1
21. APRESENTAÇÃO _______________________________________32. DECLARAÇÃO DO PRESIDENTE____________________________43. PERFIL...
31. APRESENTAÇÃOO Relatório Anual do Instituto Ação Empresarial pela Cidadania utilizou pelo quartoano consecutivo o Manua...
42. DECLARAÇÃO DO PRESIDENTEÓ mar salgado, quanto do teu salSão lágrimas de Portugal!Por te cruzarmos, quantas mães chorar...
5a presença de vários associados, além de representantes da universidade e agentespúblicos; ao todo, reunimos mais de 100 ...
63. PERFIL INSTITUCIONALO Instituto Ação Empresarial pela Cidadania (AEC) é uma associação privada, sem finslucrativos, fu...
73.1 MARCOS DA TRAJETÓRIA INSTITUCIONAL1999200120022003200420052006200720082009201020112012Projeto LIP Brasil(F. K. Kellog...
83.2 EMPRESAS ASSOCIADASExistem quatro categorias de sócios do Instituto AEC. Sócio Fundador, pessoas físicasou jurídicas ...
926. Itamaracá Produções, abril/2002;27. Itamaracá Transportes, abril/2002;28. JBR Engenharia, junho/2005;29. Mart Pet Com...
103.3 ESTRUTURA DE GOVERNANÇAA estrutura de governança do Instituto AEC é composta por seis órgãos. Assembleia Geral; Co...
11Estatuto Social. Abaixo a composição deste conselho para o biênio 2011-2013. Cármem Maria Mota Cardoso, TGI; Frederico...
12• Superintendência | Saritta Falcão Brito;• Assessorias | Juliana Albuquerque da Paz, Viviane Enomoto Burdinski, Mariana...
133.5 PRINCIPAIS MUDANÇAS O ano de 2012 foi o primeiro da nova estratégia trienal (2012-2014) do InstitutoAEC, alterada a...
144. ENGAJAMENTO COM AS PARTES INTERESSADASO avanço da pauta da Cidadania Empresarial tem colocado nas mesas das empresasd...
15O Instituto AEC, como organização promotora da pauta da Cidadania empresarial eentidade privada da sociedade civil respo...
16PARTE INTERESSADA FOCO DE RELACIONAMENTOMeios de comunicação | Veículos de mídiadifusores de informação especializada so...
175. PROGRAMAS E PROJETOSOs programas e projetos do Instituto AEC estão divididos de acordo com a temáticados objetivos es...
18Diversas estratégias metodológicas típicas do programa foram utilizadasno desenvolvimento dos os módulos e foram bem ava...
195.1.2 Consultoria em RSEAs Consultorias em RSE são realizadas a partir da demanda deempresas associadas ou entidades emp...
205.2.1 Território de Cidadania Empresarial NorteO programa Território de Cidadania Empresarial tem comoobjetivo fomentar ...
21• Continuidade de parceria para capacitações técnicas;• Metodologias complementares desenvolvidas por organizaçõesoutras...
225.2.2 Observatório do RecifeO programa de cidades sustentáveis de Recife é liderado peloObservatório do Recife (ODR)18. ...
23Durante o ano de 2012, ocorreram quatro encontros de aprendizagemda Rede. O primeiro ocorreu em abril/2012. Nove membros...
24Em Abril, pela celebração do Aniversário do Instituto AEC, realizamos oprimeiro Encontro da Rede Sou do Ação. Um total d...
25Um total de 127 pessoas participaram do evento, que tevea parceria de Universidade Católica de Pernambuco,Instituto Soli...
265.3 COMUNICAÇÃOEste eixo estratégico pretende dar visibilidade ao Instituto AEC e disseminarpráticas de cidadania empres...
27Aluísio Xavier Advogados e Consultores. O debate foi mediado porCarla Pasa, Doutora e Pesquisadora de Responsabilidade S...
285.3.3 News SemanalNo ano de 2012 o Instituto AEC publicou 186 noticias e matérias em seusite (www.acaoempresarial.org.br...
295.4 DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONALAs iniciativas de desenvolvimento institucional tem o objetivo de criar egerenciar cond...
305.4.2 Gestão Financeira e Desempenho Econômico-FinanceiroA gestão financeira do Instituto AEC é conduzida pela Assessora...
31Ocorreu uma mudança das fontes de captação de recursos a partir de 2007 com asaída gradual de fundações privadas do Bras...
325.4.3 Parecer do Conselho Fiscal
335.4.4 Parecer dos Auditores Independentes
345.4.5 Desempenho Ambiental2009 2010 2011 2012Consumo de Energia 11.832 kWh 11.946 kWh 8.423 kWh 6.401 kWh100% da energia...
35Educação e Treinamento 2009 2010 2011 2012Bolsa de Estudo (50%) R$2.022 R$2.022 R$3.202 R$-Horas de Treinamento NA NA 24...
36abrangência, equilíbrio, comparabilidade, precisão, periodicidade, clareza,confiabilidade.Sumário Item PáginaEstratégia ...
371Sócio da JBR Engenharia (http://www.jbr.eng.br/), Membro da Rede Lidera e Diretor-Presidente do Instituto AEC2Consultor...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Gri aec 2012_2013_bd_gri.pdf

615 visualizações

Publicada em

Relatório de Sustentabilidade Instituto Ação Empresarial pela Cidadania Ano 2013 Exercício 2012

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
615
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Gri aec 2012_2013_bd_gri.pdf

  1. 1. 1
  2. 2. 21. APRESENTAÇÃO _______________________________________32. DECLARAÇÃO DO PRESIDENTE____________________________43. PERFIL INSTITUCIONAL __________________________________63.1 MARCOS DA TRAJETÓRIA INSTITUCIONAL ___________________ 73.2 EMPRESAS ASSOCIADAS _________________________________ 83.3 ESTRUTURA DE GOVERNANÇA ___________________________ 103.3.1 Órgãos de Gestão _________________________________________ 113.4 EQUIPE EXECUTIVA ____________________________________ 113.4.1 Contratações e Desligamentos _______________________________ 123.4.2 Ações de Formação ________________________________________ 123.5 PRINCIPAIS MUDANÇAS ________________________________ 134. ENGAJAMENTO COM AS PARTES INTERESSADAS ____________145. PROGRAMAS E PROJETOS ______________________________175.1 EDUCAÇÃO EMPRESARIAL_______________________________ 175.1.1 Lidera ___________________________________________________ 175.1.2 Consultoria em RSE ________________________________________ 195.2 ARTICULAÇÃO EM REDE ________________________________ 195.2.1 Território de Cidadania Empresarial Norte______________________ 205.2.2 Observatório do Recife _____________________________________ 225.2.3 Rede Lidera ______________________________________________ 225.2.4 Programa Sou do Ação _____________________________________ 235.2.5 Seminário de Economia de Comunhão_________________________ 245.2.6 Recicla PE ________________________________________________ 255.3 COMUNICAÇÃO _______________________________________ 265.3.1 Ação em Debate __________________________________________ 265.3.2 Calendário da Cidadania ____________________________________ 275.3.3 News Semanal ____________________________________________ 285.3.4 Redes Sociais _____________________________________________ 285.4 DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL ______________________ 295.4.1 Governança e Gestão Organizacional__________________________ 295.4.2 Gestão Financeira e Desempenho Econômico-Financeiro__________ 305.4.3 Parecer do Conselho Fiscal __________________________________ 325.4.4 Parecer dos Auditores Independentes _________________________ 335.4.5 Desempenho Ambiental ____________________________________ 345.4.6 Desempenho Social: Relações de Trabalho _____________________ 346. NÍVEL DE APLICAÇÃO __________________________________357. TABELA COM CONTEÚDO BÁSICO DO GRI VERSÃO G3.1 ______35SUMÁRIO
  3. 3. 31. APRESENTAÇÃOO Relatório Anual do Instituto Ação Empresarial pela Cidadania utilizou pelo quartoano consecutivo o Manual de Elaboração do Global Reporting Initiative (GRI – versãoG3) para compartilhar o desempenho organizacional, referente ao período de janeiroa dezembro de 2012, ano fiscal desta instituição. O presente relatório éautodeclarado nível C, segundo as Diretrizes para Relatório de Sustentabilidade daGRI – versão G3.O último relatório de sustentabilidade foi apresentado em 2011, base paraelaboração de 2012. O relatório limita-se a ação do Instituto AEC neste ano, nãoenglobando as ações das empresas associadas que fazem parte do seu quadroassociativo.Como principal mudança deste relatório, uma seção inteira foi dedicada à descriçãode programas e projetos desenvolvidos no ano de 2012, uma sugestão da equipeeditorial, a partir de avaliação das melhores práticas nos relatórios de organizaçõesnão governamentais registradas no banco de dados do GRI.RELATÓRIO ANUAL DE SUSTENTABILIDADE 2013 | EXERCÍCIO 2012COORDENAÇÃO GERALSuperintendência | Saritta Falcão BritoLEVANTAMENTO E SISTEMATIZAÇÃO DOS DADOSEquipe Executiva | Juliana da Paz | Viviane Enomoto | Laura QueirozRecife, Abril de 2013.Dúvidas ou sugestões(81) 3424 9282cidadania@acaoempresarial.org.brTwitter: @institutoacaowww.facebook.com/institutoacaoEndereço:Rua D. Maria César, 170 Sala 201-CBairro do RecifeCEP: 50030-140www.acaoempresarial.org.br
  4. 4. 42. DECLARAÇÃO DO PRESIDENTEÓ mar salgado, quanto do teu salSão lágrimas de Portugal!Por te cruzarmos, quantas mães choraram,Quantos filhos em vão rezaram!Quantas noivas ficaram por casarPara que fosses nosso, ó mar!Valeu a pena? Tudo vale a penaSe a alma não é pequena.Quem queira passar além do BojadorTem que passar além da dor.Deus ao mar o perigo e o abismo deu,Mas nele é que espelhou o céu.(Mar Portuguêz, de Fernando Pessoa)Pelo quarto ano consecutivo apresentamos o Relatório Anual de Sustentabilidade2013 – Exercício 2012 do Instituto Ação Empresarial pela Cidadania (AEC) no formatodo GRI – Global Reporting Initiative.A escolha desse formato é uma maneira de demonstrar o comprometimento de umaorganização com os princípios de sustentabilidade, ao consolidar as informaçõesambientais, sociais e econômicas.Esta forma transparente e contemporânea de relatar nosso relacionamento comassociados, parceiros e sociedade, tem sido motivo de grande satisfação para quemestá na liderança desta associação.O ano de 2012 foi o primeiro do novo Planejamento Estratégico, realizado em 2011,motivado pelos 10 anos de atuação do Instituto AEC, com ampla escuta das partesinteressadas do contexto institucional da organização. Os eixos de EducaçãoEmpresarial, Articulação em Rede, Comunicação e Desenvolvimento Institucionalforam priorizados, o que representou a retomada de importantes programas eprojetos.Realizamos a quarta edição do Lidera e ajustamos seu conteúdo para criaramcondições para sua expansão; a Rede Lidera ganhou 17 novos membros e se engajouem atividades de aprendizagens realizadas durante todo ano.A primeira fase do Projeto Território de Cidadania Empresarial – Rubina em Ação –foi bem avaliada e a segunda fase do projeto foi desenhada com a participação denovos parceiros, além da renovação daqueles já engajados na construção de ummercado inclusivo no município de Igarassu.O segundo semestre marcou a retomada do Ação em Debate – Fórum de CidadaniaEmpresarial, após cinco anos da última edição. O evento de lançamento contou com
  5. 5. 5a presença de vários associados, além de representantes da universidade e agentespúblicos; ao todo, reunimos mais de 100 pessoas.Como resultado desse ano de momentos tão significativos de renovaçãoinstitucional, o espírito do associativismo se fortaleceu com o compromisso daquelasempresas que apostaram nessa nova fase da organização.Sinto-me muito satisfeito pelos resultados alcançados ao longo desses últimos seisanos. A divulgação deste relatório pelos meios de comunicação que dispomos teminspirado alguns associados, que já nos procuraram para iniciar a produção de seuspróprios relatórios. Adotar esta postura transparente na comunicação de suasatividades junto à sociedade, é certamente uma grande conquista para toda a RedeSou do Ação.Por isso, quero agradecer a todos os associados, membros voluntários da diretoria,do conselho e aos colaboradores da equipe executiva, bem como estagiários,técnicos e gestores que vestiram a camisa para construir conosco um novo InstitutoAEC. Deixo agora o caminho aberto para que uma nova governança se constitua e acausa da cidadania empresarial se fortaleça.Pedro Pereira Cavalcante FilhoDiretor-PresidenteInstituto Ação Empresarial pela Cidadania
  6. 6. 63. PERFIL INSTITUCIONALO Instituto Ação Empresarial pela Cidadania (AEC) é uma associação privada, sem finslucrativos, fundada em 16 de abril de 2001, numa Assembleia Constituinte quecongregou 42 sócios fundadores, representantes do setor empresarial e da sociedadecivil organizada, cuja missão é “Articular empresas e influenciar suas práticas decidadania empresarial no ambiente de negócios para contribuir com odesenvolvimento sustentável de Pernambuco”. Nossa visão estratégica é serreferência como espaço de articulação, aprendizagem e compartilhamento deexperiências de cidadania empresarial e sustentabilidade em Pernambuco.Os valores que cultivamos são o da responsabilidade; coerência; cooperação;diversidade; foco em resultados; sintonia com ambiente de negócios; ética;transparência; criatividade e sustentabilidade. Nossos objetivos estratégicos são:• Promover educação empresarial para a sustentabilidade em diferentes espaçosde aprendizagem;o Fortalecer lideranças para sustentabilidade;o Apoiar e estimular o desenvolvimento de práticas empresariais emsustentabilidade;o Produzir Conhecimento sobre temáticas de interesses e experiênciasempresariais em sustentabilidade;• Articular empresas associadas e agentes sociais para consolidar programas decidadania empresarial;o Fomentar Rede Sou do Ação de empresas associadas;o Desenvolver e promover novos modelos de negócios sustentáveis;o Participar de espaços de articulação para o desenvolvimento sustentável;• Dar visibilidade ao Instituto AEC e disseminar práticas de cidadania empresarialda Rede Sou do Ação;o Consolidar a marca como referência empresarial na temática desustentabilidadeo Fortalecer e consolidar ações de relacionamento com públicos de interesse;o Diversificar os modelos e mídias de comunicação;• Criar e gerenciar condições para participação associativa e sustentabilidadeorganizacional.o Gerencial a organização;o Consolidar e fortalecer o modelo de governança;o Construir referenciais metodológicos de atuação;o Captar recursos financeiros e econômicos;As ações do Instituto AEC abrangem todo o Estado de Pernambuco cominterfaces nos Estados de São Paulo, Alagoas e Maranhão; seu público-alvosão empresas, empreendedores e entidades empresariais.
  7. 7. 73.1 MARCOS DA TRAJETÓRIA INSTITUCIONAL1999200120022003200420052006200720082009201020112012Projeto LIP Brasil(F. K. Kellogg) eincubação naFECOMÉRCIO Boletim eletrônicoe Site, Fórum Açãoem DebateFórum Ação emDebate (5 edições)Incubação naFIEPE.Fórum Ação em DebateItinerante; ProgramaIntegração; ArticulaçãoRegional pela Juventude, 1°calendário da cidadania (9edições anuais);Oficinas de Aprendizagem,Congresso Regional sobreEmpresas, Juventude eTrabalho; ProgramaParcerias (2 edições);Lidera (4 edições)Prêmio CidadaniaS.A (2 edições)Programa Parcerias;Aniversário de 10 Anos;Entrada nas redes sociais;Revisão do PlanejamentoEstratégico;1° Publicação do Relatóriode Sustentabilidade,BASE, Incubação do ODRe lançamento 1ª CartilhaODRCongresso Internacionalde CidadaniaEmpresarial, AvaliaçãoLidera, Território deCidadania Empresarial;2ª Cartilha doObservatório do Recife;1° ano de operaçãoda nova estratégia;Retomada do Açãoem Debate; 4ªedição do LideraFundação doInstituto AEC em16/04Sede própria;Observatório doRecife
  8. 8. 83.2 EMPRESAS ASSOCIADASExistem quatro categorias de sócios do Instituto AEC. Sócio Fundador, pessoas físicasou jurídicas que vierem a subscrever a ata de constituição, aderindo aos seusobjetivos, princípios e estatutos sociais. Sócio Benemérito, pessoas físicas oujurídicas indicadas por dois associados fundadores, no mínimo, aprovados peloConselho Superior de Administração e admitidos pela Assembleia Geral. SócioEfetivo, pessoas físicas ou jurídicas que vierem a ser admitidas pela DiretoriaExecutiva do AEC que aderirem aos seus objetivos, princípios e estatutos sociais.Sócio Contribuinte, pessoas físicas ou jurídicas que iniciar e qualificar açõesestruturadas no campo da Cidadania Empresarial. As pessoas nesta categoria departicipação contribuem financeiramente com uma cota mensal fixa de acordo comseu porte; a partir de então, ele pode se engajar nos programas e projetosinstitucionais do Instituto AEC e participar, com descontos ou gratuidades, doseventos promovidos.O grupo de empresas associadas ao Instituto AEC, na categoria de sócio contribuinte,seguido do mês e ano da associação, até dezembro de 2012, são:1. 4BMG | Gatos de Rua, abril/2010;2. ADC - Advogados e Consultores, abril/2002;3. Alcoa Alumínio, abril/2003;4. Aluísio Xavier Advogados e Consultores, março/2010;5. Ampla Comunicação, maio/2003;6. Âncora Seguros, setembro/2009;7. Associação Pernambucana de Atacadistas e Distribuidores,maio/2002;8. Associação Industrial do Curado, setembro/2002;9. Bandeirantes Mídia Exterior, outubro/2008;10. Bio Fair Trade, julho/2011;11. Câmara de Dirigentes Lojistas – Recife, setembro/2003;12. Celpe, abril/2002;13. C.E.S.A.R., maio/2003;14. Colmeia Arquitetura e Engenharia, outubro/2007;15. Coremal, janeiro/2005;16. Empresa Metropolitana, abril/2002;17. Engedata Engenharia Estrutural, junho/2008;18. Federação das Indústrias de Pernambuco, abril/2002;19. Federação dos Comerciários de Pernambuco, abril/2008;20. Central Pet FROMPET, março/2004;21. Geosistemas Engenharia, fevereiro/2006;22. Gerdau, janeiro/2004;23. Gráfica Santa Marta, maio/2004;24. Guimarães Ferreira Consultores, agosto/2003;25. Hermano Nascimento, outubro/2006;
  9. 9. 926. Itamaracá Produções, abril/2002;27. Itamaracá Transportes, abril/2002;28. JBR Engenharia, junho/2005;29. Mart Pet Comunicação, abril/2003;30. Musashi, junho/2004;31. Pertec Perfurações, abril/2002;32. Philips, maio/2002;33. Projetec, agosto/2005;34. PROSEGUR, abril/2002;35. Queiroz Galvão Energia Renováveis, outubro/2012;36. Rede Globo Nordeste, novembro/2004;37. Rodoviária Metropolitana, junho/2005;38. Shopping Center Recife, março/2003;39. Shopping Guararapes, julho/2002;40. Sindicato das Agências de Propaganda – Pernambuco, setembro, 2008;41. Sindicato das Indústrias de Açúcar e Álcool do Estado de Pernambuco,março/2008;42. Sindicato dos Lojistas de Recife, abril/2002;43. Sindicato das Indústrias de Fiação e Tecelagem de Pernambuco,setembro/2003;44. Sindicato da Indústria da Construção Civil, março/2004;45. Teccommerce, setembro/2002;46. Tecelagem São José, julho/2002;47. Termopernambuco, junho/2005;48. TGI Consultoria em Gestão, abril/2002;49. Unibratec, outubro/2008;50. Unicred Empresarial, abril/2009;51. Urbana-PE, maio/2006;52. Usina São José, julho/2005;53. Usina Trapiche, maio/2006;
  10. 10. 103.3 ESTRUTURA DE GOVERNANÇAA estrutura de governança do Instituto AEC é composta por seis órgãos. Assembleia Geral; Conselho Superior de Administração; Conselho Fiscal; Diretoria Executiva;A seguir, detalharemos as atividades de gestão própria de cada órgão da governança.A Assembleia Geral é o órgão máximo de decisão do Instituto AEC, composto porrepresentantes de empresas da Rede Sou do Ação (seção 3.2), sócios fundadores ,beneméritos e efetivos. As competências da Assembleia estão definidas no artigo 11do Estatuto Social. Dentre as iniciativas anuais regulares deste órgão, esta aapreciação do Relatório Anual da instituição, apreciação e deliberação sobre ascontas, balanços gerais e patrimoniais da organização.O Conselho Superior de Administração é responsável pela administração geral doInstituto AEC. É composto de até 15 membros eleitos em Assembleia e suascompetências são definidas pelo artigo 15 do Estatuto Social. Este conselho elege seuPresidente e seu Secretário Geral; este último acumula a função de Diretor-Presidente da Diretoria Executiva. Abaixo a composição deste conselho para o biênio2011-2013. Alfredo Teixeira Mendes Filho, da ASSINC; Antônio Renato Lima da Rocha, advogado da ADC Advogados; Cynthia Carvalho Alves Nascimento, do SENAC; Emanuella Moreira Pires Xavier, da Aluísio Xavier Advogados e Consultores; Jorge Corte Real, da FIEPE; Josias de Albuquerque, da FECOMÉRCIO; Kilsa Barreto de Meneses de Lima Rocha, da Fundação CDL Recife; Márcio Waked de Moraes Rêgo, da Bio Fair Trade; Maria Amélia Bezerra Leite, da Itamaracá Transportes; Maria Botelho Lins e Mello, da FromPet; Matheus Guimarães Antunes, da Queiroz Galvão; Oscar Augusto Rache Ferreira, do SINDITEXTIL; Pedro Pereira Cavalcante Filho, da JBR Engenharia; Roberto Muniz, da Geosistemas; Sebastião Jorge Jatobá Bezerra dos Santos, da CEPLAN; Susana Simões Leal, do INTG.O Conselho Fiscal é o órgão de assessoramento técnico da Assembleia Geral e doConselho Superior de Administração, que o indica. É composto por três membrospermanentes e três suplentes e suas competências estão definidas no artigo 19 do
  11. 11. 11Estatuto Social. Abaixo a composição deste conselho para o biênio 2011-2013. Cármem Maria Mota Cardoso, TGI; Frederico Augusto Cavalcanti de Petribu Vilaça, da Usina São Jose; João Joaquim Guimarães Recena, da Projetec; Jussara Pettine, da MartPet; Marília Gonçalves dos Santos, da Bandeirantes Mídia Exterior; Renato de Mendonça Maia Junior, da Coremal;A Diretoria Executiva é composta por quatro diretores, sendo um Diretor Presidentee três diretores executivos, estes últimos com a designação e atribuições conferidaspelo Conselho Superior de Administração. Dentre as competências, definidas noartigo 18 do Estatuto Social, esta o exercício da Administração da organização deacordo com as linhas estratégicas aprovadas em Conselho. A composição da diretoriaesta descrita abaixo. Pedro Pereira Cavalcante Filho, da JBR Engenharia, que ocupa a função desecretário-geral do Conselho Superior e Diretor-Presidente; Ana Cristina Trindade Queiroz, da Ampla Comunicação, que ocupa a função deDiretora Técnica; João Oliveira Freitas Neto, da RH Pages, que ocupa a função de DiretorAdministrativo-Financeiro; Suzana Braga, da Colmeia Arquitetura e Engenharia, que ocupa a função deDiretora de Relações Institucionais;3.3.1 Órgãos de GestãoExistem dois órgãos de gestão que apoiam a diretoria executiva na operacionalizaçãoda estratégia, o colegiado gestor e o executivo.O Colegiado Gestor é formado pela Diretoria Executiva, Superintendência eAssessorias do Instituto AEC e é o órgão que acompanha e delibera mensalmentesobre ações estratégicas para o cumprimento das metas propostas no Plano de Açãoe Orçamento Anual do Instituto AEC. A composição da equipe executiva esta naseção 3.4.O Colegiado Executivo é formado pela Superintendência e Assessorias do InstitutoAEC e delibera periodicamente sobre as ações operacionais necessárias aocumprimento das metas propostas no Plano de Ação e Orçamento Anual3.4 EQUIPE EXECUTIVAA equipe executiva do Instituto AEC são colaboradores que exercem trabalhoremunerado para operacionalizar iniciativas estratégicas. Segue nomes e funçõesdos executivos e prestadores de serviço que atuaram durante todo ano de 2012.
  12. 12. 12• Superintendência | Saritta Falcão Brito;• Assessorias | Juliana Albuquerque da Paz, Viviane Enomoto Burdinski, MarianaPreta de Lyra;• Auxiliar de Serviços Gerais | Tácia Bezerra de Brito e Tânia Bezerra Brito;• Assessor Projeto | Mariana Bezerra Lyra (ODR), Alexandra dos Santos Nunes(TCE), Vandelma Bezerra da Silva (TCE); Estagiários | Aline Barros Nunes, Laura Grace de Albuquerque, Marina Padilha deSouza, Juliana Medeiros de Albuquerque, Lucas de Vasconcelos Munhoz;3.4.1 Contratações e DesligamentosO quadro ativo de colaboradores do Instituto AEC é:• Superintendência | Saritta Falcão Brito;• Executivos | Juliana Albuquerque da Paz, Viviane EnomotoBurdinski;• Auxiliar de Serviços Gerais | Tácia Bezerra de Brito;• Estagiários | Aline Barros de Castro Nunes e Laura Grace Queirozde Albuquerque;Durante o ano de 2012 foram contratados dois colaboradores, encerrados quatrocontratos de trabalho, de forma voluntária por parte do colaborador e seis contratosforam encerrados por término de projeto ou de contrato temporário.3.4.2 Ações de FormaçãoEm agosto/2012, em Moreno-PE, a equipe executiva se reuniu pararealizar uma avaliação dos seis primeiros meses do ano eplanejamento para os meses seguintes. Também foi uma linhahistórica com os programas e projetos mais relevantes na perspectivainstitucional. A formação foi de 8h e todos os membros da equipeexecutiva engajados nas atividades programáticas participaram.Os colaboradores participaram, individualmente, de outras ações de formação: Viviane Enomoto e Aline Barros | Oficina sobre Mídias Sociais, promovida pelaIBM em parceria com Observatório do Recife; duração de 8h; Juliana da Paz | Oficina de Práticas Sociais, promovida pelo Instituto Fonte;duração de 16h; Saritta Brito | Oficina de Fenomenologia, promovida pelo Instituto Fonte; duraçãode 32 horas;
  13. 13. 133.5 PRINCIPAIS MUDANÇAS O ano de 2012 foi o primeiro da nova estratégia trienal (2012-2014) do InstitutoAEC, alterada a partir de uma avaliação institucional conduzida com a participaçãode toda Rede Sou do Ação no ano de 2011. A nova estratégia é marcada por umanova missão, visão, valores, objetivos estratégicos e iniciativas operacionais; Uma das novas iniciativas estratégicas de 2012 foi a estruturação de programa deconsultoria em responsabilidade social empresarial (RSE); no ano de 2012, oInstituto atendeu o Núcleo de Gestão do Porto Digital para disseminar e mobilizarempresas para sua Política de Responsabilidade Social Empresarial. (seção 5.1.2); O Observatório do Recife foi incubado nas pelo Instituto AEC desde sua fundação,em 2008 até Outubro de 2012; a incubação do movimento foi transferida para aFundação CDL, outra parceira do movimento. O rodízio de incubação foi decidopelo comitê gestor do projeto em 2012 e configura-se como uma estratégiaimportante para manter a independência do movimento. (seção 5.2.2.) Os conselheiros de administração Roberto Muniz e Emanuella Xavier foramconvidados a participarem das reuniões de colegiado executivo a fim decontribuírem com as discussões; A superintendente, Saritta Brito, associou-se ao Instituto Fonte na categoria deassociado membro; esta associação foi discutida e aprovada em reunião deconselho superior de administração;
  14. 14. 144. ENGAJAMENTO COM AS PARTES INTERESSADASO avanço da pauta da Cidadania Empresarial tem colocado nas mesas das empresasdiferenciações sobre o que são ações de Filantropia, de Investimento Social Privado,de Responsabilidade Social Empresarial, de Sustentabilidade Empresarial, entreoutras. De fato há complexidades nessas ações que as distinguem, tanto na dimensãodos resultados alcançados com cada uma das intervenções, quanto nas motivaçõespara colocá-las em prática. No entanto, ao fazer o exercício de olhar para essasdiferentes abordagens como um conjunto de ideias que expressam algo novo noambiente empresarial, nos perguntamos: o que essa inter-relação de movimentostem feito emergir nos modelo de gestão das organizações?Entre muitas relações possíveis, destacamos algo novo. O esforço que as empresasvêm fazendo para dialogar com grupos de interesses, sejam eles comunidades,clientes, fornecedores, governo, sindicatos, etc., a partir de uma escuta ativa,interessada, que gere qualidade no relacionamento, minimize conflitos e agreguevalor, é algo novo nas estratégias empresariais. Esse fato também faz emergir um dosgrandes desafios desse século a ser enfrentados pelas grandes corporações e portoda sua cadeia produtiva: desenvolver novos comportamentos que permitaminteragir com valores que a sociedade se reconhece, se corresponsabilizando porsoluções criativas para os impactos gerados pelo seu negócio.
  15. 15. 15O Instituto AEC, como organização promotora da pauta da Cidadania empresarial eentidade privada da sociedade civil responsável pela gestão de pessoas, recursos eresultados, tem vivenciado esse desafio de perto. Ao identificar os grupos deinteresse como elemento norteador na revisão do planejamento estratégico trienalde 2011, foram descobertas oportunidades de inovar o relacionamento, aumentar asinergia no alcance dos resultados e gerenciar conflitos de interesse de formatransparente e ética.A seguir, poderemos identificar os grupos de interesse do Instituto AEC e o focoestratégico de trabalho durante o ano de 2012.PARTE INTERESSADA FOCO DE RELACIONAMENTOAssociados | Empresas do quadro social (seção 3.2)engajadas no movimento de cidadania empresarial. Articulação de ações em rede; Estímulo à aprendizagem e a adoção de práticasem cidadania empresarial; Apoio e participação em iniciativas; Disseminação de informações e conhecimento;Equipe executiva | Profissionais, técnicos eestagiários contratados para operacionalizar o planode ação e alavancar os resultados planejados. Gestão Participativa; Valorização da diversidade; Respeito à legislação vigente; Aprendizagem centrada na prática;Voluntários | Lideranças do quadro social engajadasna governança (seção 3.3) e atividades específicasde programas e projetos (seção 5). Estímulo à participação na estratégia; Aprendizagem institucional; Representação política da causa;Empresas e redes empresariais | Organizaçõesprivadas prospectadas para participação associativae em programas, projetos e ações. Sensibilização e mobilização para causa; Articulação para cooperação em iniciativasinstitucionais; Troca de experiências;Apoiadores | Organizações públicas e privadas queinvestem recursos financeiros nos programas eprojetos. Sensibilização e mobilização para causa; Prestação de contas transparente, respeitandonormas e regulamentos próprios; Articulação para cooperação em iniciativasinstitucionais;Parceiros | Organizações públicas e privadas quecooperam em iniciativas afins no alcance dosresultados. Identificação de sinergias nas ações; Articulação para cooperação em iniciativasinstitucionais;Prestadores de serviço | Empresas e Organizaçõesda Sociedade Civil que ampliam a capacidadeestratégica e operacional. Transparência na convocatória Referências e abordagens metodológicasalinhadas com os princípios institucionais; Respeito à legislação vigente;Universidades | Organizações públicas e privadaspromotoras de educação empresarial e de pesquisascientíficas relacionadas à cidadania empresarial. Produção e difusão de conhecimento; Cooperação para avaliação de iniciativasinstitucionais e casos práticos em cidadaniaempresarial; Participação em eventos;
  16. 16. 16PARTE INTERESSADA FOCO DE RELACIONAMENTOMeios de comunicação | Veículos de mídiadifusores de informação especializada sobre acidadania empresarial. Proposição de pautas para difusão da causa ecobertura de eventos; Desenvolvimento de projetos de comunicação; Atualização para engajamento à estratégiainstitucional;Entidades promotoras de cidadania empresarial |Organizações Públicas e Privadas, locais, nacionaisou internacionais, com objetivos afins. Cooperação em iniciativas institucionais; Articulação para promoção da temática;Órgãos e entidades reguladoras | Organizaçõesreguladoras de políticas públicas relacionadas compráticas de cidadania empresarial. Articulação para promoção da temática;Estado e Governo | Organizações do poderexecutivo no desenvolvimento de pautasrelacionadas a cidadania empresarial. Articulação para promoção da temática;
  17. 17. 175. PROGRAMAS E PROJETOSOs programas e projetos do Instituto AEC estão divididos de acordo com a temáticados objetivos estratégicos estabelecidos (Seção 3). A seguir, serão relatados osprincipais eventos e resultados alcançados em cada eixo estratégico durante o anode 2012.5.1 EDUCAÇÃO EMPRESARIALOs programas de educação empresarial têm por objetivo promover educaçãoempresarial para a sustentabilidade em diferentes espaços de aprendizagem.Em 2012, duas iniciativas representaram os esforços dessa área estratégica. A quartaedição do Programa Lidera e a prestação de serviços de consultoria em RSE para oNúcleo de Gestão do Porto Digital.5.1.1 LideraEm 2012 a marca e o nome do Programa Lidera foram reposicionados;antes chamado de “Programa de Lideranças Empresarial para oDesenvolvimento do Nordeste” tornou-se “Programa de Formação deLideranças para o Futuro”.Um total de 17 empresários participou do Programa, que tem comoprincipal objetivo qualificar a leitura do ambiente de negócios erevitalizar as práticas de gestão empresarial.As empresas de cinco participantes desta edição são associadas aoInstituto AEC e as demais empresas não. Houve um equilíbrio degênero entre os participantes (nove homens e oito mulheres) e asformações profissionais, apesar de diversificadas, concentraram-se nasciências sociais (advocacia, administração, publicidade, psicologia,pedagogia, economia, arquitetura e sociologia).Os coordenadores do programa foram Pedro Pereira1e SebastiãoGuerra2; também compuseram a equipe Emanuella Xavier3, Juliana daPaz e Saritta Brito.Na trajetória institucional do Lidera, esta foi a primeira edição que oInstituto AEC influenciou mais ativamente as atividades de facilitação e produção deconteúdo. Também foi a primeira edição que 90% dos custos do programa a foramfinanciados pelos participantes.
  18. 18. 18Diversas estratégias metodológicas típicas do programa foram utilizadasno desenvolvimento dos os módulos e foram bem avaliadas por todosos envolvidos; Tânia Bacelar4apresentou um painel sobre a história dariqueza e da pobreza; Márcio Wacked5apresentou um estudo de casoda sua empresa, a Bio Fair Trade, que iluminou as discussões sobrenovos modelos de negócio; durante todo o programa, membros daRede Lidera acompanharam o desenvolvimento dos participantes pormeio da atividade de Par de Aprendizagem; promovemos intercâmbiocomunitário em parceria com a ONG de Serra Talhada, o Centro deEducação Comunitária Rural (CECOR). No último módulo, convidamoscinco redes empresariais para apresentarem suas iniciativas eestratégias: A Rede Lidera, a CDL Recife6, a FIEPE7, a ASPA8e a RedeGestão9.O programa foi bem avaliado por todos os participantes; segue abaixotrês depoimentos dos participantes.“O conteúdo foi trabalhado de maneira leve e a construção dos temas bastante satisfatórios.Estou caminhando firme, sentindo que tenho aprendido muito os módulos.” (Hugo Barros)“Estou atenta a algumas atitudes que no dia a dia da empresa elas nos levam para agir sedistanciando das pessoas e do mundo mais justo. É preciso vir para um Lidera, ou um Lideranos sensibilizarmos e nos desenvolvermos nessa direção” (Cristina Queiroz)“Abri minha mente não só para práticas sustentáveis de liderança, mas para entender opropósito da minha empresa, que está por trás (ou na frente) de tudo que diz respeito a ela”(Camila Bandeira)Em Junho de 2012 foi lançada a quinta edição do programa Lidera, que ocorrerá em2013, num café da manhã oferecido na FIEPE. Participaram do evento 20 pessoas de17 empresas.Ainda em ações de mobilização para formação da quinta edição do Lidera, foramdistribuidos 125 folders e realizadas 14 visitas a empresários interessados.A equipe de coordenação da quinta edição do programa. Antônio Luis10, PedroPereira e Saritta Brito serão os facilitadores e Márcio Wacked11assumirá a monitoria.
  19. 19. 195.1.2 Consultoria em RSEAs Consultorias em RSE são realizadas a partir da demanda deempresas associadas ou entidades empresariais a fim de melhorqualificarem suas iniciativas no campo da cidadania empresarial. Éentendida como uma atividade de educação empresarial por quedurante seu desenvolvimento, o Instituto AEC gera condições paraque os atores envolvidos se engajem e compreendam as ações deforma que entendam os pressupostos que as sustentam e, comisso, sejam capazes de conduzir processos semelhantes no futuro.Durante o ano de 2012 o Instituto AEC atendeu o Núcleo de Gestãodo Porto Digital12(NGPD), parque tecnológico que reúne cerca de180 empresas da área de tecnologia da informação e comunicação(TIC), além de empresas da economia criativa. O Projeto deAssessoria em Gestão de RSE prevê a estruturação de um Modelode Gestão em RSE para o núcleo de gestão do parque; mobilizaçãodas empresas para adesão à política de RSE do Porto Digital13; earticulação de parcerias institucionais entre o Porto Digital e outraspartes interessadas para operacionalização da política de RSE.Até dezembro de 2012 foram visitadas 65 empresas do Porto Digital e uma parceriainstitucional entre o Parque e a ADE Brasil foi firmada. Em Julho/2012, o Instituto AECfoi convidado para palestrar sobre Responsabilidade Social Empresarial no Semináriode Acessibilidade promovido pelo NGPD. Cerca de 60 pessoas assistiram à palestra.Os trabalhos de assessoria com o NGPD têm data prevista para conclusão emjunho/2013.Em dezembro/2012 um novo contrato de assessoria foi firmado junto à AmplaComunicação, empresa da Rede Sou do Ação. O Instituto AEC apoiará a empresa naelaboração do Relatório de Sustentabilidade modelo GRI14.5.2 ARTICULAÇÃO EM REDEOs programas de articulação em rede tem o objetivo de articular empresasassociadas e outros agentes sociais para consolidar programas de cidadaniaempresarial. Para isso, ele fomenta a Rede Sou do Ação de empresas associadas;desenvolve e promove novos modelos de negócios sustentáveis; e participa deespaços de articulação para o desenvolvimento sustentável.No ano de 2012, seis iniciativas sustentaram este objetivo: o programa Território deCidadania Empresarial Norte; a participação no comitê gestor do Observatório doRecife; o apoio ao Seminário de Novas Relações Econômicas a partir da Perspectivada Comunhão; iniciativas da Rede Lidera; o Programa Sou do Ação e articulaçãoempresarial do Recicla PE.
  20. 20. 205.2.1 Território de Cidadania Empresarial NorteO programa Território de Cidadania Empresarial tem comoobjetivo fomentar modelos de negócios inclusivos (NI) entre osmicros empreendimentos da comunidade e as empresas da Rede Sou do Ação. Ogrande diferencial deste projeto é que ele foi uma proposta da Rede Sou do Ação deempresas associadas ao Instituto AEC, a partir das discussões promovidas no ICongresso Internacional de Cidadania Empresarial (2010), das reuniões do ProgramaTerritórios de Cidadania Empresarial com as empresas engajadas no grupo detrabalho Norte, Centro e Sul e da demanda da Alcoa para investir num projetoinovador.Em 2012 foram conduzidas ações de avaliação e sistematização da primeira fase doprograma (realizadas entre 2010 e 2011); assim como planejamento e captação derecursos para a segunda fase.AVALIAÇÃO PRIMEIRA FASEPara avaliar o alcance dos objetivos propostos, foram utilizadasdiversas estratégias metodológicas: 1) Análise de todos osdocumentos e memórias de reunião do projeto; 2) Pesquisa com 80empreendedores da comunidade que participaram de pelos menosum atividade do projeto; 3) Pesquisa com 100% dos financiadores doprojeto; 4) Reunião de avaliação com participação de 60empreendedores de Rubina; 5) Reunião de avaliação comparticipação de 12 parceiros do projeto. Um consultor externoconduziu as ações 4 e 5 de forma a dar isenção ao processo.Destacamos dois resultados importantes. O primeiro foi a atuaçãoem rede foi estimulada a partir das reuniões do projeto que eramrealizadas com participação das empresas e comunidade. O segundofoi a realização de negócios entre empresa-comunidade e reuniõesde negociação conduzidas entre o grupo de negócio e empresaassociada;Em termos de impacto, 78% dos empreendedores participantesperceberam aumento de faturamento no ano de 2011. Destes, 89%afirmaram que foi na ordem de 20%. 92% dos empreendedoresidentificam que o projeto trouxe mudanças em suas habilidadesgerenciais: 21% perceberam mudanças na gestão; 12% na área deprodução; 35% em comercialização e 32% na gestão financeira; porfim, foi relatado pelos empreendedores que o projeto possibilitouaumento na sua autoestima, o que deu mais confiança para eles investirem em seupróprio negócio; além disso, fortaleceu os laços de solidariedade da comunidade, apartir das oportunidades de encontro e reuniões.Ainda na fase de avaliação, alguns pontos foram destacados como importantes pararealização de uma segunda fase do projeto:
  21. 21. 21• Continuidade de parceria para capacitações técnicas;• Metodologias complementares desenvolvidas por organizaçõesoutras organizações podem ser integradas ao projeto e enriquecero processo de qualificação dos empreendedores no território;• O desenvolvimento de método para desenvolvimento dos gruposde negócios identificados pode possibilitar estratégias comerciaisdiferentes que facilitasse o atendimento das demandas deprodutos e serviços das empresas;• Iniciativas para acesso pelos empreendimentos à recursos parainvestimento e capital de giro são importantes no seu processo dedesenvolvimento;• Desenhar procedimentos e políticas (para empreendedor e empresas deempresas associadas) que facilitem a formação do mercado inclusivo.PLANEJAMENTO SEGUNDA FASEA segunda fase foi planejada durante o ano de 2012. Considerando as necessidadesdo projeto e do Instituto AEC, aproximamos-nos de um parceiro técnico, o IADH15,para conduzir o planejamento em conjunto com o Instituto AEC e, assim, fortalecersuas bases pedagogias e técnicas.Com base na avaliação dos objetivos da primeira fase, seus impactos observados nacomunidade e nas empresas, assim como as expectativas das partes interessadas, osobjetivos da segunda fase do TCE na comunidade de Rubina foram assim definidos:1. Fomentar o empreendedorismo e o desenvolvimento de grupos produtivos;2. Promover a inclusão financeira dos empreendedores;3. Consolidar um ambiente favorável para negócios inclusivos;4. Implantar instrumentos de informação / comunicação para partes interessadas;Espera-se que ao final do projeto grupos produtivos sejam estruturados a partir daparticipação ativa dos empreendedores em todo processo. Dessa forma, ascapacidades técnicas e de gestão permanecerão na comunidade. Como o projetoprevê início de relações comerciais com empresas de médio e grande porte doentorno da comunidade, essas ações favorecerão a inclusão de novosempreendedores e empresas na construção de um mercado inclusivo.Uma reunião de mobilização de parceiros foi articulada em Agosto de 2012 na Alcoa.Representantes de empresas locais: Polo Empresarial Ginetta16, Myrá, Musashi,Gerdau Igarassu, IADH e Interamerican Foundation17. Todos foram convidados aapoiarem o programa em 2013. Até dezembro de 2012, empresas e organizaçõesengajadas na 1° fase confirmaram a continuidade do apoio ao projeto (Alcoa, UsinaSão José, Itamaracá Transportes, Associação de Moradores de Rubina, SENACPaulista) e novas entidades foram mobilizadas, como o Instituto Fecomércio e o PoloEmpresarial Ginetta. As ações do projeto iniciam-se em Abril/2013.
  22. 22. 225.2.2 Observatório do RecifeO programa de cidades sustentáveis de Recife é liderado peloObservatório do Recife (ODR)18. Ele tem como missão mobilizara sociedade para selecionar, propor e monitorar um conjuntode indicadores e metas que se constituam numa agenda de desenvolvimentosustentável para o município que a levem a se transformar numa cidade melhor parase viver, socialmente justa, ambientalmente equilibrada e economicamente viável.O apoio a este programa posiciona-se estrategicamente no suporte àiniciativas da Rede Lidera de onde surgiu a mobilização inicial paramovimento. O Instituto AEC participa através do comitê gestor do ODR,por meio de sua Diretoria Técnica, Cristina Queiroz.No ano de 2012, o ODR engajou-se nas ações do Comitê dos JogosLimpos, do Instituto Ethos; apresentou os indicadores da cidade aoscandidatos à eleição municipal; realizou a 3° caminhada “Olhe peloRecife”; e desenvolveu o projeto “O Recife que Precisamos” emconjunto com a Revista Algo Mais; os indicadores do ano de 2012não foram realizados, pois o movimento nacional dos programasde cidade sustentáveis está desenvolvendo uma plataforma deindicadores para todas as cidades que consolidará as informaçõesde todas as cidades participantes.Os parceiros deste movimento foram Colmeia Arquitetura eEngenharia, Coremal, Fundação Avina, Fundação CDL, ItamaracáTransporte, Revista Algo Mais, Sindicato das Empresas deTransporte de Passageiros no Estado de Pernambuco e TGI.O movimento foi incubado nas pelo Instituto AEC desde sua fundação, em 2008 atéOutubro de 2012, quando foi transferido para a Fundação CDL, também parceira domovimento. O rodízio de incubação foi decido pelo comitê gestor do ODR em 2012 econfigura-se como uma estratégia importante para manter a independência domovimento.5.2.3 Rede LideraA Rede Lidera reúne os egressos do Programa Lidera. Ao finalde 2012, ela é composta por 60 empresários de 50 empresasdiferentes, sendo 13 da primeira edição (2005-2006), 16 da segunda (2007-2008), 14da terceira (2008-2009) e 17 da quarta (2012).Os negócios liderados pelos membros da Rede Lidera são mais representativo noramo de serviços (62% das empresas), seguidos por comércio e indústria (cada umcom 16%) e entidades empresariais (6%).
  23. 23. 23Durante o ano de 2012, ocorreram quatro encontros de aprendizagemda Rede. O primeiro ocorreu em abril/2012. Nove membros da redeparticiparam (três da primeira edição, dois da segunda e quatro daterceira), com a facilitação de Saritta Brito e Tião Guerra. No encontro,comunicou-se à Rede sobre o início da quarta edição; foi realizadauma atividade de aprendizagem, envolvendo o contexto do nordeste eum estudo de caso de uma empresa da rede; e definiram-se acordosde participação dos pares de aprendizagem, estratégia metodológicainiciada na quarta edição do programa que tem por finalidade quemembros da Rede compartilhem suas descobertas e aprendizagens nodecorrer do programa com os seus participantes.O segundo encontro ocorreu em junho/2012. Oito membros da redeparticiparam (quatro da primeira edição, um da segunda e dois daterceira). Foi trabalhado um exercício sobre a empresa como espaçode práticas de valores individuais a partir da quadrimembração(identidade, relações, fluxos e recursos).O terceiro encontro ocorreu em novembro/2012, no último dia daquarta edição do Lidera. Além dos 17 participantes do Lidera 4, 13membros da Rede Lidera (cinco da primeira edição, quatro da segunda etambém da terceira edição) dialogaram sobre redes empresariais edefiniram linhas estratégicas de atuação da Rede: 1) fortalecimento doInstituto AEC, como instituição promotora dos valores com os quais a Rede seidentifica; 2) Fortalecimento do programa Lidera; 3) Fortalecimento da Rede Lidera,por meio de atividades de aprendizagem.5.2.4 Programa Sou do AçãoO programa se propõe a qualificar a Rede Sou do Ação deEmpresas associadas, fortalecendo as trocas e parcerias entre asmesmas, ampliando os seus conhecimentos e orientando melhorias naestratégia de atuação no campo da cidadania empresarial.No ano de 2012, o Instituto AEC realizou 26 visitas a empresasassociadas para apresentar a nova estratégia do AEC (Seção 3),conhecer os programas de cidadania empresarial da empresa efortalecer o relacionamento com as associadas. Também participamosde diálogo para qualificação das ações de RSE de duas empresasassociadas (QGER e Shopping Guararapes).Também foram promovidos dois encontros de articulação entre a ItamaracáTransporte e a Gerdau Recife. O interesse comum foi o programa de formação dejovens para o mercado de trabalho, Ponto Cidadão19, apoiado pela Itamaracá e TGI.
  24. 24. 24Em Abril, pela celebração do Aniversário do Instituto AEC, realizamos oprimeiro Encontro da Rede Sou do Ação. Um total de 30 pessoas, de 27organizações diferentes, participaram da celebração.Na ocasião foram entregues os certificados da Rede Sou do Ação de2011 às 13 empresas associadas presentes; ele é um documento anualque atesta a participação das empresas no movimento de cidadaniaempresarial do ano anterior. Na sequência, os convidados CristianeFélix e Cássio Marinho, organizadores do livro“Vida em rede: conexões, relacionamento ecaminho para uma novasociedade”20, publicado o peloInstituto C&A, apresentaram asideias centrais da publicação queaborda a importância do trabalhosocial em rede para atransformação de realidades complexas. Para finalizar as celebrações, foi lançado oselo postal em celebração dos 11 anos do Instituto AEC.5.2.5 Seminário de Economia de ComunhãoEm 12/07/2012, no auditório da Faculdade de Ciências daAdministração de Pernambuco, foi provido pelo Movimento deEconomia de Comunhão, com apoio do Instituto AEC e outros parceiros,um Seminário que teve por objetivo promover uma reflexão sobreprincípios e praticas das novas relações econômicas a partir daEconomia de Comunhão. O objetivo divulgar propostas e princípios deuma nova visão econômica no meio acadêmico e empresarial, assim comofomentar o surgimento de novas iniciativas empresariais baseadas nos valoresda Economia de Comunhão.Palestrou no seminário sobre o histórico, fundamentos, práticas e valores daEconomia de Comunhão Sr. Luigino Bruni, Professor Associado de EconomiaPolítica da Faculdade de Economia da Universidade de Milão, Vice-diretor doEconomÉtica21, Centro Interuniversitário pela Ética Econômica eResponsabilidade Empresarial.O tema foi aprofundado por dois convidados, empresários que apresentaramcasos práticos de como conduzem o modelo econômico em suas empresas: oSr. Marcos Gugel, empresário pernambucano da Campo Fertile22, delicatessenlocalizada na cidade de Igarassu (PE); e Sr. Glaison Citadin, empresáriocuritibano da Dominus23, empresa de automação que apresentou seu caso noFórum Empreendedor Social, na Rio+2024.
  25. 25. 25Um total de 127 pessoas participaram do evento, que tevea parceria de Universidade Católica de Pernambuco,Instituto Solidariedade, Instituto Chaira Lubich de Inclusãoe Comunhão, Secretaria de Desenvolvimento Econômicodo Estado de Pernambuco, Associação Caruaruense deEnsino Superior, o Instituto Humanitas, Polo EmpresarialGinetta, Faculdade de Ciências da Administração de Pernambuco e Banco doNordeste5.2.6 Recicla PEO Instituto AEC apoiou o Instituto de Tecnologia dePernambuco25na produção e promoção, emnovembro/2012, de um café da manhã que apresentouações e investimentos do Programa Recicla Pernambucono município de Garanhuns, PE. O objetivo eraapresentar possibilidades de participação de empresas e órgãos públicos noprograma para fortalecer o projeto que impacta a economia e omeio ambiente do município, por meio da separação e doação dolixo reciclável.O Recicla PE é um programa executado pela Unidade de Gestão deProjetos de Resíduos Sólidos do ITEP, em parceria com aPetroquímica Suape26, que tem com objetivo estruturar a cadeia dereciclagem de lixo em 12 municípios do agreste e mata norte doestado de Pernambuco. As iniciativas vão desde construção eequipagem de aterro sanitário, capacitação de catadores de lixomembros de associações ou cooperativas de reciclagens, ações dedesenvolvimento institucional dessas organizações, sensibilização demoradoras para separação e doação de lixo, dentre outras ações.Participaram do evento 20 pessoas, sendo 13 representantes deempresas, três representantes da universidade federal, umrepresentante do judiciário, dois representantes da Associação derecicladores e um representante da sociedade civil.O evento gerou resultados e duas empresas passaram a doar seu lixo reciclávelpara a Associação dos Catadores de Papel, Papelão e Material Reciclável NovaVida (ASNOV), de Garanhuns.A mobilização realizada foi muito bem avaliada pelo ITEP, que solicitouproposta do Instituto AEC para continuar na realização de eventos dessanatureza em outros municípios de Pernambuco.
  26. 26. 265.3 COMUNICAÇÃOEste eixo estratégico pretende dar visibilidade ao Instituto AEC e disseminarpráticas de cidadania empresarial da Rede Sou do Ação. Os principaisresultados esperados é consolidar a marca do Instituto AEC como referênciaempresarial na temática de sustentabilidade; fortalecer e consolidar ações derelacionamento com públicos de interesse; e diversificar os modelos e mídiasde comunicação.No ano de 2012, o Instituto retomou o Ação em Debate, trabalhou a temáticado consumo consciente no calendário da cidadania, publicou boletins denotícias semanais e ativou sua participação nas redes sociais. A seguir, masdetalhes sobre os principais resultados.5.3.1 Ação em DebateO Ação em Debate foi um programa de sucesso do Instituo AEC nosanos de 2003 a 2007.No ano de 2012, o Ação e Debate retorna como Fórum de CidadaniaEmpresarial para disseminar boas práticas no campo da gestão deprogramas de cidadania empresarial, debatendo temas e ideias comlideranças empresariais e organizações sociais, assim como apresentacasos de sucesso de sua rede associada.Dois fóruns foram realizados. Oprimeiro em 05/09, no Auditório daLivraria Cultura. Ricardo Abramovay lançou olivro “Muito Além da Economia Verde” e apóssua apresentação, as ideias por ele apresentadasforam debatidas por Oscar Rache, empresário e conselheiro do Instituto AEC eFrancisco Saboya, Diretor-Presidente do Porto Digital; o debate foi mediado porMathew Shirts, editor chefe da revista Planeta Sustentável.Participaram do evento 100 pessoas e a entrada foi gratuita. Arealização do evento foi compartilhada entre Instituto AEC, Avina ePlaneta Sustentável; o Apoio foi do Porto Digital com serviços prestadospró-bono pela Mart Pet, Livraria Cultura e FIEPE.O segundo fórum ocorreu em09/10, na FIEPE. Marcos Kisil, Diretor-presidentee fundador do Instituto de Desenvolvimento doInvestimento Social27, palestrou sobre o MuitoAlém do Investimento Social Privado. Duasempresas associadas apresentaram casos de investimento social privado, a Alcoa e
  27. 27. 27Aluísio Xavier Advogados e Consultores. O debate foi mediado porCarla Pasa, Doutora e Pesquisadora de Responsabilidade SocialEmpresarial na UFPE28.Participaram do evento 20 pessoas e a entrada foi gratuita paraempresas associadas; para não associadas, cobrou-se taxa de R$40.A realização do evento foi compartilhada entre Instituto AEC e FIEPE; e Apoio foi doPorto Digital com serviços prestados pró-bono pela Mart Pet.5.3.2 Calendário da CidadaniaNo ano de 2012 o Instituto AEC apresentou a 9°edição do calendário da cidadania, produto decomunicação que dá visibilidade a temas relacionadosà responsabilidade social empresarial.O tema deste ano foi “Consumo Consciente”. Foramapresentadas doze dicas que como as empresas poderiam se inserir nestemovimento e influenciar comportamento no ambiente coorporativo.• Planeje mais: compre menos e melhor;• Reduza o desperdício: consuma só o necessário;• Divida responsabilidades: encoraje leis de apoio à práticas sustentáveis;• Multiplique o consumo consciente: divulgue ações em sua cadeia produtiva;• Divida oportunidades: compre de pequenos produtores;• Reutilize produtos: seja criativo e preserve o meio ambiente;• Comunique mais: valorize suas práticas de cidadania empresarial;• Multiplique a cadeia sustentável: compre produtos legais;• Diminua sua pegada ambiental: avalie os impactos do consumo;• Agregue valor aos produtos: ouça sugestões de clientes e fornecedores;• Separe o lixo: destine seus resíduos de forma sustentável;• Menos dívidas: mais crédito com responsabilidade;Um total de 16 empresas da Rede Sou do Ação patrocinaram oproduto; seis assinando sete meses do calendário (Shopping Recife,Associação das Indústrias do Curado e Várzea, CDL Recife, UsinaTrapiche, Unibratec e Queiroz Galvão Desenvolvimento Imobiliário);10 apoiaram a iniciativa: Ampla, Bandeirantes, Celpe, GuimarãesFerreira, Itamaracá, JBR Engenharia, Sinditextil, TGI e Usina São José.O Centro Cultural dos Correios e a Flamar foram organizaçõestambém apoiaram o produto de comunicação. A tiragem docalendário, de 5.000 cópias, foi distribuída durante todo ano de2012.Na revisão estratégica conduzida em 2011, decidiu-se por suspender o produto erealizar uma avaliação em 2013 para verificar a percepção da Rede e perspectivas desua renovação para o próximo ano.
  28. 28. 285.3.3 News SemanalNo ano de 2012 o Instituto AEC publicou 186 noticias e matérias em seusite (www.acaoempresarial.org.br). As matérias trataram sobre as dicasmensais do calendário da cidadania, os programas e projetos das empresasda Rede Sou do Ação e do próprio Instituto AEC; três artigos assinados pormembros da Rede foram escritos especialmente para a página do Instituto.Além do site, as matérias foram divulgadas para a Rede Sou do Ação por meio deBoletins de frequência semanal (News Semanal), a partir do segundo semestre,quando da contratação da assessora de comunicação. Ao todo foram 26 News quedestacou, cada uma, quatro matérias.5.3.4 Redes SociaisO ano de 2012 foi o primeiro em que as Redes Sociais foramutilizadas como estratégia de comunicação qualificada com a RedeSou do Ação. Ao todo foram postadas 206 notícias no Facebook enossa página teve 269 novos curtidores, o que representa umgrande aumento dos 53 curtidores do ano anterior. No Twiter forampouco mais de 300 postagens e 95 novos seguidores.Em termos de clipping na imprensa, foram geradas 88 notícianas diversas mídias (eletrônica, televisiva, rádio, jornal), comdestaque para o Ação em Debate com Ricardo Abramovay.Avaliamos como bons os resultados e percebemos essa nova mídiacomo importante para gerar um diálogo rápido e qualificado comnosso público de interesse.
  29. 29. 295.4 DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONALAs iniciativas de desenvolvimento institucional tem o objetivo de criar egerenciar condições para participação associativa e sustentabilidadeinstitucional. Neste sentido estão as ações da gestão organizacional, deconsolidação e fortalecimento da governança, a identificação e revisãode referenciais e métodos de atuação, assim como os processos decaptação de recursos financeiros e econômicos.A seguir serão relatadas as principais iniciativas de desenvolvimentoinstitucional durante o ano de 2012.5.4.1 Governança e Gestão OrganizacionalAs iniciativas descritas nesta seção segue a estrutura de governançadescrita anteriormente na seção 3.3.Em Junho de 2012 promovemos a reunião anual da Assembleia Geral,quando foi apresentado à Rede Sou do Ação, pelo terceiro anoconsecutivo, o Relatório de Sustentabilidade 2011 no modelo GRI edeliberou-se pela aprovação das contas anuais de 2011.Durante o ano de 2012 foram realizadas oito reuniões do ConselhoSuperior de Administração que versaram sobre o orçamento e planode ação 2012; mudanças de incubação do ODR; estratégias dearticulação de empresas no território de Suape; desenvolvimento deprograma de Governança com RSE; estratégias de retomada do Açãoem Debate; diálogo sobre o perfil da nova economia de Pernambuco;período de mandado do Conselho; modelos de participação eacompanhamento dos conselheiros no apoio às iniciativas operacionaisdo Instituto AEC; e aprovação de planejamento e orçamento 2013.O Conselho Fiscal reuniu-se em Junho de 2012 para analisar as contas anuais de 2011e o relatório de auditoria da PHF Auditores Independentes do mesmo ano, orecomendado para aprovação em Conselho de Administração e Assembleia.O Colegiado Gestor realizou 10 reuniões no ano que focaram a gestão do fluxo decaixa, estratégias de mobilização de recursos, desenho e acompanhamento depropostas de trabalho, avaliação de desempenho institucional, planejamento dereuniões de conselho superior, agenda operacional, planejamento de novosprogramas, análise de propostas de parcerias e representação em eventos.O Colegiado Executivo reuniu-se com frequência quinzenal durante o ano de 2012 edeliberou sobre plano de ação de curto prazo para implantação da estratégia.
  30. 30. 305.4.2 Gestão Financeira e Desempenho Econômico-FinanceiroA gestão financeira do Instituto AEC é conduzida pela Assessora Técnica com apoiodo Diretor Financeiro. Sobre o sistema de controles internos, durante o ano de 2012foi consolidado o sistema de gerenciamento de fluxo de caixa em parceria com a RHPages29, que doa o serviço de desenvolvimento e hospedagem do sistema, que ébaseado na web.A seguir um relato sobre o desempenho econômico-financeiro.Balanço PatrimonialAtivo 2012 2011 Passivo 2012 2011R$ 133.413 R$ 142.949 R$ 133.413 R$142.949Circulante R$ 118.683 R$ 124.982 Circulante R$ 185.234 R$ 180.621Caixa R$ 117.930 R$ 119.270 Fornecedores R$ 254 R$ 2.866Impostos a Recuperar R$ 752 R$ 3.915 Obrigações Sociais eTrabalhistasR$ 46.171 R$ 33.463Outros créditos - R$1.797 Projetos R$ 138.810 R$ 144.292Não Circulante R$ 14.730 R$ 17.967 Patrimônio - R$51.821 -R$37.673Investimento R$ 6.836 R$ 6.236 Patrimônio Social R$ 22.029 R$ 22.029Imobilizado R$ 90.136 R$ 88.286 Déficit Exercício - R$73.850 -R$ 59.701Depreciação - R$82.242 -R$ 76.555O Instituto AEC vem apresentando déficits consecutivos, mas com tendência deredução nos últimos dois anos (62%). É importante destacar que o déficit acumuladode R$51.821, que pode ser observado por dados de balanço, é consequência de umadepreciação acumulada (despesa não financeira) de ativos fixos na ordem deR$82.242.
  31. 31. 31Ocorreu uma mudança das fontes de captação de recursos a partir de 2007 com asaída gradual de fundações privadas do Brasil e a mudança de foco estratégico deoutros parceiros que financiavam a atividade institucional. A partir de então, oespaço de captação de recurso tornou-se, cada vez mais, as empresas e entidadesprivadas locais. 100% dos recursos no ano de 2012 advieram de fontes privadas e nãohouve qualquer ajuda financeira significativa recebida do estado.Essa mudança estratégica trouxe desafios internos ao Instituto AEC, que vemrealizando, desde 2008, ajustes em sua estrutura de custo fixo para que a mesmaseja equilibrada com os recursos de contribuição associativa, principal fonte fixa dereceitas. Outro desafio tem sido criar uma nova cultura empresarial de doação àcausa da cidadania empresarial. Neste sentido, observa-se sucesso desta demanda,vez que 95% das fontes de captação de recursos em 2012 foram de empresas locais eapenas 5% da Fundação Avina, que financia a causa de cidades sustentáveis,desenvolvida pelo ODR.
  32. 32. 325.4.3 Parecer do Conselho Fiscal
  33. 33. 335.4.4 Parecer dos Auditores Independentes
  34. 34. 345.4.5 Desempenho Ambiental2009 2010 2011 2012Consumo de Energia 11.832 kWh 11.946 kWh 8.423 kWh 6.401 kWh100% da energia utilizada advêm de fonte hidroelétrica.No ano de 2012 iniciamos a coleta seletiva de papel e plástico. A organizaçãoresponsável pela coleta é o Hospital do Câncer de Pernambuco30; uma de suas linhasde financiamento é a venda de material reciclado doado pela população e porempresas. A instituição não mantém controle registrado de peso do material, masforam realizadas três coletas; em cada uma, duas caixas 100 cm x 40 cm com materialreciclado foram doados.O papel A4 utilizado durante o ano de 2012 é reciclado. Pela característica de suaoperação, não é verificada Implicações financeiras e outros riscos e oportunidadespara as atividades da organização devido à mudança climática.5.4.6 Desempenho Social: Relações de TrabalhoEmprego 2009 2010 2011 2012Total de Trabalhadores 9 14 11 6Contrato Trabalho CLT (220h/mês) 5 5 6 3Contrato Trabalho CLT (40h/mês) 1 1 1 1Contrato de Estágio (110h/mês) 3 8 4 2Área Geográfica RMR1RMR RMR RMRA característica do trabalho no Instituto AEC é administrativo. Não é oferecidobenefício além dos legais aos trabalhadores definido pela Consolidação das LeisTrabalhistas e pelo Acordo coletivo da categoria. O trabalhador por CLT em tempoparcial possui os mesmos direitos trabalhistas dos trabalhadores em tempo integral.Saúde e Segurança 2009 2010 2011 2012Taxa de Lesão 0% 0% 0% 0%Doenças Ocupacionais 0% 0% 0% 0%Dias perdidos 20 15 19 0Em 2012 não ocorreram lesões ou dias perdidos por doença ocupacional.1Região Metropolitana do Recife
  35. 35. 35Educação e Treinamento 2009 2010 2011 2012Bolsa de Estudo (50%) R$2.022 R$2.022 R$3.202 R$-Horas de Treinamento NA NA 24h 56hDiversidade 2009 2010 2011 2012Gênero M F M F M F M FConselho Administrativo 14 7 14 7 12 9 12 9Diretoria 2 2 2 2 2 2 2 2Equipe Executiva 1 7 1 13 1 10 0 5TOTAL 17 16 17 22 15 21 14 16No ano de 2012, observou-se um equilíbrio de gênero dos participantes do InstitutoAEC.6. NÍVEL DE APLICAÇÃOGlobal Reporting Initiative é umaorganização internacional com sedeem Amsterdã, na Holanda, cujamissão é desenvolver e disseminarglobalmente diretrizes para aelaboração de relatórios desustentabilidade. Os relatórios GRIdevem seguir os princípios damaterialidade, inclusão dosstakeholders, contexto dasustentabilidade, abrangência,equilíbrio, comparabilidade,precisão, periodicidade, clareza,confiabilidade.O Relatório de Sustentabilidade GRI2012 do Instituto Ação Empresarialpela Cidadania cumpre com a qualificação C “Self Declared” de acordo com o “Guiapara Elaboração de Relato de Sustentabilidade do GRI – G3.1”.7. TABELA COM CONTEÚDO BÁSICO DO GRI VERSÃO G3.1Global Reporting Initiative é uma organização internacional com sede em Amsterdã, naHolanda, cuja missão é desenvolver e disseminar globalmente diretrizes para aelaboração de relatórios de sustentabilidade. Os relatórios GRI devem seguir osprincípios da materialidade, inclusão dos stakeholders, contexto da sustentabilidade,
  36. 36. 36abrangência, equilíbrio, comparabilidade, precisão, periodicidade, clareza,confiabilidade.Sumário Item PáginaEstratégia e AnáliseDeclaração Presidente 1.1 4Perfil organizacionalNome empresa 2.1 3Marcas, produtos e serviços 2.2 7; 17-28Estrutura operacional 2.3 10Localização 2.4 3Regiões e países de funcionamento 2.5 6Natureza jurídica 2.6 6Mercados atendidos 2.7 6Porte da organização 2.8 6Principais mudanças 2.9 13Mecanismos de governança 2.10 10Parâmetro para relatórioPeríodo do relatório 3.1 3Data relatório anterior 3.2 3Ciclo do relatório 3.3 3Contatos 3.4 3Processo definição conteúdo 3.5 3Limites do relatório 3.6 3Limitações do relatório 3.7 3Base para elaboração 3.8 3Reformulação de informações 3.10 3Mudanças significativas 3.11 3Sumário conteúdo 3.12 2Governança, compromissos e engajamentoEstrutura de governança 4.1 10Composição governança 4.2 10Membros independentes 4.3 10Mecanismos de recomendação 4.4 10Relação de partes interessadas 4.14 14Base de identificação partes interessadas 4.15 14Abordagem de engajamento 4.16 15-16Temas das partes interessadas 4.17 15-16Indicadores EconômicosEconômico (EC1, EC2, EC3, EC4) 30Ambiental (EN3) 34Social | Relações Trabalhistas (LA1, LA3, LA4, LA7, LA10) 34
  37. 37. 371Sócio da JBR Engenharia (http://www.jbr.eng.br/), Membro da Rede Lidera e Diretor-Presidente do Instituto AEC2Consultor do Instituto Fonte (http://institutofonte.org.br/)3Sócia da Biologicus (http://www.biologicus.com.br/) e Membro da Rede Lidera;4Doutora em Economia, sócia da CEPLAN Consultoria Econômica e Planejamento (http://www.ceplanconsult.com.br/)5http://www.biofairtrade.com.br/6http://www.cdlrecife.com.br/7http://www.fiepe.org.br/8http://agitz.com.br/aspa/9http://www.redegestao.com.br/10Consultor do Instituto Fonte (http://institutofonte.org.br/)11Sócio da Bio Fair Trade, Membro da Rede Lidera;12http://www.portodigital.org/13Que foi elaborada a partir de assessoria do Instituto AEC nos anos de 2010/2011.14https://www.globalreporting.org/15http://www.iadh.org.br/16http://www.pologinetta.com.br/principal.htm17http://www.iaf.gov/18http://www.observatoriodorecife.org.br/19http://www.pontocidadao.org.br/20http://goo.gl/sPjas21http://www.econometica.it/22http://www.campofertile.com.br/padaria/23http://dominus-eng.com/24http://www.slideshare.net/edcsul/rio-20-1339839925http://www.itep.br/26http://www.pqspe.com.br/27http://www.idis.org.br/28http://www.ufpe.br/ufpenova/29http://rhpages.dominiotemporario.com/30http://www.hcp.org.br/

×