Normas                                                   ISO 14000                            Haroldo Mattos de Lemos     ...
ISOMais de 200 Comitês Técnicos (TCs) e milsubcomitês (SCs) para    desenvolvimento denormas internacionais;- Maiores comi...
ABRANGÊNCIA DO ISO/TC 207- Escopo: Ferramentas e Sistemas de Gestão   Ambiental.- Visão: Facilitar o Comércio Mundial e Co...
ISO/TC 207: GESTÃO AMBIENTAL-SC 1 - Sistemas de Gestão Ambiental: ISO 14001 e 14004, ...-SC 2 - Auditoria Ambiental: ISO 1...
Comitê Brasileiro de                          Gestão Ambiental:                                ABNT/CB 381999: ABNT criou ...
SC1                                                    SC1    Canadá / Brasil     Inglaterra                              ...
SC 1 - Sistemas de Gestão AmbientalISO 14001 – SGA – Especificação e Diretrizes para Uso (1996);ISO 14004 – SGA – Diretriz...
-C
SC 1 - Sistemas de Gestão AmbientalISO 14005:2010 - Implementação do Sistema deGestão Ambiental em etapas.NBR ISO 14005:20...
SC 2 - Auditoria AmbientalISO 14010 – Diretrizes para Auditoria Ambiental – Princípios Gerais (1996);ISO 14011 – Diretrize...
SC 3 - Rotulagem AmbientalISO 14020 – Rótulos e Declarações Ambientais –Princípios Básicos (1998);ISO 14021 – Auto-Declara...
SC 4 - Avaliação de Desempenho Ambiental  ISO 14031 – Avaliação de Desempenho  Ambiental – Diretrizes (1999);  ISO TR 1403...
Ciclo de Vidade um Produto          produção       matérias       primas e                                       embalage...
SC 5 - Avaliação de Ciclo de VidaISO 14040 – Avaliação do Ciclo de Vida – Princípios e Estrutura (1997).ISO 14041 – Defini...
SC 5 - Avaliação de Ciclo de VidaISO 14045 – Princípios e requisitos paraavaliação de eco-eficiência (em desenvolvimento)....
SC 6 - Termos e DefiniçõesISO 14050 – Gestão Ambiental – Termos eDefinições (1998).ISO 14050 Rev. 1 –   Gestão Ambiental –...
SC 7 - Mudanças ClimáticasISO 14064 Parte 1 - Gases Estufa: Especificação para aquantificação,        monitoramento   e   ...
SC 7 - Mudanças ClimáticasISO 14065 – Gases Estufa – Requisitos paravalidação e verificação de organismos para usoem      ...
SC 7 - Mudanças ClimáticasISO 14067 – Pegada de Carbono: quantificaçãoe comunicação de GEs associados a produtos(em desenv...
SC 8 - Comunicação AmbientalISO   14063:   Comunicação   Ambiental   -Diretrizes e Exemplos.Publicada: 2006.
SC 9 Integração de Aspectos Ambientais noProjeto e Desenvolvimento de ProdutosISO TR 14062 – Integração de AspectosAmbient...
ISO- Normas    Internacionais:   nem    sempre   sãoadotadas como normas nacionais, mas podeminfluir no comércio internaci...
Mensagem final:Acabou a Era da Abundância,   e estamos entrando na      Era da Escassez.            Obrigado.      Haroldo...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Normas Internacionais ISO como solução aos desafios globais e sua contribuição para o Desenvolvimento Sustentável - Haroldo Mattos de Lemos

1.309 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.309
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
34
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
31
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Normas Internacionais ISO como solução aos desafios globais e sua contribuição para o Desenvolvimento Sustentável - Haroldo Mattos de Lemos

  1. 1. Normas ISO 14000 Haroldo Mattos de Lemos Presidente, Instituto Brasil PNUMA Presidente, Conselho Técnico da ABNT; Superintendente, ABNT/CB 38 Vice Presidente do ISO/TC 207 Presidente, Conselho Empresarial de Meio Ambiente da ACRJ Professor, Escola Politécnica da UFRJNormas Internacionais ISO como solução aos desafios globais e sua contribuição para o Desenvolvimento Sustentável Humanidade 2012 – Forte de Copacabana – Rio, 16/06/2012
  2. 2. ISOMais de 200 Comitês Técnicos (TCs) e milsubcomitês (SCs) para desenvolvimento denormas internacionais;- Maiores comitês técnicos da ISO: TC 207(Gestão Ambiental, ISO 14000) e TC 176(Gestão da Qualidade, ISO 9000).- Mais de 19.000 Normas publicadas pela ISSO.
  3. 3. ABRANGÊNCIA DO ISO/TC 207- Escopo: Ferramentas e Sistemas de Gestão Ambiental.- Visão: Facilitar o Comércio Mundial e Contribuir para o Desenvolvimento Sustentável Membros: 78 Países Participantes e 32 Países Observadores 42 Organizações de Ligação (UNEP, WWF, WBCSD...) O TC 207 é o maior Comitê da ISO.
  4. 4. ISO/TC 207: GESTÃO AMBIENTAL-SC 1 - Sistemas de Gestão Ambiental: ISO 14001 e 14004, ...-SC 2 - Auditoria Ambiental: ISO 14015 e ISO 19011;- SC 3 - Rotulagem Ambiental: Série ISO 14020;- SC 4 - Avaliação de Desempenho Ambiental: ISO 14031, e ...- SC 5 - Avaliação de Ciclo de Vida: Série ISO 14040;-SC 6 - Termos e Definições: Série ISO 14050;- SC 7 - Mudanças Climáticas: ISO 14064, 14065, ...- WG 3 - Projeto para o Ambiente: ISO TR 14062;- WG 4 - Comunicação Ambiental: ISO 14063;
  5. 5. Comitê Brasileiro de Gestão Ambiental: ABNT/CB 381999: ABNT criou o CB-38, para a discussão edesenvolvimento das normas ISO 14000 a nívelinternacional e tradução e publicação das normasbrasileiras correspondentes.O ABNT/CB-38 foi criado com estrutura semelhanteao ISO/TC 207 e seus Subcomitês.
  6. 6. SC1 SC1 Canadá / Brasil Inglaterra Siemens Instituto Brasil Pnuma SC2 SC2 TC 207 Holanda Furnas SC3 SC3 Austrália Espelho CNI CB38 SC4 Estados SC4 Unidos Deten WG1Product WG1Product Standard Standard Canadá SC5 SC5 Desfeito Alemanha PetrobrásWG2Forestry WG2Forestry Standard StandardNova Zelândia Desfeito WG3 SC6 SC9 SC6 Ecodesign Noruega Ecodesign Eletrobrás Coréia FIESP WG4 SC7 SC8 SC7Com. Ambiental Mud. Climáticas Com. Ambiental Mud. Climáticas USA Malásia Abiquim MCT
  7. 7. SC 1 - Sistemas de Gestão AmbientalISO 14001 – SGA – Especificação e Diretrizes para Uso (1996);ISO 14004 – SGA – Diretrizes Gerais sobre princípios, sistemas e técnicas de apoio (1996);ISO TR 14061 – Orientação para organizações florestais no uso das normas 14001 e 14004 (1998);ISO 14001/2004 – Revisão 1 (em revisão 2);ISO 14004/2004 – Revisão 1 (em revisão 2);NBR ISO 14001:2004;Certificações no mundo em 2009: 220.000.Brasil: Junho de 2011: 4500 certificações ISO 14001.
  8. 8. -C
  9. 9. SC 1 - Sistemas de Gestão AmbientalISO 14005:2010 - Implementação do Sistema deGestão Ambiental em etapas.NBR ISO 14005:2012 (Diretrizes para a implementaçãoem fases de um sistema de gestão ambiental, incluindoo uso de avaliação de desempenho ambiental).
  10. 10. SC 2 - Auditoria AmbientalISO 14010 – Diretrizes para Auditoria Ambiental – Princípios Gerais (1996);ISO 14011 – Diretrizes para Auditoria Ambiental – Procedimentos de Auditoria – Auditoria de SGA (1996):ISO 14012 – Diretrizes para Auditoria Ambiental Critérios de Qualificação para Auditores Ambientais (1996);ISO 14015 – Avaliações Ambientais de Localidades e Organizações (2001);ISO 19011 – Guias sobre Auditorias da Qualidade e doMeio Ambiente (2002). Substituiu as Normas 14010, 11 e 12.
  11. 11. SC 3 - Rotulagem AmbientalISO 14020 – Rótulos e Declarações Ambientais –Princípios Básicos (1998);ISO 14021 – Auto-Declarações Ambientais – Tipo II(1999);ISO 14024 – Rótulo Ambiental Tipo I - Princípios eProcedimentos (1999);ISO 14025 – Rótulo Ambiental Tipo III (com ACV) –Princípios e Procedimentos (2006).
  12. 12. SC 4 - Avaliação de Desempenho Ambiental ISO 14031 – Avaliação de Desempenho Ambiental – Diretrizes (1999); ISO TR 14032 – Exemplos de Avaliação do Desempenho Ambiental (1999); ISO 14033 – Diretrizes e exemplos para compilação e comunicação de informação ambiental quantitativa (em desenvolvimento).
  13. 13. Ciclo de Vidade um Produto produção matérias primas e  embalagem  energia    reciclagem erecuperação Produto transporte      deposição  re-uso uso
  14. 14. SC 5 - Avaliação de Ciclo de VidaISO 14040 – Avaliação do Ciclo de Vida – Princípios e Estrutura (1997).ISO 14041 – Definição de Escopo e Análise do Inventário (1998).ISO 14042 – Avaliação do Impacto do Ciclo de Vida (2000).ISO 14043 – Interpretação do Ciclo de Vida (2000).ISO 14048 – Formato da Apresentação de Dados (2002).ISO TR 14047 – Exemplos para aplicação da ISO 14042 (2003).ISO TR 14049 – Exemplos de Aplicação da ISO 14041 (2000)As Normas 40, 41, 42 e 43, foram condensadas em apenas doisdocumentos, 14040 e 14044, para facilitar sua aplicação.
  15. 15. SC 5 - Avaliação de Ciclo de VidaISO 14045 – Princípios e requisitos paraavaliação de eco-eficiência (em desenvolvimento).ISO 14046 - Pegada Hídrica (em desenvolvimento).ISO 14051 – Diretrizes para a contabilidade ecusto do fluxo de materiais (aprovada 2011)
  16. 16. SC 6 - Termos e DefiniçõesISO 14050 – Gestão Ambiental – Termos eDefinições (1998).ISO 14050 Rev. 1 – Gestão Ambiental –Termos e Definições (2002);
  17. 17. SC 7 - Mudanças ClimáticasISO 14064 Parte 1 - Gases Estufa: Especificação para aquantificação, monitoramento e comunicação deemissões e absorção por entidades;- ISO 14064 Parte 2 - Gases Estufa: Especificação paraa quantificação, monitoramento e comunicação deemissões e absorção de projetos;- ISO 14064 Parte 3 - Gases Estufa: Especificação ediretrizes para validação, verificação e certificação.- Publicadas: 2006.
  18. 18. SC 7 - Mudanças ClimáticasISO 14065 – Gases Estufa – Requisitos paravalidação e verificação de organismos para usoem acreditação ou outras formas dereconhecimento. Publicação: 2007.ISO 14066 – Requisitos de competência paraverificadores e validadores de gases estufa (emdesenvolvimento).
  19. 19. SC 7 - Mudanças ClimáticasISO 14067 – Pegada de Carbono: quantificaçãoe comunicação de GEs associados a produtos(em desenvolvimento).ISO 14069 – Diretizes para o cálculo pororganizações da Pegada de Carbono de seusprodutos, serviços e cadeia de suprimentos (emdesenvolvimento).
  20. 20. SC 8 - Comunicação AmbientalISO 14063: Comunicação Ambiental -Diretrizes e Exemplos.Publicada: 2006.
  21. 21. SC 9 Integração de Aspectos Ambientais noProjeto e Desenvolvimento de ProdutosISO TR 14062 – Integração de AspectosAmbientais no Projeto e Desenvolvimento deProdutos (2002).ISO Guide 64: Inclusão de Aspectos Ambientais emNormas de Produtos (1999) – em revisão.
  22. 22. ISO- Normas Internacionais: nem sempre sãoadotadas como normas nacionais, mas podeminfluir no comércio internacional.- Acordo Sobre Barreiras Técnicas ao Comércioda OMC: reconhece o uso de normasinternacionais.
  23. 23. Mensagem final:Acabou a Era da Abundância, e estamos entrando na Era da Escassez. Obrigado. Haroldo Mattos de Lemos brasilpnuma@gmail.com www.brasilpnuma.org.br

×