MANEJO DEMANEJO DE
SITUAÇÕES COMUNSSITUAÇÕES COMUNS
NA GESTAÇÃONA GESTAÇÃO
JULIA VENTURA WAMBIERJULIA VENTURA WAMBIER
CF S...
Náuseas e vômitosNáuseas e vômitos
 comum: 75%comum: 75%
 matinal em 50%matinal em 50%
 em 1/3 causa prejuízo na qualid...
Náuseas e vômitosNáuseas e vômitos
Medidas não farmacológicas:Medidas não farmacológicas:
 fracionar alimentação (6 ou ma...
Medidas Farmacológicas -Medidas Farmacológicas -
Categorias do FDACategorias do FDA
 AA - estudos controlados em mulheres...
Náuseas e vômitosNáuseas e vômitos
Medidas farmacológicasMedidas farmacológicas
 Piridoxina (Vitamina B6) (A)Piridoxina (...
PirosePirose
 dispepsia – metade das gestantes nodispepsia – metade das gestantes no
3º trimestre3º trimestre
 motilidad...
PirosePirose
Medidas não farmacológicasMedidas não farmacológicas
 Mesmas medidas não farmacológicasMesmas medidas não fa...
PirosePirose
Medidas farmacológicasMedidas farmacológicas
 antiácidos (A):antiácidos (A): sais de alumínio esais de alumí...
SialorréiaSialorréia
 ComumComum
 Mesmas medidas não farmacológicasMesmas medidas não farmacológicas
que para náuseaque ...
Constipação e flatulênciaConstipação e flatulência
 Medidas não farmacológicas:Medidas não farmacológicas:
 Aumentar ing...
Dor abdominalDor abdominal
 Afastar:Afastar:
- contrações uterinas- contrações uterinas
- condição clínica a ser tratada-...
Dor lombarDor lombar
 Medidas preventivas :Medidas preventivas :
 evitar ganho excessivo de pesoevitar ganho excessivo d...
HemorróidasHemorróidas
 Medidas não farmacológicas:Medidas não farmacológicas:
 evitar constipação intestinalevitar cons...
VarizesVarizes
ApenasApenas medidas não farmacológicas:medidas não farmacológicas:
 repousar (20 minutos), várias vezes a...
CâimbrasCâimbras
 ApenasApenas medidas não farmacológicas:medidas não farmacológicas:
 evitar posturas inadequadas (salt...
EdemaEdema
 principalmente em tornozelos,principalmente em tornozelos,
pálpebras e mãospálpebras e mãos
 aumento da perm...
Fraquezas e desmaiosFraquezas e desmaios
ApenasApenas medidas não farmacológicas:medidas não farmacológicas:
 evitar inat...
CefaléiaCefaléia
 Afastar hipertensão arterial e pré-Afastar hipertensão arterial e pré-
eclâmpsiaeclâmpsia
 Avaliar est...
Dor nas mamasDor nas mamas
 orientar quanto ao aumento deorientar quanto ao aumento de
volumevolume
 uso constante de su...
LeucorréiaLeucorréia
 aumento fisiológico na secreção vaginalaumento fisiológico na secreção vaginal
durante a gravidezdu...
Falta de ar e dificuldade paraFalta de ar e dificuldade para
respirarrespirar
 afastar condição clínica que justifiqueafa...
Ganho de peso inadequadoGanho de peso inadequado
 aumenta morbidade materna e fetalaumenta morbidade materna e fetal
 IM...
Aumento inadequado da alturaAumento inadequado da altura
uterinauterina
 erro no cálculo da idade gestacional?erro no cál...
altura uterina x idade gestacionalaltura uterina x idade gestacional
Alterações cutâneasAlterações cutâneas
 HiperpigmentaçãoHiperpigmentação
 evidente já no início da gravidezevidente já n...
Alterações cutâneasAlterações cutâneas
 Hirsutismo leveHirsutismo leve
 especialmente na faceespecialmente na face
 and...
EstriasEstrias
 por distensão dos tecidospor distensão dos tecidos
 ficam mais discretas com o tempoficam mais discretas...
Cloasma gravídicoCloasma gravídico
 comum na gravidezcomum na gravidez
 costuma diminuir ou desaparecer,costuma diminuir...
Tipagem sanguínea Rh negativoTipagem sanguínea Rh negativo
 pedir Coombs indireto para ver se apedir Coombs indireto para...
Manejo de situações comuns na gestação 04 06_2014
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Manejo de situações comuns na gestação 04 06_2014

637 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
637
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
86
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
18
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Manejo de situações comuns na gestação 04 06_2014

  1. 1. MANEJO DEMANEJO DE SITUAÇÕES COMUNSSITUAÇÕES COMUNS NA GESTAÇÃONA GESTAÇÃO JULIA VENTURA WAMBIERJULIA VENTURA WAMBIER CF SANTA MARTACF SANTA MARTA
  2. 2. Náuseas e vômitosNáuseas e vômitos  comum: 75%comum: 75%  matinal em 50%matinal em 50%  em 1/3 causa prejuízo na qualidade de vidaem 1/3 causa prejuízo na qualidade de vida  maioria tem resolução espontânea com 16 a 20 semanasmaioria tem resolução espontânea com 16 a 20 semanas   geralmente não oferece riscos à gestaçãogeralmente não oferece riscos à gestação  diferenciar de hiperêmese gravídica: vômitos incoercíveis,diferenciar de hiperêmese gravídica: vômitos incoercíveis, com distúrbios hidroeletrolíticos, inapetência e perda decom distúrbios hidroeletrolíticos, inapetência e perda de peso.peso.
  3. 3. Náuseas e vômitosNáuseas e vômitos Medidas não farmacológicas:Medidas não farmacológicas:  fracionar alimentação (6 ou mais refeições diárias)fracionar alimentação (6 ou mais refeições diárias)  evitar alimentos gordurosos, condimentados e com odorevitar alimentos gordurosos, condimentados e com odor forte;forte;  evitar líquidos durante as refeiçõesevitar líquidos durante as refeições  ingerir alimentos sólidos ao levantaringerir alimentos sólidos ao levantar  deitar-se quando estiver enjoadadeitar-se quando estiver enjoada  gengibre (ate 1000mg por dia)gengibre (ate 1000mg por dia)
  4. 4. Medidas Farmacológicas -Medidas Farmacológicas - Categorias do FDACategorias do FDA  AA - estudos controlados em mulheres não demonstraram- estudos controlados em mulheres não demonstraram risco para o feto (paracetamol)risco para o feto (paracetamol)  BB - estudos na reprodução animal não demonstraram risco- estudos na reprodução animal não demonstraram risco fetal, mas não há estudos controlados em mulheresfetal, mas não há estudos controlados em mulheres  CC - estudos em animais revelaram efeitos adversos em- estudos em animais revelaram efeitos adversos em fetos, mas não há estudos em mulheresfetos, mas não há estudos em mulheres (evitar)(evitar)  DD - evidência positiva de risco fetal humano, porém os- evidência positiva de risco fetal humano, porém os benefícios terapêuticos do uso em gestantes justificam obenefícios terapêuticos do uso em gestantes justificam o usouso  XX - efeitos deletérios sobre o concepto que ultrapassam o- efeitos deletérios sobre o concepto que ultrapassam o benefício terapêutico almejado; sãobenefício terapêutico almejado; são contraindicadoscontraindicados (clomifeno, contraceptivos orais, cumarínicos, sinvastatina)(clomifeno, contraceptivos orais, cumarínicos, sinvastatina)
  5. 5. Náuseas e vômitosNáuseas e vômitos Medidas farmacológicasMedidas farmacológicas  Piridoxina (Vitamina B6) (A)Piridoxina (Vitamina B6) (A) 25mg 8/8h ou 40mg 12/12h25mg 8/8h ou 40mg 12/12h  Dimenidrinato-Piridoxina 50+10mgDimenidrinato-Piridoxina 50+10mg 8/8h (B)8/8h (B)  Metoclopramida 10mg 8/8h (B)Metoclopramida 10mg 8/8h (B)  Bromoprida 10mg 8/8h (B)Bromoprida 10mg 8/8h (B)  Ondansetrona 4-8mg 6/6h (B)Ondansetrona 4-8mg 6/6h (B)  Prometazina 25mg à noite (C)Prometazina 25mg à noite (C)
  6. 6. PirosePirose  dispepsia – metade das gestantes nodispepsia – metade das gestantes no 3º trimestre3º trimestre  motilidade do tubo gastrointestinalmotilidade do tubo gastrointestinal reduzida, tônus diminuídoreduzida, tônus diminuído
  7. 7. PirosePirose Medidas não farmacológicasMedidas não farmacológicas  Mesmas medidas não farmacológicasMesmas medidas não farmacológicas que para náuseaque para náusea  evitar tabaco, álcool, chocolate,evitar tabaco, álcool, chocolate, refrigerantes, caférefrigerantes, café  medidas posturaismedidas posturais
  8. 8. PirosePirose Medidas farmacológicasMedidas farmacológicas  antiácidos (A):antiácidos (A): sais de alumínio esais de alumínio e magnésio em esquema SOSmagnésio em esquema SOS  alginatos (Gaviscon) (A)alginatos (Gaviscon) (A)  casos não responsivos:casos não responsivos: considerarconsiderar Ranitidina 150mg 1-2x ao dia (B)Ranitidina 150mg 1-2x ao dia (B)
  9. 9. SialorréiaSialorréia  ComumComum  Mesmas medidas não farmacológicasMesmas medidas não farmacológicas que para náuseaque para náusea  Deglutir a saliva e tomar líquidos emDeglutir a saliva e tomar líquidos em abundânciaabundância
  10. 10. Constipação e flatulênciaConstipação e flatulência  Medidas não farmacológicas:Medidas não farmacológicas:  Aumentar ingestão de líquidosAumentar ingestão de líquidos  Fibras: frutas laxativas e com bagaço, verdurasFibras: frutas laxativas e com bagaço, verduras cruas, cereais integraiscruas, cereais integrais  CaminhadasCaminhadas  EPFEPF  Medidas farmacológicas:Medidas farmacológicas:  Dimeticona (C) 40mg 8/8h ou maisDimeticona (C) 40mg 8/8h ou mais  Supositório de glicerina (C) 1x ao diaSupositório de glicerina (C) 1x ao dia  Hioscina SOS para cólicas (C) – piora constipaçãoHioscina SOS para cólicas (C) – piora constipação
  11. 11. Dor abdominalDor abdominal  Afastar:Afastar: - contrações uterinas- contrações uterinas - condição clínica a ser tratada- condição clínica a ser tratada (ITU, abdome agudo)(ITU, abdome agudo)  Eventualmente, hioscina SOS, paraEventualmente, hioscina SOS, para cólicas (C).cólicas (C).
  12. 12. Dor lombarDor lombar  Medidas preventivas :Medidas preventivas :  evitar ganho excessivo de pesoevitar ganho excessivo de peso  melhorar a posturamelhorar a postura  Medidas não farmacológicas:Medidas não farmacológicas:  educação posturaleducação postural  exercícios na águaexercícios na água  massagensmassagens  aplicação de calor localaplicação de calor local
  13. 13. HemorróidasHemorróidas  Medidas não farmacológicas:Medidas não farmacológicas:  evitar constipação intestinalevitar constipação intestinal  evitar atrito (papel higiênico áspero)evitar atrito (papel higiênico áspero)  atenção à higiene perianalatenção à higiene perianal  calor local (banhos de vapor ou compressascalor local (banhos de vapor ou compressas mornas)mornas)  Medidas farmacológicas:Medidas farmacológicas:  cremes anestésicos – não há evidências sobrecremes anestésicos – não há evidências sobre efetividade e segurançaefetividade e segurança  supositórios de glicerina ( C)supositórios de glicerina ( C)
  14. 14. VarizesVarizes ApenasApenas medidas não farmacológicas:medidas não farmacológicas:  repousar (20 minutos), várias vezes aorepousar (20 minutos), várias vezes ao dia, com as pernas elevadasdia, com as pernas elevadas  evitar permanecer muito tempo em pé ouevitar permanecer muito tempo em pé ou sentadasentada  meias elásticas (aliviam os sintomas, masmeias elásticas (aliviam os sintomas, mas não previnem)não previnem)
  15. 15. CâimbrasCâimbras  ApenasApenas medidas não farmacológicas:medidas não farmacológicas:  evitar posturas inadequadas (saltos) ou movimentosevitar posturas inadequadas (saltos) ou movimentos bruscosbruscos  massagear o músculo acometidomassagear o músculo acometido  calor localcalor local  aumentar o consumo de alimentos ricos em potássio, cálcioaumentar o consumo de alimentos ricos em potássio, cálcio e vitamina B1e vitamina B1  evitar excesso de exercíciosevitar excesso de exercícios
  16. 16. EdemaEdema  principalmente em tornozelos,principalmente em tornozelos, pálpebras e mãospálpebras e mãos  aumento da permeabilidade vascularaumento da permeabilidade vascular  diferenciar de edemas patológicosdiferenciar de edemas patológicos
  17. 17. Fraquezas e desmaiosFraquezas e desmaios ApenasApenas medidas não farmacológicas:medidas não farmacológicas:  evitar inatividadeevitar inatividade  evitar mudanças bruscas de posiçãoevitar mudanças bruscas de posição  sentar com a cabeça abaixada ou deitar emsentar com a cabeça abaixada ou deitar em decúbito lateral, respirando profunda edecúbito lateral, respirando profunda e pausadamentepausadamente  Por hipoglicemia:Por hipoglicemia: alimentação fracionadaalimentação fracionada (evitando jejum prolongado)(evitando jejum prolongado)
  18. 18. CefaléiaCefaléia  Afastar hipertensão arterial e pré-Afastar hipertensão arterial e pré- eclâmpsiaeclâmpsia  Avaliar estado emocionalAvaliar estado emocional  Eventualmente analgésico SOSEventualmente analgésico SOS
  19. 19. Dor nas mamasDor nas mamas  orientar quanto ao aumento deorientar quanto ao aumento de volumevolume  uso constante de sutiã com boauso constante de sutiã com boa sustentaçãosustentação  não perder a oportunidade denão perder a oportunidade de orientar para o preparo das mamasorientar para o preparo das mamas para a amamentaçãopara a amamentação
  20. 20. LeucorréiaLeucorréia  aumento fisiológico na secreção vaginalaumento fisiológico na secreção vaginal durante a gravidezdurante a gravidez  Sintomas associados – seguir protocolo deSintomas associados – seguir protocolo de DSTDST  Contra indicados:Contra indicados:  quinolonasquinolonas  metronidazol oral no 1º trimestremetronidazol oral no 1º trimestre
  21. 21. Falta de ar e dificuldade paraFalta de ar e dificuldade para respirarrespirar  afastar condição clínica que justifiqueafastar condição clínica que justifique  aumento do útero: recomendaraumento do útero: recomendar repouso em decúbito lateralrepouso em decúbito lateral esquerdoesquerdo  ansiedade: avaliar estado emocionalansiedade: avaliar estado emocional
  22. 22. Ganho de peso inadequadoGanho de peso inadequado  aumenta morbidade materna e fetalaumenta morbidade materna e fetal  IMC pré-gestacional / 1ª consultaIMC pré-gestacional / 1ª consulta  nomograma de Jellifenomograma de Jellife
  23. 23. Aumento inadequado da alturaAumento inadequado da altura uterinauterina  erro no cálculo da idade gestacional?erro no cálculo da idade gestacional?  gráfico altura uterina x IGgráfico altura uterina x IG  caso alterado - CIUR, oligo oucaso alterado - CIUR, oligo ou polidramnia, PIG / GIGpolidramnia, PIG / GIG
  24. 24. altura uterina x idade gestacionalaltura uterina x idade gestacional
  25. 25. Alterações cutâneasAlterações cutâneas  HiperpigmentaçãoHiperpigmentação  evidente já no início da gravidezevidente já no início da gravidez  principalmente aréola, mamilo, períneo,principalmente aréola, mamilo, períneo, vulva e umbigo; linha alba vira linha nigravulva e umbigo; linha alba vira linha nigra  nevos pigmentados ficam maiores e maisnevos pigmentados ficam maiores e mais escurosescuros  Alterações vasculares cutâneasAlterações vasculares cutâneas  aranha vascular, eritema palmar, edema earanha vascular, eritema palmar, edema e hemangiomashemangiomas
  26. 26. Alterações cutâneasAlterações cutâneas  Hirsutismo leveHirsutismo leve  especialmente na faceespecialmente na face  andrógenos ovarianosandrógenos ovarianos  Alopécia (puerperal)Alopécia (puerperal)  diversos grausdiversos graus  primeiros meses após o partoprimeiros meses após o parto
  27. 27. EstriasEstrias  por distensão dos tecidospor distensão dos tecidos  ficam mais discretas com o tempoficam mais discretas com o tempo  não existe método eficaz de prevençãonão existe método eficaz de prevenção  massagens locais, com substânciasmassagens locais, com substâncias oleosas, são controversas, mas podem seroleosas, são controversas, mas podem ser utilizadasutilizadas
  28. 28. Cloasma gravídicoCloasma gravídico  comum na gravidezcomum na gravidez  costuma diminuir ou desaparecer,costuma diminuir ou desaparecer, geralmente na 2ª metade da gravidezgeralmente na 2ª metade da gravidez  não-exposição do rosto diretamente ao solnão-exposição do rosto diretamente ao sol  filtro solarfiltro solar
  29. 29. Tipagem sanguínea Rh negativoTipagem sanguínea Rh negativo  pedir Coombs indireto para ver se apedir Coombs indireto para ver se a mãe já foi sensibilizadamãe já foi sensibilizada  Coombs indireto mensal após 16Coombs indireto mensal após 16 semanas de gestaçãosemanas de gestação

×