Asma na atenção primária

875 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
875
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
121
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
27
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Asma na atenção primária

  1. 1. ASMA NA ATENÇÃO PRIMÁRIA Residência em Medicina de Família e Comunidade Hania Silva Bidu Rodrigo Pacheco
  2. 2. OBJETIVOS  Manejar Asma na Atenção Primária  Reconhecer e tratar crise aguda de Asma;  Classificar Asma e instituir terapêutica adequada;  Conhecer as principais opções terapêuticas, seus usos e contra-indicações;  Avaliar tratamento e controle da Asma;  Identificar situações para encaminhar o paciente ao especialista;  Refletir sobre a organização do serviço para atenção ao paciente com Asma.
  3. 3. CASO CLÍNICO Jonathan (30 min)
  4. 4. ASMA - DIAGNÓSTICO  Clínico:  Dispnéia  Tosse crônica  Sibilância  Opressão ou desconforto torácico, principalmente a noite  Sintomas desencadeados por irritantes inespecíficos  Melhora espontânea ou após o uso de broncodilatadores
  5. 5. ASMA - DIAGNÓSTICO  Dados objetivos:  Espirometria  Teste de hiper-responsividade das vias aéreas  Medidas seriadas do PFE
  6. 6. ASMA - DIAGNÓSTICO  As manifestações clínicas mais sugestivas de asma em menores de 5 anos:  Episódios frequentes de sibilância (mais de uma vez por mês)  Tosse ou sibilos que ocorrem à noite ou cedo pela manhã, provocados por riso ou choro intensos ou exercício físico  Tosse sem relação evidente com viroses respiratórias  Presença de atopia, especialmente rinite alérgica ou dermatite atópica  História familiar de asma e atopia  Boa resposta clínica a b2-agonistas inalatórios, associados ou não a corticoides orais ou inalatórios
  7. 7. MEDICAÇÕES DE CONTROLE  Corticóide inalatório  Beta-2 agonista de longa duração  Montelucaste – inibidor de leucotrieno  Teofilina  Corticoesteróide oral
  8. 8. DINÂMICA DO TRATAMENTO DA ASMA
  9. 9. CONTROLE DOS FATORES DE RISCO
  10. 10. TRATAMENTO DA EXARCEBAÇÃO
  11. 11. TRATAMENTO DA EXARCEBAÇÃO 1. B2 agonista:  Salbutamol spray/inalação ou Fenoterol spray/inalação 2. Corticoesteróide oral:  Prednisona/prednisolona ou hidrocortisona/metilprednisolona 3. Outros:  Brometo de ipatrópio  Sulfato de magnésio/ aminofilina
  12. 12. DICAS ÚTEIS  Uso dos dispositivos inalatórios: https://www.youtube.com/watch?v=-QKa5YOyU5g (ver os primeiros 10min)  Como eu faço – espaçador: https://www.youtube.com/watch?v=NObHCLTgxoE
  13. 13. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS  ALVIM, C. G., ANDRADE, C. R. Asma na criança e no adolescente: diagnóstico, classificação e tratamento. Grupo de Penumologia pediátrica do departamento de Pediatria da FM/UFMG, 2012  Global Initiative for Asthma, 2010: www.ginasthma.com  SBPT.2012. Diretrizes da sociedade brasileira de pneumologia e tisiologia para o manejo da asma – 2012.  DUNCAN, B.B. et all. Medicina ambulatorial: condutas de atenção primária baseadas em evidências. 4. ed. Porto Alegre: Artmed, 2013.

×