Resistências à                   Inovação                 por Paulo Renato CabralSetembro, 2006
RESISTÊNCIAS À INOVAÇÃO                     Legislações obsoletas, tradicionalismo, cultura conservadora, medo do novo e  ...
Instituto Inovação   Pág. 3
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Resistências a inovação

448 visualizações

Publicada em

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
448
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Resistências a inovação

  1. 1. Resistências à Inovação por Paulo Renato CabralSetembro, 2006
  2. 2. RESISTÊNCIAS À INOVAÇÃO Legislações obsoletas, tradicionalismo, cultura conservadora, medo do novo e excesso de "necessidade de segurança". Tudo isso somado ao exército de pessimistas estrategicamente “infiltrados” em nossas vidas para nos dizer o tempo todo "Não vai dar certo" ou "Sempre fazemos assim, por que mudar agora?”, na tentativa de nos desviar do novo. Afinal, por que tanta resistência? Melhorias para o país ou oportunidades para a geração de novas empresas são colocadas em descaso quando a resistência à mudança supera a inovação. Engana-se quem pensa que todo este cenário de conservadorismo é mais um empecilho para o inovador realizar sua metas. Pelo contrário! Para os grandes empreendedores inovadores, a oposição às suas idéias é como uma alavanca que lhes dá mais força e diz que estão no "caminho certo". A história é testemunha de como o conservadorismo está sempre ao lado da Inovação. Basta analisar grandes nomes que fizeram diferença na sociedade, da medicina às artes, passando pela psicanálise ou as histórias de grandes empreendedores, para percebermos claramente, que ao se iniciar um processo de inovação, o primeiro "ataque" direcionado aos empreendedores é originado do próprio meio ou circuito social em que ele vive. Porém, para o desgosto dos pessimistas, toda a oposição ao empreendedor só o fortalece como pessoa, além de favorecer a perpetuação de seu nome na história. Ser conservador não é uma característica nata de alguém ou de algum grupo específico da sociedade, mas sim é uma condição do momento, é claro que para alguns este momento é constante, mas devemos estar atentos, pois ora nos expressamos como inovadores, ora como conservadores sem que possamos perceber. Uma célebre história é a de Thomas Edison. Após criar a lâmpada elétrica, Edison sofreu uma enorme oposição das companhias de iluminação a gás da época, pois a lâmpada elétrica ameaçava o modelo de iluminação por eles preconizado. Após anos de boicotes e ameaças à inovação, a iluminação por meio de lâmpadas elétricas acabaria de vez com a iluminação a gás. Pouco depois ocorre uma mudança de papéis. O empreendedor inovador Thomas Edison se vê ameaçado pelos novos sistemas de transmissão de corrente elétrica desenvolvidos pelos engenheiros da época. Este novo sistema, baseado em corrente alternada, era incompatível com o sistema de corrente contínua projetado por ele. Edison tentou de todas as formas prejudicar o novo modelo, alegando que as novas tecnologias eram uma ameaça à vida humana, devido ao perigo de descargas elétricas que poderia provocar. A tentativa foi em vão. Hoje, em nossas casas, as mesmas lâmpadas criadas por Edison cem anos atrás são alimentadas através de um sistema de corrente alternada. Para os inovadores toda a oposição é genuína a amizade, parece desconexo ou paradoxal, mas um atributo não pode viver sem o outro. Todos que inovam devem estar preparados para ciclos constantes de luta e fortalecimento contra o conservadorismo e, em muitos casos, estar pronto para de forma honrosa e honesta, defender e “conservar” suas idéias quando inovações que a superem chegarem ao mercado. E quanto mais flexíveis e inovadores forem as pessoas e empresas, menor será a resistência para empreender, atingir metas, desenvolver novos produtos e conquistar novos mercados.Instituto Inovação Pág. 2
  3. 3. Instituto Inovação Pág. 3

×