Prevenção e controle influenza 2012

257 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
257
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Prevenção e controle influenza 2012

  1. 1. PROCEDIMENTOS PARAPREVENÇÃO E CONTROLE DA INFLUENZA PANDÊMICA A (H1N1) 2009.
  2. 2. ESTADO DO RIO DE JANEIROPREFEITURA DA CIDADE DE NOVA IGUAÇUSECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDESECRETARIA ADJUNTA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDECOORDENAÇÃO DE VIGILANCIA EPIDEMIOLÓGICA
  3. 3. Atualmente, o vírus da InfluenzaPandêmica A (H1N1) 2009 estáapresentando transmissãosemelhante à da Influenza sazonal.Por isso, recomendamos medidas deprecaução para gotículas (uso demáscara cirúrgica) eprecaução padrão.
  4. 4. MEDIDAS GERAIS Higienizar as mãos com água e sabão após: tossir, espirrar, usar o banheiro, antes das refeições e antes de tocar os olhos, boca e nariz; Evitar tocar os olhos, nariz ou boca após contato com superfícies; Proteger com lenços (preferencialmente descartáveis a cada uso) a boca e nariz ao tossir ou espirrar para evitar disseminação de aerossóis; Colocar máscara cirúrgica no paciente.
  5. 5.  Evitar aglomeração e ambientesfechados (deve-se manter osambientes ventilados); Enquanto aguarda a transferência para o Hospital, colocar o paciente em uma área reservada com a porta fechada e janela aberta ou em ambiente arejado; afastando os leitos por no mínimo 1 (um) metro, se possível. Não circular dentro do Hospital usando os EPIs; Restringir a atuação de profissionais de saúde na assistência ao paciente com síndrome respiratória aguda grave.
  6. 6. MEDIDAS DE PRECAUÇÃOHIGIENIZAÇÂO DAS MÃOSA higiene das mãos antes e depois do contato com cada paciente é uma dasmedidas mais importantes para prevenir a propagação de infecções.DEVE SER REALIZADA: Antes e após contato direto com o paciente seus pertences e ambiente; Antes de calçar luvas e após retirá-las; Imediatamente após contato com sangue, fluídos corpóreos, secreções, excreções; Após retirar os equipamentos de proteção individual (EPI) Quando as mãos estiverem visivelmente sujas. Em qualquer outra situação onde seja indicada a higienização das mãos
  7. 7. Técnica de higienizaçãodas mãos com água e sabão:• A lavagem das mãos é realizada com água e sabão por 40 a 60 s.• Visa a remoção da maioria dos microorganismos da microbiota residente, de células descamativas, de pelos, de suor, de sujidade e de oleosidades.
  8. 8. Uso de preparações alcoólicas sob a forma gel ou líquida• Higienizar as mãos com preparação alcoólica quando estas não estiverem visivelmente sujas.• Esfregar as mãos com solução alcoólica até que as mãos estejam secas.
  9. 9. EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO• Luvas INDIVIDUAL (EPI)• Máscaras• Capote• Óculos• Gorro Quem deve utilizar EPI: • Todos os profissionais de saúde que prestam assistência direta ao paciente.
  10. 10. 1. Luvas de procedimentos:• Devem ser utilizadas quando houver risco de contato das mãos do profissional com sangue, fluidos corpóreos, secreções, excreções, mucosas, pele não-íntegra ou equipamentos contaminados.  Troque as luvas sempre que entrar em contato com outro paciente.  Nunca toque superfícies e materiais (telefone, maçaneta,portas) quando estiver com luvas.  Retire as luvas puxando a primeira pela face externa do punho com os dedos da mão oposta.  Segure a luva removida com a outra mão enluvada.  Toque a parte interna do punho da mão enluvada com o dedo indicador oposto (sem luvas) e retire a outra luva.
  11. 11.  Lembrem-se!! O uso de luvas não substitui a higienização das mãos.
  12. 12. 2. Óculos de proteção• Devem ser utilizados quando houver risco de exposição do profissional a respingos de sangue, secreções corporais e excreções.• Após o uso deve ser realizado a desinfecção do EPI com hipoclorito de sódio a 1%. 3. Gorro• Deve ser utilizado em• procedimentos• que geram aerossóis.
  13. 13. 4. Capote ou avental de mangas longas.• Deve ser utilizado durante procedimentos onde é possível a geração de respingos de sangue, fluídos corpóreos, secreções e excreções. 5. Máscaras cirúrgicas• Utilizada pelo profissional e pelo paciente, para evitar contaminação do profissional por gotículas respiratórias, quando o mesmo atuar a uma distância inferior a 1 metro do paciente.
  14. 14. Máscara tipo respirador com proteção de partículas (N95) Utilizada pelo profissional quando atuar em procedimentos com risco de geração de aerossóis. Ex: entubação traqueal, aspiração nasofaríngea e nasotraqueal, broncoscopia, coleta de espécime clínico para diagnóstico.
  15. 15. Colocação da máscara tipo respirador com proteção de partículas(N 95) Passo 1: coloque a máscara na palma da mão com as tiras caídas livremente. Passo 2 Coloque a máscara no seu rosto com a peça nasal para cima. Pegue a correia superior e a coloque atrás da cabeça.
  16. 16. Passo 3Pegue a correia inferior e a coloque ao redor do pescoço abaixo da orelha.Passo 4Coloque os dois dedos de cada mão para ajustar no nariz.
  17. 17. Passo 5Cubra a frente do respirador com ambas as mãos procurando não alterar sua posição.
  18. 18. Desinfecção e limpeza do ambiente:• Limpar pisos e superfícies frequentemente manuseadas, com água e sabão e realizar a desinfecção com hipoclorito de sódio a 1% ou álcool a 70%.• O profissional do serviço de higienização deve utilizar EPI. É necessário que todos os profissionais envolvidos na assistência adotem essas medidas de precaução, afim de minimizar o risco de disseminação da infecção.
  19. 19. Obrigada!

×