isolado -0.342 -0.469 -0.415
  26. 26. Florianópolis   Porto  Alegre   Rio  de  Janeiro   ^po  cont  <  50%     ^po  cont  >  50%    
  27. 27. 2.  ConMnuidade  das  fachadas  e  o  pedestre    
  28. 28. ! Intervalos Índice de Continuidade Número de Ruas (segmentos) Média Movimento Pedestre 0% ˫ 75% 67 8.69 75% ˫ 80% 34 7.19 80% ˫ 85% 45 10.42 85% ˫ 90% 33 10.87 90% ˫ 95% 29 19.93 95% ˫ 100% 42 28.40 2.  ConMnuidade  das  fachadas  e  o  pedestre     Ruas  de  Baixa  acessibilidade  |  Rio  de  Janeiro  
  29. 29. 2.  ConMnuidade  das  fachadas  e  o  pedestre     Ruas  de  baixa  acessibilidade  |  Rio  de  Janeiro  
  30. 30. 2.  ConMnuidade  das  fachadas  e  o  pedestre     Ruas  de  baixa,  média  e  alta  acessibilidade  |  Rio  de  Janeiro  
  31. 31. 3.  Afastamento  Lateral  e  o  pedestre    
  32. 32. Afastamento Lateral (metros) Número de Ruas (segmentos) Média Movimento de pedestre 0 ˫ 2.5 23 37.70 2.5 ˫ 5 8 19.63 5 ˫ 10 9 14.35 10 ˫ 15 17 13.05 15 ˫ 20 16 7.63 ! 3.  Afastamento  Lateral  e  o  pedestre     Ruas  de  baixa  acessibilidade  |  Rio  de  Janeiro  
  33. 33. 3.  Afastamento  Lateral  e  o  pedestre     Ruas  de  todas  as  faixas  de  acessibilidade  |  Rio  de  Janeiro  
  34. 34. 4.  Afastamento  Frontal  e  o  pedestre    
  35. 35. Afastamento Frontal (metros) Número de Ruas (segmentos) Média Movimento Pedestre 0 ˫ 1 28 39.68 1 ˫ 2 11 18.41 2 ˫ 3 9 6.44 3 ˫ 4 14 5.94 4 ˫ 5 10 4.12 5 ˫ 35 29 5.89 ! 4.  Afastamento  Frontal  e  o  pedestre     Ruas  de  Baixa  acessibilidade  |  Rio  de  Janeiro  
  36. 36. 4.  Afastamento  Frontal  e  o  pedestre     Ruas  de  todas  as  faixas  de  acessibilidade  |  Rio  de  Janeiro  
  37. 37. Ruas  de  baixa  acessibilidade  |  Rio  de  Janeiro   4.  Afastamento  Frontal  e  o  pedestre    
  38. 38. 5.  Arquitetura  e  aMvidade  econômica  
  39. 39. 5.  Arquitetura  e  aMvidade  econômica   Área / Faixa acessibilidade Tipo Arquitetônico Atividades nos térreos Residencial Com+serv Diversidade Geral Contínuo -0.132 0.153 0.233 Isolado 0.201 -0.214 -0.282 BA Contínuo -0.413 0.422 0.428 Isolado 0.446 -0.449 -0.456
  40. 40. 6.  Interfaces:  Muros   Correlações  negaMvas  Muros  x  Pedestres:  geral:  -­‐0.433     áreas  de  baixa  acessibilidade:  BA  -­‐0.477     Correlações  posi^vas  Muros  x  Tipo  Isolado:  geral  +0.338   áreas  de  baixa  acess:    +0.423  
  41. 41. Correlações  posi^vas  com  pedestres:  0.592  |  BA  0.725     Correlações  posi^vas  com  ^po  convnuo:  0.318  |  BA  0.408   6.  Interfaces:  Janelas  
  42. 42. Áreas  urbanizadas  mais  recentemente  mostram:       Queda  na  diversidade     a^vidades  em  térreos:    correlações    -­‐0.267       Quanto  mais  novas  as  áreas,  menos  diversas       7.  Tempo  de  urbanização  
  43. 43. Áreas  urbanizadas  mais  recentemente  mostram:       Aumento  da  presença  de  muros:     Correlações  de  0.374       Quanto  mais  novas  as  áreas,  mais  muradas       7.  Tempo  de  urbanização  
  44. 44. Rarefação  da  forma  arquitetônica  e  urbana     redução  da  apropriação  pedestre  e  da  a^vidade  microeconômica  local   queda  da  caminhabilidade,  indução  da  dependência  veicular,  impactos  ambientais,     micro-­‐segregação,  insegurança   implicações  nega^vas  para  as  cidades   diluição  no  uso  social  das  ruas    
  45. 45. Obrigado  ;)         Equipe  UFF   Julia  Cantarino   Mirella  Furtado   Ádil  Bulkool     CAU/RJ   Mariana  Costa   Marta  Valim     IAB/RJ   Nicolas  Braga           Vinicius  M.  Ne6o,  UFF   Julio  Vargas,  UFRGS   Jerônimo  de  Moraes,  Presidente  CAU/RJ   Pedro  da  Luz,  Presidente  IAB/RJ   Cristovão  Duarte,  FAU/UFRJ   Júlio  Bentes,  Diretor  adjunto  financeiro  CAU/RJ   Equipe  

×