Eye tracking

2.183 visualizações

Publicada em

1 comentário
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Try GazeRecorder WebCam Eye Tracking for usability testing https://sourceforge.net/projects/gazerecorder/
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.183
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
203
Comentários
1
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Eye tracking

  1. 1. Eye Tracking Jéssica Barbosa dos Santos Romulo Barbosa de Alencar Monteiro
  2. 2. Historia Javal (1989) − Métodos invasivos Dodge e Cline (1901) − Método não-invasivo. − Usando luz para refletir na córnea. − Baixa movimentação da cabeça. − Só reconhecia movimentações horizontais.
  3. 3.  Judd, McAllister & Steel (1905) − Aplicavam um tipo de material nos olhos dos pacientes, que ao entrar em contato com a luz refletia o movimento da córnea. − Procedimentos filmados. Hartridge e Thompson (1948) − Primeiro eye tracker montado. − Restringia os movimentos. Em 1970, os estudiosos buscavam resultados mais exatos. − Dois laboratórios militares se unem para fabricar um minicomputador que processa em tempo real os dados coletados, da leitura ocular.
  4. 4. Comportamento do olho em leituras Sacadas − Ocorrem na leitura de textos e imagens, correspondem a pulos de pequenas distancias, mas com grande velocidade. Normalmente seu tempo varia entre 20 a 40 milissegundo. Tipos de Sacadas: − Progressivas − Retrogradas  10-15% de ocorrência em uma leitura − Varreduras de Retorno − Corretoras
  5. 5.  Fixações: − Ocorrem após uma sacada, corresponde a fixação em alguma palavra ou parte de uma imagem. − Seu tempo varia entre 100 a 500 milissegundos. − Método da Janela.
  6. 6. O valor do Eye Tracking nos estudos de Usabilidade A utilização do recurso Web de Learning Management Systems (LMS), ou Sistema de Gestão de Aprendizagem, tem crescido amplamente em empresas e instituições, seja para: - Prestação de serviços a terceiros ou, - Para ensinar, qualificar e treinar os membros do grupo.
  7. 7.  Contudo, nos Países em desenvolvimento, as competências em informática e Web variam muito, apresentando os extremos: - Especialistas com conhecimentos sofisticados; - Leigos sem qualquer conhecimento básico. O problema se agrava devido a: *Sistema é utilizado ocasionalmente e sob restrições de tempo; *Dificuldades financeiras dos indivíduos;
  8. 8. Assim, quando a interface do LMS é o único pontode acesso, a situação realmente fica crítica.
  9. 9. ●Estudos sobre projeção de interfaces parausuários novatos tem sido bastante desenvolvido.●No entanto, a implementação do uso do EyeTracking como ferramenta de avaliação deusuários não-especialistas da web tem sido uma“novela”.●Levantando-se a questão:Qual é o valor acrescentado do Eye Trackingna avaliação de usuários não-especialistas daweb?
  10. 10. Sabendo que a perícia no computador influenciapositivamente a usabilidade, o uso do EyeTracking poderia ajudar a definir a gravidade dosefeitos recorrentes da inabilidade dos usários nãoexperientes e, ainda, apontar soluções paramelhorar a utilização das interfaces digitais paratais usuário, uma vez que, por exemplo, indica oque chama atenção dos indivíduos e o que lhes éfamiliar.
  11. 11. Introdução a testes em sites Tipos de sites: − Portais Públicos − Portais Privados
  12. 12.  Várias pesquisas foram desempenhadas para o estudo das formas de navegação em sites. – Nielsen 2006; – Granka, Joachims & Gay 2004; – Shrestha, Lenz, Owens & Chaparro 2007 Nielsen concluiu que os usuários tem seu sentido de leitura em “F”; Shrestha replicou esta afirmativa, dizendo que não se aplicava aos web sites, por conta de sua formatação;
  13. 13.  Pode-se notar que, em pesquisas na internet, o grau de atenção decresce após os dois primeiros resultados. Uma pequena pesquisa fora feita usando o site, de 2 colunas, Oracle, baseado no estudo de Goldberg: − Sentido de leitura: de linha por linha; − Maior fixação no canto superior esquerdo; − Maior atenção nas duas primeiras linhas dos canais; − Sentido de leitura: Esquerda → Direita, Cima → Baixo
  14. 14. Pesquisa, métodos e resultados Participantes: − 40 estudantes de graduação da Universidade Midwestern, com idade média de 22 anos. − Todos com acesso a pelo menos uma vez por semana à Internet. − 92% dos estudantes tem familiaridade com o site da universidade.
  15. 15.  Material: − Dois portais, sendo escolhido dezoito canais de ambos, divididos em dois conjuntos. − Um questionário perguntando sobre os hábitos dos usuários em seus acessos a internet. − Computadores Core2Duo, rodando a resolução de 1024x768. − Aparelho de Eye Tracking Tobii 1750, conjuntamente com o programa ClearView.
  16. 16.  Procedimentos: − Os participantes são escolhidos aleatoriamente para visualizar um dos portais; − Eles se posicionam a 60cm de distância do monitor; − São dados 20 segundos para uma rápida visualização;
  17. 17.  Resultados − Ordem de Fixação:  Foi observado diferentes tipos de leitura em sites de 2 e 3 colunas.  Em sites de 2 colunas, segue o padrão detectado por Goldberg. Esquerda → Direita, Cima → baixo, Direita → esquerda
  18. 18. Obs: O padrão deleitura é adaptado asituações inesperadas,como ocorre naterceira linha.
  19. 19.  Nos portais com 3 colunas, há um tipo de leitura diferente: Centro → Esquerda → Direita Sendo ele obedecido somente na primeira linha. Já na segunda linha, tem-se: Direita → Esquerda Na terceira: Esquerda → Direita Em certos momentos, há colunas com o mesmo grau de fixação.
  20. 20. Analise de Heatmap
  21. 21.  Discussão dos Resultados − Com base nos resultados, pode-se concluir que, em casos de portais de duas e três colunas, o curso de leitura predominante é conforme Goldberg alega: em padrão de “S”s que vão se invertendo. − É possível perceber, ainda, que, em ambos os casos, a fixação do olhar diminui, quando o usuário desce a pagina em sua leitura. − Também constatasse a maior fixação:  2-colunas: Parte superior esquerda  3-colunas: Parte superior central, direita e esquerda.
  22. 22.  Referencias Bibliográficas: – R.J.K. Jacob and K.S. Karn, “Eye Tracking in Human-Computer Interaction and Usability Research: Ready to Deliver the Promises (Section Commentary),” in The Minds Eye: Cognitive and Applied Aspects of Eye Movement Research, ed. by J. Hyona, R. Radach, and H. Deubel, pp. 573-605, Amsterdam, Elsevier Science (2003). – Justin W. Owens & Sav Shrestha, How Do Users Browse a Portal Website? An Examination of User Eye, October 2008, Vol. 10 Issue 2 Movements. – Marco C. Pretorius, Judy van Biljon and Estelle de Kock, Added Value of Eye Tracking in Usability Studies: Expert and Non-expert Participants

×