IIB-apresentação incubadoras 01022012 - Eduardo Giacomazzi

659 visualizações

Publicada em

Apresentação realizada para o grupo de negócios do IIB pelo consultor Eduardo Giacomazzi sobre incubação de negócios.

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
659
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
16
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

IIB-apresentação incubadoras 01022012 - Eduardo Giacomazzi

  1. 1. Incubadoras •O que é? Quem são? Onde estão? •Histórico •Mapeamento da Inovação •Caso CIETEC •Sistema de Incubação 1quinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  2. 2. Elementos do Novo Modelo – Incubação de MPEIsquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  3. 3. Elementos do Novo Modelo – Incubação de MPEIs PRODUTO Idéia, Tecnologia Conhecimento Experiênciaquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  4. 4. Elementos do Novo Modelo – Incubação de MPEIs PRODUTO Idéia, Tecnologia Conhecimento Experiência PERFIL Empreendedor e Inovadorquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  5. 5. Elementos do Novo Modelo – Incubação de MPEIs PRODUTO Idéia, Tecnologia Conhecimento Experiência GESTÃO Planejamento Estratégia PERFIL Empreendedor e Inovadorquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  6. 6. Elementos do Novo Modelo – Incubação de MPEIs PRODUTO Idéia, Tecnologia Acesso a Conhecimento MERCADO Experiência GESTÃO Planejamento Estratégia PERFIL Empreendedor e Inovadorquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  7. 7. Elementos do Novo Modelo – Incubação de MPEIs PRODUTO Idéia, Tecnologia Acesso a Conhecimento MERCADO Experiência GESTÃO Planejamento Estratégia PERFIL Empreendedor e Acesso a Inovador CAPITALquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  8. 8. Elementos do Novo Modelo – Incubação de MPEIs PRODUTO Idéia, Tecnologia Acesso a Conhecimento MERCADO Experiência GESTÃO Planejamento Estratégia PERFIL Empreendedor e Acesso a Inovador CAPITAL Prospecção e Seleçãoquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  9. 9. Elementos do Novo Modelo – Incubação de MPEIs PRODUTO Idéia, Tecnologia Acesso a Conhecimento MERCADO Experiência GESTÃO Planejamento Estratégia PERFIL Empreendedor e Acesso a Inovador CAPITAL Prospecção e Seleção Capacitação e Suportequinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  10. 10. Elementos do Novo Modelo – Incubação de MPEIs PRODUTO Idéia, Tecnologia Acesso a Conhecimento MERCADO Experiência GESTÃO Planejamento Estratégia PERFIL Empreendedor e Acesso a Inovador CAPITAL Prospecção e Seleção Capacitação e Avaliação e Suporte Acompanhamentoquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  11. 11. Elementos do Novo Modelo – Incubação de MPEIs PRODUTO Idéia, Tecnologia Acesso a Conhecimento MERCADO Experiência GESTÃO Planejamento Estratégia PERFIL Empreendedor e Acesso a Inovador CAPITAL Prospecção e Seleção Capacitação e Avaliação e Suporte Acompanhamento Gestão do Processo de Incubaçãoquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  12. 12. Elementos do Novo Modelo – Incubação de MPEIs PRODUTO Idéia, Tecnologia Acesso a Conhecimento MERCADO Experiência GESTÃO Planejamento Estratégia PERFIL Empreendedor e Acesso a Inovador CAPITAL Prospecção e Seleção Capacitação e Avaliação e Suporte Acompanhamento Gestão do Processo Ampliação dos de Incubação Limitesquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  13. 13. Princípios Melhoria Contínua Foco nos Sustentabilidade Empreendimentos Foco nos Ética Processos Responsabilidadequinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  14. 14. quinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  15. 15. quinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  16. 16. quinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  17. 17. quinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  18. 18. AGENDAquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  19. 19. AGENDA •Inovação x Invenção •O DNA da Inovação •Habitats de Inovação •Estratégia Regional •Financiamento •Rede de Apoio a Inovação •CIETEC/USP como exemplo •Modelo CERNE •Barcelona Activaquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  20. 20. O DNA DA INOVAÇÃOquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  21. 21. O DNA DA INOVAÇÃOquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  22. 22. quinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  23. 23. ?quinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  24. 24. O QUE É INOVAÇÃO? “Uma inovação é a implementação de um produto (bem ou serviço) novo ou significativamente melhorado, ou um processo, ou um novo método de marketing, ou um novo método organizacional nas práticas de negócios, na organização do local de trabalho ou nas relações externas.” Manual de Osloquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  25. 25. FUNIL DA INOVAÇÃOquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  26. 26. O DNA DNA = Ácido DesoxirriboNucléico É uma molécula responsável pela descendência genética. Temos uma cópia completa do nosso DNA em cada célula, no seu núcleo.quinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  27. 27. O QUE É DNA? DNA – A Linguagem da Vida • O Núcleo representa a Central de Informações de uma célula. • O DNA é como se fosse uma fábrica modelo, com qualidade 100%, praticamente sem erros. • Representa uma nova geração.quinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  28. 28. O DNA da Inovaçãoquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  29. 29. HABITATS DE INOVAÇÃOquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  30. 30. A Cidade é MOBILIZADORAquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  31. 31. Cartografia da Inovação em São Paulo Fonte: Seadequinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  32. 32. Fonte: Seadequinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  33. 33. Complexo Corporativo Metropolitano Atlas do Conhecimento, 2009 Fonte: CEBRAP / SEMPLAquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  34. 34. Setores considerados relevantes em Ciência e Tecnologia na Cidade de São Paulo : * Tecnologia da Informação e Comunicação; * Biotecnologia e Saúde; * Bens de Capital; * Novos Materiais; * Eletroeletrônica; * Energia; • Química Fina e Petroquímica; • Economia Criativaquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  35. 35. BIOTEC & SAUDE Empregos Formais Biotecnologia e Saúdequinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  36. 36. Hospitais. Área selecionada do MSP: Corredor da Saúde. 2006quinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  37. 37. Emprego segundo Intensidade Tecnológica. MSP, 2006quinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  38. 38. TIC Empregos Formais Tecnologia da Informação Fonte: Semplaquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  39. 39. Economia Criativa * MÍDIA * JOGOS ELETRÔNICOS * CINEMA Empregos Formais * MÚSICA Economia Criativa * TELEVISÃO * ARTESANATO * ARTES CÊNICAS * ARQUITETURA * FOTOGRAFIA * DESIGN * PUBLICIDADE E PROPAGANDA * MUSEUS * GALERIAS DE ARTE * LIVRARIAS, * ATIVIDADES QUE CONTRIBUEM DIRETAMENTE PARA A ECONOMIA CRIATIVA * TRABALHADORES FREE-LANCE (ESCRITORES, ARTISTAS, ARTESÃOS, ETC.) Fonte: Semplaquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  40. 40. Quadrilátero da Inovaçãoquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  41. 41. Quadrilátero da Inovaçãoquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  42. 42. Quadrilátero da Inovaçãoquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  43. 43. HABITATSquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  44. 44. HABITATS Área 1 - 2008-2010 Núcleo Cidade Universitária Área 1quinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  45. 45. HABITATS Área 1 - 2008-2010 Núcleo Cidade Universitária Área 2 Área 2 - 2008-2010 Núcleo Nova Luz Área 1quinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  46. 46. HABITATS Área 1 - 2008-2010 Núcleo Cidade Universitária Área 2 Área 2 - 2008-2010 Área 3 Núcleo Nova Luz Área 3 - 2010-2012 Núcleo Vila Leopoldina Área 1quinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  47. 47. HABITATS Área 1 - 2008-2010 Núcleo Cidade Universitária Área 2 Área 2 - 2008-2010 Área 3 Núcleo Nova Luz Área 3 - 2010-2012 Núcleo Vila Leopoldina Área 4 Área 4 - 2012-2014 Núcleo Jaguaré Área 1quinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  48. 48. HABITATS Área 1 - 2008-2010 Núcleo Cidade Universitária Área 5 Área 2 Área 2 - 2008-2010 Área 3 Núcleo Nova Luz Área 3 - 2010-2012 Núcleo Vila Leopoldina Área 4 Área 4 - 2012-2014 Núcleo Jaguaré Área 1 Área 5 - 2014-2016 Núcleo Bairro Novoquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  49. 49. Clusters de Inovaçãoquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  50. 50. Clusters de Inovaçãoquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  51. 51. Clusters de Inovação Universidadesquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  52. 52. Clusters de Inovação Universidades Centros de Pesquisaquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  53. 53. Clusters de Inovação Universidades Centros de Pesquisa Escolas Técnicasquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  54. 54. Clusters de Inovação Universidades Centros de Pesquisa Escolas Técnicas Laboratóriosquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  55. 55. Clusters de Inovação Universidades Centros de Pesquisa Escolas Técnicas Laboratórios Escolas Públicasquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  56. 56. Clusters de Inovação Universidades Centros de Pesquisa Escolas Técnicas Laboratórios Escolas Públicas Prédios Públicosquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  57. 57. Clusters de Inovação Universidades Centros de Pesquisa Escolas Técnicas Laboratórios Escolas Públicas Prédios Públicos Espaços Multiusoquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  58. 58. Clusters de Inovação Universidades Centros de Pesquisa Escolas Técnicas Laboratórios Escolas Públicas Prédios Públicos Espaços Multiuso Núcleos Integralquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  59. 59. Onde estão as fontes de recursos? MCT FINEP CNPq MDIC BNDES FAPs FAPESP Investidores Privados Outros agentes Serviços de Benefícios Fiscais valor agregado Isenções Fonte: http://www.desenvolvimento.gov.br/sitio/publicacoes/desProducao/Ins_ApoSetProdutivo.php Abril 2006 Marcelo Nakagawa 31quinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  60. 60. Principais fontes de recursos: Atrelando as fontes de recursos ao ciclo de vida do projeto / empresa Modelo Aplicação Intensid ade de Esfoço Competitiva Competitivo Desenvolvimento Comercialização Técnico Crescimento Pesquisa Científica Linha de Tempo FINEP – Financiamentos (Padrão, Equalização de juros) BNDES – Financiamentos (Cartão, Finame, Projet Finance) BNDES – Programas (Prosoft, Profarma, Modermaq) CNPq - RHAE FAPESP / FAPs – PIPE - PAPPE MCT / FINEP / CNPq – Fundos Setoriais Capital de Risco / Venture Capital / Capital Empreendedor Abril 2006 Marcelo Nakagawa 32quinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  61. 61. Principais fontes de recursos: Analisando a natureza dos recursos financeiros Ciclo de Vida Nascimento Infância Adolescência Maturidade da Empresa Vida da 1 a 12 meses 12 meses a 3 anos 3 a 5 anos 5 anos + empresa • Idéias • Atração de • Receitas Crescentes • Marca Reconhecida novos talentos • Empreendedores • Clientes Recorrentes • Expansão para novos • Produtos mercados Caracterí • Seed Capital • Geração de caixa s-ticas da • Primeiros suficiente para • Empresa com • Plano de Negócios Clientes crescimento orgânico capacidade de Empresa • Formação da participar / promover • Break-even • Novos Produtos Empresa oportunidades de • Novas linhas de reestruturação Produtos industrial Angel Investor Angel Investor Tipo de Venture Capital Investidores Investidores Venture Capital Investido de PI de PI r Típico Search Fund Search Fund Private Equity Private Equity Abril 2006 Marcelo Nakagawa 33quinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  62. 62. Desenvolvimento do Empreendimento Recursos Tempoquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  63. 63. Desenvolvimento do Empreendimento Recursos Oportunidade Decisão Percepção Início Tempoquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  64. 64. Desenvolvimento do Empreendimento Recursos Oportunidade Decisão Percepção Início Tempoquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  65. 65. Desenvolvimento do Empreendimento Recursos Pré-incubação Oportunidade Decisão Percepção Início Tempoquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  66. 66. Desenvolvimento do Empreendimento Recursos Incubação Pré-incubação Oportunidade Decisão Percepção Início Tempoquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  67. 67. Desenvolvimento do Empreendimento Recursos Crescimento Incubação Pré-incubação Oportunidade Decisão Percepção Início Tempoquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  68. 68. Desenvolvimento do Empreendimento Recursos Crescimento Incubação Pré-incubação Oportunidade Decisão Percepção Início Tempoquinta-feira, 2 de fevereiro de 12
  69. 69. Desenvolvimento do Empreendimento Recursos Crescimento Incubação Pré-incubação Oportunidade Decisão Percepção Início Tempoquinta-feira, 2 de fevereiro de 12

×