O processo de independência da américa portuguesa

17.084 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
10 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
17.084
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
300
Comentários
0
Gostaram
10
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O processo de independência da américa portuguesa

  1. 1. O processo de independência da América portuguesa
  2. 2. Em fins do século XVII, a capitania de Minas Gerais estava em franca decadência. O ouro, até então enviado em grandes remessas para os cofres portugueses, começava a escassear, e o valor mínimo do quinto estipulado pelo governo português, de 1.500 quilogramas anuais, não estava mais sendo pago pelos mineradores. Essa conjuntura se agravou após autoridades do reino decretarem uma série de medidas restritivas na colônia. A duas medidas que causaram mais estrago ao povo mineiro foram o Alvará de 1785, que proibiu o funcionamento de manufaturas no território colonial e principalmente a derrama, que seria a cobrança dos quintos em atrasos.
  3. 3. São homens que pretendiam assassinar o governador e proclamar uma República na capitania de Minas Gerais no mesmo dia em que fosse decretada a derrama (que seria feita pelo Visconde de Barbacena). Os Conjurados eram, em maioria, participantes da elite colonial. Dentre eles haviam mineradores, fazendeiros, padres, funcionários públicos, advogados e militares de alta patente. Diversos conjurados tinham em comum a formação em prestigiadas universidades européias, onde discutiram as idéias de Voltaire e Rousseau e, em especial, a Declaração de Independência das Treze Colônias, em 1776. Se o movimento fosse vitorioso, após a tomada do poder seria instalado um governo republicano unitário.
  4. 4. Nos últimos meses de 1788, os conjurados esperavam apenas o lançamento da derrama. No entanto a cobrança dos impostos atrasados não foi executado pelo Visconde de Barbacena, conforme se esperava, em fevereiro de 1789, e os planos dos revoltosos foram interrompidos. Entre fevereiro e março, o governador fez vária ameaças de iniciar a derrama deixando a capitania em um situação de terror. Dentre essas pessoas estavam Joaquim Silvério dos Reis, que aceitou denunciar os companheiros em troca do perdão de sua dívida. Depois dele várias outras denúncias começaram a chegar a Coroa.
  5. 5. Após as denúncias 34 pessoas foram acusadas de lesa - majestade. Onze foram sentenciados á morte, mas apenas Tiradentes foi executado. Os demais tiveram suas sentenças comutadas pela “Real Piedade” e “Real Clemência” de d. Maria I, por apenas degredo perpétuo. E Tiradentes foi condenado pelo crime de lesa-majestade, ou seja, um delito cometido contra a rainha e contra o poder do Estado português.
  6. 6. Também conhecida como Conjuração dos alfaiates foi um dos movimentos coloniais de caráter separatista, cujo objetivos eram de promover mudanças de caráter social, com o fim das distinções sociais baseadas em diferenças de cor de pele e a abolição da escravidão. Este movimento foi inspirado na Revolução Francesa e em seus ideais de igualdade
  7. 7. A conjuração contou com a participação de pessoas anônimas que, com seus motins, sacudiram a capitania. O movimento contou coma participação de mulatos, escravos, negros libertos e homens brancos de baixa renda, como alfaiates, pedreiros, soldados e bordadores. A proposta política dos conjurados consistia na implantação de uma república democrática na Bahia, nos moldes da república jacobina que existiu na França de 1793 á 1794. Primeiramente a rebelião era liderada por um grupo chamado de Cavaleiros da Luz, mas depois do afastamento desse grupo a rebelião foi liderada por Lucas Dantas, Luis Gonzaga, Manuel Faustino e João Pires entre outros.
  8. 8. Marcado a instituição da república para o dia 28 de a agosto de 1798, os líderes começaram a convocar a população a aderir o movimento através de folhetos e manuscritos que eram espalhados pela cidade em lugares públicos e igrejas. No momento em que os Cavaleiros da Luz perceberam a radicalização das reivindicações e a grande adesão de populares, eles se afastaram, receosos de uma revolução popular. A lista de suspeitos começou a ser levantada por ordem das autoridades, que chegaram facilmente aos conspiradores.
  9. 9. Por meio das cartas enviadas pelos conjurados (que nem sequer se preocupavam em disfarçar a caligrafia) e por denúncias o Governo chegou conseguiu prender muitos dos participantes do movimento. O líderes foram enforcados, esquartejados e seus restos foram expostos em diferentes locais da capitania. Outros sete réus foram exilados na África, e alguns escravos foram açoitados e vendidos para fora da Bahia.
  10. 10. A chegada da família real portuguesa ao Brasil, em 1808, é considerada o marco do início do processo de independência do país. Isso ocorreu devido a invasão da Portugal pelo exército napoleônico. Durante os treze anos em que a família real portuguesa esteve no Rio de Janeiro, a cidade passou por profundas transformações urbanas e culturais. D. João, príncipe regente, transformou a colônia em sede das decisões da Coroa portuguesa, processo conhecido com inversão brasileira. Além disso ele abriu os portos ás nações amigas e estabeleceu a biblioteca real no Brasil, e também criou o primeiro jornal a funcionar no Brasil a Gazeta do Rio de Janeiro.
  11. 11. A presença maciça de portugueses na colônia, a partir de 1808, e suas mudanças que afetaram bruscamente a economia do Nordeste foram os principais motivos que levaram a insurreição de 1817 em Pernambuco. O movimento de caráter separatista, proclamou uma República e organizou um Governo Provisório responsável pela elaboração de uma Lei Orgânica baseada nos princípios de liberdade de consciência, de imprensa e de culto. Enquanto a euforia revolucionária dominava o Recife, organizava-se a repressão na Bahia e no Rio de Janeiro. Uma série de confrontos ocorreu entre os sublevados e as forças oficiais, até que, em maio de 18177, terminou a resistência dos insurretos.
  12. 12. Devido a transferência da capital do Império Português de Lisboa para o Rio de Janeiro a população lusitana que permaneceram em Portugal ficaram em um clima de amargura e insatisfação. Assim, por volta do ano de 1820, na cidade de Porto, iniciou-se um movimento revolucionário que apresentou como objetivo central era o imediato retorno do rei português para a Europa, além de começar á passagem efetiva do absolutismo para a ordem liberal. Mas isso prejudicaram bastante o império português porque no lugar de restituir o território brasileiro a apenas colônia, acabaram de iniciar o processo que levou o Brasil á independência.
  13. 13. Quadro da Independência O artista Pedro Américo terminou de pintar o quadro em 1888 em Florença, na Itália (66 anos após a independência ser proclamada). A Família Real que encomendou a obra, pois investia na construção do Museu do Ipiranga (atual Museu Paulista). A idéia da obra era ressaltar a monarquia. Óleo sobre tela.
  14. 14. Equipe: Hugo Jeferson Anderson Evandro Gian Denise Carlos Henrique Dione

×