Apresentação exame físico cabeça

553 visualizações

Publicada em

Aula de semiologia exame fisico de cabeça e pescoço

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
553
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação exame físico cabeça

  1. 1. Exame Físico Cabeça
  2. 2. Indispensável no Exame Físico -Lavagem adequada das mãos -Uso de luvas de procedimento -Uso de jalecos de proteção
  3. 3. Inspeção • Inspeção é a exploração utilizando apenas o sentido da visão. • A iluminação deve ser adequada, em alguns casos pode-se utilizar instrumentos de auxilio como lupas, lanternas. • Dividida em frontal (padrão) ou tangencial, onde pode-se perceber imperfeições de superfície.
  4. 4. Inspeção estática e dinâmica • Estática – observação da cabeça sem movimentação. ( Forma, tamanho, posição) • Dinâmica – observação da cabeça em movimentação. (Voluntários ou involuntários)
  5. 5. Inspeção Estática - Pontos de reparo
  6. 6. Crânio - Forma • Relação glabela-mento e Látero-lateral
  7. 7. Crânio - Tamanho • Observa-se o tamanho do crânio em relação à face. • Microcefalia Possíveis causas: -Desnutrição grave na gestação -Fenilcetonúria materna -Rubéola congênita na gravidez -Toxoplasmose congênita -Infecção congênita por citomegalovírus.
  8. 8. Crânio - Tamanho • Macrocefalia Possíveis causas -Hidrocefalia, o acúmulo de líquidos na cabeça -Tumores no cérebro -Sangramento intracraniano -Hematomas crônicos -Síndrome de Morquio -Síndrome de Hurler -Doença da Canavan. Pode ser hereditária e benigna.
  9. 9. Posição da cabeça • A cabeça deve estar ereta em relação ao tronco. • Desvios da posição podem indicar complicações (torcicolos, deficiências na audição)
  10. 10. Relevo • Fontanela (crianças) - Normal: Deve ser plana - Afundada: Sinal de desnutrição - Elevada: Infeções ou Elevação da Pressão intra-Craniana. - Pode ser necessária utilização de palpação para percepção das anomalias.
  11. 11. Pele -Cor (palidez , Cianótica, Ictérica) -Lesão -Edemas (localizados, gerais) -Hiperemia (aumento do sangue circulante) -Tumores -Manchas localizadas Lúpus eritematoso
  12. 12. Fácies • Expressões faciais que podem remeter alguma doença ou síndrome. Cushingóide Renal ou Nefrótica Paralisia facial Parkinsoniana Downiana Tetânica Leonina(lepra) Hipertireóidea
  13. 13. Couro cabeludo - testa • Avaliar: -implantação capilar, quantidade e qualidade -Sobrancelhas (queda evidencia sífilis, lepra) -Lesões, úlceras, cicatrizes, coloração, tumores.
  14. 14. Inspeção Dinâmica - movimentos • Deve-se avaliar os movimentos realizados pelo paciente. • Voluntários (obtenção de êxito.) • Involuntários • (observar espásmos, tiques, laterisação.) • Parkinson – Movimentos em “não” • Musset – Movimentos em “sim” • Tremor essencial • Coréia (Movimentos involuntários irregulares)
  15. 15. Palpação • Confirmam-se pontos observados na inspeção • Realizada em: • Tato (percepção superficial) • Pressão (percepção profunda) *Deve-se atentar às expressões faciais do paciente durante o procedimento.
  16. 16. Palpação - Cabeça • Seio Frontal Compressão com o primeiro dedo e outra mão atrás da cabeça. Dor - evidencia casos de sinusite • Palpação coro cabeludo. Textura capilar, tumorações, dor a palpação.
  17. 17. Palpação ganglionar • Gânglios Pré-auriculares • Gânglios Retro-auriculares • Gânglios Occipitais • Gânglios Cervicais (ant. , post. e superf.) • Gânglios Amigdalianos • Gânglios Submandibular • Gânglios Submentoniano
  18. 18. Palpação das suturas • Buscando retrações ou abaulamentos • Crianças ( afundada ou elevada)
  19. 19. Palpação carótida • Palpação com os dedos indicador e médio, os tumores pulsáteis podem ser detectados pela intensidade dos batimentos.
  20. 20. Percussão • Ato de golpear um ponto específica do corpo a fim de avaliar o som obtido e resistência oferecida pela região palpada. • São duas técnicas básicas: • Percussão direta • Percussão digito-digital
  21. 21. Percussão direta • Dedos em forma de martelo, realiza-se golpe seco e rápido com a ponta dos dedos, sem descuidar de levantar a mão que percute.
  22. 22. Percussão Digito-Digital • Golpeia-se a falange do dedo médio ou indicador da mão esquerda com a borda ungueal do dedo médio da mão direita.
  23. 23. Tipos de som • Maciço: característicos de reigões desprovidas de ar, se acompanha de sensação de resistência (dureza) • Sub-maciço: variação do maciço, presença de ar. • Timpânico: som obtido percutindo qualquer superfície que contenha ar recoberta por membrana flexível, acompanhado por sensação de elasticidade. • Claro pulmonar: obtido ao percutir o tórax normal, dependendo da presença de ar nos alvéolos e demais estruturas pulmonares.
  24. 24. Percussão - Cabeça • Percussão dos seios da face.
  25. 25. Ausculta • Exame que visa a audição dos sons internos do corpo, é feito normalmente com o auxilio de um estetoscópio. • É utilizado para examinar os sistemas respiratório, intestinal e circulatório.
  26. 26. Técnica de ausculta • Ambiente : silencioso • Posição do paciente e do medico: comodamente no momento do exame. • Escolha correta do receptor: escolha correta do diafragma e campânula para melhor cancelamento de ruídos ambientais. • Aplicação correta do receptor: deve ficar levemente apoiado.
  27. 27. Auscuta - cabeça
  28. 28. Ausculta de carótida • Ausculta carótida é um procedimento útil na detecção de estenose ou oclusão da carótida, mas requer confirmação por ultra-som.
  29. 29. Elementos da face • Os demais elementos da face serão apresentados posteriormente • Olhos • Nariz • Boca • Ouvidos(externos e internos)
  30. 30. Obrigado!

×